Olhando pra Lisboa, ali tão perto ............... lá no alto, de cabelos ao vento................................ o Cristo-Rei foi pregar para o deserto ..................... e deixou os camelos em... «Belém»!

=========================================

FRASES INTEMPORAIS APLICADAS À POLÍTICA

1 - O cigarro adverte:

"o governo faz mal à saúde!"

2 - Não roube,

“o governo detesta concorrência.”

3 - Errar é humano.

“Culpar outra pessoa é política.”
4 - Autarcas portugueses
"São os mais católicos do mundo. Não assinam nada sem levar um terço.

5 - Se bem que…

"o salário mínimo deveria chamar-se gorjeta máxima".

6 - Feliz foi Ali-Babá que:
"não viveu em Portugal e só conheceu 40 ladrões!!!..."

7 - Não deixe de assistir

"ao horário político na TV:

Talvez seja a única oportunidade de ver políticos portugueses em "cadeia nacional".

8 – O maior castigo

"para quem não se interessa por política é que será governado pelos que se interessam."

9 - Os políticos
"são como as fraldas... Devem ser trocados com frequência, e sempre pelo mesmo motivo...

10 - Os líderes

"das últimas três décadas ou sucedem a si próprios ou então criam clones dos seus tiques."

11 - Os partidos
"
tomaram conta do Estado e puseram o Estado ao seu serviço."

12 - A frase do dia é de Alberto João Jardim:
- O que penso sobre o aborto?!...

- Considero-o um péssimo Primeiro-ministro e está a governar muito mal o País.

13 - Notícia de última hora!!!

- “Fiscais da ASAE, (brigada de inspecção da higiene alimentar), acabam de encerrar a Assembleia da República.“
Motivo: Comiam todos no mesmo tacho!

14 – Bom para Portugal!!!!!

"Sou totalmente a favor do casamento gay entre os políticos.

Tudo que possa contribuir para que eles não se reproduzam é bom para o país..."

15 - Candidatos:

"Antigamente os cartazes nas ruas, com rostos de criminosos, ofereciam recompensas;
hoje em dia, pedem votos".

16 - País desenvolvido:

"não é onde o pobre tem carro, é onde os políticos usam transporte público".

17 - Austeridade é quando

"o Estado nos tira dinheiro para pagar as suas contas até deixarmos de ter dinheiro para pagar as nossas".

18 - O governo esclare:

"Os cortes aos reformados só se aplicam a quem tiver 2 pensões. Quem tiver 2 hotéis ou 2 residenciais está safo".

19 - A força do Fisco:

"O estado arranca-me tudo à força e depois diz que sou contribuinte".

20 - País desenvolvido

não é onde o pobre tem carro, é onde os políticos, usam transporte público.

21 - Austeridade é quando

o Estado nos tira dinheiro para pagar as suas contas até nós deixarmos de ter dinheiro para pagar as nossas.

===================================================

04
Dez 14

mala-dinheiro.jpg

 O "animal feroz" agora encontra-se  no seu devido lugar ,atrás das grades  ! SÓCRATES! 

MAGISTRAL , NÃO DEIXE DE LER ! ! !  (nl)

Que maravilha de texto.....É MESMO ISTO....foi das coisas mais bem escritas que li sobre o sócrates nos últimos dias...

Antonio Manuel Santos Franco

 

Referir que acredito na culpabilidade de Duarte Lima no caso do assassinato no Brasil, que acredito que Lee Harvey Oswald matou Kennedy, que João Paulo I foi assassinado e que não gosto particularmente de Cavaco Silva. Serve isto para dizer que não me deixo levar por "teorias de conspiração", que normalmente apenas existem na cabeça de alguns "iluminados" e que felizmente raramente correspondem á realidade.

A minha opinião sobre Sócrates é muito simples... Sócrates é doente...

E como não consegue distinguir a verdade da mentira, tem um discurso coerente e credivel, quer seja verdade o que diz, quer seja completamente falso... Sócrates tem um ego gigantesco... Acha-se um génio, e no seu desvario achou que o País lhe devia eterno reconhecimento... Fez de Portugal o seu quintal... E trouxe para a brincadeira os seus amigos...

Se hoje não duvido da honestidade de homens como Luis Amado, ou Teixeira dos Santos, sempre achei que só num governo comandado por um lunático, se poderiam encontrar personagens como Paulo Campos ou Maria de Lurdes Rodrigues...

Sócrates trouxe para a politica um modo agressivo e de falta de educação, que segundo os seus seguidores o definiam como o "Animal Feroz"... Para mim, e já o referi anteriormente, José Sócrates é apenas um homem que não aceita o contraditório, e é extremamente mal educado... Que faz do insulto a sua arma... Que faz do medo o seu "modus operandi"... Que não hesitou em quebrar a espinha ao ministério público através de magistrados cobardes, como Cândida Almeida, Pinto Monteiro ou Noronha do Nascimento, os quais pura e simplesmente evitaram que qualquer processo que envolvesse o primeiro ministro, chegasse sequer a inquérito... Que criou na banca uma rede de influências, através das quais manteve uma divida pública artificial, assente na compra de titulos dessa mesma divida por parte da Banca e que levou á sua total descapitalização... Que tentou silenciar a imprensa que lhe era incómoda, nomeadamente o Sol, o Correio da Manhã e a Sábado, chegando a tentar que a PT comprasse a TVI para afastar Manuela Moura Guedes e o marido...

A partir de determinada altura Sócrates confundiu tudo... Achou-se um predestinado... Os outros eram todos "bota baixistas"... A Europa não o entendia...

Começou a privar com exemplos de Democracia... De Kadhafi a Hugo Chavéz, não houve ditador que não visitasse o "messias"... Ficou completamente alheado da realidade... Agarrou-se a mitos tipo PEC 4... Que ainda hoje defende, mesmo depois de Jean Claude Trichet ter dito que em Maio de 2011, Portugal pura e simplesmente não tinha dinheiro...

Na RTP tinha um comentário semanal que parecia um comicio, tendo José Rodrigues dos Santos sido afastado por razões nunca explicadas em detrimento de Cristina Esteves a qual, se comportava com uma docilidade por vezes a roçar o ridiculo...

Hoje ouvi Pinto Monteiro dizer uma barbaridade... Que almoçou com Sócrates e que apenas falaram de livros... Alguém acredita nisto? Era neste estado de mentira que Sócrates se movia... Era num Portugal esquizofrénico que o primeiro ministro vivia, e cuja esquizofrenia é hoje paga por nós a peso de ouro...

Alguns jornalistas e comentadores parecem estar mais interessados em saber sobre a violação do segredo de justiça, do que sobre crime em si... É tão absurdo como eu dar um tiro em alguém, e a preocupação da justiça ser se a pistola estava legal ou não... Surreal...

Não conheço José Sócrates... Não o quero conhecer... Não quero conhecer o homem que levou o meu país, a aparecer nos jornais de todo o mundo pelas piores razões...

E se um dia o "animal feroz" me atacar, dir-lhe-ei apenas uma frase... Não tenho medo de si...

publicado por LauraBM às 23:43

07
Abr 14
publicado por LauraBM às 22:48

10
Fev 13

publicado por LauraBM às 23:37

10
Out 12

Não percam este vídeo, por amor de Deus, portugueses!

Cliquem nesse link:
http://www.youtube.com/watch?v=tJj0H5C-uhc&feature=colike

 

 

A vergonha do empobrecimento dos portugueses por causa das parcerias público-privadas magicadas em 2005 pelo 1º ministro Sócrates c/o aval de presidente Cavaco Silva.

 

Estas parcerias enriqueceram alguns políticos enquanto nos condenavam à miséria a partir de 2013 quando os pagamentos destas mesmas parcerias dispararem já em 2013.


E é esta gente que diz que nos governa mas nos condena à fome!
---------------------------------------------------


Jornalista José Gomes Ferreira na Sic c/ Clara de Sousa
Não percam os vídeos deste jornalista para sabermos o que nos vai acontecer após 2013!
E tudo com a assinatura da múmia paralítica Presidente Cavaco Silva (desde 2005) enquanto o maldito Sócrates engendrava a nossa ruína!

 

ACORDEM PORTUGUESES!!!!!!!!!!!!

Ainda não está tudo perdido!

publicado por LauraBM às 18:38

12
Nov 11

(1º ministro português - Sócrates)

 

A quem enganas tu, esbanjador?

O teu sorriso e bom humor nos achincalha.

Um falso traste, manipulador

das nossas vidas e poupanças, quanto calha.

 

Boneco articulado, mentiroso,

fama e alcunha ganhaste de Pinóquio.

Por fora, tudo parece dar-te um gozo...

por dentro, atrapalhas-te a ti próprio.

 

O povo português, teimosamente,

confia mas não pensa quando vota.

Agora torce a orelha tristemente,

 

e pensa: Como será que se enxota

tal corja do poder que, falsamente,

nos mantém na miséria enquanto arrota?

------------------------------

20/04/2011

Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 23:25

10
Nov 11

Quem muito fala na Assembleia?

E na TV, todos os dias?

De prometer não se arreceia?

Ai, mas que enjoo... Que agonias!!!!!

 

Engravatado e enfatado…

bom alfaiate, boa pinta...

De conversa bem preparado...

sempre a lixar quem lho consinta.

 

Com essa cara não me enganas...

com o sorriso também não.

Porque já vi muitos sacanas...

o rosto esconderem, na mão.

 

Dono e senhor desta mansão,

porque o país é todo seu...

Porque ninguém lhe vai à mão?

Jamais alguém compreendeu!!!!!!

---------------------------------

18/03/2011

Laura B. Martins
Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 23:35

05
Jul 11

Sei lá se é verdade mas, fartos de sermos espoliados, a gente já repassa tudo que aparece.
Tanto que Sócrates roubou e sonegou nos impostos, com a complacência de todos à sua volta (tudo a comer do mesmo racho), quem se admira que a família também tenha lucrado de grande? Só se fossem parvos, não? Era tudo à fartazana!!!!!!! E agora... A gente que se lixe!!!!!
Depois do ladrãozeco, apanhamos com o béu-béu da Merkel. Irra, estamos fartos!!!!!!!!!!!!!!
Laura B. Martins

O milagre da Dona Adelaide... mãe do Santo Sócrates! São Rosas, Senhor....
Será que isto é mesmo verdade??????
PARA REFLECTIR
            
A Mamã do ex-Primeiro-Ministro - MILAGRE ????
Do que está à espera o Ministério Público para mandar fazer uma auditoria à referida Pensâo ?

A mamã  Adelaide e a misteriosa pensão superior  a 3000 euros

Divorciada nos anos 60 de Fernando Pinto de Sousa,  "viveu modestamente em Cascais como empregada doméstica, tricotando botinhas e cachecóis...".

Admitamos que, na sequência do  divórcio ficou com o chalet (r/c e 1º andar) .
Admitamos  ainda, que em 1998, altura em que comprou o apartamento na Rua Braamcamp,  o fez com o produto da venda da vivenda referida, feita nesse mesmo ano.

Neste mesmo ano, declarou às Finanças um  rendimento anual inferior a 250 €.(CM), o que pressupõe não ter qualquer  pensão de valor superior, nem da Segurança Social nem da CGA.

Entretanto  morre o pai (Júlio Araújo Monteiro) que lhe deixa "uma pequena fortuna, de  cujos rendimentos em parte vive hoje".

Porque neste  momento, aufere do Instituto Financeiro da Segurança Social (organismo  público que faz a gestão do orçamento da Segurança Social) uma pensão  superior a 3.000 € (CM), seria lícito deduzir - caso não tivesse tido  outro emprego a partir dos 65 anos - que , considerando a idade normal  para a pensão de 65 anos, a mesma lhe teria sido concedida em 1996 (1931+  65). Só que, por que em 1998 a dita pensão não consta dos seus  rendimentos, forçoso será considerar que a partir desse mesmo ano, 1998  desempenhou um lugar que lhe acabou por garantir uma pensão de (vamos por  baixo): 3.000 €.

Abstraindo a aplicação da esdrúxula forma de  cálculo actual, a pensão teria sido calculada sobre os 10 melhores anos de 15 anos de contribuições, com um valor de 2% /ano e uma taxa global de  pensão de 80%.

Porque a "pequena fortuna" não conta para a  pensão; por que o I.F.S.S. não funciona como entidade bancária que, paga  dividendos face a investimentos ali feitos (depósitos); porque em 1998 o  seu rendimento foi de 250 €; para poder usufruir em 2008 uma pensão de  3.000 €, será porque (ainda que considerando que já descontava para a  Segurança Social como empregada doméstica e perfez os 15 anos para poder  ter direito a pensão), durante o período (pós 1998), nos ditos melhores 10  anos, a remuneração mensal foi tal, que deu uma média de 3.750 €/mês para  efeitos do cálculo da pensão final. (3.750 x 80% = 3.000).

 

Ora, como uma  pensão de 3.000 €, não se identifica com os "rendimentos" provenientes da  pequena fortuna do pai, a senhora tem uma pensão acrescida de outros  rendimentos.
Como em nenhum dos jornais se fala em habilitações  que a senhora tenha adquirido, que lhe permitisse ultrapassar o tal  serviço doméstico remunerado, parece poder depreender-se que as  habilitações que tinha nos anos 60 eram as mesmas que tinha quando ocupou o tal lugar que lhe rendeu os ditos 3.750 €/mês.
Pode-se saber  qual foram as funções desempenhadas que lhe permitiram poder receber tal pensão?

 

E há mais...
A Dona Adelaide comprou um  apartamento na Rua Braamcamp, em Lisboa, a uma sociedade off-shore com  sede nas Ilhas Virgens Britânicas, apurou o Correio da Manhã. Em Novembro  de 1998, nove meses depois de José Sócrates se ter mudado para o terceiro  andar do prédio Heron Castilho, a mãe do primeiro-ministro adquiria o  quarto piso,  letra E, com um valor tributável de 44 923 000 escudos -  cerca de 224 mil euros -, sem recurso a qualquer empréstimo bancário e  auferindo um rendimento anual declarado nas Finanças que foi inferior a  250 euros (50 contos).
Ora vejam lá como a senhora deve ter sido  poupadinha durante toda a vida.
Com um rendimento anual de 50 contos, que nem dá  para comprar um mínimo de alimentação mensal, ainda conseguiu juntar  224.000 euros para comprar um apartamento de luxo, não em Oeiras ou  Almada, na Picheleira ou no Bairro Santos, mas no fabuloso edifício Heron,  no nº40, da rua Braamcamp, a escassos metros do Marquês de Pombal e numa  das mais nobres e caras zonas de Lisboa.
Notável exemplo de vida espartana que  permitiu juntar uns dinheiritos largos para comprar casa no inverno da  velhice.

 

Vocês lembram-se daquela ideia genial do Teixeira  dos Santos, que queria que pagássemos imposto se dessemos 500 euros aos  filhos ?

Quem  terá ajudado, com algum cacau, para que uma cidadã, que declarou às  Finanças um RENDIMENTO ANUAL de 50 contos, pudesse pagar A PRONTO, a  uma sociedade OFFSHORE, os tais 224.000 euros?
         
A VERDADE  DEVIA SER APURADA !!!!!
SÓ ESTA GENTE NÃO  É  FISCALIZADA....     

publicado por LauraBM às 00:10

23
Mai 11

publicado por LauraBM às 22:26

22
Mai 11
Só se acrescentou uma letra ao antigo lema nacional
(Como só uma letra pode definir uma época...)
Portugal, desde o séc. XX, tem estado sujeito a dois lemas:
No Estado Novo-Salazar (1926 -1974), o lema era: "Deus, Pátria e Família!"
Com os Socialistas (1974 - 2011), o lema é: "Adeus, Pátria e Família!"
 
================================================
publicado por LauraBM às 20:25

Um menino regressa da escola cansado e faminto e, pergunta à mãe:
'Mamã, que há de comer?'
'Nada, meu filho.'
O menino olha para o papagaio, que têm na gaiola, e pergunta:
'Mamã, porque não há papagaio com arroz?'
'Porque não há arroz.'
'E papagaio no forno?'
'Não há gás.'
'E papagaio no grelhador eléctrico?'
'Não há electricidade.'
'E papagaio frito?'
'Não há azeite.'
E o papagaio contentíssimo gritava:
- 'VIVA O SÓCRATES!!! VIVA O SÓCRATES'!!!
 
=================================
 
Hoje, na Assembleia da Républica, o dito Engenheiro, afirmou que sentiu um aperto no coração quando teve de decidir as medidas de austeridade que anunciou ontem.
Ainda tive esperança que tivesse sido um enfarte, mas afinal não, era só mais uma treta para enganar papalvos. Que pena!
publicado por LauraBM às 20:05

21
Mai 11

Engenheiro ou Bacharel / Respondeu sem gaguejar
Levou montes de papel / Para tudo comprovar
 
Até propinas pagou / Imaginem, vejam só,
Os Recibos mostrou / Alguns deles já com pó
 
Das Fichas d' Assembleia / Que dizem ter a dobrar
Esqueceu, não faz ideia / Como foram lá parar
 
Também um ex- Professor / Que nunca mais contactou
Viria a ser Director / Por despacho que assinou
 
Com as falhas de memória / E o nariz tão crescido
Inda vai ficar na História / Como o "Zé esquecido".

-------------------------------------

Artigo recebido via Internet, s/autoria

publicado por LauraBM às 19:51

20
Mai 11

publicado por LauraBM às 22:04

19
Mai 11

Wolfgang Munchau no Financial Times (09.05.2011)

O jornal britânico “Financial
Times” acusa o Primeiro-ministro português de só querer saber “do seu quintalzinho” e de ter adiado até ao último minuto o anúncio sobre o pedido de ajuda.

Numa crónica assinada por Wolfgang
Munchau, o ponto alto da crise foi o anúncio “trágico-cómico” da semana passada de José Sócrates, que, com o país à beira da extinção fi nanceira, apareceu nas televisões nacionais a elogiar o acordo fi rmado com a troika.

O cronista lembra ainda as garantias do Primeiro-ministro de que o acordo não iria trazer grande sofrimento, desmentidas dias depois: o plano prevê grandes cortes na despesa, congela salários e pensões, aumenta impostos e prevê dois anos de recessão.

Por isso, conclui que o problema da Europa é político, não económico: “A razão política pela qual esta crise vai
de mal a pior é um problema de actuação colectiva que continua por resolver.
Ambos os lados têm falhado.

O deputado avarento e economicamente iletrado do Norte da Europa é tão responsável como o primeiro-ministro do Sul da Europa que só se preocupa com o seu quintalzinho. O Governo grego comportou-se de forma relativamente correcta, mas a forma como Portugal tem gerido, e continua a gerir, a crise é assustadora”.

Na opinião de Munchau, a Zona Euro vai confrontar-se, em breve, com uma escolha, porque, “como os historiadores
económicos sabem desde sempre, uma união monetária sem uma união política não é viável”.

publicado por LauraBM às 21:52

18
Mai 11

"Carta ao meu "amigo" Zé Socras

Zé, meu compincha que tão bem me entendes e compreendes, Escrevo-te esta carta porque estou revoltada e quero protestar contra as injustiças deste povo em relação a ti e ao teu magnífico governo. Escrevo-te para manifestar a minha solidariedade para contigo, génio incompreendido, como, de resto, o são todas as grandes mentes. Tu, que procuras o bem do teu país, tu que lutas pelo desenvolvimento tecnológico, pela educação, pela saúde, pela economia, pelo trabalho...
E, apesar de todos os teus abnegados e heróicos esforços, ninguém te compreende!

Cerca de 300.000 pessoas, um pouco por todo o país, tudo a protestar contra o estado das coisas, contra a falta de oportunidades... Eles não entendem o que tu já tens feito pelo bem deles!

 

Tu, que levaste para a frente as Novas Oportunidades para que qualquer analfabeto possa aumentar a sua auto estima dizendo que tem o 9º ano sem ter que ir às aulas;

Tu, que criaste programas de estágio para que os licenciados e mestres possam adiar uns meses o desespero do desemprego e, entretanto, serem explorados a baixo custo com imensas regalias... para as empresas;

Tu, que proporcionaste aos alunos a possibilidade de transitarem de ano sem qualquer esforço, criando dificuldades aos malvados dos professores que os queiram reter caso não tenham tido aproveitamento;

Tu, que deste a volta àquela insustentável segurança social que não dava lucros nenhuns, como era o seu objectivo, garantindo, agora, que todos possam ter reformas menores e menos protecção na doença e no desemprego;

Tu, que cortaste os salários aos funcionários públicos, mas que tiveste a decência de salvaguardar os vencimentos dos administradores e dos teus amiguinhos;

Tu, que criaste mais dívida para que todos possamos sonhar com uma viagem de TGV, apesar de não termos dinheiro para os bilhetes e enquanto os trabalhadores da CP vêm as suas condições de trabalho a piorar;

Tu, que poupas dinheiro e decides não fazer um metro em cidades insignificantes como Coimbra, que não te metes em despesas com transportes públicos, tu que ainda por cima só tens 20 motoristas por tua conta e uns poucos por conta dos teus amiguinhos;

Tu, que organizas festas e viagens para mostrar o que de "melhor" por cá se faz, sem olhares a custos...

Tu, que és tão bonzinho, que nos compreendes tão bem, que és tão solidário para com os jovens, para com os trabalhadores, para com os  pensionistas... Ninguém te compreende... Pedes justificados e pertinentes sacrifícios à população, discursas sobre o quanto nos entendes e lamentas o que passamos, pois não tens quaisquer responsabilidades sobre o estado das coisas!

A culpa é da Ângela, do Nicolau e dos outros meninos maus da Europa. Tu não tens culpa!

Não tens culpa de te preocupares com as despesas excepto com as que dizem respeito a ti e aos teus amigos!

Não tens culpa de quereres luxos na educação, saúde, tecnologia e transportes (de que importa se ainda nem o básico está assegurado?)!

Não tens culpa de desconheceres o que é viver com um salário mínimo ou médio tendo comida, escola, gasolina, água, gás, luz, medicamentos, e outras despesas que tais, para pagar.

Não tens culpa que os professores se sintam mais reclusos que educadores e fontes de conhecimento por causa dum modelozinho de avaliação inofensivo.

Não tens culpa que os pais dos meninos não tenham dinheiro para lhes pagarem os estudos e os sustentarem quando eles não arranjam emprego.

 

Enfim... Às vezes sinto que vivemos num mundo ao contrário...

Eu, chamo-me Alice e vivo em Portugal, um país que não me dá oportunidades de crescimento, que desaproveita todo o investimento que eu, os meus pais e o estado fizeram no meu desenvolvimento pessoal e académico.

Tu és o Zé e vives no País das Maravilhas, um país em que tudo é como devia ser, graças a ti, mas as pessoas que o habitam são burras e não percebem o bem que lhes fazes.

 

Não me alongarei muito mais nesta carta, pois já deves ter percebido que estou do teu lado e que te compreendo totalmente! Sugiro-te que saias de Portugal...

Por muito que te custe abandonar a pátria pela qual tanto te tens sacrificado, julgo que terás um futuro melhor, em que sejas mais bem tratado, fora deste país cujo povo não te entende nem dá valor ao que tens feito.

Vai por exemplo para o Pólo Norte ou para a Gronelândia... Dizem que lá há muito espaço para construíres aeroportos, pontes, linhas de alta velocidade e auto-estradas!

Um beijinho e desejos de boa viagem,

Alice"

---------------------------------------

Artigo escrito por Alice Morgado
Retirado do Blogue "FANTÁSTICO, MELGA!
14 de Mar de 2011

 

NOTA:

Ou vai mesmo para a p.q.p.

------------------------

Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 19:58

17
Mai 11

(Jornal STAL - 4/2011)

 

O chefão da mafia internacional pretendente ao pequeno tesouro português, encomendou ao capataz Socratoni um conjunto de medidas que pudesse desestabilizar de tal forma este nosso cantinho a ponto de lhe ir parar às mãos.

E informou os outros mafiosos que o tal Socratoni ainda estava capaz de romper meis solas e pretendia continuar dentro do pote d'ouro, pelo que o Coelhoni não iria, para já, fazer melhor. Quando for a altura ideal para a mudança falarão com o professor Cavaconi que ele logo tratará disso sem os incomodar.

 

A mafia constatou que aqui tem as televisões e as rádios na mão e, portanto, com o apoio dos Estados Unidos e da Europa com a directora geral Ângela Merkleoni à frente, a ajuda dos Mercados, as ameaças do FMI e do Banco Central Europeu, a mumificação do Mário Soares e de muitas outras celebérrimas figuras do estado, a coisa não poderia ir melhor.

 

Todos os membros da Cosa Nostra abanaram as orelhas em sinal de aprovação.

 

E, instruído por D, Corleone, o Sacratoni lá pôs em marcha mais um imPECável assalto aos bolsos do pobre povo português que, atarantado por tanta roubalheira feita já à luz do dia, sem que a polícia de intervenção se disponha a intervir como seria seu dever, já nem se lembra que foi ele (povo) que escolheu esta gente para governar o país.

E, segundo as sondas que por aí vão perfurando as consciências sempre distraídas, até parece que a seguir irá aceitar voluntariamente mais do mesmo; com Coelhoni no lugar de Socratoni sempre com o comando da camorra.

 

Ai, povo da minha terra, quando irás acordar? 

publicado por LauraBM às 22:58

16
Mai 11

Um dia, Deus, muito insatisfeito com a humanidade e os seus pecados, decidiu pôr fim em tudo.

Deus reuniu então todos os líderes mundiais para comunicar-lhes pessoalmente a sua decisão de acabar com a
humanidade em 24 horas.

Deus disse: "Reuni-vos aqui para comunicar que extinguirei a humanidade em 24 horas".

E o povo dizia:"Mas, Senhor..."

Nada de MAS, este é o limite, a humanidade vai abandonar a Terra para todo o sempre!

Portanto, voltem aos respectivos Países e digam ao Povo que estejam preparados. Têm 24 horas!

 

O primeiro a reunir o povo foi, OBAMA.

Em Washington DC, através de uma mensagem à nação, OBAMA disse:

"Americanos, eu tenho uma boa notícia e uma má notícia para dar.

"A boa notícia é que Deus existe e que ele falou comigo". Mas, claro, já sabemos disso.

A má notícia é que esta grande Nação, o nosso grande Sonho, só tem 24 horas de existência. Este é o desejo de Deus".

Fidel Castro reuniu todos os cubanos e disse:

"Camaradas, povo Cubano, tenho duas más notícias.

A primeira é que Deus existe... sim, eu vi-o, estava mesmo à minha frente!!! Estive enganado este tempo todo...

A segunda má notícia é que em 24 horas esta magnífica Revolução pela qual tanto temos lutado, vai deixar de existir."

Finalmente, em Portugal, José Sócrates dá uma conferência de imprensa:

"Portugueses, hoje é um dia muito especial para todos nós. Tenho duas boas notícias.

A primeira boa notícia é que eu, sou um enviado de Deus, um mensageiro, porque conversei com ele pessoalmente.

A segunda boa notícia é que, conforme constava do Programa do Governo e apenas em 24 horas, serão erradicados para sempre o desemprego, o analfabetismo, o tráfico de drogas, a corrupção, a pedofilia, os problemas de transporte, água e luz, habitação, nada de burocracia, e o mais

espectacular de tudo: O IVA vai acabar assim como a miséria e a pobreza neste País!!

O Governo cumpriu tudo o que prometeu!!!

 

Não se riam porque ele é mesmo assim! Tal e qual!!!!!!!

publicado por LauraBM às 21:15

15
Mai 11

publicado por LauraBM às 22:53

12
Mai 11

Se calhar, há muitos que também são mas sabem!... 

publicado por LauraBM às 22:56

09
Mai 11

 

Ele ainda existe. Deus nos valha!

publicado por LauraBM às 13:39

08
Mai 11

Quem nos dera que fosse verdade e fossem os dois pra bem longe!

 

publicado por LauraBM às 22:14

06
Mai 11

20/10/2010

Subject: O MÁRIO CRESPO... PASSOU-SE!!!....Está explicado o fim da sua carreira...
Para aqueles que ainda possam crer que pode haver justiça… e para aqueles que acham que não…..
Felizmente que ainda há pessoas que escrevem…. Mesmo que o preço possa ser muito elevado!!!!
                                  
VIVA A PALHAÇADA
MÁRIO CRESPO... PASSOU-SE!!!.... Talvez o ultimo artigo que escreva... ou não….
.....um artigo directo ao 1º ministro ???
 
O palhaço
 
O palhaço compra empresas de alta tecnologia em Puerto Rico por milhões, vende-as em Marrocos por uma caixa de robalos e fica com o troco.
E diz que não fez nada.
O palhaço compra acções não cotadas e num ano consegue que rendam 147,5 por cento. E acha bem. O palhaço escuta as conversas dos outros e diz que está a ser escutado. O palhaço é um mentiroso.
O palhaço quer sempre maiorias. Absolutas. O palhaço é absoluto. O palhaço é quem nos faz abster. Ou votar em branco. Ou escrever no boletim de voto que não gostamos de palhaços.
O palhaço coloca notícias nos jornais. O palhaço torna-nos descrentes.
Um palhaço é igual a outro palhaço. E a outro. E são iguais entre si.
O palhaço mete medo. Porque está em todo o lado. E ataca sempre que pode. E ataca sempre que o mandam. Sempre às escondidas. Seja a dar pontapés nas costas de agricultores de milho transgénico seja a desviar as atenções para os ruídos de fundo. Seja a instaurar processos. Seja a arquivar processos. Porque o palhaço é só ruído de fundo.
Pagam-lhe para ser isso com fundos públicos. E ele vende-se por isso. Por qualquer preço. O palhaço é cobarde. É um cobarde impiedoso. É sempre desalmado quando espuma ofensas ou quando tapa a cara e ataca agricultores. Depois diz que não fez nada. Ou pede desculpa.
O palhaço não tem vergonha. O palhaço está em comissões que tiram conclusões. Depois diz que não concluiu. E esconde-se atrás dos outros vociferando insultos.
O palhaço porta-se como um labrego no Parlamento, como um boçal nos conselhos de administração e é grosseiro nas entrevistas.
O palhaço está nas escolas a ensinar palhaçadas. E nos tribunais. Também. O palhaço não tem género. Por isso, para ele, o género não conta. Tem o género que o mandam ter. Ou que lhe convém. Por isso pode casar com qualquer género. E fingir que tem género. Ou que não o tem. O palhaço faz mal orçamentos. E depois rectifica-os. E diz que não dá dinheiro para desvarios. E depois dá. Porque o mandaram dar. E o palhaço cumpre.
E o palhaço nacionaliza bancos e fica com o dinheiro dos depositantes. Mas deixa depositantes na rua. Sem dinheiro. A fazerem figura de palhaços pobres. O palhaço rouba. Dinheiro público. E quando se vê que roubou, quer que se diga que não roubou. Quer que se finja que não se viu nada.
Depois diz que quem viu o insulta. Porque viu o que não devia ver. O palhaço é ruído de fundo que há-de acabar como todo o mal. Mas antes ainda vai
viabilizar orçamentos e centros comerciais em cima de reservas da natureza, ocupar bancos e construir comboios que ninguém quer. Vai destruir estádios que construiu e que afinal ninguém queria.
E vai fazer muito barulho com as suas pandeiretas digitais saracoteando-se em palhaçadas por comissões parlamentares, comarcas, ordens, jornais, gabinetes e presidências, conselhos e igrejas, escolas e asilos, roubando e violando porque acha que o pode fazer. Porque acha que é regimental e normal agredir violar e roubar.
E com isto o palhaço tem vindo a crescer e a ocupar espaço e a perder cada vez mais vergonha. O palhaço é inimputável. Porque não lhe tem acontecido nada desde que conseguiu uma passagem administrativa ou aprendeu o inglês dos técnicos e se tornou político.
Este é o país do palhaço. Nós é que estamos a mais.
E continuaremos a mais enquanto o deixarmos cá estar. A escolha é simples.
Ou nós, ou o palhaço.
publicado por LauraBM às 22:52

04
Mai 11

SÓCRATES AOS PÉS DA CRUZ

Sócrates vai a uma igreja e se ajoelha na frente de Jesus crucificado, rezando:

Sócrates: Jesus, estou totalmente arrependido e gostaria de redimir meus pecados.

Jesus: EstÁ bem. Que tens feito?

Sócrates: Depois de estes meus anos de governo estou deixando o povo arruinado e na miséria...

Jesus: Dê graças ao Pai!

Sócrates: Traí o povo que me deu os seus votos!

Jesus: Dê graças ao Pai!

Sócrates: Economizei verbas da Saúde, da Educação, da Segurança, etc. etc., as quais foram encher os bolsos de alguns.

Jesus: Dê graças ao Pai!

Sócrates: Comprei carros topo de gama para a Assembleia, para os magistrados e tantos outros.

Jesus: Dê graças ao Pai!

Sócrates: Protegi as roubalheiras do Vara, do Godinho, do Rendeiro, do Jardim, do Oliveira Costa e tantos outros.

Jesus: Dê graças ao Pai!

Sócrates: Permiti que alarves como o Mexia, Pedro Soares, Zeinal, Coelho, e mais uma mão cheia deles fossem agraciados com chorudos prémios com verbas tiradas do bolso do contribuinte.

Jesus: Dê graças ao Pai!

Sócrates: Pus à cabeça dos Ministérios autênticos alarves que só fizeram burricadas na Educação, na Saúde, na Segurança, etc..

Jesus: Dê graças ao Pai!

Sócrates: Mancomunei-me com Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, com o Procurador Geral da República e outros tantos biltres da sua igualha, para que dessem cobertura às minhas manigâncias.

Jesus: Dê graças ao Pai!

Sócrates: Meti-me naquela alhada dos exames feitos ao Domingo, nas casas lá na Parvónia, no Freeport, na Maddie, nas sucatas, no TGV, na nova ponte, e em outras tantas que não vale a pena enumerar...

Jesus: Dê graças ao Pai!

Sócrates: Dei apoio ao Hugo Chavez, o maior bandido da América Latina.

Jesus: Dê graças ao Pai!

Sócrates: Mas, Jesus, estou realmente arrependido e a única coisa que Vós tendes para me dizer é: "Dê graças ao Pai"?

Jesus: Sim, agradece ao Pai por eu estar aqui pregado na cruz, porque senão desceria dela para te encher de porrada, seu ignorante, analfabeto, deslumbrado, traidor, ladrão sem vergonha, mentiroso, golpista, corrupto, aproveitador.... Vai trabalhar, vagabundo!!!!!

 

FINO HUMOR ALENTEJANO

Estava o Sócrates em campanha pelo Alentejo, quando se deparou com um alentejano a descansar.

Decide, então, impingir-lhe a lenga-lenga do seu discurso de campanha e os dois ficam ali, numa troca de palavras, até que o Sócrates lhe pergunta:

Se tivesse que trabalhar para o PCP quantas horas por dia faria?

- Para o PCP? Eu? Nem uma!

E o Sócrates todo contente: Este ao menos não é comuna, pensou para si.

E para o CDS-PP, quantas horas faria?

- Bom, para esses, talvez umas 3, 4 horas, diárias...

E para o PSD?

- Ah, para esses já trabalhava umas 8, vá lá, 10 horas...

E aqui para o meu PS?

- Ora, trabalharia as horas que fossem necessárias, 24 sem parar...

Sócrates ficou impressionado pela dedicação que o alentejano mostrava.

Assim é que é, compadre. Esforço e empenho é do que precisamos.

Já agora, diga-me, qual é mesmo a sua profissão?

- Sou coveiro!

 

A SECRETÁRIA DO SÓCRATES!!!
A secretária do Sócrates era apaixonada por ele, mas ele não percebia.
Um dia, depois do expediente, ela entrou na sala dele, com um vestido provocante, bem decotado, fechou a porta atrás de si, caminhou languidamente
até à mesa, com ares de Mónica Lewinski e propôs:
- Sr. Primeiro Ministro, vamos fazer uma sacanagem?
- Vamos! Onde é que eu assino?

 

BARMAN ROBOT
Um sujeito entra num bar e pede uma bebida. O barman é um robot. Serve um cocktail perfeito e pergunta: - "Qual é o seu QI?"
O homem responde: - "150"
Então o robot inicia uma conversa diversificada: fala dos factores do aquecimento global, da espiritualidade, da interdependência ambiental, da
teoria das cordas, de nanotecnologia, e por aí fora...
O sujeito ficou impressionado e resolveu testar o robot. Saiu, deu uma volta, voltou e pediu outra bebida.
Novamente o robot serve um drink perfeito, e pergunta: - "Qual é o seu QI?"
O homem responde: - "Deve ser uns 100...".
Imediatamente o robô começa a falar, agora sobre futebol, top models, comidas favoritas, armas, corpo da mulher e outros assuntos semelhantes.
O tipo ficou abismado! Mas ao sair do bar, resolve fazer mais um teste com o robot esperto.
Volta e pede outro drink.
Novamente a bebida sai perfeita, e o robot inocente lhe pergunta: - "Qual é o seu QI?"
O homem disfarça: - "Ahn? deve ser 30!"
Então o robot inclina-se no balcão e diz, bem pausado:
- Atão? Vamos votar no Sócrates de novo?

 

COISAS DO SÓCRATES
Em Portugal, o poder de compra caiu de tal modo que até a classe média está a sentir na pele essa queda.
No seu estilo inconfundível, o Bloco de Esquerda atacou o Governo com o seguinte argumento:
- A situação está tão degradada em Portugal com os valores éticos, sociais e morais a serem postos quotidianamente em causa por este Governo que até as universitárias estão a começar a prostituir-se.
A resposta de Sócrates não se fez esperar:
- Em primeiro lugar, este Governo não recebe lições de ética, nem quaisquer outras, de ninguém;
- Em segundo lugar, e como é apanágio de V.Exª que já nos habituou à distorção sistemática da realidade, o que acontece é exactamente o oposto : a situação é tão boa que até as prostitutas já são universitárias.

======================== 

publicado por LauraBM às 23:18

11
Abr 11
 O pior é que não são eles a pedir esmola,
somos nós todos,
o povo a quem tiraram tudo
e tudo paga.
Esses daí e outros que tais,
não precisam de pedir porque já têm muito.
-------------------
Laura B. Martins
publicado por LauraBM às 23:01

15
Mar 11

 

Os PECS são sempre os mesmos que pagam porque os outros...
Não se lhes pode tocar porque os que lá estão em cima têm telhados de vidro e temem o apedrejamento.
Já não há humor que valha aos portugueses!
----------------------
Laura B. Martins
publicado por LauraBM às 18:42

02
Mar 11
(Em 27/10/2010, uma conversa com uma amiga brasileira foi assim)
 
Cara Laura, bom dia!
Boa noite, Tânia!
 
Preocupa-me (como a mais tantos outros) a situação que vivenciamos aqui, quanto às eleições. Já se fala até numa insurreição (da qual certamente participarei!).
Essas coisas nunca são boas mas, se tiver que ser!... Violência só gera violência, mas a gente tem que se defender!
 
Diga-me a verdade: Portugal está rindo de nós, não está?
Acredite que não!
Para os portugueses estarem a rir dos brasileiros era preciso que tivessem tido «tomates» para porem na rua, enquanto era tempo, o malandro que aqui temos como primeiro ministro – o Sócrates!
Agora quem ri é ele pois não o podemos dispensar e ainda temos que lhe aprovar o orçamento de estado por causa da comunidade internacional.
Quer dizer: Os portugueses têm que obedecer aos donos da Europa globalizada e isso dói!
Esses ditos senhores, querem um governo sólido e um orçamento de estado credível, mesmo que impossível para a maioria dos portugueses que vão pedir esmola.
Portugal está a ser gerido por um malandro dum primeiro ministro e por um presidente lesma.
Para não falar nos ministros aproveitadores e nos deputados que tanto dinheiro nos custam e nos roubam descaradamente.
Este Estado gasta milhões em luxo e oferece miséria aos portugueses.
 
O que se ouve por aí?
Não temos tempo para falar dos outros que se encontram em más situações, Tânia. Temos o ano de 2011 à porta com os respectivos aumentos de tudo, incluindo Iva, IRS e produtos indispensáveis numa casa como pão, leite, etc.
Vai ser um descalabro para as famílias portuguesas.

Diga-me, pois quero repassar, para ver se conseguimos conscientizar mais pessoas a não apoiar o desgoverno do PT!
O que lhe posso dizer é que o Lula é tido, internacionalmente, como um palhaço e ninguém sabe qual o motivo que vos fez elegê-lo pela segunda vez. Aliás, nem da primeira.
 
Mas asneiras todos fazemos, não é? Os portugueses têm telhados de vidro, não podem atirar pedras!
O que os outros países fazem é rir desse tal Lula como pessoa e como presidente, pois é um palhaço.
Mas é um palhaço que soube levar a água ao seu moinho durante 8 anos, está podre de rico, (ele e a família) e ainda tem nacionalidade italiana para passar o dinheirinho roubado aos brasileiros.
 
QUE PARVOS SE ME APRESENTAM TANTO OS BRASILEIROS COMO OS PORTUGUESES QUE TAMBÉM ELEGERAM O SÓCRATES POR DUAS VEZES!!!!!!!!!!!!
(Não contentes com isso, agora até o presidente já fez da cadeira presidencial um belo maple onde se refastelou, por nossa conta e risco)
Beijos,
Bjs
Laura B. Martins 
publicado por LauraBM às 23:34

24
Dez 10
Para os chineses,  2009 foi o ano do BOI e este ano é o do TIGRE.
Felizes são eles  que, a cada ano, trocam de animal.
Nós já estamos à 7 anos com  o mesmo burro-crata!!!!....

 

publicado por LauraBM às 01:12

10
Nov 10

acrise.jpg

publicado por LauraBM às 22:58

09
Out 10

Diz lá, ó Socas, tanto estádio para quê?

Essas tuas manias de grandeza

vão contra este país, a natureza,

e em parte se assemelham às bombocas:

 

Por fora, chocolate. Antes fosse!!!

Por dentro estão os podres, indecências,

ideias megalómanas, ciências

que ocultas com esse ar delicodoce.

 

Escutas, não me escutas, vês se podes

o falatório conter ao povoléu.

A capa de vaidoso não sacodes

 

e o TGV vai destruir-te o mausoléu.

Tantos problemas e tu a ninguém acodes...

além fronteiras faz-se já grande escarcéu.

------------------------

2/08/2009

Laura B. Martins

Soc. Port. Autores nº 20958

publicado por LauraBM às 23:22

12
Mai 10
Sem dúvida alguma! O Zé Povinho português está mesmo no fundo do poço, pois está! 
O Beiças e o Pinóquio têm-se encarregado disso a 100%.
Não só não emendaram as asneiradas, roubos e embustes dos antecessores como ainda carregaram mais. Foi «fartar vilanagem!»
----------------------
 Laura B. Martins

 

 

publicado por LauraBM às 22:53

21
Jan 10

Meus amigos brasileiros,
Para quem está descontente e desiludido, o único consolo que posso dar-lhes é esta história incrível que o meu filho contou:
No trabalho dele, há um colega que é imensamente parecido com o Sócrates (1º ministro português – um pulha de primeira apanha).
Então, o tal sujeito saiu com outro colega para irem fazer um trabalho numa rua dum bairro muito pobre.
Saíram da carrinha e começaram o trabalho até que se juntaram por ali uns tantos homens e um deles, apontando o tal que é parecido com o 1º ministro, começou a ameaçá-lo dizendo: - Olha, o Sócrates por aqui! Levas já meu malandro, meu este , meu aquele...
Enfim, foi preciso o outro colega ajudá-lo a sair desta embrulhada pondo o carro da Câmara a trabalhar e fugirem dali.
Agora vai deixar crescer a barba até o malfadado governante largar o poleiro.   kkkkkkkk
 
Já podem ver como estão os ânimos em Portugal e como são queridos este nosso 1º ministro e a pandilha que nos desgoverna.
 
Mas, tudo isto para lhes dizer que a culpa desta votação não é vossa, é dessa camada de povo inculto e estupidificado que se deixa comprar por  pouco, faz destas bacoradas e os governos adoram mantê-los assim.
Aliás, se os governos pudessem, mantinham assim inculto - todo o povo.
Dêm-lhes futebol, música e uns patacos que eles vão lá direitinhos, pois então!!!!
Abraço, condolências e amizade de Portugal
Laura B. Martins
publicado por LauraBM às 22:56

20
Jan 10

O congelamento dos salários na Função Pública tem como objectivo travar o défice que em 2009 chegou aos 9,3% do PIB, um buraco com mais de 15 milhões de euros e tem que ser resolvido até 2013.

 

Os funcionários públicos protestam que são sempre eles a pagar as favas.

No sector privado, a crise paga-se com mais de meio milhão de desempregados. As empresas não aumentam os salários e ainda despedem para conseguirem sobreviver.

 

Estado e empresas acham como solução fácil o despedimento, em vez de rentabilizarem os serviços e, no caso dos particulares, procurar novos mercados.

Isto não só é comodismo, como inconsciência e incapacidade de gestão.

 

No tempo da «outra senhora», sei que já lá vão muitos anos, os funcionários públicos não chegavam aos 185.000, incluindo metrópole e colónias.

Hoje, o funcionalismo público, fruto de compadrios, cunhas, má gestão e organização dos serviços públicos, ascende quase a 800.000 trabalhadores e continua a servir mal os cidadãos.

Temos hoje uma das mais pesadas máquinas de Estado em toda a Europa Comunitária.

 

O erro da «gorda» máquina do Estado não está nos seus funcionários. Está em quem a dirige, como sempre!

 

Brutos gabinetes cheios de engenheiros e doutores que pouco produzem; contratados apenas para levarem ordenadões no final do mês. Corta-se no pessoal que realmente trabalha, (que remédio) pois tem em cima a pata dos que, bem instalados dentro dos seus gabinetes, pouco de lá saem para coordenar eficientemente os serviços e dão ordens pouco realistas de quem mal conhece as necessidades dos sectores.

Se cortassem uma boa fatia desses engenheirocas de meia tijela e doutorzecos de segunda classe, e ouvissem os chefes de serviço que trabalham directamente com o pessoal, veriam como todo o sector era rentabilizado, mais económico e  o desperdício se reduziria.

-----------------------

Laura B. Martins

 

José Reis, dirigente da Asserpo diz o seguinte no jornal do Pinhal novo:

Em campanha eleitoral, Sócrates garantiu o que sabia não iria cumprir:

Não aumentar os impostos e avançar no investimento público como forma de animar a economia.

O corte nas reduções fiscais serve para garantir receita à custa dos mesmos de sempre e nunca será uma política fiscal mais justa.

 

NOTA:

(sempre o mesmo mentiroso, este Sócrates)

Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 00:16

15
Out 09

Há um Primeiro-Ministro que mente,

Mente de corpo e alma,

completa/mente.

E mente de modo tão pungente

Que a gente acha que ele, mente

sincera/mente,

Mas que mente,

sobretudo, impune/mente...

Indecente/mente.

E mente tão habitual/mente,

Que acha que, história afora,

enquanto mente,

Nos vai enganar eterna/mente...

-------------------------

6/03/20010

Recebido via Internet s/autoria

publicado por LauraBM às 15:17

10
Out 09

Ó meu rico Stº. António, pega bem nesse menino

não vá cair, magoar-se, e arranjar mais um pepino

para o povo português que anda muito distraído

lhe pagar os tratamentos, e ficar agradecido.

-------------------------

Laura B.  Martins 

santoantonio_menino.jpg

APELO A SANTO ANTÓNIO

 

Ó meu rico Santo António meu santinho Milagreiro

Vê se levas o Zé Sócrates pra junto do Sá Carneiro

Se puderes faz um esforço porque o caminho é penoso

Aproveita-me a viagem e leva o Durão Barroso

 

Para que tudo corra bem e ver se de nada esquece

Faz uma limpeza geral e leva também o PS

Para que não fiquem a rir-se os senhores do PSD

Mete-os no mesmo carro Junto com os do PCP

 

Porque a viagem é cara e é preciso cultivar as hortas

Para rentabilizar o percurso não deixes cá o Paulo Portas

Para ficar tudo limpo e purificar bem a cousa

Arranja lá um cantinho pró Jerónimo de Sousa

 

Como estamos em democracia embora não pareça às vezes

Aproveitando o transporte leva também o Menezes

Se puderes faz esse jeito em Maio, mês da maçã

A temperatura está boa não te esqueças do Louça

 

Todos eles são matreiros vivem à base de golpes

Faz lá mais um favorzinho e leva o Santana Lopes

Isto chegou a tal ponto e vão as coisas tão mal

Que só varrendo esta gente se salvará Portugal

------------------------------------

4/2008

(enviado por amigos da Internet)

publicado por LauraBM às 22:04

20
Ago 09

A Casa de Sócrates no registo predial, não passa de um simples apartamento. Na verdade trata-se de uma casa senhorial no coração de Lisboa. São cinco assoalhadas dum 3º andar no edifício Heron Castilho. Tem 150 metros quadrados, avaliados em 800.000 euros, que custaram em Fevereiro de1996, 240.000 euros.

 

Antes vivia num modesto apartamento T2 na calçada Eng. Miguel Pais, em São Bento. Na garagem tem um Mercedes C230. Longe vão os tempos em que conduzia um modesto Rover 111.

 

Além disto frequenta restaurantes caros e usa fatos de marca. Como pode Sócrates viver como um homem rico, com 82 mil euros brutos (57 mil líquidos) que declarou ao Tribunal Constitucional ganhar por ano? Diz não ter rendimentos de quaisquer empresas, acções ou planos de poupança. O único património que diz ter é o carro, a casa e ordenado.

 

Esqueceu-se de dizer que foi sócio da Sovenco? Sociedade de Venda de Combustíveis Lda., com sede na Reboleira, Amadora, em que está registado na matrícula da sociedade. No seu site Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, não consta este pormenor.

 

Segundo fontes, o Ministério Público está a investigar os investimentos governamentais efectuados nas áreas do tratamento de resíduos urbanos, e a sua relação com o financiamento de actividades partidárias, durante o período em que José Sócrates exerceu funções governativas (Ministro do Ambiente de António Guterres).

 

Uma das principais dúvidas recai sobre o processo de adjudicação do concurso para o sistema da recolha e tratamento de resíduos do Planalto Beirão.

 

A Sovenco, criada em 1990, era uma Sociedade de Venda de Combustíveis. A sua constituição: Armando Vara, Fátima Felgueiras, José Sócrates, Virgílio de Sousa.

 

Sócrates finge, agora, não se lembrar dessa sociedade que fez. E porque se tenta ele esquecer?

Porque:

- Armando Vara - condenado a 4 anos de prisão (pena suspensa); no entanto recebeu o prémio do amigo José Sócrates, e agora é ADMINISTRADOR DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS, com 20.000,00 euros por mês, mais extras.

- Era, agora ADMINISTRADOR e VICE-PRESIDENTE do MILLENNIUMBCP, e os m 20 bem podem multiplicar por .....,

- Fátima Felgueiras - andou foragida da Justiça no Brasil dois anos; HOJE É ELEITA PRESIDENTE DE CAMARA DE FELGUEIRAS, e tem imunidade parlamentar.

- Virgílio de Sousa - condenado a prisão por um processo de corrupção no Centro de Exames de Condução de Tábua.

 

Compreende-se que Sócrates não se queira lembrar. Que 'ricos' amigos, hein?...

Como é mesmo aquele provérbio?... 'Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és!'

Sócrates já não se lembra...

Convém que o pessoal não se esqueça!!

publicado por LauraBM às 15:05

19
Jul 09

HelenaMatos_jornalista.jpg Nunca se deve dar poder a um tipo porreiro

O porreirismo de Sócrates, pela natureza do cargo que ocupa, criou um problema moral ao país

No início, ninguém dá nada por eles. Mas, pouco a pouco, vão conseguindo afirmar o seu espaço. Não se lhes conhece nada de significativo, mas começa a dizer-se deles que são porreiros. Geralmente estes tipos porreiros interessam-se por assuntos também eles porreiros e que dão notícias porreiras. Note-se que, na política, os tipos porreiros muito frequentemente não têm qualquer opinião sobre as matérias em causa mas porreiramente percebem o que está a dar e por aí vão com vista à consolidação da sua imagem como os mais porreiros entre os porreiros. Ser considerado porreiro é uma espécie de plebiscito de popularidade. Por isso não há coisa mais perigosa que um tipo porreiro com poder. E Portugal tem o azar de ter neste momento como primeiro-ministro um tipo porreiro. Ou seja, alguém que não vê diferença institucional entre si mesmo e o cargo que ocupa. Alguém que não percebe que a defesa da sua honra não pode ser feita à custa do desprestígio das instituições do Estado e do próprio partido que lidera. O PS é neste momento um partido cujas melhores cabeças tentam explicar ao povo português por palavras politicamente correctas e polidas o que Avelino Ferreira Torres assume com boçalidade: quem não é condenado está inocente e quem acusa conspira. Nesta forma de estar não há diferença entre responsabilidade política e responsabilidade criminal. Logo, se os processos forem arquivados, o assunto é dado por encerrado. Isto é o porreirismo em todo o seu esplendor.
Acontece, porém, que o porreirismo de Sócrates, pela natureza do cargo que ocupa, criou um problema moral ao país. Fomos porreiros e fizemos de conta que a sua licenciatura era tipo porreira, exames por fax, notas ao domingo. Enfim tudo "profes" porreiros. A seguir, fomos ainda mais porreiros e rimos por existir gente com tão mau gosto para querer umas casas daquelas como se o que estivesse em causa fosse o padrão dos azulejos e não o funcionamento daquele esquema de licenciamento. E depois fomos porreiríssimos quando pensámos que só um gajo nada porreiro é que estranha as movimentações profissionais de todos aqueles gajos porreiros que trataram do licenciamento do aterro sanitário da Cova da Beira e do Freeport. E como ficámos com cara de genuínos porreiros quando percebemos que o procurador Lopes da Mota representava Portugal no Eurojust, uma agência europeia de cooperação judicial? É preciso um procurador ter uma sorte porreira para acabar em tal instância após ter sido investigado pela PGR por ter fornecido informações a Fátima Felgueiras.
Pouco a pouco, o porreirismo tornou-se a nossa ideologia. Só quem não é porreiro é que não vê que os tempos agora são assim: o primeiro-ministro faz pantomina a vender computadores numa cimeira ibero-americana? Porreiro. Teve graça não teve? Vendeu ou não vendeu? Mais graça do que isso e mais porreiro ainda foi o processo de escolha da empresa que faz o computador Magalhães. É tão porreiro que ninguém o percebeu mas a vantagem do porreirismo é que é um estado de espírito: és cá dos nossos, logo, és porreiro.
E foi assim que, de porreirismo em porreirismo, caímos neste atoleiro cheio de gajos porreiros. O primeiro-ministro faz comunicações ao país para dizer que é vítima de uma campanha negra não se percebe se organizada pelo ministério público, pela polícia inglesa e pela comunicação social cujos directores e patrões não são porreiros. Os investigadores do ministério público dizem-se pressionados. O procurador-geral da República, as procuradoras Cândida Almeida e Maria José Morgado falam com displicência como se só por falta de discernimento alguém pudesse pensar que a investigação não está no melhor dos mundos...
Toda esta gente é paga com o nosso dinheiro. Não lhes pedimos que façam muito. Nem sequer lhes pedimos que façam bem. Mas acho que temos o direito de lhes exigir que se portem com o mínimo de dignidade. Um titular de cargos políticos ou públicos pode ter cometido actos menos transparentes. Pode ser incompetente. Pode até ser ignorante e parcial. De tudo isto já tivemos. Aquilo para que não estávamos preparados era para esta espécie de falta de escala. Como se esta gente não conseguisse perceber que o país é muito mais importante que o seu egozinho. Infelizmente para nós, os gajos porreiros nunca despegam.
---------------------------
Jornalista Helena Matos
Público, quinta-feira, 2 de Abril de 2009

publicado por LauraBM às 19:10

10
Abr 09

Socrates_milagreiro.JPG Eu não sei se o "vudu" existe,

mas que há coisas bem estranhas...

isso há!

publicado por LauraBM às 00:46

10
Mar 09

abafaocaso_az.gifO jornal electrónico "Mudar de vida" http://www.jornalmudardevida.net/?p=1368 , em 30/12/2008, publica a seguinte e inacreditável notícia duma Lei que vinga com a complacência de todos os portugueses:

Direitos ou esmolas?
As Pensões e o Complemento Solidário para Idosos
Pedro Goulart - Terça-feira, 30 Dezembro, 2008

O governo do PS é um governo que não respeita os direitos de quem trabalha nem os direitos de quem vive das suas pensões, respondendo habitualmente às justas reivindicações de trabalhadores e pensionistas com arrogância e prepotência. Mas, a par disto, a propaganda, a encenação e as preocupações eleitoralistas, que estão sempre presentes na actuação governamental, acabam por se traduzir, muitas vezes, em actos demagógicos, caso da atribuição do Complemento Solidário para Idosos.

Como 92,5% dos pensionistas (cerca de 2,6 milhões de pessoas) recebem, no máximo, cerca de 629 euros, uma fraca pensão para fazer face ao elevado custo de vida, e destes ainda são muitos os que apenas recebem cerca 250 euros mensais (para que dá esta miséria?), o governo, em vez de subir as pensões, concede então um Complemento Solidário para Idosos.

Em vez de respeitar direitos fundamentais do homem, como o direito à alimentação, o governo pratica a caridadezinha. Mesmo assim, para aceder a esta esmola, estão estabelecidas condições tais, que poucos a conseguem receber e alguns a rejeitam.
A lei impõe que, para a receber, o pensionista tenha recursos inferiores a 4800 euros anuais, sendo que na contabilidade destes recursos entram não só os recursos do referido pensionista e os do respectivo cônjuge, mas também, pasme-se, os rendimentos dos próprios filhos.

Até quando estes governos do capital, como o de José Sócrates, continuarão a abusar da nossa paciência, a ditar as suas leis, sem que os trabalhadores e o povo se revoltem a sério e os ponham na rua?
--------------------------------------------------------------------
Palavras para quê? Somos um país de mansos!
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 23:47

10
Fev 09

boca_rir2.gifO Primeiro-ministro José Sócrates num momento de alucinação dirigindo-se a Francisco Louçã disse:

" Você não tem idade nem curriculum ...".

Uma boa piada, diz o jornalista do Portugal Diário! Eu fui à Internet verificar o curriculum e não resisto a publicar:

Actividade política:

*Louçã, nasceu em 12 de Novembro de 1956. Participou na luta contra a Ditadura e a Guerra no movimento estudantil dos anos setenta, foi preso em Dezembro de 1972 com apenas 16 anos e libertado de Caxias sob caução, aderindo à LCI/PSR em 1972 e em 1999 fundou o Bloco de Esquerda. Foi eleito deputado em 1999 e reeleito em 2002 e 2005.
É membro das comissões de economia e finanças e antes comissão de liberdades, direitos e garantias. Foi candidato presidencial em 2006.

Actividades académicas:

Frequentou a escola em Lisboa no Liceu Padre António Vieira (prémio Sagres para os melhores alunos do país), o Instituto Superior de Economia (prémio Banco de Portugal para o melhor aluno de economia), onde ainda fez o mestrado (prémio JNICT para o melhor aluno) e onde concluiu o doutoramento em 1996.

Em 1999 fez as provas de agregação (aprovação por unanimidade) e em 2004 venceu o concurso para Professor Associado, ainda por unanimidade do júri. É professor no ISEG (Universidade Técnica de Lisboa), onde tem continuado a dar aulas e onde preside a um dos centros de investigação científica (Unidade de Estudos sobre a Complexidade na Economia).

Recebeu em 1999 o prémio da History of Economics Association para o melhor artigo publicado em revista científica internacional. É membro da American Association of Economists e de outras associações internacionais, tendo tido posições de direcção em algumas; membro do conselho editorial de revistas científicas em Inglaterra, Brasil e Portugal; "referee" para algumas das principais revistas científicas internacionais (American Economic Review, Economic Journal, Journal of Economic Literature, Cambridge Journal of Economics, Metroeconomica, History of Political Economy, Journal of Evolutionary Economics, etc.).

Foi professor visitante na Universidade de Utrecht e apresentou conferências nos EUA, Inglaterra, França, Itália, Grécia, Brasil, Venezuela, Noruega, Alemanha, Suíça, Polónia, Holanda, Dinamarca, Espanha.

Publicou artigos em revistas internacionais de referência em economia e física teórica e é um dos economistas portugueses com mais livros e artigos publicados (traduções em inglês, francês, alemão, italiano, russo, turco, espanhol, japonês).

Em 2005, foi convidado pelo Banco Mundial para participar com quatro outros economistas, incluindo um Prémio Nobel, numa conferência científica em Pequim, foi desconvidado por pressão directa do governo chinês alegando razões políticas.

Terminou em Agosto um livro sobre "The Years of High Econometrics" que será publicado brevemente nos EUA e em Inglaterra.

Obras publicadas:
Ensaios políticos
Ensaio para uma Revolução (1984, Edição CM)
Herança Tricolor (1989, Edição Cotovia)
A Maldição de Midas – A Cultura do Capitalismo Tardio (1994, Edição Cotovia)
A Guerra Infinita, com Jorge Costa (Edições Afrontamento, 2003)
A Globalização Armada – As Aventuras de George W. Bush na Babilónia, com Jorge Costa (Edições Afrontamento, 2004)
Ensaio Geral – Passado e Futuro do 25 de Abril, co-editor com Fernando Rosas (Edições D. Quixote, 2004)

Livros de Economia
Turbulence in Economics (edição Edward Elgar, Inglaterra e EUA, 1997), traduzido como Turbulência na Economia (edição Afrontamento, 1997)
The Foundations of Long Wave Theory, com Jan Reinjders, da Universidade de Utrecht (edição Elgar, 1999), dois volumes
Perspectives on Complexity in Economics, editor, 1999 (Lisboa: UECE-ISEG)
Is Economics an Evolutionary Science?, com Mark Perlman, Universidade de Pittsburgh (edição Elgar, 2000)
Coisas da Mecânica Misteriosa (Afrontamento, 1999)
Introdução à Macroeconomia, com João Ferreira do Amaral, G. Caetano, S. Santos, Mº C. Ferreira, E. Fontainha (Escolar Editora, 2002)
As Time Goes By, com Chris Freeman (2001 e 2002, Oxford University Press, Inglaterra e EUA); já traduzido para português (Ciclos e Crises no Capitalismo Global - Das revoluções industriais à revolução da informação, edições Afrontamento, 2004) e chinês (Edições Universitárias de Pequim, 2005)
* Fonte Wikipédia

Sobre sócrates, sabe-se que é engenheiro civil tirado na Universidade Independente, ainda sob suspeita de ilegalidades.
Que assinava como Engenheiro quando era Engenheiro-Técnico.
Que elaborou ou pelo menos assinou uns projectos de habitação caricatos.
Que a sua actividade política se deu com o 25 de Abril na JSD/PSD e depois no PS como deputado e como governante.
Do seu curriculum sabe-se ainda (embora ele o desconhecesse) que teve uma incursão fugaz como empresário-sócio de uma empresa de venda de combustíveis.

Quanto a curriculuns estamos conversados!

Quanto à idade devem ter diferença de meses...

publicado por LauraBM às 01:00

12
Jan 09

Obama_nvoteembranco.JPG Se o «colorido» mostrar que sabe governar melhor que os brancos, porque não?

Enquanto isso não ficar devidamente esclarecido, teremos que nos governar com quem nos governa tão mal mas se abotoa muito bem. Foi bem ensinado de pequenino. oporco_jornalSTAL.JPG

publicado por LauraBM às 23:46

11
Jan 09

Mas o que é que isso interessa, sabem dizer-me?    

    TGV3.gif
As obras previstas não servem o país. Servem apenas um limitado conjunto de interesses e empresas. Além da vaidade de quem a gente sabe e a prepotência dos que lhe seguem o exemplo, com o seu aval!!!!! Para além do elevado custo de construção, a factura será paga por todos nós e ainda vai infernizar a vida aos vindouros. Mas o que é que isso interessa, sabem dizer-me?

Até é muito mais interessante esta obra que a dos inúteis estádios de futebol que nem se mexem. Ao menos esta... anda, mexe-se! Até é muito mais interessante que a do aeroporto da Ota que já descaiu para Alcochete e, entretanto, gastaram-se milhares de euros em projectos que nunca deveriam ter sido feitos para o primeiro local, de tão estapafúrdio que era. Bem sei que são obras apetecíveis para quem as decide, projecta e executa. Dão prestígio. Só não dão é dinheiro. Gastam-no a rodos! Mas o que é que isso interessa, sabem dizer-me?

Como, obviamente o dinheiro não é elástico e não dá para tudo, esse custo traduzir-se-à em piores hospitais, menores comparticipações nos tratamentos e medicamentos para os utentes, farmácias sem horário de serviço nocturno, estagnação de salários e reformas, escolas sem condições, universidades sub-equipadas, (não se vive só de computadores), e com pessoal menor e docente insuficiente, postos de saúde encerrados, estradas em péssimas condições que são a dor de cabeça dos portugueses e de quem nos visita, etc. etc. etc.

Mas o que é que isso interessa, sabem dizer-me?

Para o TGV foi aprovado o projecto dum traçado sem o aval das câmaras e populações envolvidas. Nem foram para aí metidas nem achadas! Grassa em Portugal um tal de «eu quero, posso e mando» de se lhe tirar o chapéu!
Destrói as vinhas das Freguesias do Poceirão e Fernando Pó onde é produzido algum do melhor vinho do mundo.
Passa ao lado da Vila do Pinhal Novo, sem respeito por nada nem por ninguém; apesar de existir uma outra alternativa. Só que há o tal de «quero, posso e mando»! Mas o que é que isso interessa, sabem dizer-me, se vamos ter um comboio de alta velocidade que nos poupa 20 minutos numa ida ao Porto? hahahahaha
Mas o que é que isso interessa, sabem dizer-me, se vamos ter um comboio de alta velocidade que para atravessar o país, de tão pequeno que é, assim que acelerar tem que começar a travar ou corre o risco de sair a fronteira sem dar por isso?

Vêm por aí, novamente, mais fundos comunitários europeus. Que tal aproveitá-los melhor desta vez em lugar de os desbaratarmos em obras do mais duvidoso interesse? Que tal investir seriamente em formação profissional em lugar desses fundos irem parar ao bolso dos amigos e conhecidos em forma de cunhas estratégicas, ou engordarem a já tão vasta lista de jipes e carros topo de gama?
Que tal esses fundos não serem aproveitados para a construção de moradias e servirem os reais interesses deste país?
Que tal a Assembleia da República fomentar ideias aproveitáveis, funcionais, e mostrar educação em lugar de palhaços a lavarem a roupa suja uns dos outros? Aquilo não é uma Assembleia da República, é um palco provinciano onde se exibem os deputados e todos os n/governantes quais actores de 5ª categoria! Metem nojo aquelas deixas!!!!!!!
Mas a quem é que isso interessa, sabem dizer-me?
Só a mim? Possa!
------------------
11/05/2008
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 00:17

24
Dez 08

presepio_chines.jpgDesculpem!

Houve quem não gostasse do presépio chinês mas, não foi minha intenção ofender ninguém.

 

Como Portugal foi tomado de assalto pelas lojas e restaurantes chineses, pensei que seria de bom tom elogiar esse povo trabalhador (e açambarcador).

É que ninguém sabe o que nos reserva o futuro!... E... se um dia formos tomados de assalto, como o Tibete, convém estar-lhes nas boas graças.

 

Então, o que é que querem? O nosso Primeiro ministro tem sido um óptimo professor e eu tenho feito os trabalhos de casa, pois então!

Agora, em esperteza, ninguém me ganha. Sempre com um olho no burro e outro no chinês.

 

Não é assim que se leva a água ao nosso moínho, sr. engenheiro?!?!?

publicado por LauraBM às 00:50

18
Nov 07

Televisão: da informação a desinformação

O principio básico da censura moderna consiste em inundar asSocas_2.jpg informações essenciais com um dilúvio de notícias insignificantes difundidas por uma multidão de meios de comunicação social com conteúdos similares.
Isto permite que a nova censura tenha todas as aparências da pluralidade e da democracia.
Esta estratégia de entretenimento e distracção se aplica em primeiro lugar aos noticiários televisados, principal fonte de informação pública.

Da informação à desinformação...
Desde o inicio dos anos 90, os noticiários de televisão não contém quase informação. Seguem  chamando-se “Noticiários de Televisão” quando na realidade deveriam chamar-se “magazines ou revistas”.
Um noticiário contém em média no máximo de 2 a 3 minutos de informação. O resto está constituído de reportagens anedóticas, de fatos diversos, de micro-câmaras das quais quase sempre se reportam a vida quotidiana dos chamados reality-shows.

...e uma censura sem censores
Toda subtileza da censura moderna reside na ausência de censores. Estes tem sido eficazmente reforçados pela “Lei de Mercado” e a “Lei de Audiência”. Pelo simples jogo de condições económicas habilmente criadas, os canais de televisão já não mais dispõe de meios financeiros para realizar reportagens verdadeiramente periódicas, e sem dúvida, ao mesmo tempo, o reality-show e as micro-câmaras arrastam mais audiência a um custo muito mais reduzido.
Mesmo os acontecimentos importantes são tratados debaixo de um ângulo de “revista”, pelo canto dos olhos. Desse modo, uma encontro internacional dará lugar a uma entrevista do organizador do “encontro”, com as imagens de limusinas oficiais e as saudações diante de algum edifício, porém, nenhuma informação, nenhuma analise com relação ao temas discutidos pelos chefes de Estado. Da mesma forma, um atentado será coberto por micro-câmaras em quase todos os lugares do drama, com as impressões e testemunhos dos passantes, ou a entrevista de um “recadista” ou um oficial de polícia.

estas insignificâncias se seguem os desportos, os fatos diversos, as reportagens pitorescas sobre as profundezas da França (ou de qualquer outro país), sem duvidar das publicidades disfarçadas por produtos culturais fazendo o objecto de uma campanha (espectáculos, filmes, livros, discos...).

Informação desestruturada para uma memorização mínima.
Todos os sociólogos e especialistas da neurociência sabem que a memorização da informação por parte do cérebro se faz de melhor forma em função da forma estruturada e hierarquizada em que é apresentada a informação.
A estruturação e a hierarquização da informação são também princípios de base ensinados a todos os estudantes de periódicos.
Sem dúvida, nestes últimos 10 anos, os noticiários de televisão fazem exactamente o contrário, encadeando em desordem temas excêntricos e de importância desigual (um fato diverso, um pouco de política, desportos, um tema social, um outro fato diverso, logo de novo política, etc.) como se o objectivo buscado fosse obter a pior memorização possível das informações para o público. Uma publicação amnésica é de facto muito mais fácil de manipular...
-----------------------------------
4/09/2005
Sara Rafael
Fonte: http://perso.wanadoo.fr/metasystems/ES/JTContents.html
http://www.cuidardoser.com.br/teelvisao-da-informacao-a-desinformacao.htm

NOTA:
Estou de acordo com a Sara-Rafael, menos como facto de que isso seja CENSURA.
Desinformação, isso sim. Confusão, ainda melhor, para atrapalhar grandes noticiários que poderiam ser feitos em meia hora e por vezes levam hora e meia.
De notar que cada período de anúncios leva, por norma, 10 a 15 minutos; e se os noticiários não fossem longos, como é que eles poderiam ganhar tanto dinheiro com a publicidade nos horários nobres?
No meio da confusão o público nem tem como aperceber-se do mau serviço prestado.
A maior parte das vezes iniciam-se assuntos que não têm continuidade. Quer dizer: levanta-se a lebre mas ninguém consegue ir atrás dela. E isso, por vezes, é muito conveniente!!!!
------------------
4/09/2005
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 00:59

12
Nov 07

Senhor primeiro-ministro, amigo Zé, pá...

Já deu para ver que, no estado em que as coisas estão, há que sacar dinheiro ao pessoal de qualquer maneira.
E como aumentar mais uma vez os impostos dava muito nas vistas, agora até na praia, o chamado mergulho de chapão com bandeira amarela ou mesmo uma simples entrada em água com bandeira vermelha, dá para colocar uma quantia valente (de 55 a mil euros) nos depauperados cofres do estado .

Caramba, porque é que não disseste mais cedo, Socas? Ora aqui o teu muito patriota amigo não quer que penses em mais estratagemas deste tipo e envia-te uma singela lista de coisas que ainda não pagam multa, mas que com a tua ajuda e com alguém que te prepare a legislação, é só meter no Diário da República e vais ver que o défice das contas estatais se esfuma num instante. E ainda se ajuda a tornar o nosso Portugal num país mais bonito, como bónus. Ora cá vai disto:

LISTA DE COISAS A TAXAR (em breve)
- Uso de meia branca com sapatinho escuro (cem a mil euros)
- Bigode à futebolista dos anos oitenta (duzentos a 2000 euros)
- Coçar os genitais em público (150 a 1500 euros)
- Utilização do colete reflector nas costas do banco do condutor (120 a 1200 euros)
- Passear de fato de treino por centros comerciais ao fim de semana (quatrocentos a 4000 euros)
- Raparigas com excesso de peso envergando roupa apertadíssima (130 a 1300 euros)
- Uso de óculos de sol em discotecas e restaurantes (quinhentos a 5000 euros)
- Utilização das expressões: prontos, portantos, treuze, stander de automóves etc... ( 140 a 1400 euros)
- Uso de sandália com peúga (trezentos a 3000 euros)

Pronto, cá está, Socas, usa e abusa. Quem é amigo, quem é?
----------------
18/11/2006
TUGOLÂNDIA

publicado por LauraBM às 23:57

10
Jun 07

As opiniões são diversas. As contestações são muitas. Mas o que realmente interessa saber é para que é que os portugueses querem um TGV que não tem espaço para andar como um TGV. Mal arranca já está em Espanha!   rsssssss
Ah, desculpem! Os portugueses não querem? Já têm bons comboios?
Ó sr, primeiro Ministro, então como é que é? Em democracia não se impõem TGVs às populações que não os querem, ouviu?
-------------------
Laura B. Martins
locomotiva_azulvermelha.gif 

"Há uns meses optei por  ir de Copenhaga a Estocolmo de comboio.
Comprado o bilhete, dei comigo num comboio que só se diferenciava dos nossos Alfa por ser menos luxuoso e dotado de menos serviços de apoio aos passageiros.
A viagem, através de florestas geladas e planícies brancas a perder de vista, demorou cerca de cinco horas.
Não fora ser crítico do projecto TGV e conhecer a realidade económica e social desses países, daria comigo a pensar que os nórdicos, emblemas únicos dos superavites orçamentais, seriam mesmo uns tontos.
Se não os conhecesse bem perguntaria onde gastam eles os abundantes recursos resultantes da substantiva criação de riqueza.
A resposta está na excelência das suas escolas, na qualidade do seu Ensino Superior, nos seus museus e escolas de arte, nas creches e jardins-de-infância em cada esquina, nas políticas pró-activas de apoio à terceira idade. Percebe-se bem porque não construíram estádios de futebol desnecessários, porque não constroem aeroportos em cima de pântanos, nem optam por ter comboios supersónicos que só agradam a meia dúzia de multinacionais .
O TGV é um transporte adaptado a países de dimensão continental, extensos, onde o comboio rápido é, numa perspectiva de tempo de viagem/custo por passageiro, competitivo com o transporte aéreo.
É por isso, para além da já referida pressão de certos grupos que fornecem essas tecnologias, que existe TGV em França ou Espanha (com pequenas extensões a países vizinhos).
É por razões de sensatez que não o encontramos na Noruega, na Suécia, na Holanda e em muitos outros países ricos.
Tirar 20 ou 30 minutos ao Lisboa-Porto à custa de um investimento de cerca de 7,5 mil milhões de euros não trará qualquer benefício à economia do País.
Para além de que, dado hoje ser um projecto praticamente não financiado pela União Europeia, ser um presente envenenado para várias gerações de portugueses que, com mais ou menos engenharia financeira, o vão ter de pagar.

Com 7,5 mil milhões de euros podem construir-se mil escolas Básicas e Secundárias de primeiríssimo mundo que substituam as mais de cinco mil obsoletas e subdimensionadas existentes (a 2,5 milhões de euros cada uma), mais mil creches inexistentes (a 1 milhão de euros cada uma), mais mil centros de dia para os nossos idosos (a 1 milhão de euros cada um).
Ainda sobrariam cerca de 3,5 mil milhões de euros para aplicar em muitas outras carências, como a urgente reabilitação de toda a degradada rede viária secundária.

CABE ao Governo REFLECTIR.
CABE à Oposição CONTRAPOR.
CABE AOS CIDADÃOS MANIFESTAREM-SE!!!
-------------------------------------
artigo recebido via Internet, s/autoria

publicado por LauraBM às 10:56

19
Abr 07

palhaco_cab.gifDepois de Gago fechar a Independente Sócrates veio falar à Nação sobre as tropelias em torno do seu curriculum. Com disse o DN online , o primeiro-ministro usaria a faculdade como bode expiatório. Mas eu gostava de saber se as questões abaixo postas são ou não são factos incontornáveis?

1- Em 1996 a Independente não licenciava engenheiros
2- Em 1996 não tinha conselho cientifico
3- O mesmo professor fez-lhe quatro cadeiras
4- O reitor fez-lhe o exame de inglês técnico
5- A filha do reitor assinou o canudo a um domingo
6- Os colegas não o viram nunca nas aulas. Só nos exames. Entrava, ficava a um canto e saía antes do fim.
7- O professor que lhe deu quatro cadeiras acabou no governo, era amigo de Vara ( que também se doutorou por lá num esquema semelhante) e foi   expulso do governo depois de ter nomeado uma empregada brasileira do restaurante Bacalhau para alta responsável), é ver no expresso de Hoje
8- Sócrates usava papel timbrado do governo para comunicar com o reitor

As embrulhadas não acabam
*Para quem defende o rigor, a qualidade do ensino, a **excelência**, a competência na função pública,  para quem quer um país **moderno**, culto e capaz, não me parece grande **curriculum**, nem atitude recomendável.*

Estes moralistas acabam sempre por revelar a sua verdadeira face.
Mesmo que o curriculum seja verdadeiro, e eu nem duvido, o que me parece evidente é que foi tudo saído na Farinha Amparo, sem esforço, sem rigor, sem qualidade.
Simplex meus caros!!! Simplex!!!
-------------------------------------
19/04/2007
artigo recebido via Internet, s/autoria

publicado por LauraBM às 22:45

20
Mar 07

Esta é a terceira carta que lhe dirijo. As duas primeiras motivadas por um convite que formulou mas não honrou, ficaram descortesmente sem resposta. A forma escolhida para a presente é obviamente retórica e assenta NUM DIREITO QUE O SENHOR AINDA NÃO ELIMINOU: o de manifestar publicamente indignação perante a mentira e as opções injustas e erradas da governação.

Por acção e omissão, o Senhor deu uma boa achega à ideia, que ultimamente ganhou forma na sociedade portuguesa, segundo a qual os funcionários públicos seriam os responsáveis primeiros pelo descalabro das contas do Estado e pelos malefícios da nossa economia. Sendo a administração pública a própria imagem do Estado junto do cidadão comum, é quase masoquista o seu comportamento.
Desminta, se puder, o que passo a afirmar:

1.º Do Statics in Focus n.º 41/2004, produzido pelo departamento oficial de estatísticas da União Europeia, retira-se que a despesa portuguesa com os salários e benefícios sociais dos funcionários públicos é inferior à mesma despesa média dos restantes países da Zona Euro.
2.º Outra publicação da Comissão Europeia, L´Emploi en Europe 2003, permite comparar a percentagem dos empregados do Estado em relação à totalidade dos empregados de cada país da Europa dos 12. E o que vemos? Que em média nessa Europa 25,6 por cento dos empregados são empregados do Estado, enquanto em Portugal essa percentagem é de apenas 18 por cento. Ou seja, a mais baixa dos 12 países, com excepção da Espanha.
As ricas Dinamarca e Suécia têm quase o dobro, respectivamente 32 e 32,6 por cento. Se fosse directa a relação entre o peso da administração pública e o défice, como estaria o défice destes dois países?
3º. Um dos slogans mais usados é do peso das despesas da saúde. A insuspeita OCDE diz que na Europa dos 15 o gasto médio por habitante é de 1458. Em Portugal esse gasto é  758. Todos os restantes países, com excepção da Grécia, gastam mais que nós. A França 2730, a Austria 2139, a Irlanda 1688, a Finlândia 1539, a Dinamarca 1799, etc.

Com o anterior não pretendo dizer que a administração pública é um poço de virtudes. Não é. Presta serviços que não justificam o dinheiro que consome. Particularmente na saúde, na educação e na justiça. É um santuário de burocracia, de ineficiência e de ineficácia. Mas infelizmente os mesmos paradigmas são transferíveis para o sector privado. Donde a questão não reside no maniqueísmo em que o Senhor e o seu ministro das Finanças caíram, lançando um perigoso anátema sobre o funcionalismo público. A questão reside em corrigir o que está mal, seja público, seja privado. A questão reside em fazer escolhas acertadas. O Senhor optou pelas piores. De entre muitas razões que o espaço não permite, deixe-me que lhe aponte duas:

1.º Sobre o sistema de reformas dos funcionários públicos têm-se dito barbaridades . Como é sabido, a taxa social sobre os salários cifra-se em 34,75 por cento (11 por cento pagos pelo trabalhador, 23,75 por cento pagos pelo patrão ).
OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS PAGAM OS SEUS 11 POR CENTO.
Mas O SEU PATRÃO ESTADO NÃO ENTREGA MENSALMENTE À CAIXA GERAL DE APOSENTAÇÕES, COMO LHE COMPETIA E EXIGE AOS DEMAIS EMPREGADORES, os seus 23,75 por cento. E é assim que as "transferências" orçamentais assumem perante a opinião pública não esclarecida o odioso de serem formas de sugar os dinheiros públicos.
Por outro lado, todos os funcionários públicos que entraram ao serviço em Setembro de 1993 já verão a sua reforma ser calculada segundo os critérios aplicados aos restantes portugueses. Estamos a falar de quase metade dos activos. E o sistema estabilizará nessa base em pouco mais de uma década.
Mas o seu pior erro, Senhor Engenheiro, foi ter escolhido para artífice das iniquidades que subjazem á sua política o ministro Campos e Cunha, que não teve pruridos políticos, morais ou éticos por acumular aos seus 7.000 Euros de salário, os 8.000 de uma reforma conseguida aos 49 anos de idade e com 6 anos de serviço. E com a agravante de a obscena decisão legal que a suporta ter origem numa proposta de um colégio de que o próprio fazia parte.

2.º Quando escolheu aumentar os impostos, viu o défice e ignorou a economia. Foi ao arrepio do que se passa na Europa. A Finlândia dos seus encantos, baixou-os em 4 pontos percentuais, a Suécia em 3,3 e a Alemanha em 3,2.

3º Por outro lado, fala em austeridade de cátedra, e é apologista juntamente com o presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, da implosão de uma torre ( Prédio Coutinho ) onde vivem mais de 300 pessoas. Quanto vão custar essas indemnizações, mais a indemnização milionária que pede o arquitecto que a construiu, além do derrube em si?

4º Por que não defende V. Exa a mesma implosão de uma outra torre, na Covilhã ( ver ' Correio da Manhã ' de 17/10/2005 ) , em tempos defendida pela Câmara, e que agora já não vai abaixo? Será porque o autor do projecto é o Arquitecto Fernando Pinto de Sousa, por acaso pai do Senhor Engenheiro, Primeiro Ministro deste país?

•Por que não optou por cobrar os 3,2 mil milhões de Euros que as empresas privadas devem à Segurança Social ?
•Por que não pôs em prática um plano para fazer a execução das dívidas fiscais pendentes nos tribunais Tributários e que somam 20 mil milhões de Euros ?
•Por que não actuou do lado dos benefícios fiscais que em 2004 significaram 1.000 milhões de Euros ?
•Por que não modificou o quadro legal que permite aos bancos, que duplicaram lucros em época recessiva, pagar apenas13 por cento de impostos ?
•Por que não renovou a famigerada Reserva Fiscal de Investimento que permitiu à PT não pagar impostos pelos prejuízos que teve no Brasil, o que, por junto, representará cerca de 6.500 milhões de Euros de receita perdida ?

A Verdade e a Coragem foram atributos que Vossa Excelência invocou para se diferenciar dos seus opositores.
QUANDO SUBIU OS IMPOSTOS, QUE PERANTE MILHÕES DE PORTUGUESES GARANTIU QUE NÃO SUBIRIA, FICÁMOS TODOS ESCLARECIDOS SOBRE A SUA VERDADE.
QUANDO ELEGEU OS DESEMPREGADOS , OS REFORMADOS E OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS COMO PRINCIPAIS INSTRUMENTOS DE COMBATE AO DÉFICE,  PERCEBEMOS DE QUE TEOR É A SUA CORAGEM!
----------------------------------------------
Santana Castilho (Professor Ensino Superior)
29/12/2006

publicado por LauraBM às 00:33

25
Jan 07

Realmente, há quem tenha um jeitão para escrever estas coisas divertidas.
A gente ri mas... sabem... «Com a verdade me enganas» é um ditado bem antigo!
E como o meu filho é funcionário público, sinto-me lesada ao ver como trabalha um garoto apelidado de deficiente ao lado de tantos que nada fazem, (ou tanta asneira fazem), e ganham muito. E ainda leva por tabela, dos n/governantes, tudo quanto é epíteto vergonhoso e imposto inventado.

Para o n/governo, funcionário público é a escória dos portugueses.
Só não sei como é que não poupam dinheiro em acessores, secretários, subsecretários, motoristas, etc. Cada vez são mais!
Ai, se um dia eu lhes posso chamar o que merecem...… foge dicionário!!!!!!!!

livro_mini.gif------------------

Laura B. Martins 

 

Assunto:
Funcionário em vias de mudar de status

  * Exmo. Sr. 1º Ministro,*
      Vou alterar a minha condição de funcionário público, passando à qualidade de empresa em nome individual (como os taxistas) ou de uma firma do tipo "Jumentos & Consultores Associados Lda."; e em vez de vencimento passo a receber contra factura, emitida no fim de cada mês.
      Ganha o ministro, ganho eu e o país que se lixe!
      Vejamos:
      Ganha o ministro das Finanças porque:
- Fica com um funcionário público a menos.
- Poupa no que teria que pagar a uma empresa externa para avaliar o meu desempenho profissional.
- Ganha um trabalhador mais produtivo porque a iniciativa privada é, por definição, mais produtiva que o funcionalismo público.
- Fica com menos um trabalhador, potencial grevista e reivindicador que por muito que trabalhe será sempre considerado um mandrião.
      E ganho eu porque:
- Deixo de pagar na totalidade todos os impostos a que um funcionário público está obrigado, e bem diga-se, pois passo a considerar o salário mínimo para efeitos fiscais e de segurança social.
- Vou comprar fraldas, champôs, papel higiénico, fairy, skip e uma infinidade de outros produtos à Makro que me emite uma factura com a designação genérica de "artigos de limpeza", pelo que contam como custos para a empresa.
- Deixo de ter subsídio de almoço, mas todas as refeições passam a ser consideradas despesa da firma.
-Já posso arranjar uma residência em Espanha para comprar carro a metade do preço ou compro um BMW em leasing em nome da firma e lanço as facturas do combustível e de manutenção na contabilidade da empresa.
- Promovo a senhora das limpezas lá de casa a auxiliar de limpeza da firma.
- E, se no fim ainda tiver que pagar impostos, não pago, porque três anos depois o Senhor Ministro adopta um perdão fiscal; nessa ocasião vou ao banco onde tinha depositada a quantia destinada a impostos, fico com os juros e dou o resto à DGCI. Mas ainda ganho mais:
- Em vez de pagar contribuições para a CNP, faço aplicações financeiras e obtenho benefícios fiscais se é que ainda tenho IRS para pagar.
- Se tiver filhos na universidade eles terão isenção de propinas e direito à bolsa máxima (equivalente ao salário mínimo) e se morar longe da universidade ainda podem beneficiar de um subsídio adicional para
alojamento; com essas quantias compro-lhes um carro que, tal como o outro, será adquirido em nome da firma assim como manutenções e combustíveis. 
- Se sofrer um divórcio litigioso as prestações familiares que o tribunal me condenar já não serão deduzidas directamente na fonte e recebo o ordenado inteiro e só pago se me apetecer...!
      Como se pode ver, só teria a ganhar e já podia dizer em público o nome da minha profissão sem parecer uma palavra obscena, afinal, em Portugal ter prejuízo é uma bênção de Deus! Está visto que ser ultra liberal é o que realmente vale a pena, e porque é que os partidos que alternam no poder têm tantos votos...?
-----------
3/01/2007

publicado por LauraBM às 23:12

20
Jan 07

Laurarosto_esq.jpgEsta dissertação diz respeito a Portugal. A crise política parece estar generalizada.
Hoje, temos um governo socialista maioritário que governa tudo e todos sem haver quem lhe faça frente. Quantos votantes, agora seriamente arrependidos da votação dada não sabem o que fazer à vida. E o pior é que eu também não sei, mas não fui eu que votei nos socialistas.

Enfim, é tudo muito bonito mas temos que nos governar com um primeiro-ministro difícil de entender, vaidoso e com as chamadas ideias faraónicas que nos está a governar muito mal.
Não sei se a ele mesmo se governa bem ou não mas, a mim, governa mal de certeza pois perdi poder de compra e a minha vida está bem mais difícil e complicada, além de recear o futuro.
Não deve ser coisa que o afecte a ele porque bem sabe dos cargos altamente remunerados que o esperam, mal abandone este desgoverno que impinge aos portugueses.
Como prova disso temos o sr. Guterres e o sr. Durão Barroso que já nos deixaram de rastos e… olha lá… onde estão eles agora! Mas nem precisa sair do país porque, cá dentro, há por aí muita empresa a dever-lhe favores que ele tratará de cobrar mal ponha o pé na rua. Pois então, para que serve o poder se não for para poder ter boa vida à custa do poder? Ora essa!

Voltando à vaca fria, quer isto dizer: o homem e a sua equipa parecem estar a fazer um bom trabalho na busca aos fraudulentos e corruptos mas não se manifestam quando as empresas fecham repentinamente deixando na miséria dezenas ou centenas de trabalhadores que não foram avisados e se deparam um dia, com as portas das fábricas fechadas.
Também ninguém sabe porquê, o primeiro ministro bate na tecla dum novo aeroporto, em lugar fortemente desaconselhado pelos peritos, quando países em muito melhores condições económicas se limitaram a acrescentar os seus aeroportos.
Do comboio TGV, outro luxo fruto das ideias de quem caminha orgulhosamente só, esse nem se fala porque até parece que está a fazer um jeitinho aos espanhóis mas quem paga são os portugueses. Vaidade, orgulho e preconceito não lhe faltam!

Até parece que estamos em época de gastos!... E quando os bancos anunciam lucros excessivos, como é o caso de Portugal... mal vai a coisa!!!!!!! Ai, ai!.........
-----------------
02/10/2007
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 22:59

20
Mar 06

Socrates-risonho2.jpgCaro Sr. Primeiro-Ministro

Venho por meio desta comunicação manifestar meu total apoio ao seu esforço de modernização do nosso país. Como cidadão comum, não tenho muito mais a oferecer além do meu trabalho, mas já que o tema da moda é Reforma Tributária, percebi que posso definitivamente contribuir mais.
Vou explicar: Na actual legislação, pago na fonte 31% do meu salário 20 para o IRS e 11 para a Segurança Social.
Como pode ver, sou um cidadão afortunado.

Cada vez que eu, no supermercado, gasto o que o meu patrão me pagou, o Estado, e muito bem, fica com 19% para si (31+19="50)
Sou obrigado a concordar que é pouco dinheiro para o governo fazer tudo aquilo que promete ao cidadão em tempo de campanha eleitoral.

Mas o meu patrão é obrigado a dar ao Estado, e muito bem, mais 23,75% daquilo que me paga para a Segurança Social. E ainda 33% para o Estado 50+23,75+33="106,75).
Além disso quando compro um carro, uma casa, herdo um quadro, registo os meus negócios ou peço uma certidão, o Estado, e muito bem, fica com quase metade das verbas envolvidas no caso.

Minha sugestão, é invertermos os percentuais. A partir do próximo mês autorizo o Governo a ficar com 100% do meu salário.
Funcionaria assim: Eu fico com 6,75% limpinhos, sem qualquer ónus mas o Governo fica com as contas de:
- Despesas Escolares, Seguro de Saúde, Despesas com médicos, Medicamentos, Materiais escolares, Condomínio, Água, Luz, Telefone, Energia, Supermercado, Gasolina, Vestuário, Lazer,
Portagens, Cultura, Contribuição Autárquica, IVA, IRS, IRC, Imposto de Circulação Segurança Social, Seguro do carro, Inspecção Periódica, Taxas do Lixo, reciclagem, esgotos e saneamento
E todas as outras taxas que nos impinge todos os dias.
Previdência privada e qualquer taxa extra que por ventura seja repentinamente criada por qualquer dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Um abraço Sr. Primeiro-Ministro e muito boa sorte, do fundo do meu coração!

Ass: Um trabalhador que já não mais sabe o que fazer para conseguir sobreviver com dignidade.

PS: Podemos até negociar a percentagem!!!
--------------------------------
31/05/2006
Artigo recebido via Internet, s/autoria

publicado por LauraBM às 01:26

15
Fev 06

sinalStop.gif Quercus considera cimeira do G8 como oportunidade perdida    (2005-07-18)
A associação ambientalista Quercus considerou hoje que a cimeira dos líderes mundiais do G8 foi uma oportunidade perdida no que respeita às alterações climáticas, devido à inflexibilidade dos EUA que recusou assumir qualquer meta.
"Os resultados conhecidos da cimeira foram claramente uma oportunidade perdida", afirmam os ambientalistas num comunicado.
Para a Quercus, embora os EUA tenham reconhecido a necessidade de investimento nas energias renováveis, continuam inflexíveis em relação a assumir qualquer meta(...)
Veja a noticia completa em http://www.rtp.pt/index.php?article=186548&visual=16
_______________________________________
QUERCUS contra central nuclear    (2005-07-18)
A Quercus (Associação Nacional de Conservação da Natureza) exige que o Governo recuse a proposta do empresário Patrick Monteiro de Barros de construir uma central nuclear em Portugal.
Em comunicado, a Quercus alega que vários países europeus (como Suécia, Alemanha e Espanha) não pretendem investir em novas centrais nucleares, nucleares, "dando prioridade às energias renováveis". (...)
Veja a noticia completa em http://www.rtp.pt/index.php?article=184782&visual=16
Governo lança três concursos para eólicas    (2005-07-13)
A criação de um ‘cluster’ industrial em Portugal é um das condições impostas aos candidatos.
Veja a noticia completa em http://www.diarioeconomico.com/edicion/noticia/0,2458,652593,00.html
________________________________________
Ensino Superior: UTAD abre primeira licenciatura de Engenharia das Energias    (2005-07-18)
A primeira licenciatura do país em Engenharia das Energias, destinada a colmatar a falta de profissionais no ramo das energias renováveis, vai começar a ser leccionada na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) no próximo ano lectivo.
O professor Salvador Malheiro, responsável pelo novo curso, disse hoje que esta licenciatura vai abrir com 15 vagas e pretende ir de encontro aos "actuais desafios da Europa e do Mundo" em matéria de energia de origem renovável. (...)
Veja a noticia completa em http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1228011&idCanal=58
________________________________________
Energia renovável entrou na maioridade em Portugal, afirma o presidente da APREN Diário Económico   (2005-07-19)
O presidente da Associação para as Energias Renováveis (APREN), António Sá da Costa, afirmou hoje que o novo concurso para as eólicas lançado pelo Governo prova que a energia renovável já entrou na maioridade em Portugal. (…)
Veja a noticia completa em http://www.diarioeconomico.com/edicion/noticia/0,2458,654918,00.html
________________________________________
Sócrates: aposta em energias renováveis vai reduzir dependência do petróleo até 2010    (2005-07-19)
O primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou hoje que o investimento português até 2010 em energias renováveis, no valor de três mil
milhões de euros, contribuirá para o equilíbrio do quadro macroeconómico e para uma redução da dependência do petróleo.
"Com a economia estagnada há quatro anos, Portugal enfrenta problemas sérios. O caminho é fazermos bons investimentos na direcção certa", declarou José Sócrates na sessão de lançamento do Novo Concurso Eólico, na Culturgest, em Lisboa. (...)
Veja a noticia completa em http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1228456&idCanal=12
________________________________________
http://www.diarioeconomico.com/edicion/noticia/0,2458,654963,00.html
Energia 2005-07-18 17:40
Iberdrola na corrida à atribuição dos 1.700 megawatts de energia eólica ________________________________________

publicado por LauraBM às 01:07

22
Nov 05

JOSÉ SÓCRATES ( no jornal: Público)

Socrates_euforico.jpg.Desminta, se puder, o que passo a afirmar.
Esta é a terceira carta que lhe dirijo.
As duas primeiras motivadas por um convite que formulou mas não honrou, ficaram descortesmente sem resposta.
A forma escolhida para a presente é obviamente retórica e assenta NUM DIREITO QUE O SENHOR AINDA NÃO ELIMINOU: o de manifestarmos publicamente indignação perante a mentira e as opções injustas e erradas da governação.

Por acção e omissão, o Senhor deu uma boa achega à ideia, que ultimamente ganhou forma na sociedade portuguesa, segundo a qual os funcionários públicos seriam os responsáveis primeiros pelo descalabro das contas do Estado e pelos malefícios da nossa economia. Sendo a administração pública a própria imagem do Estado junto do cidadão comum, é quase masoquista o seu comportamento.

.Desminta, se puder, o que passo a afirmar:

1.º Do Statics in Focus n.º 41/2004, produzido pelo departamento oficial de estatísticas da União Europeia, retira-se que a despesa portuguesa com os salários e benefícios sociais dos funcionários públicos é inferior à mesma despesa média dos restantes países da Zona Euro.

2.º Outra publicação da Comissão Europeia, L´Emploi en Europe 2003, permite comparar a percentagem dos empregados do Estado em relação à totalidade dos empregados de cada país da Europa dos 12. E o que vemos? Que em média nessa Europa 25,6 por cento dos empregados são empregados do Estado, enquanto em Portugal essa percentagem é de apenas 18 por cento. Ou seja, a mais baixa dos 12 países, com excepção da Espanha.
As ricas Dinamarca e Suécia têm quase o dobro, respectivamente 32 e 32,6 por cento. Se fosse directa a relação entre o peso da administração pública e o défice, como estaria o défice destes dois países?

3º. Um dos slogans mais usados é do peso das despesas da saúde. A insuspeita OCDE diz que na Europa dos 15 o gasto médio por habitante é de 1458. Em Portugal esse gasto é … 758. Todos os restantes países, com excepção da Grécia, gastam mais que nós. A França 2730, a Áustria 2139, a Irlanda 1688, a Finlândia 1539, a Dinamarca 1799, etc.
Com o anterior não pretendo dizer que a administração pública é um poço de virtudes. Não é. Presta serviços que não justificam o dinheiro que consome. Particularmente na saúde, na educação e na justiça. É um santuário de burocracia, de ineficiência e de ineficácia. Mas infelizmente os mesmos paradigmas são transferíveis para o sector privado. Donde a questão não reside no maniqueísmo em que o Senhor e o seu ministro das Finanças caíram, lançando um perigoso anátema sobre o funcionalismo público. A questão reside em corrigir o que está mal, seja público, seja privado. A questão reside em fazer escolhas acertadas. O Senhor optou pelas piores. De entre muitas razões que o espaço não permite, deixe-me que lhe aponte duas:

1.º Sobre o sistema de reformas dos funcionários públicos têm-se dito barbaridades. Como é sabido, a taxa social sobre os salários cifra-se em 34,75 por cento (11 por cento pagos pelo trabalhador, 23,75 por cento pagos pelo patrão).

OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS PAGAM OS SEUS 11 POR CENTO.

Mas O SEU PATRÃO ESTADO NÃO ENTREGA MENSALMENTE À CAIXA GERAL DE APOSENTAÇÕES, COMO LHE COMPETIA E EXIGE AOS DEMAIS EMPREGADORES, os seus 23,75 por cento. E é assim que as "transferências" orçamentais assumem perante a opinião pública não esclarecida o odioso de serem formas de sugar os dinheiros públicos.


Por outro lado, todos os funcionários públicos que entraram ao serviço em Setembro de 1993 já verão a sua reforma ser calculada segundo os critérios aplicados aos restantes portugueses. Estamos a falar de quase metade dos activos. E o sistema estabilizará nessa base em pouco mais de uma década.

Mas o seu pior erro, Senhor Engenheiro, foi ter escolhido para artífice das iniquidades que subjazem à sua política o ministro Campos e Cunha, que não teve pruridos políticos, morais ou éticos por acumular aos seus 7000 Euros de salário, os 8000 de uma reforma conseguida aos 49 anos de idade e com 6 anos de serviço. E com a agravante de a obscena decisão legal que a suporta ter origem numa proposta de um colégio de que o próprio fazia parte.

2.º Quando escolheu aumentar os impostos, viu o défice e ignorou a economia. Foi ao arrepio do que se passa na Europa. A Finlândia dos seus encantos, baixou-os em 4 pontos percentuais, a Suécia em 3,3 e a Alemanha em 3,2.

Por que não optou por cobrar os 3,2 mil milhões de Euros que as empresas privadas devem à Segurança Social?
Por que não pôs em prática um plano para fazer a execução das dívidas fiscais pendentes nos tribunais Tributários e que somam 20 mil milhões de Euros?
Por que não actuou do lado dos benefícios fiscais que em 2004 significaram 1000 milhões de Euros?
Por que não modificou o quadro legal que permite aos bancos, que duplicaram lucros em época recessiva, pagar apenas 13 por cento de impostos?
Por que não renovou a famigerada Reserva Fiscal de Investimento que permitiu à PT não pagar impostos pelos prejuízos que teve no Brasil, o que, por junto, representará cerca de 6500 milhões de Euros de receita perdida?

A Verdade e a Coragem foram atributos que Vossa Excelência invocou para se diferenciar dos seus opositores.
QUANDO SUBIU OS IMPOSTOS, QUE PERANTE MILHÕES DE PORTUGUESES GARANTIU QUE NÃO SUBIRIA, FICÁMOS TODOS ESCLARECIDOS SOBRE A SUA VERDADE.

QUANDO ELEGEU OS DESEMPREGADOS, OS REFORMADOS E OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS COMO PRINCIPAIS INSTRUMENTOS DE COMBATE AO DÉFICE, PERCEBEMOS DE QUE TEOR É A SUA CORAGEM.

----------------------------
6/06/2005
Santana Castilho (Professor Ensino Superior)
Jornal "PÚBLICO"

publicado por LauraBM às 15:45

23
Jul 05

TÊ GÊ VÊ 

 

automotora_trembala.gif

Sócratismo International Airport 

aviaopassageiros_Delta.gif

Juntam-se assim estes dois maravilhosos, grandalhões, empreendimentos aos estádios do EURO 2004 (quase todos às moscas nos dias de jogos por falta de papel monetário); a "cagança" da Exp98 e outros que não me lembro e que deram aso a actos, que todos os bons portugueses conhecem, de uns "tipos" que guiavam um modesto Renault R4 e, zás, um Ferrari,  "a sports car" da alta gama estacionado à porta e a laurearem o "rabo" das vaidades  pelas ruas da praça de Lisboa e ao longo dos riscos pretos entre os montes e vales queimados de Portugal.

Mas pergunta-se aos sábios: "quem vai ser quem que terá a possibilidade de viajar nessas "bombas" dos carris?   Os portugueses talvez um ou dois por cento..."
Uns turistas no verão e no inverno vazios!    É isso mesmo. 
Se ainda Portugal fosse um país industrializado....sim, sim tudo bem para os industriais se deslocarem à Europa para fazerem os seus negócios!
Assim, no meu entender, me parece que o TÊ GÊ VÊ vai ser mesmo para os espanhóis se deslocarem mais "prontitos" a Portugal e gerirem os negócios  instalados!
Vós ( eu não porque em 2015 devo estar na companhia dos pés juntos) portugueses ficais para ver o TÊ GÊ VÊ a passar como o compadre alentejano via o "passarinho de lata" voar no Alentejo, quando os "róplanos" começaram a voar nos céus de Portugal.
E é sabido (segundo a voz do da ideia do projecto) que vai criar postos de trabalho... mas quem será que irá ocupar esses postos?   Mão-de-obra importada? 
Claro que sim porque em Portugal há muito desemprego mas trabalho que faça calos nas mãos que vá às malvas!  
A profecia do Velho do Restelo vai funcionar!
-------------------------
26/07/2005
Zé Martins
PORTUGALCLUB
portugalclub@cardigos.com.br

publicado por LauraBM às 23:23

"O Congresso Nacional é um local que:
se gradear vira zoológico,
se murar vira presídio,
se colocar uma lona em cima vira circo,
se colocar lanternas vermelhas vira prostíbulo
e se der descarga não sobra ninguém."

======================

Frase do Dia, do Mês, do Ano e do Século

“Portugal é hoje um paraíso criminal onde alguns inocentes imbecis se levantam para ir trabalhar, recebendo por isso dinheiro que depois lhes é roubado pelos criminosos e ajuda a pagar ordenados aos iluminados que bolçam certas leis.”


===================================

"Ponha-se na presidência qualquer medíocre, louco ou semi-analfabeto, e vinte e quatro horas depois a horda de aduladores estará à sua volta, brandindo o elogio como arma, convencendo-o de que é um gênio político e um grande homem, e de que tudo o que faz está certo.
Em pouco tempo transforma-se um ignorante em um sábio, um louco em um gênio equilibrado, um primário em um estadista.
E um homem nessa posição, empunhando as rédeas de um poder praticamente sem limites, embriagado pela bajulação, transforma-se num monstro perigoso".

-------------------------------------------

General Olímpio Mourão Filho
(in A Verdade de um Revolucionário de 1978)



ESSA FRASE DEVE CONTINUAR CIRCULANDO....

Frase da filósofa russo-americana Ayn Rand (fugitiva da revolução russa, que chegou aos Estados Unidos na metade da década de 1920), mostrando uma visão com conhecimento de causa:


“Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que a sua sociedade está condenada”.


Qualquer semelhança com o Brasil e o Portugal de hoje, não é mera coincidência...


"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas...”

--------------------------------------------

Guerra Junqueiro, in "Pátria", escrito em 1896

O problema de Portugal é que quem elege os governantes
não é o pessoal que lê o jornal, mas quem limpa o traseiro com ele!


Para que serve a política?

*Funcionamento do blog:
Clique sobre cada TAG e veja os arquivos do tema.
*Antiguidades óptimas
*A sair do forno
Olá, Você precisa de um empréstimo para pagar s...
Se reencontrar o sorriso é graça à Mm cappellaro q...
Testemunho de um empréstimoEu consegui obter um em...
Testemunho de um empréstimoEu consegui obter um em...
TESTEMUNHOSAs orações são obrigatórias para cada s...
Olá a todos,Eu sou deputada Susan famish, estou es...
Empréstimo e investimento em 48 horas.Eis o meu em...
Testemunho de empréstimo sério e rápido em 24 hora...
Um povo imbecilizado, uma classe política corrupta...
SOLUÇÃO PARA SUAS NECESSIDADES FINANCEIRAS OU de t...