Olhando pra Lisboa, ali tão perto ............... lá no alto, de cabelos ao vento................................ o Cristo-Rei foi pregar para o deserto ..................... e deixou os camelos em... «Belém»!

=========================================

FRASES INTEMPORAIS APLICADAS À POLÍTICA

1 - O cigarro adverte:

"o governo faz mal à saúde!"

2 - Não roube,

“o governo detesta concorrência.”

3 - Errar é humano.

“Culpar outra pessoa é política.”
4 - Autarcas portugueses
"São os mais católicos do mundo. Não assinam nada sem levar um terço.

5 - Se bem que…

"o salário mínimo deveria chamar-se gorjeta máxima".

6 - Feliz foi Ali-Babá que:
"não viveu em Portugal e só conheceu 40 ladrões!!!..."

7 - Não deixe de assistir

"ao horário político na TV:

Talvez seja a única oportunidade de ver políticos portugueses em "cadeia nacional".

8 – O maior castigo

"para quem não se interessa por política é que será governado pelos que se interessam."

9 - Os políticos
"são como as fraldas... Devem ser trocados com frequência, e sempre pelo mesmo motivo...

10 - Os líderes

"das últimas três décadas ou sucedem a si próprios ou então criam clones dos seus tiques."

11 - Os partidos
"
tomaram conta do Estado e puseram o Estado ao seu serviço."

12 - A frase do dia é de Alberto João Jardim:
- O que penso sobre o aborto?!...

- Considero-o um péssimo Primeiro-ministro e está a governar muito mal o País.

13 - Notícia de última hora!!!

- “Fiscais da ASAE, (brigada de inspecção da higiene alimentar), acabam de encerrar a Assembleia da República.“
Motivo: Comiam todos no mesmo tacho!

14 – Bom para Portugal!!!!!

"Sou totalmente a favor do casamento gay entre os políticos.

Tudo que possa contribuir para que eles não se reproduzam é bom para o país..."

15 - Candidatos:

"Antigamente os cartazes nas ruas, com rostos de criminosos, ofereciam recompensas;
hoje em dia, pedem votos".

16 - País desenvolvido:

"não é onde o pobre tem carro, é onde os políticos usam transporte público".

17 - Austeridade é quando

"o Estado nos tira dinheiro para pagar as suas contas até deixarmos de ter dinheiro para pagar as nossas".

18 - O governo esclare:

"Os cortes aos reformados só se aplicam a quem tiver 2 pensões. Quem tiver 2 hotéis ou 2 residenciais está safo".

19 - A força do Fisco:

"O estado arranca-me tudo à força e depois diz que sou contribuinte".

20 - País desenvolvido

não é onde o pobre tem carro, é onde os políticos, usam transporte público.

21 - Austeridade é quando

o Estado nos tira dinheiro para pagar as suas contas até nós deixarmos de ter dinheiro para pagar as nossas.

===================================================

15
Mar 14

publicado por LauraBM às 22:26

11
Jan 14

 

Há muito que era esperado este desfecho, enquanto os povos adormecem e se deixam levar pelos políticos corruptos que sempre executam o que lhes é exigido.
Em troca de grandes oportunidades futuras pagas principescamente, os povos vão sendo espoliados dos bens naturais dos seus países.
Agora é a água.
Em seguida será o ar que respiramos? 
Vejam o filme e pensem um pouco sobre o assunto. Diz respeito a todos nós! 
publicado por LauraBM às 11:19

10
Out 12

Não percam este vídeo, por amor de Deus, portugueses!

Cliquem nesse link:
http://www.youtube.com/watch?v=tJj0H5C-uhc&feature=colike

 

 

A vergonha do empobrecimento dos portugueses por causa das parcerias público-privadas magicadas em 2005 pelo 1º ministro Sócrates c/o aval de presidente Cavaco Silva.

 

Estas parcerias enriqueceram alguns políticos enquanto nos condenavam à miséria a partir de 2013 quando os pagamentos destas mesmas parcerias dispararem já em 2013.


E é esta gente que diz que nos governa mas nos condena à fome!
---------------------------------------------------


Jornalista José Gomes Ferreira na Sic c/ Clara de Sousa
Não percam os vídeos deste jornalista para sabermos o que nos vai acontecer após 2013!
E tudo com a assinatura da múmia paralítica Presidente Cavaco Silva (desde 2005) enquanto o maldito Sócrates engendrava a nossa ruína!

 

ACORDEM PORTUGUESES!!!!!!!!!!!!

Ainda não está tudo perdido!

publicado por LauraBM às 18:38

15
Set 12

Finalmente, a «Comunidade dos Burros Mansos»
https://www.facebook.com/#!/pages/Comunidade-dos-burros-mansos/121230264634572 
entendeu retirar a venda e escoicear para alijar a canga que lhe querem pôr no lombo.
Congratulo-me com essa resolução e espero que a comunidade dê muitos e fortes coices mas... em quem os merece.
Que os coices de hoje sejam os primeiros duma longa lista; pelo menos enquanto durar a burrice ou a canalhice do burro-mor deste país.
Estão a vender-nos o país às grandes potências e ao capital para que se apoderem da nossa economia e dêem os nossos postos de trabalho aos estrangeiros.
Escoiceiem ou desistam do futuro das nossas crianças!
publicado por LauraBM às 22:47

13
Set 12

publicado por LauraBM às 21:19

10
Mar 12

Quando rebentar, vai ser um desastre mundial! Preparem-se!!!
publicado por LauraBM às 00:06

15
Fev 12

Este texto é de Isabel do Carmo (médica). E tem toda a razão.

 

O primeiro-ministro anunciou que íamos empobrecer, com aquele desígnio de falar "verdade", que consiste na banalização do mal, para que nos resignemos mais suavemente.

Ao lado, uma espécie de contabilista a nível nacional diz-nos, como é hábito nos contabilistas, que as contas são difíceis de perceber, mas que os números são crus.

 

Os agiotas batem à porta e eles afinal até são amigos dos agiotas. Que não tivéssemos caído na asneira de empenhar os brincos, os anéis e as pulseiras para comprar a máquina de lavar alemã. E agora as jóias não valem nada. Mas o vendedor prometeu-nos que... Não interessa.

 

Vamos empobrecer. Já vivi num país assim. Um país onde os "remediados" só compravam fruta para as crianças e os pomares estavam rodeados de muros encimados por vidros de garrafa partidos, onde as crianças mais pobres se espetavam, se tentassem ir às árvores. Um país onde se ia ao talho comprar um bife que se pedia "mais tenrinho" para os mais pequenos, onde convinha que o peixe não cheirasse "a fénico". Não, não era a "alimentação mediterrânica", nos meios industriais e no interior isolado, era a sobrevivência.

Na terra onde nasci, os operários corticeiros, quando adoeciam ou deixavam de trabalhar vinham para a rua pedir esmola (como é que vão fazer agora os desempregados de "longa" duração, ou seja, ao fim de um ano e meio?). Nessa mesma terra deambulavam também pela rua os operários e operárias que o sempre branqueado Alfredo da Silva e seus descendentes punham na rua nos "balões" ("Olha, hoje houve um ' balão' na Cuf, coitados!"). Nesse país, os pobres espreitavam pelos portões da quinta dos Patiño e de outros, para ver "como é que elas iam vestidas".

Nesse país morriam muitos recém-nascidos e muitas mães durante o parto e após o parto. Mas havia a "obra das Mães" e fazia-se anualmente "o berço" nos liceus femininos onde se colocavam camisinhas, casaquinhos e demais enxoval, com laçarotes, tules e rendas e o mais premiado e os outros eram entregues a famílias pobres bem- comportadas (o que incluía, é óbvio, casamento pela Igreja).

 

Na terra onde nasci e vivi, o hospital estava entregue à Misericórdia. Nesse, como em todos os das Misericórdias, o provedor decidia em absoluto os desígnios do hospital. Era um senhor rural e arcaico, vestido de samarra, evidentemente não médico, que escolhia no catálogo os aparelhos de fisioterapia, contratava as religiosas e os médicos, atendia os pedidos dos administrativos ("Ó senhor provedor, preciso de comprar sapatos para o meu filho"). As pessoas iam à "Caixa", que dependia do regime de trabalho (ainda hoje quase 40 anos depois muitos pensam que é assim), iam aos hospitais e pagavam de acordo com o escalão. E tudo dependia da Assistência. O nome diz tudo. Andavam desdentadas, os abcessos dentários transformavam-se em grandes massas destinadas a operação e a serem focos de septicemia, as listas de cirurgia eram arbitrárias. As enfermarias dos hospitais estavam cheias de doentes com cirroses provocadas por muito vinho e pouca proteína. E generalizadamente o vinho era barato e uma "boa zurrapa".

 

E todos por todo o lado pediam "um jeitinho", "um empenhozinho", "um padrinho", "depois dou-lhe qualquer coisinha", "olhe que no Natal não me esqueço de si" e procuravam "conhecer lá alguém".

 

Na província, alguns, poucos, tinham acesso às primeiras letras (e últimas) através de regentes escolares, que elas próprias só tinham a quarta classe.

Também na província não havia livrarias (abençoadas bibliotecas itinerantes da Gulbenkian), nem teatro, nem cinema.

 

Aos meninos e meninas dos poucos liceus (aquilo é que eram elites!) era recomendado não se darem com os das escolas técnicas. E a uma rapariga do liceu caía muito mal namorar alguém dessa outra casta.

 

Para tratar uma mulher havia um léxico hierárquico: você, ó; tiazinha; senhora (Maria); dona; senhora dona e... supremo desígnio - Madame.

Os funcionários públicos eram tratados depreciativamente por "mangas-de-alpaca" porque usavam duas meias mangas com elásticos no punho e no cotovelo a proteger as mangas do casaco.

 

Eu vivi nesse país e não gostei.

 

E com tudo isto, só falei de pobreza, não falei de ditadura. É que uma casa bem com a outra. A pobreza generalizada e prolongada necessita de ditadura. Seja em África, seja na América Latina dos anos 60 e 70 do século XX, seja na China, seja na Birmânia, seja em Portugal!

publicado por LauraBM às 00:10

27
Out 11

 

Revista Visão de 22/09/2011

publicado por LauraBM às 18:42

20
Out 11
Aconselho vivamente clicar no link acima.
Pertence à TVI e tem Marques Mendes como entrevistado.
Quanto mais não seja, para ficarem inteirados do que se tem permitido neste país aos administradores, gestores, etc., das empresas de transportes a quem os governos tudo têm permitido (sem uma única fiscalização) e pago  principescos salários, acrescidos de outras tantas regalias pessoais.
 
Agora, quem souber explicar porque é que o actual governo não quer responsabilizar esta cambada, que o faça e mande para mim, por favor, porque eu não descortino o motivo.
 
Lamento profundamente não ter conseguido inserir aqui o vídeo em directo mas não encontrei forma de fazê-lo.
(Os vídeos do Sapo e do Youtube saem em directo no blog mas, os outros, só quando os sites o permitem)
publicado por LauraBM às 18:23

18
Out 11

mas quem está abaixo que se aguente (que é como quem diz: «o povo que se lixe»)

- enquanto Cavaco esteve no governo, o que é que fez??????????

- enquanto Cavaco está no governo, o que é que faz? (fala de cátedra)

- enquanto Passos Coelho esteve fora do governo, o que é que fez???

 

-------------------------------------------------------

 

Lisboa, 5 out (Lusa)

- O Presidente da República, Cavaco Silva, defendeu hoje que "a cultura republicana implica uma reforma profunda do exercício de funções públicas" e que os cidadãos exigem uma "mudança profunda na acção política".

Na sua intervenção nas comemorações oficiais do 101º aniversário da implantação da República, Cavaco Silva declarou que "acabaram os tempos de ilusões", considerando que Portugal perdeu "muitos anos na letargia do consumo fácil" e que agora "o valor republicano da austeridade digna" deve ser redescoberto.

Segundo o Presidente da República, estes tempos "muito difíceis" tornam urgente "reinventar o republicanismo, fundar um republicanismo ajustado às exigências cívicas do novo século" e, "precisamente porque se pedem mais sacrifícios, o exemplo dos agentes políticos tem de ser mais autêntico".

IEL

Lusa/Fim

publicado por LauraBM às 15:41

08
Out 11

Notícias  -  http://pt.msn.com/noticias  - 08-10-2011

 

Promotores da manifestação querem fazer auditoria popular à dívida pública


*** Lisboa, 08 out (Lusa) - Uma "auditoria cidadã" à dívida pública é uma das propostas...

 

*** Lisboa, 08 out (Lusa) - Uma "auditoria cidadã" à dívida pública é uma das propostas que vai ser apresentada à assembleia popular que se reunirá dia 15 frente ao parlamento após a manifestação que começará na rotunda do Marquês de Pombal, também em Lisboa.

"Neste momento estamos a pagar algo que não sabemos de onde vem (...) nem a quem devemos", afirmou, numa entrevista à agência Lusa, Paula Gil, dirigente do Movimento Doze de Março (M12M), uma das quase 30 organizações que convocaram o desfile do próximo sábado na capital e noutras cidades do país.

Democracia participativa, iniciativa legislativa do cidadão e transparência são os três vectores principais em que apostam os organizadores, um núcleo de oito pessoas que adoptou como nome a data da manifestação realizada a 12 de Março em Lisboa e que reuniu mais de 200 mil pessoas, na maior concentração realizada nos últimos anos em Portugal.

 

Terminar o desfile de sábado na Assembleia da República é "simbólico" e pretende lembrar os deputados de que a voz dos cidadãos tem de ser ouvida. "As políticas têm que ser discutidas com as pessoas", considera Paula Gil.

Independentemente da adesão que venha a registar, a manifestação "é, por si só, já um sucesso", sustenta, atendendo a que originou uma plataforma de movimentos sociais e cívicos, que se "juntaram em torno de uma mobilização contra a situação em que vivemos".

A sociedade portuguesa é actualmente atingida por uma "situação insustentável, de agressão direta às pessoas, em que o Estado se comporta como se o seu primeiro objectivo fosse a protecção dos credores e dos mercados e não a protecção das pessoas", advoga a activista de 27 anos, uma portuense licenciada em Relações Internacionais na Universidade de Coimbra, tal como os restantes três fundadores do M12M.

Para alterar a situação e efectivar as teorias que defendem, Paula Gil aponta como caminho possível o exemplo do Brasil, onde foi criado um  movimento baptizado Controlo Social que integra os cidadãos comuns, mas também especialistas, que se envolvem na política, contribuindo no processo de tomada de decisões.

Um dos resultados já evidenciados é a "baixa significativa da corrupção", aponta.

"O que é preciso nos dias 16, 17 [a seguir à manifestação] é a mudança de mentalidades e de consciências, que as pessoas sem envolvam na política, que dêem a sua opinião, que dêem a sua voz", desafia Paula Gil.

Embora considerando "essencial" o papel dos partidos e dos sindicatos no actual sistema político, a dirigente do M12M considera que, para haver um "complemento total na sociedade", às organizações tradicionais "devem juntar-se as pessoas".

 

"Apelo a que venham todos, porque neste momento estamos todos a ser atacados" com os cortes nos salários e subsídios e nos aumentos de impostos e bens essenciais.

Até agora, os organizadores contabilizam um factor negativo que lhes veio causar alguma perplexidade: a notícia de que as autoridades policias temem que a movimentação social de dia 15 poderá degenerar nos maiores tumultos registados em Portugal depois de 1975, durante o chamada PREC (Período Revolucionário em Curso).

"É uma acusação muito grave" que só pode ocorrer por uma de três razões: "ou esses tumultos estão planeados e vamos ser infiltrados e vão acontecer tumultos como em Espanha, ou foi uma forma de desviar a atenção por não estarmos [Portugal] a cumprir o défice ou uma forma de criar medo e levar as pessoas a desmobilizarem", sustenta.

AMN.

Lusa/fim

publicado por LauraBM às 22:10

13
Set 11

 

publicado por LauraBM às 23:57

12
Set 11

Revista Visão - em 8/2011 (passe a publicidade mas é mesmo uma revista ao meu jeito)

 

Os portugueses vivem hoje como num país nórdico: pagam impostos como no Norte da Europa e têm um nível de vida como no Norte de África.

Este é um país de gente rica: cada português tem um banco e uma ilha. É certo que é o mesmo banco e a mesma ilha mas são nossos. Todos os contribuintes são proprietários do BPN e da Madeira.

Todos os meses trabalhamos para sustentar o banco e a ilha, e depois gastamos o dinheiro que sobra em coisas supérfluas, como a comida, a renda, a electricidade.

Felizmente o governo ajuda-nos a gerir o salário com inteligência. Pedro Passos Coelho bem avisou que iria fazer cortes na despesa. Só não disse que era na nossa, mas era previsível.

A nossa despesa com alimentação, habitação e transportes está cada vez menor. Afinal, o orçamento gordo era o nosso. Agora está muito mais magro, elegante e saudável. Mais sobra para o banco e para a ilha.

 

NOTA:

E no corte de metade do 13º mês, o autor chama, com imensa piada, aos restantes 15 dias que vamos receber:

«o actual décimo segundo mês e meio ou os décimos terceiros quinze dias»! hahahaha

publicado por LauraBM às 21:51

25
Ago 11
 É imperioso e urgente que o nº máximo possível de Portugueses tomem conhecimento destas vergonhas!!!
Verdadeiro crime social!!! (entre muitos outros).

Folha salarial da Fundação Cidade de Guimarães

Folha salarial (da responsabilidade da Câmara Municipal) dos administradores e de outros figurões, da Fundação Cidade de Guimarães, criada para a Capital da Cultura 2012:
-  Cristina Azevedo - Presidente do Conselho de Administração:
    14.300 € (2 860 contos) mensais + Carro + Telemóvel + 500 € por reunião
-  Carla Morais - Administradora Executiva
    12.500 €  (2 500 contos) mensais + Carro + Telemóvel + 300 € por reunião
-  João B. Serra - Administrador Executivo
    12.500 € mensais + Carro + Telemóvel + 300 € por reunião
-  Manuel Alves Monteiro - Vogal Executivo
     2.000 € mensais + 300 € por reunião

Todos os 15 componentes do Conselho Geral, de entre os quais se destacam Jorge Sampaio, Adriano Moreira, Diogo Freitas do Amaral e Eduardo Lourenço, recebem 300 € por reunião, à excepção do Presidente (Jorge Sampaio) que recebe 500 €.
Em resumo: 1,3 milhões de Euros por ano, em salários.
Como a Fundação vai manter-se em funções até finais de 2015, as despesas com pessoal deverão ser de quase 8 milhões de Euros !!!
Esta obscenidade acontece numa região, como a do Vale do Ave, onde o desemprego ronda os 15 % !!!
Alguém acredita em leis anti-corrupção feita por corruptos?
publicado por LauraBM às 12:19

20
Ago 11

 

Igualmente preocupada com o avanço dos chineses sobre tudo e sobre todos os mercados e mercadorias, tento comprar o que é nacional.

No entanto, do modo como está a economia em todos os países, e com a crise financeira na Europa inteira motivada pela banca, não sei como poderemos resistir aos preços chineses, embora a qualidade seja péssima.

Se você veste uma t-shirt chinesa, acaba a suar frio e incomodada, para não falar do horrível cheiro do suor misturado com aquelas fibras.

Se você veste uma de algodão nacional, sua pelo calor mas não se incomoda nem se sente mal com o tipo de suor provocado pela qualidade do tecido.

E as lojas nacionais médias ou melhores, já não são de confiança pois deparamo-nos constantemente com etiquetas «Made in China» aos preços normais das lojas.

Temos tudo contra e os chineses tudo a favor, aproveitando a crise mundial.

Que futuro terão os países, e não só da Europa???????????????

-----------------

Laura B. Martins
 
 

From: Regina Mas

Subject: CHINA - UM FUTURO NEGRO (para o Brasil)

Isso é seríssimo!

Com toda a minha ignorância em matéria de comércio e economia, tenho reflectido muito sobre o que está escrito nesse texto e tenho intuido que isso, realmente, vai acontecer.

Não tenho ilusões.

Faz um ou dois anos, entrei na loja Tok Stok procurando algo que não lembro bem.

Para os que não são do Rio, a Tok Stok é uma boa loja que vende móveis bem razoáveis (não de luxo, mas bem bons - eu tenho na minha casa) e outras coisas de casa. É uma loja considerada boa.

Imagine que me deparei com um móvel "made in China"... Eles não estão brincando... não estão mesmo!

Não será para os meus dias ou os nossos... Mas não demorará muito...

Leia o texto e reflictam sobre ele.

----------------

Regina Mas

CHINA - UM FUTURO NEGRO (para o Brasil)
CHINA - UM FUTURO NEGRO!!! PARA NÓS ...

E como me disse um conhecido num domingo no brique: "Um dia ainda teremos saudades do domínio dos Estados Unidos."
Há 200 anos Napoleão Bonaparte fez uma profecia, que está começando a realiza-se actualmente, ao dizer:
"Deixem a China dormir porque, quando ela acordar, o mundo vai estremecer".
A China do Futuro e o Futuro é Hoje... A verdade é que agora, tudo o que compramos é Made in China.
.......Eis um aviso para o futuro! Mas quem liga para esse aviso? Actualmente ....Ninguém !
Agora é só ....aproveitar E APROVEITAR ...!
E depois como será para os nossos filhos ?

JÁ PENSOU COMO FICARÁ A CHINA DO FUTURO?
Por Luciano Pires - Director de marketing da Dana e profissional de comunicação .

Alguns conhecidos voltaram da China impressionados.
Um determinado produto que o Brasil fabrica em um milhão de unidades, uma só fábrica chinesa produz quarenta milhões...
A qualidade já é equivalente. E a velocidade de reacção é impressionante.
Os chineses colocam qualquer produto no mercado em questão de semanas...
Com preços que são uma fracção dos praticados aqui.

Uma das fábricas está de mudança para o interior, pois os salários da região onde está instalada estão altos demais: 100 dólares.
Um operário brasileiro equivalente ganha 300 dólares no mínimo que acrescidos de impostos e benefícios representam quase 600 dólares.
Quando comparados com os 100 dólares dos chineses, que recebem praticamente zero benefícios.... estamos perante uma escravatura amarela e alimentando-a...

Horas extraordinárias? Na China...? Esqueça !!!
O pessoal por lá é tão agradecido por ter um emprego que trabalha horas extras sabendo que não vão receber nada por isso...
Atrás dessa "postura" está a grande armadilha chinesa.
Não se trata de uma estratégia comercial, mas sim de uma estratégia " de poder" para ganhar o mercado ocidental .

Os chineses estão tirando proveito da atitude dos 'marqueteiros' ocidentais, que preferem terciarizar a produção ficando apenas com o que ela "agrega de valor": a marca.
Dificilmente você adquire actualmente nas grandes redes comerciais dos Estados Unidos da América um produto "made in USA".
É tudo "made in China", com rótulo estadunidense.

As Empresas ganham rios de dinheiro comprando dos chineses por centavos e vendendo por centenas de dólares...
Apenas lhes interessa o lucro imediato e a qualquer preço.
Mesmo ao custo do fechamento das suas fábricas e do brutal desemprego. É o que pode-se chamar de "estratégia preçonhenta".

Enquanto os ocidentais terciarizam as tácticas e ganham no curto prazo, a China assimila essas tácticas, cria unidades produtivas de alta performance, para dominar no longo prazo.
Enquanto as grandes potências mercadológicas que ficam com as marcas, com os designes...suas grifes, os chineses estão ficando com a produção, assistindo, estimulando e contribuindo para o desmantelamento dos já poucos parques industriais ocidentais.

Em breve, por exemplo, já não haverá mais fábricas de ténis ou de calçados pelo mundo ocidental. Só haverá na China.

Então, num futuro próximo veremos os produtos chineses aumentando os seus preços, produzindo
um "choque da manufactura", como aconteceu com o choque petrolífero nos anos setenta.

Aí já será tarde demais.
Então o mundo perceberá que reerguer as suas fábricas terá um custo proibitivo e irá render-se ao poderio chinês.
Perceberá que alimentou um enorme dragão e acabou refém do mesmo.
Dragão este que aumentará gradativamente seus preços, já que será ele quem ditará as novas
leis de mercado, pois será quem manda, terá o monopólio da produção.
Sendo ela e apenas ela quem possuirá as fábricas, inventários e empregos é quem vai regular os mercados e não os "preçonhentos".
Iremos, nós e os nossos filhos, netos... assistir a uma inversão das regras do jogo actual que
terão nas economias ocidentais o impacto de uma bomba atómica... chinesa.

Nessa altura em que o mundo ocidental acordar será muito tarde.
Nesse dia, os executivos "preçonhentos" olharão tristemente para os esqueletos das suas antigas
fábricas, para os técnicos aposentados jogando boliche no clube da esquina, e chorarão sobre as
sucatas dos seus parques fabris desmontados.
E então lembrarão, com muitas saudades, do tempo em que ganharam dinheiro comprando “balatinho dos esclavos" chineses, vendendo caro suas "marcas-grifes "aos seus conterrâneos.
E então, entristecidos, abrirão suas "marmitas" e almoçarão as suas marcas que já deixaram de
ser moda e, por isso, deixaram de ser poderosas pois foram todas copiadas....

REFLITAM E COMECEM A COMPRAR - JÁ - OS PRODUTOS DE FABRICAÇÃO NACIONAL, FOMENTANDO O EMPREGO  EM SEU PAÍS, PELA SOBREVIVÊNCIA DO SEU AMIGO, DO
SEU VIZINHO E ATÉ MESMO DA SUA PRÓPRIA... E DE SEUS DESCENDENTES

publicado por LauraBM às 23:50

12
Ago 11
É extenso mas elucidativo pelas comparações de antes e depois do FMI e da sua entrada nos países.
Como foi possível que todos os países aderissem a esta calamidade e tantas cabeças pensantes fossem alienadas por um pequeno grupo?
Que iludidos foram e que ilusões acalentaram para assim se deixarem enredar neste negócio sujo da Banca Internacional?
É urgente que todas as nações compreendam a necessidade de, rápidamente, se subtraírem a este estado de coisas ou todos soçobrarão enquanto enriquecem uns quantos manipuladores e «iluminados» banqueiros.
------------------
Laura B. Martins
 
A fome é a escassez de alimentos que, em geral, afeta uma ampla extensão de um território e um grande número de pessoas.
A fome nos tempos atuais tem relação direta com a "estabilização macroeconômica" e os programas de "ajustamento estrutural" impostos pelo FMI e pelo Banco Mundial aos países em desenvolvimento, portanto, tem relação direta com as várias formas de capitalismo que são fomentados nesses países.
 
A fome no mundo
  1. Cerca de 100 milhões de pessoas estão sem teto;
  2. 1 bilhão de analfabetos;
  3. 1,1 bilhão de pessoas vivem na pobreza, destas, 630 milhões são extremamente pobres, com renda per capta anual bem menor que 275 dólares;
  4. 1,5 bilhão de pessoas sem água potável;
  5. 1 bilhão de pessoas passando fome;
  6. 150 milhões de crianças subnutridas com menos de 5 anos (uma para cada três no mundo);
  7. 12,9 milhões de crianças morrem a cada ano antes dos seus 5 anos de vida;
  8. No Brasil, os 10% mais ricos detêm quase toda a renda nacional.
Com a existência de grandes setores da população mundial já muito abaixo do limiar da pobreza, esta subida a curto-prazo dos preços dos produtos alimentares é devastadora. Há milhões de pessoas em todo o mundo que se encontram impossibilitadas de adquirir alimentos para a sua sobrevivência. Estes aumentos brutais estão a contribuir verdadeiramente para a "eliminação dos pobres" através da "morte pela fome". Nas palavras de Henry Kissinger: "Quem controla o petróleo, controla as nações; quem controla os alimentos, controla as pessoas". A "estabilização macroeconômica" e os programas de ajustamento estrutural impostos pelo FMI e pelo Banco Mundial aos países em desenvolvimento (como condição para a renegociação da sua dívida externa) conduziram ao empobrecimento de centenas de milhões de pessoas. As cruéis realidades econômicas e sociais subjacentes à intervenção do FMI são a subida dos preços dos alimentos, as fomes a nível local, os despedi mentos maciços de trabalhadores urbanos e domésticos e a destruição de programas sociais. O poder de compra interna caiu, foram fechadas escolas e clínicas de cuidados de saúde contra a fome, há centenas de milhões de crianças a quem tem sido negada o direito à educação básica. Esta é de longe a crise econômica mais grave da história moderna. (Michel Chossudovsky, The Globalization of Poverty, First Edition, 1997)
 
Fome global
Michel Chossudovsky*
15/05/2008
INTRODUÇÃO
 
A fome é a conseqüência do processo de reestruturação do "mercado livre" da economia global que tem as suas raízes na crise de endividamento do início dos anos 80. Não é um fenômeno recente como é sugerido em vários artigos dos meios de comunicação ocidentais. Estes se concentram apenas na oferta e procura em curto prazo dos produtos agrícolas, e ignoram as causas estruturais muito mais amplas da fome global.
 
A pobreza e a subnutrição crônica são condições preexistentes. As recentes subidas dos preços alimentares contribuíram para exacerbar e agravar a crise alimentar. A subida dos preços tem flagelado uma população empobrecida, que quase não tem meios para sobreviver.
Têm ocorrido motins por causa do pão quase simultaneamente em todas as principais regiões do mundo:
"Os preços dos alimentos no Haiti subiram em média 40 por cento em menos de um ano, em que o custo de produtos como o arroz duplicou… No Bangladesh, [nos finais de Abril de 2008], cerca de 20 mil trabalhadores têxteis saíram para a rua a protestar contra a terrível subida dos preços dos alimentos e a exigir salários mais altos. O preço do arroz neste país duplicou em relação ao ano passado, ameaçando com a fome os trabalhadores, que ganham um salário mensal de apenas 25 dólares… No Egipto, os protestos dos trabalhadores contra os preços dos alimentos abalaram o centro têxtil de Mahalla al-Kobra, a norte do Cairo, durante dois dias na semana passada, em que duas pessoas foram mortas a tiro pelas forças de segurança. Foram presas centenas de pessoas e o governo enviou polícias à paisana para as fábricas para obrigar os trabalhadores a retomar o trabalho. Os preços dos alimentos no Egipto subiram 40 por cento desde o ano passado… No princípio deste mês, na Costa do Marfim, centenas de pessoas manifestaram-se em frente da casa do presidente Laurent Gbagbo, cantando "temos fome" e "a vida está cara demais, vocês estão a matar-nos.
Manifestações, greves e confrontos semelhantes ocorreram na Bolívia, no Peru, no México, na Indonésia, nas Filipinas, no Paquistão, no Uzbequistão, na Tailândia, no Iémen, na Etiópia, e em quase toda a Africa subsaariana". (Bill Van Auken, Amid mounting food crisis, governments fear revolution of the hungry, Global Research, April 2008)
"A ELIMINAÇÃO DOS POBRES"
 
Com a existência de grandes setores da população mundial já muito abaixo do limiar da pobreza, esta subida a curto-prazo dos preços dos produtos alimentares é devastadora. Há milhões de pessoas em todo o mundo que se encontram impossibilitadas de adquirir alimentos para a sua sobrevivência.
Estes aumentos brutais estão a contribuir verdadeiramente para a "eliminação dos pobres" através da "morte pela fome". Nas palavras de Henry Kissinger: "Quem controla o petróleo, controla as nações; quem controla os alimentos, controla as pessoas".
Quanto a isto, Kissinger já tinha dado a entender no contexto do Memorando 200 do Estudo de Segurança Nacional de 1974; "Implications of Worldwide Population Growth for U.S. Security and Overseas Interests" (Consequências do Crescimento Mundial da População para a Segurança dos EUA e seus Interesses Ultramarinos), que a ocorrência repetida de fomes podia constituir de facto um instrumento de controlo da população.
Segundo a FAO, o preço dos cereais aumentou 88 % desde Março de 2008. O preço do trigo aumentou 181 % num período de três anos. O preço do arroz aumentou 50% nos últimos três meses (ver Ian Angus, Food Crisis: " The greatest demonstration of the historical failure of the capitalist model", Global Research, April 2008):
"A qualidade mais popular do arroz da Tailândia vendia-se a 198 dólares por tonelada há cinco anos e a 323 dólares por tonelada o ano passado. Em Abril de 2008, o preço chegou aos 1 000 dólares. Os aumentos ainda são maiores nos mercados locais – no Haiti, o preço de mercado dum saco de arroz de 50 quilos duplicou numa só semana em finais de Março de 2008. Estes aumentos são catastróficos para os 2,6 mil milhões de pessoas em todo o mundo que vivem com menos de 2 dólares por dia e gastam 60 a 80% dos seus rendimentos na alimentação. Há centenas de milhões que não têm posses para comer". (Ibid).
DUAS DIMENSÕES INTERRELACIONADAS
 
Há duas dimensões interrelacionadas para a atual crise alimentar global, que estão a lançar milhões de pessoas em todo o mundo na fome e na privação crônica, uma situação em que grupos inteiros de populações deixaram de ter meios para adquirir alimentos.
Em primeiro lugar, é o processo histórico a longo prazo de reforma política macroeconômica e de reestruturação econômica global que tem contribuído para baixar os padrões de vida mundiais, tanto nos países em desenvolvimento como nos países desenvolvidos.
Em segundo lugar, estas condições históricas preexistentes de pobreza de massas têm sido exacerbadas e agravadas pela recente subida nos preços dos cereais que, nalguns casos, chegaram à duplicação do preço de retalho dos produtos alimentares. Estas brutais subidas de preços resultam sobretudo do comércio especulativo nos produtos alimentares.
A EXPLOSÃO ESPECULATIVA DOS PREÇOS DOS CEREAIS
 
Os meios de comunicação têm enganado levianamente a opinião pública quanto às causas destas subidas brutais de preços, concentrando-se quase exclusivamente nas questões dos custos de produção, do clima e de outros factores que resultam numa oferta reduzida e que podem contribuir para aumentar o preço dos produtos alimentares. Se bem que esses factores possam contribuir para tal, têm uma relevância limitada para explicar os aumentos brutais e dramáticos nos preços destes produtos.
Os preços em espiral dos alimentos são sobretudo conseqüência da manipulação do mercado. São atribuíveis sobretudo ao comércio especulativo no mercado. Os preços dos cereais são inflacionados artificialmente por operações especulativas em grande escala nas bolsas mercantis de Nova Iorque e Chicago. Vale a pena assinalar que, em 2007, assistimos à fusão do Chicago Board of Trade (CBOT) com o Chicago Mercantile Exchange (CME), de que resultou a maior entidade mundial de comércio de produtos de consumo, incluindo uma ampla gama de instrumentos especulativos (opções, opções a prazo, fundos indexados, etc.)
O comércio especulativo sobre o trigo, o arroz ou o milho, pode fazer-se na ausência de transações reais de bens. As instituições que especulam no mercado dos cereais não têm que estar obrigatoriamente envolvidas na venda ou na entrega dos cereais.
As transações podem utilizar fundos indexados das mercadorias, ou seja, apostas sobre os movimentos gerais de subida ou descida dos preços das mercadorias. Uma "opção de venda" é uma aposta de que o preço vai descer, uma "opção de compra" é uma aposta de que o preço vai subir. Através duma manipulação concertada, os comerciantes institucionais e as instituições financeiras fazem o preço subir e depois fazem as suas apostas num movimento de subida do preço duma determinada mercadoria.
A especulação gera a volatilidade do mercado. Por seu turno, a instabilidade que daí resulta encoraja uma maior atividade especulativa.
Geram-se lucros quando os preços sobem. Em contrapartida, se o especulador está a descoberto no mercado, ganha dinheiro quando os preços entram em queda.
Esta recente explosão especulativa nos preços dos alimentos tem vindo a provocar um processo mundial de formação de fome a uma escala sem precedentes.
A FALTA DE MEDIDAS REGULADORAS DESENCADEIA A FOME
 
Estas operações especulativas não provocam a fome deliberadamente.
O que provoca a fome é a ausência de procedimentos reguladores em relação ao comércio especulativo (opções, opções a prazo, fundos indexados). No atual contexto, o congelamento do comércio especulativo sobre produtos alimentares, decidido politicamente, contribuiria imediatamente para a baixa dos preços dos alimentos.,
Nada impede que estas transações sejam neutralizadas e impedidas através de um conjunto de medidas reguladoras cuidadosamente concebidas.
Mas, é visível que não é isso o que o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional estão a propor.
O papel do FMI e do Banco Mundial
 
O Banco Mundial e o FMI apareceram com um plano de emergência, para incentivo à agricultura em resposta à "crise alimentar". No entanto, não querem saber das causas desta crise.
O presidente do Banco Mundial, Robert B. Zoellick, descreve esta iniciativa como um "novo contrato", um plano de ação "para o desenvolvimento a longo prazo da produção agrícola", que consiste, entre outras coisas, na duplicação dos empréstimos para a agricultura aos agricultores africanos.
"Temos que colocar o nosso dinheiro onde está hoje a nossa boca para que possamos levar comida às bocas famintas". (Robert Zoellick, diretor do Banco Mundial, citado pela BBC, 2.Maio.2008)
A "medicina econômica" do FMI/Banco Mundial não é uma "solução" mas é sobretudo a "causa" da fome nos países em desenvolvimento. Mais empréstimos do FMI-Banco Mundial para "incentivos à agricultura" só servirão para aumentar os níveis de endividamento e exacerbar a pobreza em vez de a diminuir.
Os "empréstimos baseados nesta política" do Banco Mundial são concedidos na condição de que os países obedeçam à agenda política neoliberal que, desde o início dos anos 80, tem vindo a conduzir ao colapso da agricultura alimentar a nível local.
A "estabilização macroeconômica" e os programas de ajustamento estrutural impostos pelo FMI e pelo Banco Mundial aos países em desenvolvimento (como condição para a renegociação da sua dívida externa) conduziram ao empobrecimento de centenas de milhões de pessoas.
As cruéis realidades econômicas e sociais subjacentes à intervenção do FMI são a subida dos preços dos alimentos, as fomes a nível local, os despedimentos maciços de trabalhadores urbanos e domésticos e a destruição de programas sociais. O poder de compra interno caiu, foram fechadas escolas e clínicas de cuidados de saúde contra a fome, há centenas de milhões de crianças a quem tem sido negado o direito à educação básica.
TRATAMENTO DE CHOQUE DO FMI
 
Historicamente, os preços em espiral dos alimentos a nível retalhista foram sempre provocados pelas desvalorizações da moeda, que resultaram invariavelmente numa situação hiper inflacionária. No Peru em Agosto de 1990, por exemplo, por ordem do FMI, os preços dos combustíveis aumentaram 30 vezes de um dia para o outro. O preço do pão aumentou 12 vezes de um dia para o outro:
"Em todo o Terceiro Mundo, a situação é de desespero social e de desânimo social numa população empobrecida pelos jogos das leis do mercado. Em 1989, os motins anti-SAP [Programa de Ajustamento Estrutural] e os levantamentos populares são reprimidos brutalmente: em Caracas, o presidente Carlos Andres Perez, depois de ter denunciado retoricamente o FMI por praticar 'um totalitarismo econômico que mata não apenas com balas mas pela fome', declara o estado de emergência e envia unidades regulares de infantaria e de fuzileiros para as áreas pobres ( barrios de ranchos) nas colinas circundantes da capital. Os motins em Caracas anti-FMI foram ateados por um aumento de 200 por cento no preço do pão. Foram alvejados indiscriminadamente homens, mulheres e crianças: 'Noticiou-se que a morgue de Caracas tinha mais de 200 corpos de pessoas mortas nos três primeiros dias… e esta avisou que estava a ficar sem caixões'. Não oficialmente foram mortas mais de mil pessoas. Tunis, Janeiro de 1984, os motins pelo pão foram instigados sobretudo pela juventude desempregada protestando contra o aumento dos produtos alimentares; Nigéria, 1989: os motins estudantis anti-SAP levaram ao encerramento de seis universidades do país pelo Conselho Governamental das Forças Armadas; Marrocos, 1990: uma greve geral e um levantamento popular contra as reformas do governo, patrocinadas pelo FMI". (Michel Chossudovsky, op cit.)
A DESREGULAMENTAÇÃO DOS MERCADOS DE CEREAIS
 
A partir dos anos 80, os mercados de cereais foram isentos de regulamentação sob a supervisão do Banco Mundial, e os excedentes de cereais dos Estados Unidos e da União Europeia (EUA/UE) são utilizados sistematicamente para destruir os agricultores e desestabilizar a agricultura alimentar nacional. Os empréstimos do Banco Mundial exigem o levantamento das barreiras comerciais sobre os produtos agrícolas importados, levando ao abaixamento de preços dos excedentes de cereais dos EUA/UE nos mercados locais. Estas e outras medidas atiraram os produtores agrícolas locais para a falência.
O "mercado livre" dos cereais – imposto pelo FMI e pelo Banco Mundial – destrói a economia dos agricultores e põe em risco a "segurança alimentar". O Malawi e o Zimbabué já foram países prósperos com excedentes de cereais. O Ruanda era praticamente auto-suficiente quanto a alimentos até 1990, quando o FMI ordenou a introdução dos excedentes de cereais dos EUA e da UE a preços baixos no mercado interno, provocando a falência dos pequenos agricultores. Em 1991- 92, a fome atingiu o Quénia, a economia do pão com maior êxito da Africa oriental. O governo de Nairobi fora colocado na lista negra por não obedecer às prescrições do FMI. A ausência de regulamentação do mercado dos cereais tinha sido exigida como uma das condições para a reforma da dívida externa de Nairobi com o Clube de Paris de credores autorizados. (Michel Chossudovsky, The Globalization of Poverty and the New World Order, Second Edition, Montreal 2003)
Por toda a Africa, assim como no sudeste asiático e na América Latina, o padrão do "ajustamento sectorial" na agricultura sob a custódia das instituições do Bretton Woods tem sido inequivocamente no sentido da destruição da segurança alimentar. Tem-se reforçado a dependência vis-à-vis o mercado mundial, o que conduz a uma explosão nas importações comerciais de cereais assim como à subida no influxo da "ajuda alimentar".
Os produtores agrícolas foram encorajados a abandonar as culturas alimentares e a virarem-se para culturas de exportação de "alto valor", quase sempre em detrimento da auto-suficiência alimentar. Os produtos de alto valor assim como as culturas para ganhar dinheiro com a exportação foram apoiados por empréstimos do Banco Mundial.
As fomes na era da globalização são o resultado desta política. A fome não é conseqüência da falta de alimentos, muito pelo contrário: os excedentes globais de alimentos são utilizados para desestabilizar a produção agrícola nos países em desenvolvimento.
Fortemente regulamentada e controlada pelas indústrias agrícolas internacionais, esta sobre-produção acaba por conduzir à estagnação tanto da produção como do consumo dos produtos alimentares essenciais e ao empobrecimento dos agricultores em todo o mundo. Além disso, na era da globalização, o programa de ajustamento estrutural do FMI-Banco Mundial tem uma relação direta com a formação do processo da fome porque corrói sistematicamente todas as áreas da atividade econômica, quer urbana quer rural, que não sirvam diretamente os interesses do sistema do mercado global.
Os rendimentos dos agricultores, tanto nos países ricos como nos países pobres, são espremidos por um punhado de empresas globais agro-industriais que controlam simultaneamente os mercados de cereais, os abastecimentos agrícolas, as sementes e os alimentos processados. É uma firma gigantesca, a Cargill Inc., com mais de 140 filiais e subsidiárias em todo o mundo, que controla grande parte do comércio internacional de cereais. A partir dos anos 50, a Cargill tornou-se o principal fornecedor da "ajuda alimentar" americana financiada pela Lei Pública 480 (1954).
A agricultura mundial tem, pela primeira vez na história, a capacidade de satisfazer as necessidades alimentares de todo o planeta; no entanto, a própria natureza do sistema de mercado global impede que isso aconteça. A capacidade de produzir alimentos é enorme, mas os níveis do consumo de alimentos mantêm-se extraordinariamente baixos porque uma enorme porção da população mundial vive em condições de pobreza e de privação extremas. Além disso, o processo de "modernização" da agricultura levou à espoliação dos agricultores, aumentou a falta de terras disponíveis e a degradação ambiental. Por outras palavras, as próprias forças que encorajam a expansão da produção global de alimentos estão também a provocar contraditoriamente uma contração nos padrões de vida e o declínio na procura de alimentos.
SEMENTES GENETICAMENTE MODIFICADAS
 
Coincidindo com a instituição da Organização Mundial do Comércio (OMC) em 1995, ocorreu outra importante mudança histórica na estrutura da agricultura global.
Ao abrigo dos artigos do acordo da Organização Mundial do Comércio (OMC), os gigantes alimentares têm uma liberdade sem restrições para entrar nos mercados de sementes dos países em desenvolvimento. A aquisição de "direitos de propriedade intelectual" exclusivos sobre variedades de plantas pelos interesses agro-industriais internacionais, também favorece a destruição da biodiversidade.
Agindo em benefício de um punhado de conglomerados da biotecnologia, as sementes geneticamente modificadas (GMO) têm vindo a ser impostas aos agricultores, frequentemente no contexto de "programas de ajuda alimentar". Na Etiópia, por exemplo, na seqüência de uma grande seca, foram entregues conjuntos de sementes GMO a agricultores empobrecidos, com vista à reabilitação da produção agrícola. As sementes GMO foram plantadas, permitindo uma boa colheita. Mas depois os agricultores vieram a saber que as sementes não podiam voltar a ser plantadas, sem o pagamento de royalties à Monsanto, ao Arch Daniel Midland e a outros. A seguir, os agricultores descobriram que as sementes só dariam uma boa colheita se usassem os produtos adequados, incluindo o fertilizante, o insecticida e o herbicida, produzidos e distribuídos pelas companhias agro-industriais de biotecnologia. Economias rurais inteiras ficaram presas nas garras dos conglomerados agro-industriais.
A QUEBRA DO CICLO AGRÍCOLA
 
Com o alastramento da adopção de sementes GMO, ocorreu uma importante mudança na estrutura e na história da agricultura tradicional desde a sua origem há 10 000 anos.
A reprodução de sementes a nível da aldeia em viveiros locais foi interrompida pelo uso de sementes geneticamente modificadas. O ciclo agrícola, que possibilita aos agricultores armazenar as suas sementes orgânicas e a plantá-las para conseguir as suas colheitas seguintes, foi interrompido. Este padrão destrutivo – que resulta invariavelmente na fome – é repetido país atrás de país levando à morte mundial da economia rural.
*Michel Chossudovsky, canadense, é Professor de Economia na Universidade de Otava e Diretor do Centro para Investigação sobre a Globalização.
É colaborador da Enciclopédia Britânica. Os seus escritos estão traduzidos em mais de 20 línguas.
publicado por LauraBM às 22:23

11
Ago 11

Sem dúvida que este estado de coisas não pode conduzir a nada de bom.

As pensões de invalidez, de maternidade e algumas outras, foram criadas para ajudar os cidadãos.

Subsídios de maternidade e de crianças foram criados para auxiliar os pais na alimentação e educação das gerações vindouras. Sem elas, as populações envelhecem e não há retorno em impostos dos trabalhadores; apenas reformas pouco contributivas.

 

Quando é que os governos entendem, duma vez, que meteram a pata na poça ao darem crédito às ideias dos banqueiros?

Quando é que a União Europeia entende que tudo terá que passar-se dentro da União e não com o FMI (Fundo Monetário Internacional) que só nos conduz à banca rota e ao desastre económico?

Dia após dia, os governos mais retiram benefícios aos seus povos, em nome dum pagamento que não tem razão de ser. Os povos estão na penúria. Por culpa de quem? Jamais se viu tal coisa!!!!!

Fora com este estado de coisas!!!!!!!!!

--------------

Laura Martins

 

Itália terá mais medidas de austeridade em breve: o governo italiano vai adoptar novas medidas de austeridade num conselho de ministros que se reunirá até 18 de Agosto, para garantir o equilíbrio orçamental em 2013, anunciou ontem o primeiro-ministro Sílvio Berlusconi.

 

As novas medidas ainda não foram divulgadas e até ao momento Berlusconi e Tremonti (ministro das finanças) apenas anunciaram a antecipação em um ano da reforma das prestações sociais (pensões de invalidez, de maternidade e outras) (Expresso)

---------------------------------

11/08/2011

passaporaqui@news.idealista.pt

publicado por LauraBM às 22:13

10
Ago 11

A Suíça estremece. Zurique alarma-se.
Os belos bancos, elegantes, silenciosos de Basileia e Berna estão ofegantes.
se que eles estão assistindo na penumbra a uma morte ou estão velando um moribundo.
Esse moribundo, que talvez acabe mesmo morrendo, é o segredo bancário suíço.
O ataque veio dos Estados Unidos, em acordo com o presidente Obama.
O primeiro tiro de advertência foi dado na quarta-feira.
se obrigada a fornecer os nomes de 250 clientes americanos por ela ajudados para defraudar o fisco.
O banco protestou, mas os americanos ameaçaram retirar a sua licença nos Estados Unidos.
Os suíços, então, passaram os nomes. E a vida bancária foi retomada tranquilamente.
Mas, no fim da semana, o ataque foi retomado.
Desta vez os americanos golpearam forte, exigindo que a UBS forneça o nome dos seus 52.000 clientes titulares de contas ilegais!
O banco protestou. A Suíça está temerosa.
direita, UDC (União Democrática do Centro), que detém um terço das cadeiras no Parlamento Federal, propõe que o segredo bancário seja inscrito e ancorado pela Constituição federal.
Mas como resistir? A União de Bancos Suíços não pode perder sua licença nos EUA, pois é nesse país que aufere um terço dos seus benefícios.
Um dos pilares da Suíça está sendo sacudido.

 

O segredo bancário suíço não é coisa recente. Esse dogma foi proclamado por uma lei de 1934, embora já existisse desde 1714.
No início do século 19, o escritor francês Chateaubriand escreveu que neutros nas grandes revoluções nos Estados que os rodeavam, os suíços
enriqueceram à custa da desgraça alheia e fundaram os bancos em cima das calamidades humanas.
Acabar com o segredo bancário será uma catástrofe económica.
Para Hans Rudolf Merz, presidente da Confederação Helvética, uma falência da União de Bancos Suíços custaria 300 biliões de francos suíços ou 201 milhões de dólares. E não se trata apenas do UBS. Toda a rede bancária do país funciona da mesma maneira.

O historiador suíço Jean Ziegler, que há mais de 30 anos denuncia a imoralidade helvética, estima que os banqueiros do país, amparados no
segredo bancário, fazem frutificar três triliões de dólares de fortunas privadas estrangeiras, sendo que os activos estrangeiros chamados
institucionais, como os fundos de pensão, são nitidamente minoritários.
Ziegler acrescenta ainda que se calcula em 27% a parte da Suíça no conjunto dos mercados financeiros offshore" do mundo, bem à frente de Luxemburgo, Caribe ou o extremo Oriente.
Na Suíça, um pequeno país de 8 milhões de habitantes, 107 mil pessoas trabalham em bancos. O manejo do dinheiro na Suíça, diz Ziegler, reveste-se de um carácter sacramental. Guardar, recolher, contar, especular e ocultar o dinheiro, são todos actos que se revestem de uma majestade ontológica, que nenhuma palavra deve macular e realizam-se em silêncio e recolhimento...

Onde param as fortunas recolhidas pela Alemanha Nazi?
Onde estão as fortunas colossais de ditadores como Mobutu do Zaire, Eduardo dos Santos de Angola, dos Barões da droga Colombiana, Papa-Doc do Haiti, de Mugabe do Zimbabwe e da Máfia Russa?
Quantos actuais e ex-governantes, presidentes, ministros, reis e outros instalados no poder, até em cargos mais discretos como Presidentes de Municípios têm chorudas contas na Suíça?
Quantas ficam eternamente esquecidas na Suíça, congeladas, e quando os titulares das contas morrem ou caem da cadeira do poder, estas tornam-se impossíveis de alcançar pelos legítimos herdeiros ou pelos países que indevidamente espoliaram?
Porquê após a morte de Mobutu, os seus filhos nunca conseguiram entrar na Suíça? Tudo lá ficou para sempre e em segredo...

Agora surge um outro perigo, depois do duro golpe dos americanos. Na mini cúpula europeia que se realizou em Berlim, (em preparação ao
encontro do G-20 em Londres), França, Alemanha e Inglaterra (o que foi inesperado)  chegaram a um acordo no sentido de sancionar os paraísos fiscais.
"Precisamos de uma lista daqueles que recusam a cooperação internacional", vociferou a chanceler Angela Merkel.
No domingo, o encarregado do departamento do Tesouro britânico Alistair Darling, apelou aos suíços para se ajustarem às leis fiscais e bancárias Europeias.
Vale observar, contudo, que a Suíça não foi convidada para participar do G-20 de Londres, quando serão debatidas as sanções a serem adoptadas contra os paraísos fiscais.

Há muito tempo se deseja o fim do segredo bancário. Mas até agora, em razão da prosperidade económica mundial, todas as tentativas eram abortadas. Hoje, estamos em crise. Viva a crise!!!
Barack Obama, quando era senador, denunciou com perseverança a imoralidade desses remansos de paz para o dinheiro corrompido. Hoje ele é presidente.
É preciso acrescentar que os Estados Unidos têm muitos defeitos, mas a fraude fiscal sempre foi considerada um dos crimes mais graves no país. Nos anos 30, os americanos conseguiram caçar Al Capone. Sob que pretexto? Fraude fiscal !!!
Para muito breve, a queda do império financeiro suíço!»
Haja coragem! Grande Obama. Era bom que tivesse  o apoio necessário de outros países.

========================================================================

Mas, depois, onde é que a escumalha punha em segurança os roubos efectuados? Dá que pensar! Será que vai mesmo avante?

-------------------------------

Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 11:51

01
Ago 11
Amigos portugueses e brasileiros: Quem tiver alguma curiosidade acerca das tão faladas agências de «rating», pode esclarecer-se neste link.
 
"Moody`s, avalia isto! As decisões da Moody`s, nas últimas semanas, tocaram no orgulho pátrio de muitos portugueses...."
 
Que tal entender duma vez o que se passa com as agências de «rating», na questão Europa/América?

http://www.youtube.com/watch?v=DYXYBj1K9C4&feature=related

É fácil dar opiniões e dizer mal, mas entender é ainda mais fácil. Basta ver o vídeo acima: preto no branco!
Vamos entender duma vez este jogo sujo dos mercados e agências? Um pouco de cultura?????????
  1. Então o negócio é descer o euro a todo o custo, senhores americanos?
  2. Ganhar com os seguros da compra da dívida de países que enfrentam problemas, senhores da banca?
  3. Durão Barroso e a União Europeia não fazem o que deviam para salvar os seus países? Ganham ordenados de luxo para quê?
(Durão Barroso sempre foi uma treta enquanto esteve no governo português. Esperavam o quê, dele? É salvar O SEU e não fazer muitas ondas!!!!!!!)
 
publicado por LauraBM às 22:15

29
Jun 11
(Como Portugal é visto por um cientista político brasileiro)
Será que bate certo????????????  Parece que deu no cerne!!!!!!!!!
 
No Velho Mundo, a chamada crise das sub-primes, ou como dizem os espanhóis, “a fraude com nome de crise”, retoma o conceito do Sul da Europa como semi-periferia. Há algo em comum entre Espanha, Portugal e Grécia. Estes três Estados perderam quase toda capacidade de decisão soberana, condicionando a democracia a um jogo de faz de conta.
A partir dos convênios e pacotes firmados junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI), sob recomendação do Banco Central Europeu (BCE), restará entre pouca e nenhuma margem de manobra para cada Poder Executivo e blocos parlamentares de sustentação.
Surpreende também a desinformação. Porque, como diz John Kenneth Galbraith, “em economia a maioria sempre se equivoca”. Lá foi pior. O que houve não foi o excesso de gasto público como garantia de um patamar mínimo do Estado de Bem-Estar Social.
 
Na Europa o sistema financeiro formal entrou na jogatina dos ativos podres da bolha imobiliária dos EUA. A contaminação de bancos de correntistas levou os líderes europeus a convocar uma política de salvação, retirando reservas dos tesouros nacionais e aumentando o endividamento público para os maiores bancos não quebrarem.
O sistema financeiro de moeda única é subordinado ao BCE, e este impõe “políticas de austeridade” como garantia de pagamento das dívidas dos Estados, mantendo assim o fluxo de dinheiro público para as empresas bancárias.
Como nos explica o economista Vincenço Navarro (navarro.org), o alvo são os caixas estatais e sua capacidade de endividamento. Os maiores bancos da Europa causaram a “crise”, ganharam com a fraude e são os grandes interessados na imposição dos “pacotes de auxílio”.
 
A Grécia, hoje falida e beirando uma rebelião popular, foi assessorada por um lobo a tomar conta do galinheiro. Durante o governo do partido ND, conservador, a Goldman Sachs prestou uma assessoria em operações de câmbio reverso e outros produtos heterodoxos. O desastre era inevitável e a fatura vinda do BCE e FMI foi assinada pelo PASOK, atual governo de centro-esquerda.
A desfaçatez não para aí. O próximo presidente do BCE, a tomar posse em 1º de novembro, é Mario Draghi. O ex-presidente do Banco Central da Itália também foi vice-presidente da Goldman Sachs Europa, suspeito de ser um dos responsáveis pelas operações fraudulentas de swap e maquiagem dos balanços fiscais do Estado grego, de janeiro de 2002 a janeiro de 2006.
 
Ou seja, como afirma a Rede ATTAC (attac.org), dessa vez os lobos querem o galinheiro todo.
------------------------
29/06/2011
Bruno Lima Rocha
(cientista político (www.estrategiaeanalise.com.br  / blimarocha@gmail.com )
publicado por LauraBM às 23:29

24
Mai 11

"CONCURSO PÚBLICO" ?!?!?!......

Vejam este concurso anunciado no dia 30 de Março pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

Concurso para :

"Aquisição de serviços de elaboração de propostas de decisão de propostas de contra ordenação".

Assim mesmo, tal qual. 
 
Algum de vocês entende que concurso é este e para quê?

Pois tem como preço base 1,200,000.00 euros.
Alguém vai ganhar UM MILHÃO E DUZENTOS MIL EUROS por apresentar uma proposta para elaborar propostas de decisão de propostas de contra ordenação.
 

E é por estas e por outras que vamos ficar sem parte do salário, subsídio de férias e de natal. Este é o nosso país.

E ainda se admiram da desconfiança da Alemanha e da Finlândia que estão cheios de razão.
Quem será o amigo do PS que vai receber esta prenda de 1,2milhões de ? !?

Se não acreditam vejam abaixo o respectivo diário da república:
Nem dá para acreditar mas é mesmo verdade. Está publicado.

Basta introduzir no motor de busca > diário república nº 63, II série, 30/11/2011, parte L, anúncio de procedimento 1462/2011e está lá tudo tal e qual. INCONCEBÍVEL!!!

QUANTOS MAIS DESTES CASOS ESTARÃO A SER COZINHADOS ATÉ ÀS ELEIÇÕES?

 

DIÁRIO DA REPÚBLICA – parte L - 4ª feira – 30 de Março 2011 - Nº 63

PARTE L - CONTRATOS PÚBLICOS

AUTORIDADE NACIONAL DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA

Anúncio de procedimento n.º 1462/2011

MODELO DE ANÚNCIO DO CONCURSO PÚBLICO 

1 - IDENTIFICAÇÃO E CONTACTOS DA ENTIDADE ADJUDICANTE

NIF e designação da entidade adjudicante:

600082563 - Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária

Serviço/Órgão/Pessoa de contacto: ANSR - NAGO - Ana Calambra

Endereço: Av. Casal de Cabanas; Urbanização Cabanas Golf n.º 1

Código postal: 2734 507

Localidade: Barcarena

Telefone: 00351 214236921

Fax: 00351 214236902

Endereço Electrónico: amcalambra@ansr.pt 

2 - OBJECTO DO CONTRATO

Designação do contrato: Aquisição de Serviços de Elaboração de Propostas de Decisão de Propostas de Contra-Ordenação

Tipo de Contrato: Aquisição de Serviços

Valor do preço base do procedimento 1200000.00 EUR

Classificação CPV (Vocabulário Comum para os Contratos Públicos)

Objecto principal

Vocabulário principal: 79100000

Valor: 1200000.00 EUR 

3 - INDICAÇÕES ADICIONAIS

O concurso destina-se à celebração de um acordo quadro: Não

O concurso destina-se à instituição de um sistema de aquisição dinâmico: Não

É utilizado um leilão electrónico: Não

É adoptada uma fase de negociação: Não

Quarta-Feira, 30 de Março de 2011 Número 63

Diário da República, 2.ª série - N.º 63 - 30 de Março de 2011 - Anúncio de procedimento n.º 1462/2011 - Página n.º 2 

4 - ADMISSIBILIDADE DA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS VARIANTES: Não 

6 - LOCAL DA EXECUÇÃO DO CONTRATO

Concelho de Oeiras - Morada da entidade adjudicante

País: PORTUGAL

Distrito: Lisboa

Concelho: Oeiras

Código NUTS: PT171 

7 - PRAZO DE EXECUÇÃO DO CONTRATO

Restantes contratos

Prazo contratual de 12 meses a contar da celebração do contrato 

8 - DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO, NOS TERMOS DO N.º 6 DO ARTIGO 81.º DO CCP

Os referidos no art.º 5º do programa de concurso 

9 - ACESSO ÀS PEÇAS DO CONCURSO E APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS

9.1 - Consulta das peças do concurso

Designação do serviço da entidade adjudicante onde se encontram disponíveis as peças do concurso para consulta dos interessados:

Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária - Núcleo de Apoio à Gestão e Operações

Endereço desse serviço: Av. Casal de Cabanas; Urbanização Cabanas Golf n.º 1

Código postal: 2734 507

Localidade: Barcarena

Telefone: 00351 214236921

Fax: 00351 214236902

Endereço Electrónico: contratos@ansr.pt

9.2 - Meio electrónico de fornecimento das peças do concurso e de apresentação das propostas

Plataforma electrónica utilizada pela entidade adjudicante: www.vortalgov.pt 

10 - PRAZO PARA APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS OU DAS VERSÕES INICIAIS DAS PROPOSTAS SEMPRE QUE SE

TRATE DE UM SISTEMA DE AQUISIÇÃO DINÂMICO

Até às 18 : 00 do 48 º dia a contar da data de envio do presente anúncio 

11 - PRAZO DURANTE O QUAL OS CONCORRENTES SÃO OBRIGADOS A MANTER AS RESPECTIVAS PROPOSTAS

66 dias a contar do termo do prazo para a apresentação das propostas 

12 - CRITÉRIO DE ADJUDICAÇÃO

Mais baixo preço 

13 - DISPENSA DE PRESTAÇÃO DE CAUÇÃO: Não 

14 - IDENTIFICAÇÃO E CONTACTOS DO ÓRGÃO DE RECURSO ADMINISTRATIVO

Designação: Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária

Endereço: Av. Casal de Cabanas; Urbanização Cabanas Golf n.º 1

Código postal: 2734 507

Localidade: Barcarena

Telefone: 00351 214236921

Fax: 00351 214236902

Endereço Electrónico: contratos@ansr.pt

Prazo de interposição do recurso: 10 dias 

15 - DATA DE ENVIO DO ANÚNCIO PARA PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO DA REPÚBLICA

2011/03/30 

16 - O PROCEDIMENTO A QUE ESTE ANÚNCIO DIZ RESPEITO TAMBÉM É PUBLICITADO NO JORNAL OFICIAL DA

UNIÃO EUROPEIA: Sim 

17 - OUTRAS INFORMAÇÕES

Regime de contratação: DL nº 18/2008, de 29.01 

18 - IDENTIFICAÇÃO DO AUTOR DO ANÚNCIO

Nome: Paulo Marques Augusto

Cargo: Presiedente da ANSR

Diário da República, 2.ª série - N.º 63 - 30 de Março de 2011 - Anúncio de procedimento n.º 1462/2011 - Página n.º 3

404527677

publicado por LauraBM às 17:45

22
Mai 11
http://idealista.pt/news/arquivo/2011/05/20/02661-rumores

chineses interessados no bpn:
depois de terem comprado 1,1 mil milhões de euros em dívida soberana nacional em janeiro, a china poderá voltar a aproveitar a crise portuguesa para fazer negócio. investidores chineses podem avançar com uma oferta pelo banco português de negócios (bpn), aproveitando o prazo apertado que o novo governo português terá para privatizar o banco. de acordo com o diário de notícias, existem investidores chineses a estudar o pacote de privatizações inscrito no memorando de entendimento entre o governo e a “troika”, tendo já mostrado interesse na tap, edp e bpn (diário de notícias)
publicado por LauraBM às 22:14

20
Out 10

Caros amigos,
Agora que os destinos da Europa são regidos por um português, que enquanto em Portugal só fez asneiras no governo e foi um dos percursores do estado caótico deste país, aí temos o digníssimo Alberto Durão Barroso a permitir o cultivo dos OGM na Europa.
Que vergonha sinto!
Que triste se me afigura esta globalização da Europa!!!!!!!!!
Também, com um presidente destes!!!!!!!!!!............
 
Isto só prova que esta classe aberrante dos políticos deveria desaparecer para dar lugar aos gestores - sujeitos ao mesmo regime de qualquer gestor e:
sem mordomias porque «governar um país é um trabalho como qualquer outro».
 
Pediria, então, que assinassem na AVAAZ para tentarmos evitar um maior mal.
Muito grata
Laura B. Martins
=========================== 
Quase 1 milhão para banir OGMs!
 
A Comissão Européia acabou de permitir que as empresas produtoras de OGM levem suas plantações para a Europa, apesar das preocupações públicas. Eu assinei uma petição em favor de uma investigação independente e uma moratória para as plantações de OGM em desenvolvimento. Com as assinaturas de 1 milhão de cidadãos nós podemos fazer um pedido legal oficial junto à Comissão Européia. Assine em baixo e vamos conseguir 1 milhão de assinaturas:
https://secure.avaaz.org/po/eu_gmo/98.php?CLICK_TF_TRACK
Obrigado!
------
Caros amigos,
 
A Comissão Europeia aprovou recentemente a criação de plantações geneticamente modificadas na União Européia pela primeira vez em 12 anos! Porém mais de 940.000 pessoas já assinaram a petição contra esta decisão.
 
Cedendo ao lobby dos OGM, a Comissão ignorou 60% dos europeus que acreditam ser necessário ter mais informação antes de plantar comida que possa colocar em risco a nossa saúde e o meio ambiente.
 
Uma nova iniciativa permite que, atraves de 1 milhão de cidadãos da UE, seja apresentado um pedido legal à Comissão Europeia. Vamos juntar 1 milhão de vozes para banir os OGM até que a investigação seja finalizada; elas serão entregues ao Presidente da Comissão Europeia, Jose MAnuel Barros. Assine a petição e mande para seus amigos e familiares:
https://secure.avaaz.org/po/eu_gmo/98.php?CLICK_TF_TRACK
Consumidores, grupos de saúde pública, meio ambiente e agricultores estão a mobilizar-se contra a influência que algumas das companhias internacionais dos OGM têm sobre a agricultura européia. Preocupações relacionadas com as plantações de OGM incluem: contaminação de plantações orgânicas e do meio ambiente; o impacto climático devido ao uso excessivo de pesticidas; a destruição da biodiversidade e agricultura local; e os efeitos dos alimentos dos OGM na saúde pública.
 
Estados-Membros da UE demonstraram sua forte oposição à decisão da Comissão Europeia que autorizou as batatas da BASF e o milho da Monsanto -- A Itália e a Áustria opõem-se, e a França diz que pediria mais pesquisas científicas.
 
Ainda não há consenso sobre os efeitos das plantações dos OGM a longo prazo, e é o loby dos OGM que está a financiar, com interesse em lucros e não no bem estar da sociedade, investigações e regulamentações. É por esse motivo que os cidadãos europeus pedem, por precaução, pesquisas e testes independentes antes dessas começarem as plantações na nossa terra.
 
Agora, a "Iniciativa de Cidadãos Europeus" dá a oportunidade a 1 milhão de cidadãos da UE de submeter uma proposta de política pública à Comissão Européia, e oferece-nos a oportunidade única de nos fazer ouvir mais do que os lobbyistas.
 
Vamos atingir 1 milhão de assinaturas para exigir uma moratória no início de plantações de OGM na Europa, e iniciar um corpo científico independente e ético para conduzir uma investigação e estabelecer uma regulamentação forte. Assine a petição agora e encaminhe para outros:
https://secure.avaaz.org/po/eu_gmo/98.php?CLICK_TF_TRACK
 
Com determinação,
Alice, Benjamin, Ricken, Luis, Graziela e toda a equipe Avaaz.
 
Mais informações:
Comissão Europeia quer facilitar autorização de OGM:
http://pt.euronews.net/2010/06/04/comissao-europeia-quer-facilitar-autorizacao-de-ogm/
Organismos geneticamente modificados (OGM)
http://europa.eu/scadplus/glossary/genetically_modified_organisms_pt.htm
Last Eurobameter Survey 2008 'Attitudes of European citizens towards the environment', page 66:
http://bit.ly/aMkeVJ 
publicado por LauraBM às 01:13

18
Out 10

É mais um bom exemplo de

 

«COMO NOS DEIXAMOS COMER POR PARVOS...»

 

«COMO SOMOS PARVOS...»

 

Tem um processo de investigação em curso;

negou coisas que o seu chefe disse; 

desde há meses nunca mais se ouviu falar dele - Dias Loureiro!... 

 

A viver actualmente em Cabo Verde, é dono do maior Resort Turístico da Ilha do Sal , daquele país africano onde o BPN criou umas "sucursais" e um banco virtual que fazia operações de lavagem e fugas ao fisco.

 

Como é fácil fazer esquecer um roubo superior a mais de 4 mil milhões de euros, quando se tem amigos... por todo o lado...

Até o Cavaco o protegeu!...

O Governo já injectou 4.600 milhões no BPN e prepara-se para fazer um aumento de capital no valor de 400 milhões.

Fazer o ladrão pagar, isso nem pensar!...

================

NOTA:

Atão, pra que servem os amigos????? Ora essa!!!!!!!

--------------

Laura

 

publicado por LauraBM às 23:42

21
Ago 10

Só depende de nós. maa faz pena ver os nossos produtos sempre mais caros que os estrangeiros:
 

 

O ZÉ, depois de dormir numa almofada de algodão (Made in Egipt), começou o dia bem cedo, acordado pelo despertador (Made in Japan) às 7 da manhã. 
 
Depois de um banho com sabonete (Made in France) e enquanto o café (importado da Colômbia) estava a fazer na máquina (Made in Chech Republic), barbeou-se com a máquina eléctrica (Made in China). 
 
Vestiu uma camisa (Made in Sri Lanka), jeans de marca (Made in Singapure) e um relógio de bolso (Made in Swiss). 
 
Depois de preparar as torradas de trigo (produced in USA) na sua torradeira (Made in Germany) e enquanto tomava o café numa chávena (Made in Spain), pegou na máquina de calcular (Made in Korea) para ver quanto é que poderia gastar nesse dia e consultou a Internet no seu computador (Made in Thailand) para ver as previsões meteorológicas. 
 
Depois de ouvir as notícias pela rádio (Made in India), ainda bebeu um sumo de laranja (produced in Israel), entrou no carro Saab (Made in Sweden) e continuou à procura de emprego. 
 
Ao fim de mais um dia frustrante, com muitos contactos feitos através do seu telemóvel (Made in Finland) e, após comer uma pizza (Made in Italy), o ZÉ decidiu relaxar por uns instantes. 
 
Calçou as suas sandálias (Made in Brazil), sentou-se num sofá (Made in Denmark), serviu-se de um copo de vinho (produced in Chile), ligou a TV (Made in Indonésia) e pôs-se a pensar porque é que não conseguia encontrar um emprego em PORTUGAL... 
 
Talvez este mail devesse ser enviado aos consumidores portugueses. 
 
O Ministério da Economia de Espanha estima que se cada espanhol consumir 150€ de  produtos nacionais, por ano, a economia cresce acima de todas as estimativas e, ainda por cima, cria postos de trabalho. 
 
Ponham o mail a circular. Pode ser que acorde alguém.

publicado por LauraBM às 23:16

20
Ago 10

Para receberem milhões de euros não há idade da reforma, para trabalhar sim!

E depois dizem que não há gente capaz para trabalhar e contribuir com os seus descontos para o IRS e a Segurança Social!...

Pudera!!!!!!!!! Os cargos estão tomados pelos velhadas amigalhaços do PS, já reformados e sempre prontos para amealhar mais umas sobras...
Laura B. Martins

Que vergonha!
Isto é demais.!!!!
SILVA LOPES, 77 ANOS, NOMEADO ADMINISTRADOR DA EDP RENOVÁVEIS.
O Homem devia estar a descansar numa casa de repouso e é isto!!!
Creio que não andamos longe de uma escandaleira nova por semana! Já deve dar para o Guiness...
E esta...????

SILVA LOPES, 77 ANOS, NOMEADO ADMINISTRADOR DA EDP RENOVÁVEIS .
DIVULGAR? CLARO!
EU ATÉ ENVIAVA PARA MARTE, JÚPITER, NEPTUNO, PLUTÃO E PARA A LONGÍNQUA ANDRÓMEDA!
ISTO, MEUS AMIGOS, NÃO É UMA VERGONHA, É UM ESCÂNDALO!!!

A pouca vergonha continua. Ao que isto chegou!
SILVA LOPES, com 77 (setenta e sete) anos de idade, ex-administrador do Montepio Geral, de onde saiu há pouco tempo com uma indemnização de mais de 400.000 euros, acrescidos de várias reformas que tem, uma das quais do Banco de Portugal como ex-governador, logo que saiu do Montepio foi nomeado Administrador da EDP RENOVÁVEIS, empresa do Grupo EDP.

Com mais este tacho dourado, lá vai sacar mais umas centenas de milhar de euros num emprego dado pela escumalha política do governo, que continua a distribuir milhões pela cambada afecta aos partidos do «centrão».

Entretanto, o Zé vai empobrecendo cada vez mais, num país com 20% de pobres, onde o desemprego caminha para níveis assustadores, onde os salários da maioria dos portugueses estão cada vez mais ao nível da subsistência.

Silva Lopes foi o tal que afirmou ser necessário o congelamento de salários e o não aumento do salário mínimo nacional, por causa da competitividade da
economia portuguesa. Claro que, para este senhor, o congelamento dos salários deve ser uma atitude a tomar (desde que não congelem o dele, claro).

Quanto a FERNANDO GOMES, mais um comissário político do PS, recebeu em 2008, como administrador da GALP, mais de 4 milhões de euros de remunerações.
Acresce a isto um PPR de 90.000 euros anuais, para quando o "comissário PS" for para a reforma.

Claro que isto não vai acontecer pois, tal como Silva Lopes, este senhor vai andar de tacho em tacho, tal como esta cambada de ex-políticos que, perante a crise, "assobia para o ar", sempre com os bolsos cheios com os milhões de euros que vão recebendo anualmente.

Estes senhores não têm vergonha na cara?
Divulguemos mais esta afronta...
AGUENTA POVO BURRO!!!

publicado por LauraBM às 23:15

15
Ago 10

Mas então Portugal não vive numa democracia com plena liberdade de expressão?

Agora é que eu fiquei muito admirada ao ler tal coisa!!!!!!!!!!!!!

---------------------------

Laura B. Martins

 

No jornal Impacto da Região, em 8/02/2010, lia-se, entre outras coisas, o seguinte pedaço de um artigo intitulado: «Calar os jornalistas incómodos».

 

Ora, com tantas «qualidades» (tinham sido enumeradas mais atrás), é óbvio que um jornalista que semanalmente o critica, aponta os seus defeitos, denuncia os casos escandalosos, é “um problema”; logo, deve ser resolvido como tal.

Temos exemplos muito actuais da resolução deste tipo de problemas (e não me vou cingir só a situações durante o governo PS): Jornal Independente, Marcelo Rebelo de Sousa na TVI; Jornal de Sexta, com Manuela Moura Guedes, José Manuel Fernandes no «Público».

 

Ora, perante isso, que diz o mais alto cargo da nação? Portugal é um Estado de Direito e que todos devem respeitar o princípio constitucional da liberdade de expressão e o pluralismo da comunicação social, avisou Cavaco Silva. Sabe a pouco!

 

Afinal, José Sócrates foi posto novamente no olho do furacão. Os factos que lhe foram atribuídos podem ser uma enorme mentira, a sua divulgação uma irresponsabilidade e uma enorme ilegalidade. Mas o primeiro ministro já não pode fugir a isso tudo. Sócrates foi eleito e tem direito a governar, mas a verdade é que, sem perder legitimidade, vai perdendo condições.

 

Da parte do impacto da Região, pugnaremos sempre pela liberdade em todas as suas formas ou será que também seremos incómodos para alguns?

 

Também no mesmo jornal, mas num parágrafo doutro artigo, uma jovem descreve Sócrates como: Um primeiro ministro sem credibilidade, controlador, permanentemente envolvido em escândalos capazes de fazer corar qualquer pessoa de bem, sobre o qual se vão conhecendo comportamentos e cumplicidades cada vez mais graves mas que o não fazem cair em si, antes responder com crescente sobranceria e consciência de impunidade.

 

E esta, hem?

publicado por LauraBM às 23:09

10
Ago 10

DEPUTADOS NA INGLATERRA

Os deputados ingleses:
1 . Não têm lugar certo onde sentar-se na Câmara dos Comuns;
2 . Não têm escritórios, não têm secretários nem automóveis,
3. Não têm residência (pagam pela sua em Londres ou nas províncias);
4 . Não têm passagem de avião gratuita, salvo quando a serviço do próprio Parlamento.
Tudo isso tem de pagar de seu bolso. E seu salário equipara-se ao de um Chefe de Secção de qualquer repartição. Em suma, são SERVIDORES DO POVO e não PARASITAS do mesmo.

DEPUTADOS NO BRASIL

1 . Salário: R$ 12 mil;
2 . Auxílio-moradia: R$ 3 mil;
3 . Transporte: 4 passagens aéreas de ida e volta a Brasília por mês;
4 . 13º e 14º salários: no fim e no inicio de cada ano legislativo.
5 . Verba para despesas comprovadas: R$7 mil;
6 . Verba para assessores: R$ 3,8 mil;
7 . Férias de 90 dias ao ano e folga remunerada de 30 dias,
8 . Mais R$ 35 mil por mês como verba de gabinete.
9 . Direito a contratar 20 servidores para seu gabinete.
10. Engraxate, barbeiro e cabeleireiro grátis;
11. E ainda recebem R$ 25,4 mil para trabalhar durante o recesso
12. E ainda "trabalham" em média 3 dias na semana, principalmente nos "esforços concentrados" das quartas-feiras
13. E ganham em dobro, quando convocados pelo executivo durante o recesso
parlamentar.
O dinheiro saiu dos cofres públicos, ou seja, do bolso do povo.
Mostre sua solidariedade aos nossos parlamentares e repasse este texto para que o
mundo veja a pujança do nosso pais e o alto padrão dos nossos deputados e senadores, que não são pés-de-chinelo como os lords e comuns ingleses.
-----------------------
11/05/2005
Vicente, Ipatinga-MG
 

DEPUTADOS EM PORTUGAL

 

Olha, lá!!!!!!!!!!!!
Em Portugal, ficam com ordenado vitalício, pois então!!!!!!!!!!!!!
Por isso é que os passarões querem ir para os poleiros c.......

cá para baixo, para cima do Zé Povinho!!!!!!!!!!!!
pombo_lerjornal.jpg
--------------------------------

Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 14:39

15
Mar 10
Fernando Canzian
  
WASHINGTON - Em julho de 2008, conheci com um misto de incredulidade e surpresa uma das praias mais lindas que já vi na vida. Chama-se Comporta e fica no Alentejo, em Portugal. Está a pouco mais de uma hora ao sul de Lisboa, numa região banhada por águas represadas (daí o nome), plantações de arroz e cegonhas com seus ninhos enormes construídos sobre casas e postes.

Além dos quilômetros de praias vazias, largas e lindas de areia branca e ondas fortes, o que mais me impressionou na época foi a quantidade de empreendimentos imobiliários à venda para a classe média portuguesa e europeia.

Havia centenas deles. Ao desembarcar de um ferry boat vindo de Setúbal, chegava-se a um canto de praia que parecia um mundo em construção. Com a paisagem dominada por guindastes, prédios ainda inacabados, trabalhadores e caminhões circulando furiosamente na área.

 

Uma grande ilusão.

Depois da Grécia, o mercado financeiro internacional se volta para Portugal como "bola da vez" da crise de endividamento do mundo rico. A origem é a mesma que assolou os EUA, a Irlanda, o Reino Unido e outros tantos países: passos maiores do que as pernas, materializados em dívidas recordes.

A dívida pública grega equivale hoje a 113% de seu PIB, e o país tem um dos déficits fiscais mais altos do mundo, de 12,7% do PIB. Isso significa que a Grécia teria de usar mais do que todas as riquezas que produz em um ano (cerca de 240 bilhões de euros) para zerar seu endividamento; e que arrecada em impostos quase 13% a menos do que gasta.

Portugal está um pouco melhor, mas não muito. Irlanda e Espanha também não.

 

O que todos esses países têm em comum, além das dívidas, é que passaram por um frenesi de desenvolvimento insustentável nos últimos anos.

Com o advento do euro como moeda comum na região, muitos investidores ofereceram dinheiro barato a eles. Calculavam que a União Europeia e seus membros mais ricos (como Alemanha e França) segurariam as pontas em caso de crise e que, de uma certa maneira, a prosperidade europeia estaria garantida pelo mercado comum.

Os países morderam a isca. Embalados pela oferta descomunal de dinheiro, governos e famílias foram às compras, não para sair da miséria como em muitos países emergentes. Mas para gastos insustentáveis, principalmente no setor imobiliário.

É a conta dessa farra que chegou.

 

Na sexta, o mundo assistiu a uma cena constrangedora. Só faltou ao primeiro ministro grego, George Papandreou, ficar de joelhos ao pedir 45 bilhões de euros à União Europeia e ao FMI. "A Grécia é um navio afundando", disse com o azul do Egeu ao fundo.

A Grécia afunda e os outros países começam a fazer água porque precisam refinanciar montanhas de dívidas assumidas no passado. O mercado está disposto a isso, mas quer juros cada vez mais elevados _colocando-os em um beco sem saída.

Com a atividade europeia no chão (a região deve crescer só 1% em 2010, contra 3% nos EUA, por exemplo), os países contarão com poucos recursos de impostos para pagar o que já deviam. O que dizer de uma dívida que engordará rapidamente se tiverem de bancar juros mais altos?

Ao mesmo tempo, eles terão de cortar violentamente gastos públicos tanto para receber ajuda externa quanto para gerar dinheiro para as dívidas, deprimindo ainda mais suas economias.

Para romper essa armadilha, a única saída é o crescimento. No passado, esses países poderiam desvalorizar suas moedas e crescer exportando. Amarrados ao euro, isso é agora impossível. Daí a sombria perspectiva.

E o mercado é o mercado. Se as vezes baixa o porrete até em quem anda na linha, o que dirá dos que desfrutavam "con gusto" de algo além de suas possibilidades?

 

Fernando Canzian, 42 anos, é repórter especial da Folha. Foi secretário de Redação, editor de Brasil e do Painel e correspondente em Washington e Nova York. Ganhou um Prêmio Esso em 2006 e é autor do livro "Desastre Global - Um ano na pior crise desde 1929". Escreve às segundas-feiras na Folha Online.

publicado por LauraBM às 23:32

10
Ago 09

Eu acho que assim é que está bem.
É para ver se "isto" cai de vez! É assim mesmo!
SE ISTO NÃO É ESCANDALOSO, SE ISTO NÃO È UMA AFRONTA A QUEM TRABALHA E TEM QUE PAGAR O PASSE SOCIAL PARA SE DESLOCAR PARA OS SEUS EMPREGOS - VOU ALI E VOLTO JÁ!...
--------------------------------------
A INÊS de MEDEIROS, RECEBE DIARIAMENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 528€, ou seja 31 x 528 = 16 368,00 euros por mês

Porquê?
Porque é deputada pelo circulo de Lisboa - mas vive em Paris...
Serão mesmo os Funcionários Públicos a causa dos buracos orçamentais?

E quantos mais buracos como este haverá? Estes gastos não são congelados, nem este nem muitos outros.

INÊS DE MEDEIROS, FILHA DO VITORINO DE ALMEIDA, É AGORA DEPUTADA PELO CIRCULO DE LISBOA DO PS.

MAS COMO TEM RESIDÊNCIA EM PARIS, RECEBE DIARIAMENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 528€  DE AJUDAS DE CUSTO PARA ALÉM, É CLARO, DE UMA VIAGEM PAGA A PARIS, IDA E VOLTA, AOS FINS DE SEMANA. MAIS AS SENHAS DE PRESENÇA DIÁRIAS DA ASSEMBLEIA.
FAZ ALGUM SENTIDO QUE, PARA ALÉM DO ORDENADO, SE PAGUE A ALGUÉM UMA QUANTIA DIÁRIA PARA IR TRABALHAR?

Acrescenta a isto os deputados que têm residência em Lisboa mas, que pelo facto de serem eleitos por outro circulo eleitoral, recebem ajudas de custo
diárias? Por exemplo, deputados eleitos por Braga e Porto com residência conhecida sempre em Lisboa e que recebem umas boas centenas de euros por dia para fazer face ás despesas... com o hotel!....

Onde está o apertar do cinto dos deputados e da generalidade dos políticos?
Em quê, quando e como é que eles vão apertar o cinto?
Quando é que passam a receber a reforma só aos 65 anos como todos os outros, e deixam de acumular 4 ou 5 reformas em simultâneo?
Bem prega frei Tomás: faz aquilo que ele diz e não aquilo que faz.

Quando se começa a ter mão nos gestores das empresas publicas ou participadas pelo Estado? Isto vai continuar?

Ordenados acima da média, prémios de gestão chorudos com as empresas a darem prejuízos brutais, carros topo de gama, motoristas, cartões de crédito, viagens, almoço e jantar pagos diariamente e sem limite, hotel e refeições pagas quando se deslocam e ainda recebem ajudas de custo (para pagar os copos).
Todos eles falam de barriga e carteira bem cheias à nossa custa. Por isso falam em congelar os salários de quem trabalha e em aumentar impostos. Cada
vez se rouba mais!...

A Índia com muitos milhões de habitantes tem cerca de 560 deputados, nós com 10 milhões sustentamos 237, fora os assessores (1 por deputado),
secretárias, motoristas, assessores dos assessores.

Só em diminuir as despesas da AR poupar-se-iam vários milhões por mês.

COMO É POSSÍVEL ACEITAR ISTO??? Até quando vamos aceitar esta chulice?

publicado por LauraBM às 18:23

05
Ago 09

 

Mais uma Golpada - ERSE Era uma vez um senhor chamado Jorge Viegas Vasconcelos, que era presidente de uma coisa chamada ERSE, ou seja, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, organismo que praticamente ninguém conhece e, dos que conhecem, poucos devem saber para o que serve.

Mas o que sabemos é que o senhor Vasconcelos pediu a demissão do seu cargo porque, segundo consta, queria que os aumentos da electricidade ainda fossem maiores.

 

Ora, quando alguém se demite do seu emprego, fá-lo por sua conta e risco, não lhe sendo devidos, pela entidade empregadora, quaisquer reparos, subsídios ou outros quaisquer benefícios.

Porém, com o senhor Vasconcelos não foi assim.

Na verdade, ele vai para casa com 12 mil euros por mês - ou seja, 2.400 contos - durante o máximo de dois anos, até encontrar um novo emprego.

Aqui, quem me ouve ou lê pergunta, ligeiramente confuso ou perplexo: - «Mas você não disse que o senhor Vasconcelos se despediu?».

E eu respondo: - «Pois disse. Ele demitiu-se, isto é, despediu-se por vontade própria!».

E você volta a questionar-me: - «Então, porque fica o homem a receber os tais 2.400contos por mês, durante dois anos? Qual é, neste país, o trabalhador que se despede e fica a receber seja o que for?».

Se fizermos esta pergunta ao ministério da Economia, ele responderá, como já respondeu, que

«o regime aplicado aos membros do conselho de administração da ERSE foi aprovado pela própria ERSE».
E que,
«de acordo com o artigo 28 dos Estatutos da ERSE, os membros do conselho de administração estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar desses estatutos».
Ou seja: sempre que os estatutos da ERSE foram mais vantajosos para os seus gestores, o estatuto de gestor público não se aplica.


Dizendo ainda melhor: o senhor Vasconcelos (que era presidente da ERSE desde a sua fundação) e os seus amigos do conselho de administração, apesar de terem o estatuto de gestores públicos, criaram um esquema ainda mais vantajoso para si próprios, como seja, por exemplo, ficarem com um ordenado milionário quando resolverem demitir-se dos seus cargos. Com a bênção avalizadora, é claro, dos nossos excelsos governantes.

Trata-se, obviamente, de um escândalo, de uma imoralidade sem limites, de uma afronta a milhões de portugueses que sobrevivem com ordenados baixíssimos e subsídios de desemprego miseráveis.

 

 

Trata-se, em suma, de um desenfreado, abusivo e desavergonhado abocanhar do erário público.

Mas voltemos à nossa história. O senhor Vasconcelos recebia 18 mil euros mensais, mais subsídio de férias, subsídio de Natal e ajudas de custo. 18 mil euros seriam mais de 3.600 contos, ou seja, mais de 120 contos por dia, sem incluir os subsídios de férias e Natal e ajudas de custo.
Aqui, uma pergunta se impõe:
Afinal, o que é - e para que serve - a ERSE?
A missão da ERSE consiste em fazer cumprir as disposições legislativas para o sector energético.
E pergunta você, que não é trouxa:
- «Mas para fazer cumprir a lei não bastam os governos, os tribunais, a polícia, etc.?».
Parece que não.
A coisa funciona assim:
após receber uma reclamação, a ERSE intervém através da mediação e da tentativa de conciliação das partes envolvidas. Antes, o consumidor tem de reclamar junto do prestador de serviço.
Ou seja, a ERSE não serve para nada.
Ou serve apenas para gastar somas astronómicas com os seus administradores.
Aliás, antes da questão dos aumentos da electricidade, quem é que sabia que existia uma coisa chamada ERSE?


Até quando o povo português, cumprindo o seu papel de pachorrento bovino, aguentará tão pesada canga?
E tão descarado gozo?

Politicas à parte estou em crer que perante esta e outras, só falta mesmo manifestarmos a nossa total indignação.
 


Já agora façam lá o favorzinho de reenviar para a V/ lista de amigos, pelo menos sempre se fica a saber de coisas importantes que retiram toda a credibilidade a esta cambada de MALANDROS deste País que de País só começa a figurar o nome.
publicado por LauraBM às 19:16

10
Mar 09

abafaocaso_az.gifO jornal electrónico "Mudar de vida" http://www.jornalmudardevida.net/?p=1368 , em 30/12/2008, publica a seguinte e inacreditável notícia duma Lei que vinga com a complacência de todos os portugueses:

Direitos ou esmolas?
As Pensões e o Complemento Solidário para Idosos
Pedro Goulart - Terça-feira, 30 Dezembro, 2008

O governo do PS é um governo que não respeita os direitos de quem trabalha nem os direitos de quem vive das suas pensões, respondendo habitualmente às justas reivindicações de trabalhadores e pensionistas com arrogância e prepotência. Mas, a par disto, a propaganda, a encenação e as preocupações eleitoralistas, que estão sempre presentes na actuação governamental, acabam por se traduzir, muitas vezes, em actos demagógicos, caso da atribuição do Complemento Solidário para Idosos.

Como 92,5% dos pensionistas (cerca de 2,6 milhões de pessoas) recebem, no máximo, cerca de 629 euros, uma fraca pensão para fazer face ao elevado custo de vida, e destes ainda são muitos os que apenas recebem cerca 250 euros mensais (para que dá esta miséria?), o governo, em vez de subir as pensões, concede então um Complemento Solidário para Idosos.

Em vez de respeitar direitos fundamentais do homem, como o direito à alimentação, o governo pratica a caridadezinha. Mesmo assim, para aceder a esta esmola, estão estabelecidas condições tais, que poucos a conseguem receber e alguns a rejeitam.
A lei impõe que, para a receber, o pensionista tenha recursos inferiores a 4800 euros anuais, sendo que na contabilidade destes recursos entram não só os recursos do referido pensionista e os do respectivo cônjuge, mas também, pasme-se, os rendimentos dos próprios filhos.

Até quando estes governos do capital, como o de José Sócrates, continuarão a abusar da nossa paciência, a ditar as suas leis, sem que os trabalhadores e o povo se revoltem a sério e os ponham na rua?
--------------------------------------------------------------------
Palavras para quê? Somos um país de mansos!
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 23:47

05
Fev 09

O Governo democrático e maioritário do PS tem por hábito quando é confrontado com realidades, apontar os canhões para o PSD, seu parceiro do «Bloco Central de Interesses».
Mas agora, todos ficam a saber : os que têm iates e embarcações de recreio que através do Artº 29 do Cap. II da Portaria 117-A de 8 de Fevereiro de 2008, beneficiam de gasóleo ao preço do que pagam os armadores e os pescadores.

Assim todos os portugueses são iguais perante a Lei, desde que tenham iates…

É da mais elementar justiça que os trabalhadores e as empresas que tenham carro a gasóleo o paguem a 1,42€, e os banqueiros e empresários do 'Compromisso Portugal'o paguem a 0,80€, e é justo, porque estes não têm culpa que os trabalhadores não comprem iates!!!

É a verdade nua e crua, infelizmente!
Quanto mais este país se degrada mais os nossos (des)governantes fazem porcarias, perdão, portarias para se governarem bem.
Aliás, este estado de sítio em que Portugal se encontra é óptimo porque propicia as negociatas de uns quantos malandros com o aval de outros tantos.
--------------------
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 00:39

20
Ago 08

AnaMariaFernandes.jpg

Não há dúvida que estes políticos (Governo), andam a gozar connosco .............. !!!!!!!!!!!!!!!!!!
É SÓ MAIS ESTE ESCÂNDALO:
EDP Renováveis - Porque só há dividendos em 2012...

Salário Milionário da responsável pela “EDP Renováveis”

Uma remuneração anual fixa de 384.000 EUR prevista para 2008, à qual acresce uma contribuição para o plano de pensão e ainda um prémio anual e um prémio plurianual para períodos de três anos, cada um dos quais até uma verba máxima de 100% do Salário Base.
Ou seja, se todos os seus objectivos de desempenho forem cumpridos, Ana Maria Fernandes poderá receber mais de 1,1 milhão de EUR no seu primeiro ano como presidente de “EDP Renováveis” após a entrada da empresa na bolsa. Os valores constam do prospecto de admissão.

NOTA: São quase 2.000 Salários Mínimos, ou seja, cerca do trabalho de 143 anos pelo salário mínimo. Como é possível? É pior do que no Futebol.
Assim a EDP faz negócio e, se falha, obriga os clientes a pagarem os erros da sua gestão, como nas dívidas incobráveis  que agora quer exigir aos pagadores honestos.
Esta Srª deve ser muito habilidosa e ter feito uns favores especiais (....má língua, claro!!!), aos detentores do Poder. A quem pertence? De quem é amiga?

Mais um tacho dourado para um membro do clã!!!!!

ANDA, POVO BURRO! PAGA!!!!!!!!!!!!!

 

O pior é que não fui eu que os pus «LÁ» e também tenho que pagar!!!!!!!!

publicado por LauraBM às 00:57

10
Ago 08

1) Para quem não saiba quem é Alan Greenspan, fique a saber que é um senhor nascido em Nova Iorque, de origem judaica, que gostava de tocar saxofone na adolescência, que se doutorou com elevadíssimas médias em Economia e que foi nomeado pelo presidente Reagan, em Junho de 1987, "Chairman of the Board of Governors of the Federal Reserve" - nomeação confirmada pelo Senado dois meses depois.

2) O "Federal Reserve" está para os americanos como o Banco de Portugal está para nós. E por que estou eu com toda esta conversa sobre o Sr. Greenspan?
Porque quando ele deixou o lugar, em Janeiro de 2006, auferia anualmente, pelo desempenho daquele alto cargo, a módica quantia de 186.600 dólares norte-americanos por ano - qualquer coisa como 155.000 euros.
O valor dos honorários dos outros membros do Conselho de Administração ("Vice-Chairman" incluído) é de cerca de 150.000 euros.

3) Agora, sabem quanto pagamos ao Governador do Banco de Portugal, um senhor dotado de prodigioso crânio, que dá pelo nome de Vítor Constâncio?
Não sabem, pois não?
Então pasmem: 280.000 euros, leram bem, DUZENTOS E OITENTA MIL EUROS!
É claro que uma grande potência como Portugal, que possui o dobro da influência, à escala planetária, dos insignificantes EUA, tinha de pagar muito bem ao patrão do seu Banco, além de todas as incontáveis mordomias que lhe dispensa, tal como aos seus pares daquela instituição pública.
Também é claro que a verba do americano é fixada pelo Congresso e JAMAIS - como diria o bronco do Lino - pelo próprio, ao contrário do que se passa no país dos donos do mundo e dos maiores imbecis que habitam o planeta Terra.

4) O que mais impressiona nestes números é que o homem que é escutado atentamente por todo o mundo financeiro, cuja decisão sobre as taxas de juro nos afecta a todos, ganha menos do que o seu equivalente num país pobre, pequeno, periférico, que apenas uma ínfima parcela desse território presta alguma atenção!
Até a reforma do Mira Amaral é superior à do Greenspan!
Talvez não fosse má ideia espreitarem o portal do Banco de Portugal e verem quem por lá passou como governador, http://www.bportugal.pt , cliquem em "história".

5) Por que razão esta escandalosa prática se mantém?
Pela divisa do Conselho de Administração do Banco de Portugal que deve ser parecida com algo assim: " Trabalhe um dia, receba uma pensão de reforma vitalícia e dê a vez a outro."

6) Os sucessivos governadores do Banco de Portugal têm muito em comum.
Por exemplo, sempre que aparecem em público de rompante é porque vem aí borrasca!
"Os portugueses vivem acima das suas possibilidades. Há que cortar nos ordenados, há que restringir o crédito!"
Proclamam-no sem que a voz lhes trema, mesmo quando se sabe que o actual governador aufere rendimentos que fariam inveja a Alan Greenspan.
No fundo, o que eles nos querem dizer é, "Vocês vivem acima das vossas possibilidades, mas nós não!"
Têm carradas de razão.

7) As remunerações dos membros do conselho de administração do Banco de Portugal são fixadas, de acordo com a alínea a) do art. 40.º da Lei Orgânica, por uma comissão de vencimentos.
E quem foi que Luís Campos e Cunha, o então ministro das Finanças e ex-vice-governador do Banco de Portugal, nomeou para o representar e presidir a essa comissão?
O ex-governador Miguel Beleza, o qual, como adiante se verá, e caso o regime da aposentação dos membros do conselho de administração também lhe seja aplicável como ex-governador do Banco, poderá beneficiar dos aumentos aprovados para os membros do conselho de administração no activo.
Uma seita a que o comum dos portugueses não tem acesso e sobre a qual lhe está vedada toda e qualquer informação, filtradas que são todas as que não interessa divulgar pelos meios da subserviente comunicação social que temos.


8) Mas tão relevantes como os rendimentos que auferem, são as condições proporcionadas pelo Banco de Portugal no que respeita à aposentação e protecção social dos membros do conselho de administração.

9) O regime de reforma dos administradores do Banco de Portugal foi alterado em 1997, para "acabar com algumas regalias excessivas actualmente existentes."
Ainda assim, não se pode dizer que os membros do conselho de administração tenham razões de queixa.
Com efeito, logo no n.º 1 do ponto 3.º (com a epígrafe "Tempo a contar") das Normas sobre Pensões de Reforma do Conselho de Administração do Banco de Portugal se estabelece que, "O tempo mínimo a fundear pelo Banco de Portugal junto do respectivo Fundo de Pensões, será o correspondente ao mandato (cinco anos), independentemente da cessação de funções ."

10) Que significa isto?
Um membro do conselho de administração toma posse num belo dia e, se nessa tarde lhe apetecer rescindir o contrato, tem a garantia de uma pensão de reforma vitalícia, porque o Banco se compromete a "fundear" o Fundo de Pensões pelo "tempo mínimo (?) correspondente ao mandato (cinco anos)". (Ver "divisa" no parágrafo 5).

11) Acresce que houve o cuidado de não permitir interpretações dúbias que pudessem vir a prejudicar um qualquer membro do conselho de administração que, "a qualquer título", possa cessar funções.
O n.º 1 do ponto 4.º das Normas sobre Pensões de Reforma dissipa quaisquer dúvidas: "O Banco de Portugal, através do seu Fundo de Pensões, garantirá uma pensão de reforma correspondente ao período mínimo de cinco anos, ainda que o M.C.A. [membro do conselho de administração] cesse funções, a qualquer título ."

12) Quem arquitectou as Normas sobre Pensões de Reforma pensou em tudo?
Pensou, até na degradação do valor das pensões. É assim que o n.º 1 do ponto 6.º estabelece por sua vez: "As pensões de reforma serão actualizadas, a cem por cento, na base da evolução das retribuições dos futuros conselhos de administração, sem prejuízo dos direitos adquiridos ."

13) E o esquema foi tão bem montado que as Normas sobre Pensões de Reforma não deixam de prever a possibilidade de o membro do conselho de administração se considerar ainda válido para agarrar uma outra qualquer oportunidade de trabalho que se lhe depare.
Para tanto, temos o ponto 7.º, com a epígrafe "Cumulação de pensões", que prevê: "Obtida uma pensão de reforma do banco de Portugal, o M.C.A. [membro do conselho de administração] poderá obter nova pensão da C.G.A. ou de outro qualquer regime, cumulável com a primeira (!)."

14) Mas há mais. O ponto 8.º dispõe que o "M.C.A. [membro do conselho de administração] em situação de reforma gozará de todas as regalias sociais concedidas aos M.C.A. e aos empregados do Banco, devendo a sua pensão de reforma vir a beneficiar de todas as vantagens que àqueles venham a ser atribuídas ."

15) Não restam dúvidas de que fez um excelente trabalho quem elaborou as Normas sobre Pensões de Reforma do Conselho de Administração do Banco de Portugal. Pena é que não tenha igualmente colaborado na elaboração do Código do IRS, de modo a compatibilizar ambos os instrumentos legais.
Não tendo acontecido assim, há aquela maçada de as contribuições do Banco de Portugal para o Fundo de Pensões poderem ser consideradas, "direitos adquiridos e individualizados dos respectivos beneficiários" e, neste caso, sujeitas a IRS, nos termos do art.. 2.º, n.º 3, alínea b), n.º 3, do referido código.

No melhor pano cai a nódoa.
Ah, e por favor não reencaminhem isto para o Greenspan - ainda dá uma dor fininha ao pobre coitado...

in
http://movrevpt.blogspot.com/2007/07/mfia-no-banco-de-portugal-1-para-quem.html

publicado por LauraBM às 00:46

10
Jul 08

ESTA VALE A PENA DIVULGAR!!!!!!!  é uma verdadeira vergonha...

       ... batendo as asas pela noite calada. Vêm em bandos, com pés de veludo...»Os Vampiros do Século XXI

        A Caixa Geral de Depósitos (CGD) está a enviar aos seus clientes mais modestos uma circular que deveria fazer corar de vergonha os
administradores - principescamente pagos - daquela instituição bancária.
       A carta da CGD começa, como mandam as boas regras de marketing, por reafirmar o empenho do Banco em oferecer aos seus clientes as melhores condições de preço qualidade em toda a gama de prestação de serviços, incluindo no que respeita a despesas de manutenção nas contas à ordem.
         As palavras de circunstância não chegam sequer a suscitar qualquer tipo de ilusões, dado que após novo parágrafo sobre racionalização e eficiência da gestão de contas, o estimado/a cliente é confrontado com a informação de que, para continuar a usufruir da isenção da comissão de despesas de manutenção, terá de ter em cada trimestre um saldo médio superior a EUR1000, ter crédito de vencimento ou ter aplicações financeiras associadas à respectiva conta.
     Ora sucede que muitas contas da CGD,designadamente de pensionistas e reformados, são abertas por imposição legal.
      É o caso de um reformado por invalidez e quase septuagenário, que sobrevive com uma pensão de EUR243,45 - que para ter direito ao piedoso subsídio diário de EUR 7,57 (sete euros e cinquenta e sete cêntimos!) foi forçado a abrir conta na CGD por determinação expressa da Segurança Social para receber a reforma.
     Como se compreende, casos como este - e muitos são os portugueses que vivem abaixo ou no limiar da pobreza - não podem, de todo, preencher os requisitos impostos pela CGD e tão pouco dar-se ao luxo de pagar despesas de manutenção de uma conta que foram constrangidos a abrir para acolher a sua miséria.
     O mais escandaloso é que seja justamente uma instituição bancária que ano após ano apresenta lucros fabulosos e que aposenta os seus
administradores, mesmo quando efémeros, com «obscenas» pensões (para citar Bagão Félix), a vir exigir a quem mal consegue sobreviver que contribua para engordar os seus lautos proventos.
      É sem dúvida uma situação ridícula e vergonhosa, como lhe chama o nosso leitor, mas as palavras sabem a pouco quando se trata de denunciar tamanha indignidade.
     Esta é a face brutal do capitalismo selvagem que nos servem sob a capa da democracia, em que até a esmola paga taxa.
     Sem respeito pela dignidade humana e sem qualquer resquício de decência, com o único objectivo de acumular mais e mais lucros, eis os
administradores de sucesso.

     Medita e divulga... Mas divulga mesmo por favor ...
Cidadania é fazê-lo, é demonstrar esta pouca vergonha que nos atira para a miserabilidade social.

     Este tipo de comentário não aparece nos jornais, tv's e rádios....Porque será???

publicado por LauraBM às 00:15

10
Jun 08

boicote.jpgDurante uns dias vamos boicotar os postos de gasolina?

Sabem quanto é que eles perdem por dia?

Nem imaginam!

São uns milhões de euros que a gente paga bem pagos para eles terem lucros cada dia mais substanciais.

Pretendem continuar assim?

Somos mesmo mansos!!!!!!!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Visite o site http://boicote.pt.vu/

publicado por LauraBM às 23:47

01
Jun 08

Era uma vez uma sociedade de «off-shore» sedeada em Gibraltar: Crystal Waters era o seu nome e Filipe Jardim Gonçalves o seu sócio principal.

 

A Crystal Waters detinha a "Passo a Passo", que por sua vez também controlava a "Vasconcelos & Vasconcelos (SPRINT)".

 

Bem... Filipe Jardim Gonçalves é filho de Jorge Jardim Gonçalves , irmão de Rodrigo Jardim Gonçalves e primo de Francisco Miguel Vasconcelos Pereira. Para expandir e desenvolver os negócios, Filipe Jardim Gonçalves contraiu diversos empréstimos junto de uma instituição bancária que lhe era familiar: o BCP.

Filipe tinha um homem em quem confiava: Tiago André Tico Coelho, gestor de várias empresas e sociedades em que Filipe participava. De algumas empresas, Tiago chegou mesmo a ser sócio.

Um belo dia, quando tudo começou a correr mal e as dívidas acumuladas eram já mais que muitas, a conta/corrente de Tiago, entretanto caucionada, foi alvo de procedimento jurídico por parte da instituição BCP.

A família está para o que der e vier, já sabemos. Contudo... Eis que Filipe, preocupado, procura um escritório de gente da sua confiança: o "AM&JG".

Para seu advogado escolhe José António Alves Mendes, membro supranumerário da Opus Dei...

Ora, o seu sócio é, nem mais nem menos, o Rodrigo.

Rodrigo quê? Rodrigo Jardim Gonçalves, seu irmão.

Sim, é isso que está a pensar, caro leitor: a sociedade de advogados do seu irmão irá defendê-lo numa questão relacionada com o banco do seu pai.

 

Alípio Dias e Filipe Pinhal, à data dos acontecimentos (finais de 2004), membro do conselho de Administração e vice-presidente do BCP, respectivamente, sentaram-se à mesa de negociações com Alves Mendes.

Verificando que se tratava de gente que não tinha onde cair morta o Departamento Jurídico, na pessoa do seu Director, Carlos Picoito (membro supranumerário do Opus Dei), propôs que as dívidas contraídas por aquelas sociedades fossem declaradas... hum, créditos incobráveis.

A decisão tomada pela Direcção do BCP foi prontamente favorável à proposta de Carlos Picoito.

 

Enfim, pouco tempo depois, o pai babado Jorge Jardim Gonçalves deixou o cargo que ocupava no Banco.

E o que declarou Jorge Jardim Gonçalves sobre o assunto? "Não sei de nada, as questões com clientes não passaram por mim!"

E você? Já reparou que, muito provavelmente, anda a votar nos partidos que há mais de 30 anos se alternam no Governo, praticamente só para defender estes gajos?

publicado por LauraBM às 18:26

18
Nov 07

Televisão: da informação a desinformação

O principio básico da censura moderna consiste em inundar asSocas_2.jpg informações essenciais com um dilúvio de notícias insignificantes difundidas por uma multidão de meios de comunicação social com conteúdos similares.
Isto permite que a nova censura tenha todas as aparências da pluralidade e da democracia.
Esta estratégia de entretenimento e distracção se aplica em primeiro lugar aos noticiários televisados, principal fonte de informação pública.

Da informação à desinformação...
Desde o inicio dos anos 90, os noticiários de televisão não contém quase informação. Seguem  chamando-se “Noticiários de Televisão” quando na realidade deveriam chamar-se “magazines ou revistas”.
Um noticiário contém em média no máximo de 2 a 3 minutos de informação. O resto está constituído de reportagens anedóticas, de fatos diversos, de micro-câmaras das quais quase sempre se reportam a vida quotidiana dos chamados reality-shows.

...e uma censura sem censores
Toda subtileza da censura moderna reside na ausência de censores. Estes tem sido eficazmente reforçados pela “Lei de Mercado” e a “Lei de Audiência”. Pelo simples jogo de condições económicas habilmente criadas, os canais de televisão já não mais dispõe de meios financeiros para realizar reportagens verdadeiramente periódicas, e sem dúvida, ao mesmo tempo, o reality-show e as micro-câmaras arrastam mais audiência a um custo muito mais reduzido.
Mesmo os acontecimentos importantes são tratados debaixo de um ângulo de “revista”, pelo canto dos olhos. Desse modo, uma encontro internacional dará lugar a uma entrevista do organizador do “encontro”, com as imagens de limusinas oficiais e as saudações diante de algum edifício, porém, nenhuma informação, nenhuma analise com relação ao temas discutidos pelos chefes de Estado. Da mesma forma, um atentado será coberto por micro-câmaras em quase todos os lugares do drama, com as impressões e testemunhos dos passantes, ou a entrevista de um “recadista” ou um oficial de polícia.

estas insignificâncias se seguem os desportos, os fatos diversos, as reportagens pitorescas sobre as profundezas da França (ou de qualquer outro país), sem duvidar das publicidades disfarçadas por produtos culturais fazendo o objecto de uma campanha (espectáculos, filmes, livros, discos...).

Informação desestruturada para uma memorização mínima.
Todos os sociólogos e especialistas da neurociência sabem que a memorização da informação por parte do cérebro se faz de melhor forma em função da forma estruturada e hierarquizada em que é apresentada a informação.
A estruturação e a hierarquização da informação são também princípios de base ensinados a todos os estudantes de periódicos.
Sem dúvida, nestes últimos 10 anos, os noticiários de televisão fazem exactamente o contrário, encadeando em desordem temas excêntricos e de importância desigual (um fato diverso, um pouco de política, desportos, um tema social, um outro fato diverso, logo de novo política, etc.) como se o objectivo buscado fosse obter a pior memorização possível das informações para o público. Uma publicação amnésica é de facto muito mais fácil de manipular...
-----------------------------------
4/09/2005
Sara Rafael
Fonte: http://perso.wanadoo.fr/metasystems/ES/JTContents.html
http://www.cuidardoser.com.br/teelvisao-da-informacao-a-desinformacao.htm

NOTA:
Estou de acordo com a Sara-Rafael, menos como facto de que isso seja CENSURA.
Desinformação, isso sim. Confusão, ainda melhor, para atrapalhar grandes noticiários que poderiam ser feitos em meia hora e por vezes levam hora e meia.
De notar que cada período de anúncios leva, por norma, 10 a 15 minutos; e se os noticiários não fossem longos, como é que eles poderiam ganhar tanto dinheiro com a publicidade nos horários nobres?
No meio da confusão o público nem tem como aperceber-se do mau serviço prestado.
A maior parte das vezes iniciam-se assuntos que não têm continuidade. Quer dizer: levanta-se a lebre mas ninguém consegue ir atrás dela. E isso, por vezes, é muito conveniente!!!!
------------------
4/09/2005
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 00:59

10
Ago 07

 

cacetada_casal.gifNOTA: Nunca uma frase foi tão apropriada aos tempos que correm.

Nunca, tanto como hoje, foi necessária a politização e participação de todos!
------------------
28/07/2005

Este é um pensamento do Bertold Brecht. Leiam com atenção e pensem nisso.

 

O pior analfabeto é o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

 

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política.

Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, o assaltante e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais."
----------------
(Bertold Brecht)

publicado por LauraBM às 16:16

01
Ago 07

Socras_ingles.jpgTrês grupos privados e a União das Misericórdias Portuguesas são as entidades privadas e da rede social que já puseram em marcha um ambicioso programa de abertura de unidades de saúde que pretendem ocupar o vazio deixado pelo Estado ao fechar urgências, centros de atendimento permanente e maternidades. Entretanto, outras sociedades privadas começam a investir, nomeadamente as que estão ligadas a entidades bancárias. É o caso da Hospor, detido pelo grupo BES Saúde, e da Rede Nacional de Saúde Privada. O grupo Mello também tem previsto, ainda este ano, abrir uma clínica em Torres Vedras «com atendimento permanente».
in"Portugal Diário"

Estranho que em locais onde o Ministro diz não haver utentes em número suficiente, nem necessidade de existirem serviços de saúde estatal, os privados vejam uma oportunidade de negócio.
O Ministro veio demonstrar-nos que os novos serviços de saúde, servidos por novas vias de comunicação iam melhorar o atendimento à população, mas os privados apareceram logo.

Já estou a imaginar que, mais dias menos dia, o Ministério da Saúde vai estabelecer protocolos com essas clínicas para que estas prestem os serviços que as urgências fechadas prestavam.
O estado em lugar de pagar a profissionais e garantir o atendimento às populações, prefere gastar o nosso dinheiro pagando a privados para prestarem os serviços que são da sua responsabilidade.
Como já tinha afirmado há já muito tempo, estamos a assistir à privatização envergonhada da saúde.
Este governo não assume ser esse o seu desígnio, mas por detrás das costas vai desmantelando e transferindo os serviços para os barões dos seguros e da saúde.
O mesmo iremos assistir, mais cedo ou mais tarde, acontecer com a educação. Basta esperar mais um pouco.
----------------------------
19/03/20007
fonte: http://wehavekaosinthegarden

publicado por LauraBM às 17:03

06
Jul 07

carroUE.JPG Ora cá está a foto das bombas que os gajos compraram para servir «os mais» da Presidência Europeia.

Os carritos do James Bond pouco mais tinham! rsssss

Mas, claro, o James Bond estava ao serviço dum país rico e trabalhava para Sua Majestade.

Aqui, a Majestade não vale nada!!!!! rsss

E esta, hem?

E a gente paga?????????

Paga mas não mete o pé dentro DELES nem no ..... DELES que bem precisavam!

publicado por LauraBM às 14:52

10
Fev 07

UM DIA DESTES, MUDAMO-NOS  PARA MARROCOS ...

Hugo Marçal ...

Este processo das crianças violadas vai mesmo ficar em "águas de bacalhau".
É incrível a passividade do povo português face a este escândalo da pedofilia. Tem que se fazer justiça! Façam fwd do mail!!!!

«Hugo Marçal está em vias de ser admitido a frequentar o curso de auditor de justiça do Centro de Estudos Judiciários. O nome do arguido no processo de pedofilia da Casa Pia vem publicado no Diário da República de ontem, entre centenas de candidatos a frequentar a escola que forma os juízes portugueses.
Mas ao contrário dos outros, Hugo Marçal não vai prestar provas . Pelo facto de ser doutor em Direito - grau académico que terá obtido em Espanha - está por lei «isento da fase escrita e oral» e tem ainda «preferência sobre os restantes candidatos».
Resultado: o advogado de Elvas está na prática à beira de ser seleccionado para o curso que formará a próxima geração de magistrados!
O nome de Hugo Manuel Santos Marçal surge na página 4961 do Diário da República, 2.ª série, com o número 802, na lista de candidatos a ingressar no CEJ. Se concluir o curso com aproveitamento e iniciar uma carreira nos tribunais - primeiro como auditor de justiça, depois como juiz de direito –

*Marçal terá também o privilégio de não ser julgado num tribunal de primeira instância*.»
AH,POIS É!!! É O PAÍS QUE TEMOS!!!
-----------------------
Artigo recebido via Internet, s/autoria

publicado por LauraBM às 01:17

10
Jul 06

JoseGomesFerreira.jpgA evidência salta aos olhos: o país está a arder porque alguém quer que ele arda. Ou melhor, porque muita gente quer que ele arda. Há uma verdadeira indústria dos incêndios em Portugal. Há muita gente a beneficiar, directa ou indirectamente, da terra queimada.
-------------------------
4/08/2005
José Gomes Ferreira
Sub-director de Informação

Oficialmente, continua a correr a versão de que não há motivações económicas para a maioria dos incêndios. Oficialmente continua a ser dito que as ocorrências se devem a negligência ou ao simples prazer de ver o fogo. A maioria dos incendiários seriam pessoas mentalmente diminuídas.
Mas a tragédia não acontece por acaso. Vejamos:

1 - Porque é que o combate aéreo aos incêndios em Portugal é TOTALMENTE concessionado a empresas privadas, ao contrário do que acontece noutros países europeus da orla mediterrânica?
- Porque é que os testemunhos populares sobre o início de incêndios em várias frentes imediatamente após a passagem de aeronaves continuam sem investigação após tantos anos de ocorrências?
- Porque é que o Estado tem 700 milhões de euros para comprar dois submarinos e não tem metade dessa verba para comprar uma dúzia de aviões Cannadair?
- Porque é que há pilotos da Força Aérea formados para combater incêndios e que passam o Verão desocupados nos quartéis?
- Porque é que as Forças Armadas encomendaram novos helicópteros sem estarem adaptados ao combate a incêndios? Pode o país dar-se a esse luxo?

2 - A maior parte da madeira usada pelas celuloses para produzir pasta de papel pode ser utilizada após a passagem do fogo sem grandes perdas de qualidade. No entanto, os madeireiros pagam um terço do valor aos produtores florestais. Quem ganha com o negócio? Há poucas semanas foi detido mais um madeireiro intermediário na Zona Centro, por suspeita de fogo posto. Estranhamente, as autoridades continuam a dizer que não há motivações económicas nos incêndios...

3 - Se as autoridades não conhecem casos, muitos jornalistas deste país, sobretudo os que se especializaram na área do ambiente, podem indicar terrenos onde se registaram incêndios há poucos anos e que já estão urbanizados ou em vias de o ser, contra o que diz a lei.

4 - À redacção da SIC e de outros órgãos de informação chegaram cartas e telefonemas anónimos do seguinte teor: "enquanto houver reservas de caça associativa e turística em Portugal, o país vai continuar a arder". Uma clara vingança de quem não quer pagar para caçar nestes espaços e pretende o regresso ao regime livre.

5 - Infelizmente, no Norte e Centro do país ainda continua a haver incêndios provocados para que nas primeiras chuvas os rebentos da vegetação sejam mais tenros e atractivos para os rebanhos. Os comandantes de bombeiros destas zonas conhecem bem esta realidade.
Há cerca de um ano e meio, o então ministro da Agricultura quis fazer um acordo com as direcções das três televisões generalistas em Portugal, no sentido de ser evitada a transmissão de muitas imagens de incêndios durante o Verão. O argumento era que, quanto mais fogo viam no ecrã, mais os incendiários se sentiam motivados a praticar o crime...
Participei nessa reunião. Claro que o acordo não foi aceite, mas pessoalmente senti-me indignado. Como era possível que houvesse tantos cidadãos deste país a perder o rendimento da floresta - e até as habitações - e o poder político estivesse preocupado apenas com um aspecto perfeitamente marginal?

Estranhamente, voltamos a ser confrontados com sugestões de responsáveis da administração pública no sentido de se evitar a exibição de imagens de todos os incêndios que assolam o país.
Há uma indústria dos incêndios em Portugal, cujos agentes não obedecem a uma organização comum mas têm o mesmo objectivo - destruir floresta porque beneficiam com este tipo de crime.

Estranhamente, o Estado não faz o que poderia e deveria fazer:

1 - Assumir directamente o combate aéreo aos incêndios o mais rapidamente possível. Comprar os meios, suspendendo, se necessário, outros contratos de aquisição de equipamento militar.

2 - Distribuir as forças militares pela floresta, durante todo o Verão, em acções de vigilância permanente. (Pelo contrário, o que tem acontecido são acções pontuais de vigilância e combate às chamas).

3 - Alterar a moldura penal dos crimes de fogo posto, agravando substancialmente as penas, e investigar e punir efectivamente os infractores

4 - Proibir rigorosamente todas as construções em zona ardida durante os anos previstos na lei.

5 - Incentivar a limpeza de matas, promovendo o valor dos resíduos, mato e lenha, criando centrais térmicas adaptadas ao uso deste tipo de combustível.

6 - E, é claro, continuar a apoiar as corporações de bombeiros por todos os meios.

Com uma noção clara das causas da tragédia e com medidas simples mas eficazes, será possível acreditar que dentro de 20 anos a paisagem portuguesa ainda não será igual à do Norte de África. Se tudo continuar como está, as semelhanças físicas com Marrocos serão inevitáveis a breve prazo.
----------------------
José Gomes Ferreira

publicado por LauraBM às 23:48

24
Nov 05

jornalextra_rapaz.gifO dia em que a Comunicação Social anunciou mais um drama neste planeta tão conturbado: A PANDEMIA DAS AVES.

É pena que esta mesma Comunicação Social não seja apoiada pelo governo e trabalhem cada um por si, de costas viradas e quase sempre em jeito de confronto.


Era imprescindível que tivesse havido um comunicado a explicar ao público que não é abrindo a porta da gaiola dos passarinhos caseiros que se evita ou ameniza a pandemia.
Há pássaros que nasceram em gaiolas e estarão irremediavelmente condenados por essa atitude, já que nem sabem procurar alimento, não têm defesas e perecerão na boca de algum gato porque mal sabem voar.

SENHORES GOVERNANTES:

Era preciso informar mais e melhor; dizer às pessoas que não são os pássaros que têm nas gaiolas que os vão contagiar com a gripe das aves.
Era preciso informar as populações que nem sequer os cientistas sabem ainda, exactamente, qual a causa deste descalabro. Pensa-se, com muitas reticências e dúvidas que a causa poderá ser proveniente das aves migratórias, mas… elas sempre foram portadoras destes vírus.
Se nunca aconteceu nada de semelhante, alguma razão haverá para que agora se verifique uma mutação destes mesmos vírus.

Todos nós, humanos, somos portadores de vírus que nem por isso se transmutam e viram epidemia.

Todos sabemos dos exageros do público em geral e dos problemas que advêm de gente despolitizada, desinformada e inculta.

É preciso que o governo tenha em conta este tipo de gente e entenda que é necessário informar.

É necessário que a Comunicação Social entenda que alertar não basta e só causa transtornos,  confusões e alarmismos desnecessários.

Desinformada e desaconselhada, a população faz o que bem entende, sem cuidar de raciocinar.

Se governos e Comunicação Social quiserem ser respeitados e acatados terão que se esforçar mais em matéria de informação após o alarme.

A Comunicação Social, só quer vender papel ou audiências e isso já todos sabemos.
Não é respeitada porque nunca lhe interessou sê-lo. Uma Comunicação social assim, não é séria nem serve o fim para que foi criada – é apenas mais um negócio.

Um governo que não faz campanhas de sensibilização, informação e politização na Comunicação Social arrisca a estabilidade do povo do seu país.

Que triste negócio tão mal gerido e permitido pelos governos em nome da tão alardeada DEMOCRACIA E DIREITO À LIBERDADE DE IMPRENSA!!!!!!!!!! Direitos também implicam obrigações que nesta caso não são cumpridas.
-------------
3/11/2005
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 01:21

25
Ago 05

bruxa-caraverde.GIFSerá que alguma vez conseguiremos ter este país em ordem ???

Apesar de ter apenas 50 anos de idade e de gozar de plena saúde, o socialista Vasco Franco, número dois do PS na Câmara de Lisboa durante as presidências de Jorge Sampaio e de João Soares, está já reformado.
A pensão mensal que lhe foi atribuída ascende a 3.035 euros (608 contos), um valor bastante acima do seu vencimento como vereador.
A generosidade estatal decorre da categoria com que foi aposentado - técnico superior de 1ª classe, segundo o «Diário da República» - apesar de as suas habilitações literárias se ficarem pelo antigo Curso Geral do Comércio, equivalente ao actual 9º ano de escolaridade.
A contagem do tempo de serviço de Vasco Franco é outro privilégio raro, num país que pondera elevar a idade de reforma para os 68 anos, para evitar a ruptura da Segurança Social. O dirigente socialista entrou para os quadros do Ministério da Administração Interna em 1972, e dos 30 anos passados só ali cumpriu sete de dedicação exclusiva; três foram para o serviço militar e os restantes 20 na vereação da Câmara de Lisboa, doze dos quais a tempo inteiro. Vasco Franco diz que é tudo legal e que a lei o autoriza a contar a dobrar 10 dos 12 anos como vereador a tempo inteiro.
Triplicar o salário. Já depois de ter entregue o pedido de reforma, Vasco Franco foi convidado  para administrador da Sanest, com um ordenado líquido de 4000 euros mensais (800 contos). Trata-se de uma sociedade de capitais públicos, comparticipada pelas Câmaras da Amadora, Cascais, Oeiras e Sintra e pela empresa Águas de Portugal, que gere o sistema de saneamento da Costa do Estoril. O convite partiu do reeleito presidente da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo, cuja mulher é secretária de Vasco Franco na Câmara de Lisboa. O contrato, iniciado em Abril, vigora por um período de 18 meses.
A acumulação de vencimentos foi autorizada pelo Governo mas, nos termos do acordo, o salário de administrador é reduzido em 50% - para 2000 euros - a partir de Julho, mês em que se inicia a reforma, disse ao EXPRESSO Vasco Franco.

Não se ficam, no entanto, por aqui os contributos da fazenda pública para o bolo salarial do dirigente socialista reformado. A somar aos mais de 5000 euros da reforma e do lugar de administrador, Vasco Franco recebe ainda mais 900 euros de outra reforma, por ter sido ferido em combate em Moçambique já depois do 25 de Abril, e cerca de 250 euros em senhas de presença pela actuação como vereador sem pelouro.
Contas feitas, o novo reformado triplicou o salário que auferia no activo, ganhando agora mais de 1200 contos limpos. Além de carro, motorista, secretária, assessores e telemóvel.
Herança guterrista

Na mesma edição em que dá conta da aposentação de Vasco Franco, o «Diário da República» anuncia a passagem à reforma de uma técnica especialista da Secretaria-Geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros - Nina Garcia Passos Campos Costa, de seu nome - com um vencimento de 9616 euros, que representam qualquer coisa como 1928 contos por mês!
Seria mais uma gralha da folha oficial, ultimamente tão pródiga em erros?
O Ministério diz que não! A benfeitoria é uma herança política de António Guterres, que em Novembro de 1999 alterou a lei para permitir situações destas.
«O montante tem a ver com o ordenado que a senhora tinha e está devidamente tabelado em estruturas indiciárias conjuntamente elaborada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e pelo Ministéridas Finanças», disse ao EXPRESSO fonte do gabinete de Martins da Cruz.

Fica assim confirmada a derrogação por António Guterres da decisão imposta por Cavaco Silva de que nenhum funcionário público poderia ganhar mais do que o primeiro-ministro.
------------
28/05/2005
Isa sorriso

publicado por LauraBM às 14:51

01
Ago 05

Repasso como recebi

-----------------

Sara Rafael

E eu idem! (também repasso porque me serve de desabafo contra todos estes f.d.p. que nos «desgovernam»!)

 ----------------------

Laura B. Martins

repass.dentroquadrado.gif A linguagem é brava, mas acho que reflecte bem o sentimento da maioria dos  portugueses...
Ainda há quem tenha  " tomates "  e coloque os pontos nos iis...
Parece que o PM  terá dito que desta vez os sacrifícios serão distribuídos de  forma mais justa. Mais justa!!!!?????

São 23 horas cheguei agora a casa e trabalhei hoje doze horas. O meu filho já esta a dormir. Este ano já paguei em impostos e multas dezenas de milhares de euros, todos os meses pago um balúrdio de TSU, tenho custos financeiros indescritíveis por causa da forma como é cobrado o IVA, pago o PEC sobre um rendimento que pode não acontecer e este filho da puta vem-me dizer que os sacrifícios serão distribuídos de forma mais justa??? 
Tenho semanas durante o ano em que trabalho 20h por dia, este fim de semana não sabia sequer que dia era. No dia da greve de uma chusma de paneleiros andei na estrada a pagar portagens e a trabalhar para poder pagar impostos, comecei numa puta duma garagem sozinho e dei trabalho a uma carrada de gente a quem pago o IRS, a Segurança Social, Seguros de Trabalho e todas as taxas  que o estado me exige, não negoceio salários brutos, por isso que vão para o c..... com as contribuições dos trabalhadores, pago salários decentes e recuso-me a pagar o salário mínimo a seja quem for, investi e perdi, arranjei-me, voltei a investir e falhei de novo, recuperei e investi de novo e consegui. 
E estes paneleiros de merda vêm agora dizer-me que os sacrifícios são distribuídos de forma justa??? Sabem sequer o que é não dormir, desesperar, cair e levantar sem pedir um tostão que seja ao f.d.p. do Estado?
Nem subsidio de desemprego nem o c.......?!

E tenho que ouvir todos os dias as queixinhas dos policias, dos funcionários, dos professores com horário zero (!), dos funcionários dos correios, dos Anacletos e afins, que fujo ao fisco, que exploro  os trabalhadores, que tenho que pagar mais impostos, que sou um parasita????
Já paguei todos os impostos de facturas que até agora não consegui cobrar (IVA e IRC. Paguei IRC sobre stocks que não sei se algum dia conseguirei vender e os sacrifícios são distribuídos de forma justa??!!!

Os 2000 funcionários da CM de Albufeira trabalham das 9h às 15h com intervalo para almoço e de caminho a mesma CM entrega e paga serviços a  empresas privadas; decidiram mudar a escada da parte velha, fecharam-na, derrubaram a antiga e colocaram a estrutura em metal, após quinze dias  retiraram a mesma estrutura e  colocaram-na em madeira! E ainda queriam fazer um elevador até à praia!!! E eu pago.
Num qualquer Instituto mais de 50 chulos tratam de 9 (!) putos. E eu pago.  Substituem administradores pagando indemnizações, contratam o Fernando Gomes  e o Nuno Cardoso (!!!!). E eu pago.  Inventam Institutos e Fundações. E eu pago.  Inventam as SCUTS. E eu pago.  O PEC. E eu pago.
O Presidente apela ao patriotismo. E eu pago.  Sr. Presidente, com todo o respeito que me merece -  Vá-se f…….!
A CM de Paredes de Coura faz Parques de estacionamento sem trânsito. E eu pago.  O Sá Fernandes rebenta com o orçamento da CM de Lisboa. E eu pago.  Sacrifícios???!! De quem c.........?!

Prestam-me um serviço de merda na saúde, a educação é tão miserável que sou  obrigado a por o meu puto num colégio privado, nem me atrevo a cobrar dividas em Tribunal devido à miséria que é a Justiça. E pago.
Preciso de uma puta de uma cirurgia e tenho dezasseis mil pessoas em lista  de espera, pelo que se não tivesse um seguro de saúde estaria como milhares  de desgraçados que se calhar já morreram. E eu e eles pagamos.
Os sacrifícios são distribuídos de forma justa??? Como c...........??!!!

E aquela esfinge paneleira de óculos que preside ao Banco de Portugal esta à espera de colectar mais 0,03% do PIB com o aumento do IVA?
Pois tenho uma pequenina novidade para o reconhecido génio:
Talhos, advogados, lares, lojas de móveis e outros pequenos negócios que conheço já têm a contabilidade e pagam impostos em Espanha e eu, assim seja possível, no ano da graça de 2006  pagarei todo o IVA, IRC e contribuições em Vigo.
A chulice destes filhos da  puta que vá cobrar ao c...........!
E quero que se f...... a solidariedade e a  conversa de merda porque não me sai do corpo para o dar a chulos. Por alma  de quem? Mais justo??!!

A GENTE NÃO MERECE ISTO!!!

publicado por LauraBM às 16:47

03
Fev 05

Degradacaolixos.gifPor isso é que o S. L. anda à nora com a co-incineração...... Já está a ver o rabinho a arder!!!!!! Ora se está!!!!!!
Quem tem c...... tem medo!!!!!!!!!!!

Mas não tenhas medo, homem!... Julgas que o Zé Povinho é assim tão parvo que não vê as baboseiras que o Sócrates anda a dizer?
É que de Sócrates... ele apenas tem o nome, não a idade!!!!!!
O outro já morreu há muito tempo. Esse é que sabia o que dizia e não andaria, com certeza, por aí a propalar aos 4 ventos uma insistente asneirada; quando nos outros países já está provado que há outras destinos para os lixos tóxicos, bem menos poluentes, que afectam menos o meio ambiente, não desagradam às populações e são menos onerosas.
Só um pateta prepotente é que insiste em falar naquilo que desagrada ao povo, em época de eleições!!!!!

E se pensarmos que a comunidade europeia já nos quer penalizar por desrespeitarmos as quotas das emissões de gases para a atmosfera... (será preciso dizer mais, dum partido que apresenta para concorrer a primeiro ministro aquilo que tem de melhor? Coitados!!!!!
-----------
1/02/2005
Laura

publicado por LauraBM às 13:31

19
Jan 05

Comentários fora do contexto - 1 e 2
repassando_passarinhos.gif A autora colocou este texto no meu antigo «Blog Religioso versus Filosófico» http://laurabmartins12.blogs.sapo.pt/  no artigo “Problemas” de 4/01/2005.
Entendi que ele estava fora do contexto do mesmo; por isso, trouxe-o para aqui.
Para quê comentar se a insatisfação é geral?
Tudo quanto se vê e ouve nas TVs, relativo aos políticos da moda, só dá vontade de as fechar e não votar em nenhum.
Não temos realmente ninguém que se aproveite, mas sim muitos aproveitadores.
Deus nos valha porque nem podemos deixar de votar. Isso seria trágico!
Vamos todos para o voto totalmente riscado!
Essa é a solução imediata!
Não lhes vamos dar o prazer do voto - a nenhum deles - porque a insatisfação do povo é grande e generalizada.
A mim já não me enganam!!!
Quem me dera que todos fizessem o mesmo para eles saberem que não gostamos deles nem das ideias deles!
Seria uma grande bofetada na fronha de tais tipos!!!!
------------------
Laura B. Martins

A Sedes, organização cívica????????????????????????????????? Preocupada com o actual estado das finanças públicas anuncia um relatório, sem estudo algum, a informar que o nosso pais esta há beira da banca rota, tal como aconteceu à Argentina...............................................
Para começar, a crise na Argentina, e segundo os analistas internacionais, deveu-se há teimosia de governos que mantinham a sua moeda forte, face ao dólar americano...........................................
Não é o caso do nosso pais que estamos integrados num sistema monetário bem mais sólido..............................................
Por outro lado falam que o estado deve aumentar os impostos..........................
Sendo os membros dessa associação, administradores dos maiores bancos nacionais, presume-se que estão pedindo aumento de impostos para os outros, não para eles....................................................................
Quem põe dinheiro nas off shores?.................................................................
Não será por certo a mulher da padaria, mas talvez alguém através dos bancos que os membros dessa associação representam.....................

Um deles , graças ao Partido Socialista , ainda é administrador da Caixa geral de Depósitos, banco que aceitou Mira Amaral e depois lhe deu a reforma......

Talvez por ele, se manter à frente de tão grande instituição, que ela está como está, pois fala da crise na Argentina e revela não conhecer os factos.....
Não dizem esses administradores aos cidadãos que tentaram mostrar o relatório, quais são os vencimentos que auferem.............
Mais grave, são nalguns bancos portugueses que começam já a descontar 10 euros por mês a cada reformado que receba por conta bancária...........
Não deveriam os membros dessa associação, perseguir, quem foge ao fisco???????????????????????????????????
Não ficariam imediatamente no desemprego, caso tentassem?????????
Ou estarão sendo tentados a patrocinar um governo que seja mais tolerante com quem procure a fuga aos impostos?
-------------
19/01/2005
Carla Afonso
===============================================

A autora colocou também este texto no meu antigo «Blog Passarada e outros animais». http://laurabmartins03.blogs.sapo.pt/  no artigo - “Vc vem ou fica aí dentro?” de 30/11/2005.
Entendi que ele estava fora do contexto do mesmo; por isso, trouxe-o para aqui.
Para quê eu comentar se a insatisfação é geral?
tudo quanto se vê e ouve nas TVs, relativo aos políticos da moda, só dá vontade de as fechar e não votar em nenhum.
Não temos realmente ninguém que se aproveite, mas sim muitos aproveitadores.
Deus nos valha porque nem podemos deixar de votar. Isso seria trágico!
Vamos todos para o voto totalmente riscado!
Essa é a solução imediata!
Não lhes vamos dar o prazer do voto - a nenhum deles - porque a insatisfação do povo é grande e generalizada.
A mim já não me enganam!!!
Quem me dera que todos fizessem o mesmo para eles saberem que não gostamos deles nem das ideias deles!
Seria uma grande bofetada na fronha de tais tipos!!!
----------------
Laura B. Martins

Na Sagrada escritura, que considero nela a Palavra de Deus, está escrito:
- Ouvireis falar de guerras, rumores de guerras, terramotos, fome e pestes, mas isto não será o fim.
Eu penso que isto seja o princípio das dores.
Tal como a Bíblia relata, Jesus não veio há terra para trazer só a misericórdia, mas também para trazer espada.Quem é de Cristo aceita a palavra, quem não é odeia.
È o que está a notar-se nos dias de hoje, pais odiando filhos, irmãos odiando irmãos. São estes alguns dos sinais que antecedem o fim e a vinda de Cristo.
Só que antes há-de revelar-se o anti-Cristo, que as nações adoraram e sem saberem bem porque.
Quando veio há memória esta palavra, lembrei-me de José Sócrates, que até hoje nada fez pelo país, mas é adorado por todos como um Deus.
A idolatria está ao rubro, prestando apoio a um homem que não tem rumo para o país, chama de trapalhão a toda a gente que passa na frente dele e a seguir vai tentar imitá-los.
Detesto política e só as religiões diabólicas é que normalmente apoiam governos e querem participar das governações, sendo que neste momento vejo a Babilónia empenhada em ver Sócrates no governo.
Antes fizeram o mesmo com Guterres e o país ficou de tal maneira destroçado em todos os níveis, que até hoje ninguém sabe mais a solução. Só Deus mesmo é que tem a solução, pois está escrito que senão for Deus a edificar a casa, em vão trabalham todos aqueles que a edificam.
Vejo famílias em conflito por causa destas eleições, amigos a dividirem-se, colegas de trabalho a desagregarem-se.
Tudo porque José Sócrates foi nomeado líder do PS.
Ele nem sabe fazer contas, afirma que 200 milhões de euros conseguem tirar os pobres de Portugal da pobreza.
Isso não paga as reformas, nem de um mês.
Ele foi a Espanha mostrar ao governo espanhol que não está de acordo na retirada das tropas do Iraque.
Ele não consegue ir a debate com membro de nenhum partido, por medo de revelar-se a incompetência, preferindo enviar secretários.
Porque o povo então o adora?
Lembram-se da BESTA, do DRAGÂO, da MERETRIZ? Qual destes estará ele encarnando? Não, sei, mas pelo que revela, ele de Deus não tem nada, pois quem mente tem por pai a satanás.
Está escrito que se os dias não fossem abreviados, ninguém se salvaria, nem mesmo os de Crentes.
Atenção ao enganador, que saiu pelo mundo a seduzir as nações.
Que Deus abençoe............................
-----------
19/01/2005
Carla Afonso

publicado por LauraBM às 16:08

13
Jan 05

http://www.caloteirosdeportugal.pt/

Quando pretendemos abrir este site, encontrámos apenas estas palavras abaixo.
Estamos crentes que não se trata de qualquer espécie de boicote
- Deus nos livre de maus pensamentos -)

Pedimos Desculpa Mas De Momento Não é Possível Aceder a
Qualquer Parte deste Site.

ENTENDEMOS POR BEM SUSPENDER A CONSULTA DOS DADOS DESTE SITE ENQUANTO AGUARDAMOS O PARECER DA CNPD
(Comissão Nacional de Protecção de Dados)
EM RELAÇÃO À SUSPEITA DA ILEGALIDADE.

AFIRMAMOS DE ANTEMÃO QUE NÃO É NOSSA PRETENSÃO
PUBLICAR DADOS PESSOAIS DE NENHUM CIDADÃO OU PESSOA SINGULAR
SEM ANTES ENTRAR EM CONTACTO COM O CNPD,
MAS SIM DE EMPRESAS EM NOME COLECTIVO,
NÃO ESTANDO OS DADOS DESTAS ABRANGIDAS PELA MESMA COMISSÃO.

A verdade é que tornamos a esta página e, hoje nem isto lá encontrámos.
O que existe é o que podem ver em baixo:

Index of /
          Name                   Last modified       Size Description

Parent Directory      07-Dec-2004       12:21     -


cgi-bin/                   18-Mar-2004       09:56     -


Deus nos livre de maus pensamentos... mas........
será que fez doer a alguém influente?
Dizem que o ESTADO é o pior dos pagadores!.........
Cala-te boca! Cruz, credo!
---------------------------
visto durante o ano de 2004
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 00:04

14
Dez 04

Queiram tomar conhecimento e dar seguimento para todos os interessados.

Boletim da GRC (Gestion de la Relation Client - Gabinete de Relações Públicas, em Portugal, NT)

Estejam atentos às pessoas que se colocam perto com um telemóvel.
No supermercado, no restaurante, na mercearia, no talho, etc. os novos telemóveis permitem que se tire uma foto do cartão de crédito na qual elas encontrarão o vosso nome, o número do cartão e a data de validade.

Roubar a identificação de terceiros é o crime com maior taxa de aumento, na actualidade.
Tomem atenção às pessoas que vos rodeiam.

Queiram transmitir esta mensagem aos vossos pais, amigos e conhecidos.
---------------
6/12/2004
Henrique Furtado

publicado por LauraBM às 22:56

13
Dez 04

Estudo da Polícia sobre estupradores

Um grupo de estupradores na prisão foi entrevistado para saber o que eles procuram em uma vítima potencial.
Eis alguns fatos interessantes:

1) A primeira coisa que eles olham em uma vítima potencial é o  penteado.
     É mais provável que eles ataquem uma mulher com rabo-de-cavalo, coque, trança ou qualquer outro penteado que seja possível puxar mais facilmente. É provável também que ataquem mulheres com cabelos longos.
    Mulheres com cabelos curtos não são alvos comuns.

2) A segunda coisa que eles olham é a roupa.
    Eles vão olhar para mulheres em que a roupa seja fácil de tirar rapidamente.
    Eles também procuram mulheres falando no celular ou fazendo outras coisas enquanto anda - isto sinaliza que estão desatentas e desarmadas e podem ser facilmente apanhadas.

3) A hora do dia em que eles mais atacam e estupram mulheres é no começo da manhã, entre as 05:00h e 8:30h.

4) O lugar campeão para apanhar mulheres é o lugar onde ficam os estacionamentos de escritórios.
      Em segundo lugar, estão os banheiros públicos.

5) Somente 2% dos estupradores porta armas .
     Isto porque a pena para um estupro é de 3 a 5 anos de prisão - mas para estupro armado, é de 15 a 20 anos.

6) Estes homens procuram atacar de forma e em lugares a que possam carregar a mulher rapidamente para um outro ponto, onde não tenham que se preocupar em serem apanhados.
   Se você esboça qualquer reacção de luta, eles costumam desistir em aproximadamente dois minutos: acham
que não vale a pena, que é perda de tempo.

7) Disseram que não pegam mulheres que carregam guarda-chuvas ou objectos que possam ser usados como arma a uma certa distância (chaves não os intimidam, porque para serem usadas como arma, a vitima tem que deixá-los chegar muito perto)

8) Se alguém estiver seguindo você em uma rua ou em uma garagem ou se estiver com alguém suspeito em um elevador ou numa escadaria, olhe-o no rosto e pergunte alguma coisa, tipo "Que horas são?"
   Se ele for um estuprador, terá medo de ser posteriormente identificado e perderá o interesse em tê-la como vítima.
  A ideia é convencê-lo de que não vale a pena chegar em você.

9) Se alguém pular à sua frente, grite!
  A maioria dos estupradores disse que largaria uma mulher que gritasse ou que não tivesse medo de brigar com ele.
  Novamente: eles procuram por ALVOS FÁCEIS.
  Se você empunhar um spray de Pimenta e gritar, poderá mantê-lo à distância e é provável que ele fuja.

10) Esteja sempre atenta ao que se passa à sua volta. Caso perceba algum comportamento estranho, não o ignore.
   Siga seus instintos. Você pode até descobrir que se enganou, ficar meio desnorteada no momento, mas pode ter certeza de que ficaria muito pior se o rapaz realmente atacasse.

11) Em qualquer situação de perigo, caso queira gritar, grite sempre "FOGO! FOGO!"
e muito mais pessoas acudirão (curiosos).
    Caso seu grito seja "socorro!" a maioria das pessoas se omite, por medo.

12) Faça uma gentileza:
     Repasse este e-mail para qualquer mulher que conheça e também para homens - estes podem repassar às suas amigas, namoradas, enfim...são coisas simples, mas que podem evitar traumas e, até mesmo, salvar uma vida. 
---------------------------------------------------
1/11/2004
Sara Rafael
http://geocities.yahoo.com.br/jerusalem_13/sararafael.html

publicado por LauraBM às 22:43

15
Ago 04

pombo_voar.gif
ANIMAL alerta para relação perigosa entre Ministro-Adjunto Henrique Chaves e Federação Portuguesa de Tiro com Armas de Caça

Henrique Chaves, até aqui advogado da Federação Portuguesa de Tiro com Armas de Caça, foi agora nomeado Ministro-Adjunto do Primeiro Ministro, com a tutela ministerial do desporto e das federações desportivas, nomeadamente da Federação que é sua principal cliente de há anos e da qual tem sido um activo comissário político

Para Divulgação Imediata - 26 de Julho de 2004
Contacto para Imprensa Miguel Moutinho (Tm: 96 235 81 83) Director Executivo da ANIMAL

É com extrema preocupação e apreensão que a ANIMALconfirmou que Henrique Chaves, Ministro-Adjunto do Primeiro Ministro do novo Governo, passa a ter a tutela ministerial do Desporto – e, consequentemente, das Federações Desportivas –, na medida em que o agora Ministro Henrique Chaves tem, até aqui, sido o advogado da abastada e influente Federação Portuguesa de Tiro com Armas de Caça e de dezenas de Clubes de Tiro associados a esta.

Com efeito, nos últimos anos e até à presente data, Henrique Chaves tem-se destacado como advogado da Federação Portuguesa de Tiro com Armas de Caça (considerada federação desportiva) e de muitos clubes de tiro que lhe estão associados, entidades ao serviço das quais o agora Ministro-Adjunto com a tutela das mesmas tem por todos os meios tentado tornar lícita a prática de tiro aos pombos em Portugal, trabalho que tem desenvolvido também no Parlamento, como autêntico comissário político desta Federação.

O Ministro Henrique Chaves vem anunciando há já muito tempo a sua firme vontade de, cumprindo o objectivo da Federação que o contratou, conseguir legalizar esta cruel prática, que implica a mutilação e morte “desportiva” de milhares de pombos por ano e que por isso mesmo está proibida em toda a Europa (excepto em Espanha), incluindo em Portugal, pela Lei de Protecção dos Animais. Agravando uma tendência que já se registava, o Ministro Henrique Chaves revelou-se, nos últimos tempos, cada vez mais violento e hostil à ANIMAL, nomeadamente dirigindo-se com muita frequência a esta organização de defesa dos animais com graves referências injuriosas, o que tem feito sobretudo nos muitos processos judiciais que a ANIMAL tem accionado para impedir dezenas de provas de tiro aos pombos em Portugal, promovidas pela Federação Portuguesa de Tiro com Armas de Caça com o radicalmente activo patrocínio jurídico de Henrique Chaves.

Segundo Miguel Moutinho, Director Executivo da ANIMAL, “é extremamente grave e preocupante que o advogado do poderoso e influente grupo de interesses que é a Federação Portuguesa de Tiro com Armas de Caça seja agora o ministro que a tutela directamente, com todas as possíveis e previsíveis consequências de favorecimento que isso possa ter, especialmente atendendo ao facto desta Federação ser até aqui uma das principais clientes do agora Ministro Henrique Chaves, que se tem revelado um seu dedicado representante jurídico, como advogado, e político, como Deputado à Assembleia da República. A ANIMALacredita que esta nomeação não será alheia à declarada intenção deste governante de satisfazer uma das principais exigências deste grupo, que tem sido um seu importante cliente, no que se refere à legalização da prática de tiro aos pombos em Portugal, entre outras possíveis medidas de favorecimento da mesma federação que Henrique Chaves possa tomar”.

================================
Associação ANIMAL | www.Animal.org.pt | info@Animal.org.pt
R. Ferreira Borges, n.º 64 - 3.º 4050 Porto

publicado por LauraBM às 12:52

06
Ago 04

cruz_ceu_nuvem.gif Ontem encaminhamos ao Portugal Club uma nota mencionando a celebração de uma missa em Fátima, denominada “MISSA DA ESPERANÇA”.  Ouvimos isso num programa de rádio.
A cerimónia, dizia o comunicado, era promovida pela comunidade portuguesa  emigrante de São Paulo e dela participavam artista famosos, nomeadamente, Ana Maria Braga, Sérgio Reis, Fáfá de Belém, Ângela Maria, Roberto Leal e outros.
Tinha sido  convidado também o Padre António Maria do Rio de Janeiro, o deputado NEVES da emigração e outras personalidades da fé e da farra.
O radialista carioca, da Rádio Carioca, Mota Pimenta, que hoje transmitiu a festa para um outro programa da Rádio Bandeirantes, fez entrevistas com os artistas e declarações retumbantes de emoção e comoção.
Tudo bem, foi um confraternização de fé, bonita, singela, enternecedora.
Os artistas, apesar de terem tudo, também precisam de graças e disseram ter ido lá para agradecê-las à Virgem de Fátima, nada mais justo.

Mas a história tem prefácio.
E esse prefácio aponta para o custeio do passeio que, segundo os vigilantes da coisa pública, correu por conta do ICEP, um órgão do Governo de Lisboa sediado na chancelaria consular de São Paulo e promotor de negócios junto à empresa privada.
A ser verdade, o episódio é provocante.
Então uma parcela da emigração morre à míngua, velha, doente, indigente, as autoridades alegam dificuldades financeiras para atende-los e há dinheiro para encontros de fé e acção de graças de tamanha e falsa configuração ?

Quando vemos esses artistas no vídeo falando sobre  humanismo, altruísmo e outras influências até nos deslumbramos, mas diante duma dessas, a fé cada vez mingua mais.  
E, aqui perguntamos, como fica o problema social dos carentes emigrantes do Rio de Janeiro?
A cesta básica que lhes davam parece que vai ser suspensa.
O ASIC está atrasado.
O cadastramento de outros pobretões está parado.
Quem vai tolerar uma humilhação destas ?

Gasta-se dinheiro público para artistas irem a Fátima agradecer milagres à Virgem, enquanto nossas velhotas agonizam rezando e chorando ?
Será que a CARAVANA segue na estrada sem ouvir os latidos e gemidos ?
---------------------------------------
Gabriel Cipriano / Rio de Janeiro, cidade do sol
==============================
Do PortugalClub:

Que saudades do Tempo da Dita Dura!!!
Quando um dia um grupo de Artistas, chegaram a São Bento, e pediram ao inquilino daquele palácio, verba, para fazer uma tournée pelo Brasil, levaram um estrondoso NÃO.
O Salazar, firme respondeu, para os Alegres Artistas!... 
Como é que vocês, querem que lhes dê dinheiro para ir cantar e dançar no Brasil, se é preciso primeiro matar a fome dos necessitados, aqui em Portugal?

Nos tempos que correm, assistimos, a todo o tipo de sem vergonhice, e falta de respeito para com o povo.
------------------------------------------------------------------------
21/11/2004
PORTUGALCLUB// Ouvidoria do Povo de PORTUGAL


NOTA:
Realmente a Fé anda um bocado enevoada. Vem chuva... ou pau pra cima deles?

--------
Laura

publicado por LauraBM às 16:59

05
Ago 04

pombabranca_voar.gifRepassando este artigo da Associação ANIMAL, com as lágrimas nos olhos, apesar de a notícia já ser de 2/2003.
Mais uma vez, e desta a chamada "fina flor" portuguesa (de fina nada lhe vejo, e de flor ainda menos... só se for "a fina flor do entulho"), deu provas de grande crueldade, pouca democracia e desrespeito pela vida e sofrimento dos animais.
Para gáudio de uns tantos malandros e cruéis irresponsáveis, (os manda-chuva da economia de Guimarães), foram mutilados e mortos a tiro 5.000 pombos no Clube Industrial de Pevidém - Guimarães, cujo objectivo é chacinar por ano cerca de 60.000 aves em aberrantes provas de tiro ao alvo.
Desrespeitar as Ordens do Tribunal são hábitos arreigados que, os bolsos recheados acoitados à sombra do poder político, ainda teimam em fazer valer.
Tais hábitos eram tão fortes que, mesmo a Polícia de Segurança Pública, ainda demonstra pejo em obrigá-los a respeitar as Leis.

Pelo menos, desta vez, a multa doeu alguma coisa e não foi como de costume, só para a gente se rir... e eles também. Dantes, pagavam multas de bom grado,(quando pagavam e quando lhes eram aplicadas) porque, era mais fácil pagar e não se aborrecerem do que discutir com as autoridades.
De resto, as multas, quando as havia, eram irrisórias; dado que provinham de Leis de há de há 20/30 anos ou mais, e as respectivas coimas datavam dessa altura.

Alguma coisa mudou neste abençoado país? Sim, alguma coisa mudou, mas os mandantes que empossamos nos governos ainda são do tempo do antigamente, (pelo menos em ideias), e nem sequer há o cuidado de lhes dissecar a vidinha para ver se são dignos ou não dos cargos políticos.
Fica tudo no segredo de justiça (desculpem o erro) política.
Ninguém se lembra que quando se nomeia um ministro, e mais do que isso - um primeiro ministro, ele logo se rodeará dos acólitos porque irá procurar apoios, não vai comprar brigas e desentendimentos.
É por isso mesmo que o agora Ministro Henrique Chaves continua a interpor recursos atrás de recursos numa tentativa de manter tão cruel prática, proibida pela Lei de Protecção dos Animais.

Pelo menos nisso... sempre dou valor aos americanos que põem tudo a nu; nem se acanham de depor um presidente se a coisa lhes cheirar menos bem.
Isso é que é democracia!
Tal como eu sempre digo: «não se podem ter dois pesos e duas medidas»!
--------------------------------------
Laura B. Martins
============================================
Intervenção Judicial da «Associação ANIMAL» Contra o Tiro aos Pombos em Portugal

Decisão do Tribunal da Relação de Guimarães favorável à ANIMAL mantém sanção aplicada ao Clube Industrial de Pevidém por ter realizado prova de tiro aos pombos

Em Fevereiro de 2003, o Tribunal Judicial da Comarca de Guimarães deu provimento a um procedimento cautelar interposto pela ANIMAL, proibindo uma prova de tiro aos pombos que estava prevista para acontecer no Clube Industrial de Pevidém, sito no concelho de Guimarães.
No dia da prova, e não obstante a ordem judicial decretada, os responsáveis deste clube de tiro prosseguiram com a mesma, desobedecendo deliberadamente a esta sentença judicial, o que fizeram com a cumplicidade da PSP local, cujo comandante afirmou, perante os elementos da ANIMAL presentes no local, que não interviria “porque a «fina-flor» da economia de Guimarães estava naquela prova de tiro aos pombos”.
Isto, mesmo estando explicitamente obrigado pela dita sentença a intervir e impedir a prova.

No seguimento deste acto de desobediência qualificada, o Tribunal Judicial de Guimarães aplicou as sanções previstas na providência cautelar decretada, nomeadamente uma multa de 10.000 euros por cada dia de incumprimento da decisão judicial (a prova durou dois dias, nos quais foram mutilados e mortos a tiro 5.000 pombos), decisão que foi contestada, por recurso, pelo Clube Industrial de Pevidém, então representado pelo agora Ministro-Adjunto do Primeiro Ministro, Henrique Chaves, na sua contínua defesa do tiro aos pombos em Portugal.

O recurso, entretanto apreciado pelo Tribunal da Relação de Guimarães, foi agora dado como improcedente por este tribunal de apelo, que considerou que a sanção aplicada ao Clube Industrial de Pevidém deve manter-se e ser executada (nomeadamente com o pagamento de uma multa de 20.000 Euros).

Depois de, a propósito de uma acção principal de um processo judicial contra o tiro aos pombos, também em resposta a um recurso interposto pelo agora Ministro Henrique Chaves, os Desembargadores do Tribunal da Relação de Guimarães terem já, num Acórdão, considerado que esta prática é, além de cruel, proibida pela Lei de Protecção dos Animais, esta é uma decisão judicial que vem reforçar o caso contra o tiro aos pombos, sendo mais uma das cada vez mais expressivas e fortes vitórias judiciais da ANIMAL, no seu esforço para pôr fim a esta prática alegadamente desportiva, mas que é na verdade aberrante, e que consiste em matar cerca de 60.000 pombos por ano em provas de tiro ao alvo.

Seja parte da Mudança. Junte-se à ANIMAL!

Torne-se sócia/o da ANIMAL e apoie a organização na defesa dos direitos dos animais.
Inscreva-se através de socios@animal.org.pt.
Junte-se ao Grupo de Activismo da ANIMAL.
Inscreva-se enviando um e-mail em branco para activismo_animal- subscribe@yahoogroups.com.
Para mais informações, por favor contacte a ANIMAL através do e-mail info@animal.org.pt  ou visite o site www.animal.org.pt.
Se não quiser receber mais a Newsletter da ANIMAL, por favor envie um e-mail com a inscrição "Sair" para info@animal.org.pt.

publicado por LauraBM às 01:31

03
Ago 04

cidade_-casario.jpgHoje caiu mais um prédio em Lisboa. Na zona antiga da capital - Campo de Ourique.
Aquela zona castiça de que os n/políticos falam, com muito carinho, e costuma servir pra embalar turistas (tipo conversa mole pra boi dormir).

Parece que, mais uma vez, o canal de televisão - SIC - se prestou ao trabalho de trazer à luz do dia outro escândalo. Também costuma fazer, e muito bem, o trabalho de detective; muitas vezes em assuntos onde a polícia não chega (ou não quer chegar), e locais onde não vai (ou não quer ir).......... mas os repórteres da SIC vão.
Não sei se é bom ou mau, sabermos assim, pela TV de tanta pouca vergonha que doutra forma talvez ficasse encoberta; mas a gente também não se aborrecia porque «olhos que não vêm, coração que não sente.
O facto é que conseguem descobrir coisas que a polícia não consegue!?!?!?

Voltando ao caso do prédio desabado, sempre é bom a gente saber que, durante a vigência de Santana Lopes como presidente da Câmara de Lisboa, foi feito um levantamento dos prédios em mau estado e que ameaçavam ruína, pelo que precisariam de obras urgentes.
Até aqui, tudo bem!!!!!Depois é que a coisa começa a complicar-se:
Em Abril foi eleita uma comissão - mais uma - para organizar definitivamente os casos e dar andamento aos processos, quer dizer: fazer obras. Mas, até hoje, nem novas nem mandadas da tal comissão. Tudo caladinho que nem ratos!
Quando os inquilinos se queixavam à Câmara, por norma eram-lhes prometidas as obras; e sempre iam dizendo que, nessa semana ou no início da seguinte, os andaimes estariam a caminho.
Estão a gozar com os pobres, ou quê?
Pois foi até hoje; neste prédio que já caiu e nos outros que ainda se mantêm de pé, em estado de precário e perigoso equilíbrio.
Nos outros... a ver vamos, como diz o cego!
A gente sabe que, na maioria dos casos, os proprietários dos prédios não querem nem podem fazer-lhes as obras devidas porque as rendas são irrisórias; e lá porque uma pessoa é dona de um prédio... não quer dizer que seja rica. Mas, sendo assim...
Não deveria a Câmara impor a sua autoridade e expropriar um bem que vai acabar por não o ser, lesando muitas famílias de classe baixa?
Ou fazer-lhes as obras e passar a receber as rendas até as dívidas serem pagas?
Ou propor comprar os imóveis por um preço justo, tendo em atenção o estado deles e arranjá-los?
Estar à espera que caiam para venderem os terrenos já desimpedidos é que não me parece solução. A mim e a um montão de famílias que ficaram na rua e sem os seus haveres. Como é que é?

Às 9 horas da manhã d'hoje, apresentaram-se à porta do imóvel a guarda e os bombeiros, desalojando as famílias tão rapidamente que nem tiveram tempo de retirar as suas coisas. Ficaram defronte, na rua, a chorar a triste sina e à espera que tudo ruísse. Como demorou uns minutos, atreveram-se a entrar lá e ir tirando o que puderam.
Só por sorte é que ninguém lá ficou dentro.
Foi tudo tão rápido que os animais de estimação lá ficaram, tendo entretanto sido retirados a pouco e pouco e só porque o prédio não caiu a horas certas.

Bom, eu não sou da Associação dos Inquilinos nem da Câmara, para estar para aqui a dar palpites, mas parece-me ser uma situação insustentável, até mesmo porque uma boa parte dos prédios pertence à própria Câmara, que também não cumpre com as obrigações, dado que é dona e senhora de muitos imóveis em estado deplorável. Como é que vai fazer cumprir a Lei se ela própria não cumpre?
Muitos destes dramas poderiam muito bem ser evitados, creio!!!!!!!!!!!!!!

Não tenho prazer em dizer mal dos políticos, nem destes nem doutros, mas lá que alguma coisa está errada com esta classe............ lá isso está!
Sei que os políticos herdam as batatas quentes dos governos e mandatos anteriores. Mas enquanto podem mandar, também me parece que se sentam à sombra da bananeira a ver o melhor modo de encherem o tacho e pagar os favores aos amigos que favoreceram as suas eleições.

Estarei só a ser má língua ou algo há de errado, nisto tudo?
Quem souber que me responda.... fico à espera!!!!!!!!!!!!!!!!!!
-----------------
3/08/2004
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 14:54

"O Congresso Nacional é um local que:
se gradear vira zoológico,
se murar vira presídio,
se colocar uma lona em cima vira circo,
se colocar lanternas vermelhas vira prostíbulo
e se der descarga não sobra ninguém."

======================

Frase do Dia, do Mês, do Ano e do Século

“Portugal é hoje um paraíso criminal onde alguns inocentes imbecis se levantam para ir trabalhar, recebendo por isso dinheiro que depois lhes é roubado pelos criminosos e ajuda a pagar ordenados aos iluminados que bolçam certas leis.”


===================================

"Ponha-se na presidência qualquer medíocre, louco ou semi-analfabeto, e vinte e quatro horas depois a horda de aduladores estará à sua volta, brandindo o elogio como arma, convencendo-o de que é um gênio político e um grande homem, e de que tudo o que faz está certo.
Em pouco tempo transforma-se um ignorante em um sábio, um louco em um gênio equilibrado, um primário em um estadista.
E um homem nessa posição, empunhando as rédeas de um poder praticamente sem limites, embriagado pela bajulação, transforma-se num monstro perigoso".

-------------------------------------------

General Olímpio Mourão Filho
(in A Verdade de um Revolucionário de 1978)



ESSA FRASE DEVE CONTINUAR CIRCULANDO....

Frase da filósofa russo-americana Ayn Rand (fugitiva da revolução russa, que chegou aos Estados Unidos na metade da década de 1920), mostrando uma visão com conhecimento de causa:


“Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que a sua sociedade está condenada”.


Qualquer semelhança com o Brasil e o Portugal de hoje, não é mera coincidência...


"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas...”

--------------------------------------------

Guerra Junqueiro, in "Pátria", escrito em 1896

O problema de Portugal é que quem elege os governantes
não é o pessoal que lê o jornal, mas quem limpa o traseiro com ele!


Para que serve a política?

*Funcionamento do blog:
Clique sobre cada TAG e veja os arquivos do tema.
*Antiguidades óptimas
*A sair do forno
Um povo imbecilizado, uma classe política corrupta...
Eu não ligo muitos aos conceitos 'Direita' e 'Esqu...
Por favor, ajude-me a trazer esta petição para a a...
EU NÃO ME ENQUADRO NESSE ...
Nem sei que responda a um caso tão dramático.A rea...
A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol IIINo caso da ...
as Eleições em Portugal a Comissão Nacional de Ele...
Em relação aos sistemas económicos, muito se tem f...
Se com uma pensão inteira já é quase impossível ...
Isso é governar, não é comprar votos como fazem L...