Olhando pra Lisboa, ali tão perto ............... lá no alto, de cabelos ao vento................................ o Cristo-Rei foi pregar para o deserto ..................... e deixou os camelos em... «Belém»!

=========================================

FRASES INTEMPORAIS APLICADAS À POLÍTICA

1 - O cigarro adverte:

"o governo faz mal à saúde!"

2 - Não roube,

“o governo detesta concorrência.”

3 - Errar é humano.

“Culpar outra pessoa é política.”
4 - Autarcas portugueses
"São os mais católicos do mundo. Não assinam nada sem levar um terço.

5 - Se bem que…

"o salário mínimo deveria chamar-se gorjeta máxima".

6 - Feliz foi Ali-Babá que:
"não viveu em Portugal e só conheceu 40 ladrões!!!..."

7 - Não deixe de assistir

"ao horário político na TV:

Talvez seja a única oportunidade de ver políticos portugueses em "cadeia nacional".

8 – O maior castigo

"para quem não se interessa por política é que será governado pelos que se interessam."

9 - Os políticos
"são como as fraldas... Devem ser trocados com frequência, e sempre pelo mesmo motivo...

10 - Os líderes

"das últimas três décadas ou sucedem a si próprios ou então criam clones dos seus tiques."

11 - Os partidos
"
tomaram conta do Estado e puseram o Estado ao seu serviço."

12 - A frase do dia é de Alberto João Jardim:
- O que penso sobre o aborto?!...

- Considero-o um péssimo Primeiro-ministro e está a governar muito mal o País.

13 - Notícia de última hora!!!

- “Fiscais da ASAE, (brigada de inspecção da higiene alimentar), acabam de encerrar a Assembleia da República.“
Motivo: Comiam todos no mesmo tacho!

14 – Bom para Portugal!!!!!

"Sou totalmente a favor do casamento gay entre os políticos.

Tudo que possa contribuir para que eles não se reproduzam é bom para o país..."

15 - Candidatos:

"Antigamente os cartazes nas ruas, com rostos de criminosos, ofereciam recompensas;
hoje em dia, pedem votos".

16 - País desenvolvido:

"não é onde o pobre tem carro, é onde os políticos usam transporte público".

17 - Austeridade é quando

"o Estado nos tira dinheiro para pagar as suas contas até deixarmos de ter dinheiro para pagar as nossas".

18 - O governo esclare:

"Os cortes aos reformados só se aplicam a quem tiver 2 pensões. Quem tiver 2 hotéis ou 2 residenciais está safo".

19 - A força do Fisco:

"O estado arranca-me tudo à força e depois diz que sou contribuinte".

20 - País desenvolvido

não é onde o pobre tem carro, é onde os políticos, usam transporte público.

21 - Austeridade é quando

o Estado nos tira dinheiro para pagar as suas contas até nós deixarmos de ter dinheiro para pagar as nossas.

===================================================

10
Ago 14

publicado por LauraBM às 23:23

08
Jul 14

Nem rei nem Lei, nem paz nem guerra,

Define como perfil e ser

Este fulgor baço da terra –

Brilho sem luz e sem arder,

Como o que o fogo-fátuo encerra.

 

Ninguém sabe que coisa quer.

Ninguém conhece que alma tem,

Nem o que é mal nem o que é bem.

(Que ânsia distante perto chora?)

Tudo é incerto e derradeiro.

Tudo é disperso, nada é inteiro.

ó Portugal, hoje és nevoeiro…

 

É a hora!

--------------------------------------------

Fernando Pessoa (in Mensagem)

publicado por LauraBM às 23:31

15
Jan 14

 

 Acho uma moral ruim
 trazer o vulgo enganado:
 mandarem fazer assim
 e eles fazerem assado.

 

Sou um dos membros malditos
dessa falsa sociedade
que, baseada nos mitos,
pode roubar à vontade.

 

Esses por quem não te interessas
produzem quanto consomes:
vivem das tuas promessas
ganhando o pão que tu comes.
  
Não me dêem mais desgostos
porque sei raciocinar...
Só os burros estão dispostos
a sofrer sem protestar!

Esta mascarada enorme
com que o mundo nos aldraba,
dura enquanto o povo dorme,
quando ele acordar, acaba.

--------------------
 António Aleixo

publicado por LauraBM às 15:04

01
Out 11

Incêndios fazem pensar / Nesta Terceira República:

Que nasceu pra libertar / Não só a palavra pública!!...

Triste me vejo, porém, / Quando penso em liberdade…

Naquela que o povo tem / Por só falar à vontade! …

Porque do falar ao fazer / Vai uma grande distância:

Entre o que será o ser / Apenas de circunstância!...

 

Assim a demagogia / Criou o seu território,

Fingindo democracia… / Distribuiu… ilusório!

 

E a gente julga que tem / A liberdade por ter…

Apenas o que convém / Que o vizinho possa ver!...

Por isso ardem as matas… / Vão ardendo a pouco e pouco…

Lá se vai o ouro e pratas / Na cabeça dalgum “louco”!

 

…Onde está a Agricultura? / Onde estás tu... Eminência?

Onde estará a estrutura / Que faz a sobrevivência?

Somos todos os culpados: / Sempre nós que somos povo…

Por deixarmos ser tratados / Por quem nada trás de novo!...

 

…E Portugal vai ardendo! / Vai ardendo com as leis…

Enquanto nós vamos tendo / A República de “Reis”!...

-------------------------------------

MANUEL ALVES / Caldas da Rainha

publicado por LauraBM às 23:34

05
Out 10

(usando poemas dos autores abaixo citados,

alguém nos diverte assim:)

 

Bocage - Retrato da Sinistra

 

Baixa, de olhos ruins, amarelenta,

Usando só de raiva e de impostura,

Triste de facha, o mesmo de figura,

Um mar de fel, malvada e quezilenta

 

Arzinho confrangido que atormenta,

Sempre infeliz e de má catadura,

Mui perto de perder a compostura,

É cruel, mentirosa e rabugenta.

 

Rosto fechado, o gesto de fuinha,

Voz de lamento e ar de coitadinha,

Com pinta de raposa assustadinha,

É só veneno, a ditadorazinha.

 

Se não sabes quem é, dou-te uma pista:

Prepotente, mui gélida e sinistra,

Amarga, mui matreira e intriguista,

É muito autoritária... e é MINISTRA.

 

Camões - Soneto à sinistra

 

Alma mesquinha e vil, tu que pariste

As normas do estatuto do docente,

Não tens nada de humano, não és gente,

Nada mais que injustiças produziste.

 

Se lá nesse poleiro onde subiste

O estado do ensino tens presente,

Repara como és incompetente,

Como a classe docente destruíste.

 

Se pensas que esta gente está domada,

Te aceita a ti, ao Valter e ao Pedreira,

Estás perfeitamente equivocada:

 

Em breve encontraremos a maneira

De vos correr p'ra longe à cacetada,

Limpando a educação de tanta asneira.

------------------------------------

Artigo recebido via Internet, s/autoria

publicado por LauraBM às 15:37

15
Out 09

Há um Primeiro-Ministro que mente,

Mente de corpo e alma,

completa/mente.

E mente de modo tão pungente

Que a gente acha que ele, mente

sincera/mente,

Mas que mente,

sobretudo, impune/mente...

Indecente/mente.

E mente tão habitual/mente,

Que acha que, história afora,

enquanto mente,

Nos vai enganar eterna/mente...

-------------------------

6/03/20010

Recebido via Internet s/autoria

publicado por LauraBM às 15:17

10
Out 08

?

 

Lembro de em fim de tarde ir sossegar Debaixo de um carvalho ancestral
Falava então comigo, e ao falar Só me saía um nome: Portugal!

Pode o nosso país nos deixar dor P'lo que fizeram dele à revelia
Dos seus dilectos filhos que em amor Mesmo os distantes lhe sofrem a agonia

E esses, inconformados e descrentes Vivem as mágoas de tantos irmãos
Que lá, por desditosos ou doentes Esperam em vão ajuda de outras mãos

E assim morre na praia toda a esperança Que nos foi impingida vão trint'anos
Inda temos bem viva na lembrança Toda essa verborreia só d'enganos

Mas talvez sejamos os culpados Ao nos deixar levar por tanta treta
Porque ao invés de castigar, irados Quem pôs o socialismo na gaveta
Mais votos lhes somamos, alienados

A todos os que deixaram esta pátria bem-amada e a sentem no sangue, como eu
-------------------
Eugénio de Sá

publicado por LauraBM às 01:02

08
Out 07

burro_homem.gifO que mais dói não é sofrer saudade
Do amor querido que se encontra ausente
Nem a lembrança que o coração sente
Dos belos sonhos da primeira idade.

Não é também a dura crueldade
Do falso amigo, quando engana a gente,
Nem os martírios de uma dor latente,
Quando a moléstia o nosso corpo invade.

O que mais dói e o peito nos oprime,
E nos revolta mais que o próprio crime,
Não é perder da posição um grau.

É ver os votos de um país inteiro,
Desde o praciano ao camponês roceiro, (original)
Do camponês ao patrão altaneiro (adaptação-Laura)
Para eleger um presidente mau. (original)
Para eleger um governo tão mau (adaptação-Laura)
------------------------------
Patativa do Assaré (Brasil)

publicado por LauraBM às 00:07

06
Out 06

olhos02.gifSão piores que as aranhas, Gente sem credo, só manhas,
Que se baba nas ideias. Donde brotam finos fios,
Que urdem sem arrepios, Fabricando densas teias!
E como insectos caímos, Nas malhas que sugerimos,
Ao votar nos animais. Esqueceram as promessas,
Já não há beijos, conversas, Todos eles são iguais!

Da direita,... da esquerda, Mudam as moscas, a merda,
Tem sempre o mesmo perfume. São latrinas ambulantes,
Com diarreias constantes, São a trampa do costume!
Um passo à frente, outro atrás, Mas ninguém sabe o que faz,
Não conseguem acertar. Lembram recrutas na tropa,
Obedecendo à Europa, Marchando sem protestar!

Poucos deles trabalharam, Do povo sempre chuparam,
Sem nunca dobrar a mola. Mas num governo tirano,
Chupam até ao tutano, Porque já nada os consola!
Mas não tenham ilusões, Porque são todos anões,
Duendes na noite escura. São mentes sujas,... nocivas,
Com decisões abusivas, Em homens sem estatura!!!
-------------------
18/6/2002
Fernando dos Santos

publicado por LauraBM às 00:51

05
Jan 06

(Escrito por Maiakovski, poeta russo falecido em 1930)

mao_carimbo.gifNa primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na Segunda noite, já não se escondem:
pisam as flores, matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia, o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.
Nos dias que correm a ninguém é dado
repousar a cabeça alheia ao terror.
Os humildes baixam a cerviz;
e nós, que não temos pacto algum
com os senhores do mundo,
por temor nos calamos.
No silêncio de meu quarto
a ousadia me afogueia as faces
e eu fantasio um levante;
mas amanhã, diante do juiz,
talvez meus lábios calem a verdade
como um foco de germes
capaz de me destruir.
Olho ao redor e o que vejo
e acabo por repetir são mentiras.
Mal sabe a criança dizer mãe
e a propaganda lhe destrói a consciência.
A mim, quase me arrastam
pela gola do paletó à porta do templo
e me pedem que aguarde
até que a Democracia
se digne a aparecer no balcão
Mas eu não sei,
porque não estou amedrontado.
a ponto de cegar, que ela tem uma espada
a lhe espetar as costelas e o riso que nos mostra
é uma ténue cortina lançada sobre os arsenais.
Vamos ao campo e não os vemos ao nosso lado,
no plantio.
Mas ao tempo da colheita
lá estão e acabam por nos roubar
até o último grão de trigo.
Dizem-nos que de nós emana o poder
mas sempre o temos contra nós.
Dizem-nos que é preciso
defender nossos lares
mas se nos rebelamos contra a opressão
é sobre nós que marcham os soldados.
E por temor eu me calo,
por temor aceito a condição
de falso democrata e rotulo meus gestos
com a palavra liberdade, procurando, num sorriso,
esconder minha dor diante de meus superiores.
Mas dentro de mim,
com a potência de um milhão de vozes,
o coração grita - MENTIRA!

----------------

Maiakovski

publicado por LauraBM às 21:42

02
Out 05

pao_cortar1.jpgMãe, tem pão?
Não!
Tem então o quê?
Vento para se comer...
Mãe, ô mãe!
Dê-me um pouco de feijão!
Já disse: Não tem pão, nem feijão!
Não é só você que sente fome
Está faminta toda Nação!
Mãe...
Meu estômago não aguenta
Falo com ele, mas...
Ele não pode compreender
Grita desesperado, faminto
Por um tasco de pão pra comer...
Filho, eu te entendo
E bem sei o que estás sentindo
Eu já travei essa luta
E com fome acabei dormindo.
És muito pequeno ainda
E não podes compreender
Que nesse país o único que não passa fome
É aquele que colocamos no poder...

----------------------------------------
Nádya Haua
http://www.simplesmente.poeta.nom.br 

publicado por LauraBM às 01:08

05
Out 04

banana-m.casca.gif
Um ministro hoje em dia Pode ser qualquer banana
Ou feito de porcaria como foi feito o São Tana.

Logo que o Cherne fugiu sem nada bom nos deixar
O Jorginho decidiu fazer outro p’ró lugar.

E lá na sua olaria fabricou este sinistro
Sem qualquer democracia e o fez primeiro ministro.

E entregou-lhe o País confuso desta maneira
Sem futuro ou directriz como fosse brincadeira.

Com vaidade e presunção o barato “palrador”
Só vai deixar a Nação ficar de mal a pior...

Este São Tana é malogro não tenho dúvida agora
Que vai ser o melhor sogro pois vai deixar tudo à nora!...
-------------
27/10/2004
Suele Cid
PortugalClub

publicado por LauraBM às 22:28

04
Out 04

barco_caravelaportugesa.gifLá vem a Nau Catrineta
Que tem muito que contar
São Paulo Portas à proa
Santanás a comandar
Ouvi agora senhores
Uma história de pasmar

D. Bagão conta o pilim
D. Morais trata das velas
D. Guedes limpa com VIM
Tachos, pratos e panelas

D. Pereira na enfermaria
Conta pensos e emplastros
E o D. António Mexia
Põe vaselina nos mastros

D. Durão deu à soleta
Enjoou de andar à vela
E Santa Manuela Forreta
Largou-os sem lhes dar trela

Aflito El-Rei Sampaio
Com estas novas tão más
Disse aos bobos de soslaio
Chamai lá o Santanás

Aqui estou meu Senhor
Vós mandasteis-me chamar?
Soube agora desse horror
D. Durão vai desertar?

Cala-te lá meu charmoso
Não me lixes mais a vida
Troco um cherne mal-cheiroso
Por um carapau de corrida?

Pobre da Nau Catrineta
Já lamento a tua sorte
Esta marinhagem da treta
Nem sabe onde fica o Norte

Parece que já estou vendo
Em vez de descobrir mundo
Ao primeiro pé de vento
Espetam com o barco no fundo

Ou então este matraque
Com pinta de Valentino
Gasta-me a massa do saque
Nas boîtes do caminho

Não se aflija meu Rei
Que agora vou assentar
Pois depois do que passei
Cheguei onde quis chegar

E por aquilo que passei
Aqui ninguém nos escuta
Eu quero mesmo é ser Rei
E vamos embora à luta
--------------------------
31/07/2004
António Gomes
(Zecatelhado) - (Zé da Nau)

publicado por LauraBM às 23:57

02
Out 04

portugalclub@cardigos.com.br     

PORTUGALCLUB//PORTALdaPORTUGALIDADE

José Verdasca

Resposta ao poema “Abre-te, Sésamo!” de Laura B. Martins
O Nosso Gil Vicente de Saias

Cinco séculos passados
De novo fomos brindados
Co’ a mais bela poesia
Crítica elevada e pura
Agora ninguém segura
Tão inteligente ironia

Com os pulhas, e as bulhas
A poeta mostra as fagulhas
Dos nossos fogos de Verão
A mostrar que em Portugal
Afinal, tudo anda mal
Seja qual for a estação

É muito triste constatar
Que o homem pra governar
Tenha que ser populista
Se a coisa assim continuar
Temos que de novo aturar
Ditador ou comunista

Vou terminar a folia
Desta minha poesia
Com o meu ponto de vista
Do jeito que as coisas vão
Já na próxima eleição
Sai governo socialista
--------------------
26/08/2004
Com especiais saudações à ilustre poeta de "Pulhas e bulhas".
José Verdasca
PORTUGALCLUB// Ponto de encontro dos Portugueses no Mundo

publicado por LauraBM às 00:40

"O Congresso Nacional é um local que:
se gradear vira zoológico,
se murar vira presídio,
se colocar uma lona em cima vira circo,
se colocar lanternas vermelhas vira prostíbulo
e se der descarga não sobra ninguém."

======================

Frase do Dia, do Mês, do Ano e do Século

“Portugal é hoje um paraíso criminal onde alguns inocentes imbecis se levantam para ir trabalhar, recebendo por isso dinheiro que depois lhes é roubado pelos criminosos e ajuda a pagar ordenados aos iluminados que bolçam certas leis.”


===================================

"Ponha-se na presidência qualquer medíocre, louco ou semi-analfabeto, e vinte e quatro horas depois a horda de aduladores estará à sua volta, brandindo o elogio como arma, convencendo-o de que é um gênio político e um grande homem, e de que tudo o que faz está certo.
Em pouco tempo transforma-se um ignorante em um sábio, um louco em um gênio equilibrado, um primário em um estadista.
E um homem nessa posição, empunhando as rédeas de um poder praticamente sem limites, embriagado pela bajulação, transforma-se num monstro perigoso".

-------------------------------------------

General Olímpio Mourão Filho
(in A Verdade de um Revolucionário de 1978)



ESSA FRASE DEVE CONTINUAR CIRCULANDO....

Frase da filósofa russo-americana Ayn Rand (fugitiva da revolução russa, que chegou aos Estados Unidos na metade da década de 1920), mostrando uma visão com conhecimento de causa:


“Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que a sua sociedade está condenada”.


Qualquer semelhança com o Brasil e o Portugal de hoje, não é mera coincidência...


"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas...”

--------------------------------------------

Guerra Junqueiro, in "Pátria", escrito em 1896

O problema de Portugal é que quem elege os governantes
não é o pessoal que lê o jornal, mas quem limpa o traseiro com ele!


Para que serve a política?

*Funcionamento do blog:
Clique sobre cada TAG e veja os arquivos do tema.
*Antiguidades óptimas
*A sair do forno
Um povo imbecilizado, uma classe política corrupta...
Eu não ligo muitos aos conceitos 'Direita' e 'Esqu...
Por favor, ajude-me a trazer esta petição para a a...
EU NÃO ME ENQUADRO NESSE ...
Nem sei que responda a um caso tão dramático.A rea...
A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol IIINo caso da ...
as Eleições em Portugal a Comissão Nacional de Ele...
Em relação aos sistemas económicos, muito se tem f...
Se com uma pensão inteira já é quase impossível ...
Isso é governar, não é comprar votos como fazem L...