Olhando pra Lisboa, ali tão perto ............... lá no alto, de cabelos ao vento................................ o Cristo-Rei foi pregar para o deserto ..................... e deixou os camelos em... «Belém»!

=========================================

FRASES INTEMPORAIS APLICADAS À POLÍTICA

1 - O cigarro adverte:

"o governo faz mal à saúde!"

2 - Não roube,

“o governo detesta concorrência.”

3 - Errar é humano.

“Culpar outra pessoa é política.”
4 - Autarcas portugueses
"São os mais católicos do mundo. Não assinam nada sem levar um terço.

5 - Se bem que…

"o salário mínimo deveria chamar-se gorjeta máxima".

6 - Feliz foi Ali-Babá que:
"não viveu em Portugal e só conheceu 40 ladrões!!!..."

7 - Não deixe de assistir

"ao horário político na TV:

Talvez seja a única oportunidade de ver políticos portugueses em "cadeia nacional".

8 – O maior castigo

"para quem não se interessa por política é que será governado pelos que se interessam."

9 - Os políticos
"são como as fraldas... Devem ser trocados com frequência, e sempre pelo mesmo motivo...

10 - Os líderes

"das últimas três décadas ou sucedem a si próprios ou então criam clones dos seus tiques."

11 - Os partidos
"
tomaram conta do Estado e puseram o Estado ao seu serviço."

12 - A frase do dia é de Alberto João Jardim:
- O que penso sobre o aborto?!...

- Considero-o um péssimo Primeiro-ministro e está a governar muito mal o País.

13 - Notícia de última hora!!!

- “Fiscais da ASAE, (brigada de inspecção da higiene alimentar), acabam de encerrar a Assembleia da República.“
Motivo: Comiam todos no mesmo tacho!

14 – Bom para Portugal!!!!!

"Sou totalmente a favor do casamento gay entre os políticos.

Tudo que possa contribuir para que eles não se reproduzam é bom para o país..."

15 - Candidatos:

"Antigamente os cartazes nas ruas, com rostos de criminosos, ofereciam recompensas;
hoje em dia, pedem votos".

16 - País desenvolvido:

"não é onde o pobre tem carro, é onde os políticos usam transporte público".

17 - Austeridade é quando

"o Estado nos tira dinheiro para pagar as suas contas até deixarmos de ter dinheiro para pagar as nossas".

18 - O governo esclare:

"Os cortes aos reformados só se aplicam a quem tiver 2 pensões. Quem tiver 2 hotéis ou 2 residenciais está safo".

19 - A força do Fisco:

"O estado arranca-me tudo à força e depois diz que sou contribuinte".

20 - País desenvolvido

não é onde o pobre tem carro, é onde os políticos, usam transporte público.

21 - Austeridade é quando

o Estado nos tira dinheiro para pagar as suas contas até nós deixarmos de ter dinheiro para pagar as nossas.

===================================================

21
Fev 15

Por José António Pinto

25/08/2014 - 01:13
Por que razão este Governo é tão forte com os fracos e tão fraco com os fortes?


Que interferência terá a actual crise do Banco Espírito Santo na vida das pessoas mais pobres que vivem em Portugal? Esta catástrofe financeira, obscura, escondida, cheia de mentiras e truques, caracterizada por fraudes, favorecimento de credores, falsificação de contas, gestão danosa, entre outros expedientes, vai agravar ainda mais as miseráveis condições de vida dos meus utentes.

As pessoas que vivem com insuficiência de recursos económicos e com grande dependência dos serviços sociais do Estado e das instituições particulares de solidariedade social não costumam ter conta no banco, não têm dinheiro para encher o frigorífico de alimentos, não têm dinheiro para comprar acções, não têm emprego. Não são accionistas, não são depositantes, não são clientes, não são funcionários do BES. São apenas beneficiários de Rendimento Social de Inserção, recebem 178 euros por mês. Se forem casados e tiverem três filhos, o valor do cheque pode chegar aos 350 euros. Uma fortuna, uma pipa de massa, expressão recentemente utilizada por Durão Barroso.

Para evitar que estas pessoas prejudiquem o Estado e desequilibrem as contas da nação, para evitar que os contribuintes através dos seus impostos não estejam a apoiar com esmolas quem não merece, quem não precisa, quem não quer trabalhar, quem não está em situação de emergência e aflição social, o Governo de Passos Coelho e Paulo Portas fez uma lei de perseguição ideológica a estes pobres. A fraude existente na atribuição do rendimento mínimo é um escândalo, uma vergonha nacional, motivo de indignação por todos os que reclamam justiça e transparência na gestão de dinheiros públicos, segundo estes governantes perdem-se muitos euros que fazem falta a quem realmente está a precisar da ajuda do Estado.

Sobre isto sempre defendi, como técnico do terreno, que é necessário combater todas as fraudes e irregularidades, no acompanhamento diário destas famílias sempre colaborei com os serviços de fiscalização da Segurança Social para evitar ilegalidades e desincentivar os utentes a adaptarem comportamentos desviantes de sobrevivência. Mesmo assim, a experiência profissional e alguns estudos académicos já publicados têm-me ajudado a perceber que, afinal, a fraude na atribuição do RSI é uma migalha insignificante, invisível, sem expressão no bolo que o Estado gasta no conjunto das prestações sociais. Também tenho percebido nesta ligação técnica às famílias que mais importante do que a fiscalização repressiva, estas pessoas desqualificadas, desmunidas dos principais recursos económicos, escolares, sociais e culturais, precisam é de oportunidades para saírem da medida. Precisam que a dívida à troika seja rapidamente renegociada e de emprego com direitos. Muitas recebem RSI e fazem biscates, porque só assim conseguem dar de comer aos seus filhos. Mesmo a trabalhar e com salário mínimo declarado, muitas famílias recebem RSI e não conseguem romper com o seu ciclo de pobreza.

Para domesticar e humilhar estas famílias existe legislação, existe tutela, supervisão, fiscalização, vigilância, repressão. E castigo para quem mente, para quem engana o Estado, para quem se quer apropriar indevidamente do pouco dinheiro dos contribuintes que afinal é de todos?

Sendo assim, tenho agora de perguntar o seguinte: por que razão este Governo é tão forte com os fracos e tão fraco com os fortes?

Afinal quem mente, os pobres do RSI ou o governador do Banco de Portugal? Que mentiras provocam mais estragos ao país, as mentiras dos pobres ou as mentiras dos poderosos respeitáveis da alta finança? Afinal não existia no BES nenhuma almofada financeira para tapar os buracos do crédito malparado; afinal a crise no grupo sempre afectou o funcionamento do banco; foi necessário afastar da gestão do banco Ricardo Salgado; os testes de stress ao banco, afinal não provaram solidez financeira nenhuma.

A maioria dos desempregados em Portugal não tem acesso a qualquer apoio económico no período de desemprego. As escolas públicas continuam a funcionar com menos professores e técnicos para dar apoio a crianças com necessidades educativas especiais, os centros educativos não têm vagas para acolher mais jovens condenados, um grupo de organizações não governamentais, entre as quais a Amnistia Internacional e a Caritas Portuguesa, considera que não existe estratégia nem políticas sociais consistentes para combater a pobreza em Portugal. Em 2014, segundo dados do Instituto da Segurança Social, 20,8% dos beneficiários de RSI foram excluídos desta medida de apoio. Mais de 38 mil idosos perderam no mesmo ano o complemento solidário para idosos. Não há dinheiro para proteger as pessoas da pobreza e da exclusão social, mas há dinheiro para pagar as dívidas da família Espírito Santo. Há dinheiro para em 2014 gastar 511 milhões de euros nas rendas das parcerias público-privadas com derrapagem de 84 milhões de euros só nas parcerias rodoviárias.

Há dinheiro para, sem qualquer tipo de garantia ou segurança, o Estado emprestar ao Fundo de Resolução 4400 milhões de euros para recapitalizar o BES.

Os banqueiros continuam a ter na mão o poder politico e, quando não têm o dinheiro dos depositantes nos seus cofres, têm o dinheiro dos contribuintes para os salvar de todas as irresponsabilidades e manobras gananciosas do capitalismo financeiro. Os pobres já pagaram a crise do BPN e vão pagar agora a crise do BES. Enquanto não chega a informação, o esclarecimento, a consciencialização, a politização organizada e a qualificação deste grupo social, os pobres, para melhorar a sua situação social, têm rapidamente de se tornar donos de um banco falido, especializar-se em gerar produtos financeiros tóxicos, obrigar o Estado a recapitalizar os seus prejuízos, meter medo aos accionistas, surpreender os mercados e aterrorizar o funcionamento da bolsa de valores.

Assistente social

publicado por LauraBM às 00:14

08
Jul 14

Nem rei nem Lei, nem paz nem guerra,

Define como perfil e ser

Este fulgor baço da terra –

Brilho sem luz e sem arder,

Como o que o fogo-fátuo encerra.

 

Ninguém sabe que coisa quer.

Ninguém conhece que alma tem,

Nem o que é mal nem o que é bem.

(Que ânsia distante perto chora?)

Tudo é incerto e derradeiro.

Tudo é disperso, nada é inteiro.

ó Portugal, hoje és nevoeiro…

 

É a hora!

--------------------------------------------

Fernando Pessoa (in Mensagem)

publicado por LauraBM às 23:31

10
Jan 14
Pois é, o caso podia ser passado em Portugal mas chega-nos do Brasil; era só mudar umas letrinhas das siglas JPT para, PSD, CDS e por aí fora.
Que é que acham? Igualzinho, não? A cambada só troca as letras das siglas e vamos nisto de enganar o Zé Povinho que é parvo e só quer futebol!
E também gosto dessa da «cinturada no lombo» deles. E deixarem de ter boa vida, então nem se fala – ah como eu gostaria que vivessem com as pensões de sobrevivência!
------------------
Laura B. Martins  
 
PAPAI VIROU PETISTA!'
O pai chega em casa vestido numa novíssima camisa do PT.
Entra no quarto do filho e beija o retrato de Che Guevara na parede.
O rapaz espantado pergunta: ...
- Que é isso paí? Ficou maluco? Logo você que é o maior "coxinha", "reaça" de primeira vestindo a camisa do PT?

- Que nada filho! Agora sou petista! Conversamos tanto sobre o Partido que você me convenceu! PT! PT! VIVA O PT! - grita o velho.
O rapaz, membro do DCE da universidade onde já faz um curso de quatro anos há oito anos e fiel colaborador da JPT não se aguenta de tanta alegria!
- Senta aí companheiro! Vamos conversar! O que foi que te levou a essa decisão?
O pai senta-se ao lado do filho e explica:
- Pois é... cansei de discutir contigo e passei a achar que você tem razão. Por falar nisso, lembra do Luís, aquele que te pediu dois mil reais da tua poupança emprestado para dar entrada numa moto?
- O que tem ele? Pergunta o filho...
- Pois é.. Liguei pra casa dele e perdoei a dívida. E fiz mais! Falei que ele não precisa se preocupar com as prestações, pois vou usar oitenta por cento da sua mesada para pagar o financiamento!
- Pai!!!!! Você ficou louco? Pirou?
- Filho, lembre-se que agora nós somos petistas" Perdoar dívidas e financiar o que não é nosso com o que não é nosso é a nossa especialidade! Temos que dar o exemplo! E tem mais! Agora 49% do seu carro eu passei para sua irmã. Vendi pra ela quase a metade do seu carro! Dessa forma você continua majoritário mas só podendo usá-lo em 51% do tempo!
- Mas o carro é meu, papai! Não podia fazer isso! Não pode vender o que é seu!
- Podia sim! Nossa Presidenta fez isso com a Petrobrás e você foi o primeiro a apoiar! Só estamos seguindo o caminho dela!
O garoto, incrédulo e desolado entra em desespero, mas o pai continua:
- Outra coisa! Doei seu computador, seu notebook e seu tablet para os carentes lá do morro. Agora eles vão poder se conectar!
- Pai! Que sacanagem é essa?
- Não é sacanagem não, filho! Nós petistas defendemos a doação do que não é nosso, lembra? Doamos aviões, helicópteros, tanques... O que é um computador, um tablet e um note diante disso?
Prestes a entrar em colapso, o garoto recebe a última notícia:
- Filho, lembra daquele assaltante que te ameaçou de morte, te espancou e roubou teu celular? Vou agora mesmo retirar a queixa e depois para a porta da penitenciária exigir a soltura dele, dizendo que ele é inocente!
- Pai... pelo amor de Deus... Você não pode fazer isso... O cara é perigoso!
- Perigoso nada! É direitos Humanos que nós pregamos, filho! Somos petistas com muito orgulho!
- Mas o cara me espancou! Me roubou, pai!
- Alto lá! Não há provas disso! Isso é estado de exceção! O rapaz é inocente! Nós fizemos a mesma coisa com os companheiros acusados no mensalão!
- Mas ele estava armado quando a polícia chegou!
- E daí????? Ele estava armado mas quem prova que a arma era dele? A revista Veja? Isso é coisa de reaça, filho!
- Papai, você ficou doido!
E o pai finaliza:
- Fiquei doido, ô seu filho da puta? Na hora de defender bandido que roubou uma nação você é petista, mas se roubarem você, deixa de ser. Na hora de doar, perdoar dívidas e fazer financiamentos com o que é dos outros, você é petista. Mas se fizer o mesmo com você, deixa de ser. Na hora de dilapidar o patrimônio nacional, vendendo o que é mais precioso e não pertence ao PT e sim ao povo, você é petista, mas se vender metade do que é seu, você deixa de ser!
Dito isso, tirou o cinto de couro grosso e mandou a cinturada no moleque!
- TO-MA IS-SO SEU FI-LHO DA PU-TA CRE-TI-NO PRA APRENDER A SER HOMEM E ASSUMIR SUAS IDEIAS! VAGABUNDO ORDINÁRIO! SALAFRÁRIO! PEGA AS SUAS COISAS E SUMA DAQUI!
- Vou pra onde, papai? Perguntou chorando...
- POSSA! Agora você é um dos sem-teto que você defende, seu moleque cagão! E vai se consultar com médico cubano, porque eu cancelei teu plano de saúde!
Dois dias depois o moleque bateu na porta curado. Não era mais petista e não havia mais DCE ou JPT. E nem chamava o pai de "reaça".
O milagre da educação aconteceu. O mal do petista é falta de cinturada no lombo! --------------------------------------- (por Marcelo Rates Quaranta)
publicado por LauraBM às 09:46

10
Nov 13

publicado por LauraBM às 10:08

14
Out 12

E vai agora «a múmia paralítica», vulgarmente designada como Presidente Cavaco Silva, mandar recadinhos para os portugueses por intermédio do Facebook!!!!!!!!

Eu nem queria acreditar!

Então, num momento destes em que o povo se manifesta pelas ruas, em completo desacordo com as políticas seguidas por estes desgovernados, a múmia vai brincar para o Facebook e ainda pretende que a Europa vá ler o que ele escreve???? Está tudo doido ou quê??????????

Mas será que ele pretende mesmo que os outros países venham ler-lhe o Facebook? hahahahaha

(ri-te, palhaço)

 

Pelo menos uma vez na vida, depois das asneiras que já fez no passado, noutros mandatos, e que muito complicaram a vida a todos nós, podia dar uma explicação, dizer alguma coisa de jeito, explicar-nos se o dinheirinho ao fim do mês já lhe chega para as despesas, não????

 

- E que tal se ele deixasse os chinelos de quarto mais a lareira da residência oficial da presidência e fosse gastar mais uns dinheirinhos aos portugueses? O mesmo seria dizer que tal se ele fosse fazer o que faz o Seguro que anda lá pelos países das troikas a explicar que a coisa assim não funciona?

- E se fosse também aos aliados da desgraça saber o que estão a fazer, e como, para negociarem tempo e dinheiro com a troika?

- E se tentasse que se juntassem os países endividados e combinassem qualquer coisita para conseguirmos sair desta alhada sem ficarmos todos a pedir esmola?

- E se «o velhadas aperaltado» fosse, mesmo de bengala, fazer alguma coisa, já que nada faz a não ser beber um cházinho quente????

 

E se os portugueses pusessem esta cambada toda no olho da rua, fizessem uma nova constituição e elegessem GENTE?

Sim, Gente com G grande em vez destes politicozecos de meia tigela que não se importam minimamente com as pessoas.

Esta gente só quer saber das falcatruas que lhes podem render uns dinheirinhos ou conseguir amigalhaços para, quando saírem do poleiro, ficarem bem encostados!

 

Ah, cambada de incompetentes aproveitadores, cínicos e safados, todos eles!!!!!!!

E nós aqui a suar frio para estes trambiqueiros terem sauna!!!!!!!

Isto só vai a eito quando rolarem algumas cabeças!!!!!!!

--------------------------

Laura Martins

 

Cachorro candidato a prefeito numa cidade italiana

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/24801/Cachorro+e+candidato+a+prefeito+em+pequena+cidade+italiana+.shtml 

Pois que se eleja um cachorro porque os cães já estão no poder

publicado por LauraBM às 23:14

29
Nov 11

Malandragem sem vergonha. Ladrõezecos. Espalhem isto.

O escândalo da Fundação Soares - 64 mil € para a Fundação Mário Soares

 

A Fundação Mário Soares vai receber, este ano, pelo menos 64.825 euros de apoio financeiro da vereação da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa (CML).

Para além dos 50 mil euros anuais que "o Município está obrigado" a dar como "apoio financeiro" à fundação de Soares, acrescem mais 14.825 euros, propostos pela vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto - e que vão hoje a discussão e votação em reunião de Câmara.

O protocolo entre o município de Lisboa e a Fundação Mário Soares, que obrigava a um apoio anual entre 30 e cerca de 44.000 euros, foi assinado a 07 de Novembro de 1995, pelo presidente da Câmara, Jorge Sampaio, vigorando durante 10 anos, ou seja, até 2015.

Foi actualizado para 50 mil euros em Julho de 2010, pela vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto, como "reconhecimento do trabalho levado a cabo pela Fundação".

Fonte: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/64-mil--para-a-fundacao-mario-soares 
====================================
NOTA:
É por estas e outras que Portugal está na bancarrota. A Câmara Municipal de Lisboa está afundada em dívidas, que irão ser pagas através da austeridade que o Governo está a impor, contudo continua a sustentar uma Fundação particular.
Não se viram, até hoje, cortes nestes abusos.
O que se vê são cortes nos nossos bolsos, mas para os amigos, como Mário Soares, não há.
E este fulano, Mário Soares, vem para as televisões e jornais dizer que é preciso sacrifícios.
Cínico caquético!     

publicado por LauraBM às 23:12

24
Nov 11

 Vejam este desfalque 9 .710.539.940,09 ? (Nove mil setecentos e dez milhões de euros+uns trocos)

 

*A burla cometida no BPN não tem precedentes na história de Portugal !!!*

 

O montante do desvio atribuído a *Oliveira e Costa, Luís Caprichoso, Francisco Sanches e Vaz Mascarenhas* é algo de tão elevado, que só a sua
comparação com coisas palpáveis nos pode dar uma ideia da sua grandeza.

 

Com *9.710.539.940,09** * *(NOVE MIL SETECENTOS E DEZ MILHÕES DE EUROS.....)
* poderíamos:
Comprar *48* *aviões Airbus A380* (o maior avião comercial do mundo).
Comprar *16 **plantéis de futebol* iguais ao do Real Madrid.
Construir *7 **TGV* de Lisboa a Gaia.
Construir *5 **pontes* para travessia do Tejo.
Construir *3* *aeroportos** *como o de Alcochete.

Para transportar os 9,7 MIL MILHÕES DE EUROS seriam necessárias *4.850* *carrinhas de transporte de valores*!

 

*Assim, talvez já se perceba melhor o que está em causa.*

*Distribuído pelos 10 milhões de portugueses, *
*caberia a cada um cerca de 971 ?  !!!*

*Então e os Dias Loureiro e os Arlindos de Carvalho onde andam?!*
*E que tamanho deveria ter a prisão para albergar esta gente?!*

*Pequenina, mesmo muito piquenina, tipo gaiola de galinaceos*

publicado por LauraBM às 22:52

21
Nov 11

Quando perguntaram a Armando Vara o que tinha recebido de prenda de Manuel Godinho, respondeu que tinham sido ROBALOS... e acrescentou que lhe tinha retribuído com ALHEIRAS...

Pois bem, estudos recentes da Universidade de Coimbra, da Faculdade de Ciências Criminais e Gatunagem Robótica Eléctrica às Vezes, concluiu que ROBALOS e ALHEIRAS, propiciam uma reacção química a que se deu o nome de: 

 

http://fotos.sapo.pt/littlehut/albuns/?aid=45

publicado por LauraBM às 23:57

16
Out 11
Completamente estupefacta, assisti à explicação do primeiro ministro português – Passos Coelho – sobre os cortes dos subsídios de Natal e férias nos anos de 2012 e 2013, (depois se verá se forem mais), aos funcionários públicos e pensionistas.
Inacreditável!!!!! Foi a palavra que me ocorreu ao ouvir tamanho desaforo dito com a maior desfaçatez:
- Cortamos os subsídios de Natal e de férias aos funcionários públicos porque, a esses, o Estado pode ir buscar o dinheiro. Aos particulares não poderíamos! Além disso, ganham mais 10 a 15% do que os equiparados particulares.
Boa, sr. primeiro ministro! Muito boa, essa explicação! Estão, então, todos ricos; mas a morrer de fome!
Mas olhe, mais valia colocar um letreiro discriminatório ao peito dos funcionários públicos, (como usaram os judeus a mando de Hitler), tipo: 

 

 

Para os pensionistas não houve uma explicação cabal.
Penso eu que esteja abaixo de cão essa classe desclassificada que já nem trabalha nem produz, para quê as regalias? Cortem-se!!!!!
Do salário mínimo até aos 1.000 euros, podem bem ficar sem um dos subsídios. Acima disso, sem os dois!!!!!!!
Os meus parabéns, senhor primeiro ministro, extensivos a toda a classe política!
Já agora, se não me leva a mal, para quando os cortes, inquéritos e prisões dos verdadeiros culpados?
Ah, desculpe! Não sabia que eram seus amigos e todos têm o rabo preso e telhados de vidro!!!!!!!
-----------------
16/10/2011
Laura B. Martins
publicado por LauraBM às 23:14

12
Ago 11
É extenso mas elucidativo pelas comparações de antes e depois do FMI e da sua entrada nos países.
Como foi possível que todos os países aderissem a esta calamidade e tantas cabeças pensantes fossem alienadas por um pequeno grupo?
Que iludidos foram e que ilusões acalentaram para assim se deixarem enredar neste negócio sujo da Banca Internacional?
É urgente que todas as nações compreendam a necessidade de, rápidamente, se subtraírem a este estado de coisas ou todos soçobrarão enquanto enriquecem uns quantos manipuladores e «iluminados» banqueiros.
------------------
Laura B. Martins
 
A fome é a escassez de alimentos que, em geral, afeta uma ampla extensão de um território e um grande número de pessoas.
A fome nos tempos atuais tem relação direta com a "estabilização macroeconômica" e os programas de "ajustamento estrutural" impostos pelo FMI e pelo Banco Mundial aos países em desenvolvimento, portanto, tem relação direta com as várias formas de capitalismo que são fomentados nesses países.
 
A fome no mundo
  1. Cerca de 100 milhões de pessoas estão sem teto;
  2. 1 bilhão de analfabetos;
  3. 1,1 bilhão de pessoas vivem na pobreza, destas, 630 milhões são extremamente pobres, com renda per capta anual bem menor que 275 dólares;
  4. 1,5 bilhão de pessoas sem água potável;
  5. 1 bilhão de pessoas passando fome;
  6. 150 milhões de crianças subnutridas com menos de 5 anos (uma para cada três no mundo);
  7. 12,9 milhões de crianças morrem a cada ano antes dos seus 5 anos de vida;
  8. No Brasil, os 10% mais ricos detêm quase toda a renda nacional.
Com a existência de grandes setores da população mundial já muito abaixo do limiar da pobreza, esta subida a curto-prazo dos preços dos produtos alimentares é devastadora. Há milhões de pessoas em todo o mundo que se encontram impossibilitadas de adquirir alimentos para a sua sobrevivência. Estes aumentos brutais estão a contribuir verdadeiramente para a "eliminação dos pobres" através da "morte pela fome". Nas palavras de Henry Kissinger: "Quem controla o petróleo, controla as nações; quem controla os alimentos, controla as pessoas". A "estabilização macroeconômica" e os programas de ajustamento estrutural impostos pelo FMI e pelo Banco Mundial aos países em desenvolvimento (como condição para a renegociação da sua dívida externa) conduziram ao empobrecimento de centenas de milhões de pessoas. As cruéis realidades econômicas e sociais subjacentes à intervenção do FMI são a subida dos preços dos alimentos, as fomes a nível local, os despedi mentos maciços de trabalhadores urbanos e domésticos e a destruição de programas sociais. O poder de compra interna caiu, foram fechadas escolas e clínicas de cuidados de saúde contra a fome, há centenas de milhões de crianças a quem tem sido negada o direito à educação básica. Esta é de longe a crise econômica mais grave da história moderna. (Michel Chossudovsky, The Globalization of Poverty, First Edition, 1997)
 
Fome global
Michel Chossudovsky*
15/05/2008
INTRODUÇÃO
 
A fome é a conseqüência do processo de reestruturação do "mercado livre" da economia global que tem as suas raízes na crise de endividamento do início dos anos 80. Não é um fenômeno recente como é sugerido em vários artigos dos meios de comunicação ocidentais. Estes se concentram apenas na oferta e procura em curto prazo dos produtos agrícolas, e ignoram as causas estruturais muito mais amplas da fome global.
 
A pobreza e a subnutrição crônica são condições preexistentes. As recentes subidas dos preços alimentares contribuíram para exacerbar e agravar a crise alimentar. A subida dos preços tem flagelado uma população empobrecida, que quase não tem meios para sobreviver.
Têm ocorrido motins por causa do pão quase simultaneamente em todas as principais regiões do mundo:
"Os preços dos alimentos no Haiti subiram em média 40 por cento em menos de um ano, em que o custo de produtos como o arroz duplicou… No Bangladesh, [nos finais de Abril de 2008], cerca de 20 mil trabalhadores têxteis saíram para a rua a protestar contra a terrível subida dos preços dos alimentos e a exigir salários mais altos. O preço do arroz neste país duplicou em relação ao ano passado, ameaçando com a fome os trabalhadores, que ganham um salário mensal de apenas 25 dólares… No Egipto, os protestos dos trabalhadores contra os preços dos alimentos abalaram o centro têxtil de Mahalla al-Kobra, a norte do Cairo, durante dois dias na semana passada, em que duas pessoas foram mortas a tiro pelas forças de segurança. Foram presas centenas de pessoas e o governo enviou polícias à paisana para as fábricas para obrigar os trabalhadores a retomar o trabalho. Os preços dos alimentos no Egipto subiram 40 por cento desde o ano passado… No princípio deste mês, na Costa do Marfim, centenas de pessoas manifestaram-se em frente da casa do presidente Laurent Gbagbo, cantando "temos fome" e "a vida está cara demais, vocês estão a matar-nos.
Manifestações, greves e confrontos semelhantes ocorreram na Bolívia, no Peru, no México, na Indonésia, nas Filipinas, no Paquistão, no Uzbequistão, na Tailândia, no Iémen, na Etiópia, e em quase toda a Africa subsaariana". (Bill Van Auken, Amid mounting food crisis, governments fear revolution of the hungry, Global Research, April 2008)
"A ELIMINAÇÃO DOS POBRES"
 
Com a existência de grandes setores da população mundial já muito abaixo do limiar da pobreza, esta subida a curto-prazo dos preços dos produtos alimentares é devastadora. Há milhões de pessoas em todo o mundo que se encontram impossibilitadas de adquirir alimentos para a sua sobrevivência.
Estes aumentos brutais estão a contribuir verdadeiramente para a "eliminação dos pobres" através da "morte pela fome". Nas palavras de Henry Kissinger: "Quem controla o petróleo, controla as nações; quem controla os alimentos, controla as pessoas".
Quanto a isto, Kissinger já tinha dado a entender no contexto do Memorando 200 do Estudo de Segurança Nacional de 1974; "Implications of Worldwide Population Growth for U.S. Security and Overseas Interests" (Consequências do Crescimento Mundial da População para a Segurança dos EUA e seus Interesses Ultramarinos), que a ocorrência repetida de fomes podia constituir de facto um instrumento de controlo da população.
Segundo a FAO, o preço dos cereais aumentou 88 % desde Março de 2008. O preço do trigo aumentou 181 % num período de três anos. O preço do arroz aumentou 50% nos últimos três meses (ver Ian Angus, Food Crisis: " The greatest demonstration of the historical failure of the capitalist model", Global Research, April 2008):
"A qualidade mais popular do arroz da Tailândia vendia-se a 198 dólares por tonelada há cinco anos e a 323 dólares por tonelada o ano passado. Em Abril de 2008, o preço chegou aos 1 000 dólares. Os aumentos ainda são maiores nos mercados locais – no Haiti, o preço de mercado dum saco de arroz de 50 quilos duplicou numa só semana em finais de Março de 2008. Estes aumentos são catastróficos para os 2,6 mil milhões de pessoas em todo o mundo que vivem com menos de 2 dólares por dia e gastam 60 a 80% dos seus rendimentos na alimentação. Há centenas de milhões que não têm posses para comer". (Ibid).
DUAS DIMENSÕES INTERRELACIONADAS
 
Há duas dimensões interrelacionadas para a atual crise alimentar global, que estão a lançar milhões de pessoas em todo o mundo na fome e na privação crônica, uma situação em que grupos inteiros de populações deixaram de ter meios para adquirir alimentos.
Em primeiro lugar, é o processo histórico a longo prazo de reforma política macroeconômica e de reestruturação econômica global que tem contribuído para baixar os padrões de vida mundiais, tanto nos países em desenvolvimento como nos países desenvolvidos.
Em segundo lugar, estas condições históricas preexistentes de pobreza de massas têm sido exacerbadas e agravadas pela recente subida nos preços dos cereais que, nalguns casos, chegaram à duplicação do preço de retalho dos produtos alimentares. Estas brutais subidas de preços resultam sobretudo do comércio especulativo nos produtos alimentares.
A EXPLOSÃO ESPECULATIVA DOS PREÇOS DOS CEREAIS
 
Os meios de comunicação têm enganado levianamente a opinião pública quanto às causas destas subidas brutais de preços, concentrando-se quase exclusivamente nas questões dos custos de produção, do clima e de outros factores que resultam numa oferta reduzida e que podem contribuir para aumentar o preço dos produtos alimentares. Se bem que esses factores possam contribuir para tal, têm uma relevância limitada para explicar os aumentos brutais e dramáticos nos preços destes produtos.
Os preços em espiral dos alimentos são sobretudo conseqüência da manipulação do mercado. São atribuíveis sobretudo ao comércio especulativo no mercado. Os preços dos cereais são inflacionados artificialmente por operações especulativas em grande escala nas bolsas mercantis de Nova Iorque e Chicago. Vale a pena assinalar que, em 2007, assistimos à fusão do Chicago Board of Trade (CBOT) com o Chicago Mercantile Exchange (CME), de que resultou a maior entidade mundial de comércio de produtos de consumo, incluindo uma ampla gama de instrumentos especulativos (opções, opções a prazo, fundos indexados, etc.)
O comércio especulativo sobre o trigo, o arroz ou o milho, pode fazer-se na ausência de transações reais de bens. As instituições que especulam no mercado dos cereais não têm que estar obrigatoriamente envolvidas na venda ou na entrega dos cereais.
As transações podem utilizar fundos indexados das mercadorias, ou seja, apostas sobre os movimentos gerais de subida ou descida dos preços das mercadorias. Uma "opção de venda" é uma aposta de que o preço vai descer, uma "opção de compra" é uma aposta de que o preço vai subir. Através duma manipulação concertada, os comerciantes institucionais e as instituições financeiras fazem o preço subir e depois fazem as suas apostas num movimento de subida do preço duma determinada mercadoria.
A especulação gera a volatilidade do mercado. Por seu turno, a instabilidade que daí resulta encoraja uma maior atividade especulativa.
Geram-se lucros quando os preços sobem. Em contrapartida, se o especulador está a descoberto no mercado, ganha dinheiro quando os preços entram em queda.
Esta recente explosão especulativa nos preços dos alimentos tem vindo a provocar um processo mundial de formação de fome a uma escala sem precedentes.
A FALTA DE MEDIDAS REGULADORAS DESENCADEIA A FOME
 
Estas operações especulativas não provocam a fome deliberadamente.
O que provoca a fome é a ausência de procedimentos reguladores em relação ao comércio especulativo (opções, opções a prazo, fundos indexados). No atual contexto, o congelamento do comércio especulativo sobre produtos alimentares, decidido politicamente, contribuiria imediatamente para a baixa dos preços dos alimentos.,
Nada impede que estas transações sejam neutralizadas e impedidas através de um conjunto de medidas reguladoras cuidadosamente concebidas.
Mas, é visível que não é isso o que o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional estão a propor.
O papel do FMI e do Banco Mundial
 
O Banco Mundial e o FMI apareceram com um plano de emergência, para incentivo à agricultura em resposta à "crise alimentar". No entanto, não querem saber das causas desta crise.
O presidente do Banco Mundial, Robert B. Zoellick, descreve esta iniciativa como um "novo contrato", um plano de ação "para o desenvolvimento a longo prazo da produção agrícola", que consiste, entre outras coisas, na duplicação dos empréstimos para a agricultura aos agricultores africanos.
"Temos que colocar o nosso dinheiro onde está hoje a nossa boca para que possamos levar comida às bocas famintas". (Robert Zoellick, diretor do Banco Mundial, citado pela BBC, 2.Maio.2008)
A "medicina econômica" do FMI/Banco Mundial não é uma "solução" mas é sobretudo a "causa" da fome nos países em desenvolvimento. Mais empréstimos do FMI-Banco Mundial para "incentivos à agricultura" só servirão para aumentar os níveis de endividamento e exacerbar a pobreza em vez de a diminuir.
Os "empréstimos baseados nesta política" do Banco Mundial são concedidos na condição de que os países obedeçam à agenda política neoliberal que, desde o início dos anos 80, tem vindo a conduzir ao colapso da agricultura alimentar a nível local.
A "estabilização macroeconômica" e os programas de ajustamento estrutural impostos pelo FMI e pelo Banco Mundial aos países em desenvolvimento (como condição para a renegociação da sua dívida externa) conduziram ao empobrecimento de centenas de milhões de pessoas.
As cruéis realidades econômicas e sociais subjacentes à intervenção do FMI são a subida dos preços dos alimentos, as fomes a nível local, os despedimentos maciços de trabalhadores urbanos e domésticos e a destruição de programas sociais. O poder de compra interno caiu, foram fechadas escolas e clínicas de cuidados de saúde contra a fome, há centenas de milhões de crianças a quem tem sido negado o direito à educação básica.
TRATAMENTO DE CHOQUE DO FMI
 
Historicamente, os preços em espiral dos alimentos a nível retalhista foram sempre provocados pelas desvalorizações da moeda, que resultaram invariavelmente numa situação hiper inflacionária. No Peru em Agosto de 1990, por exemplo, por ordem do FMI, os preços dos combustíveis aumentaram 30 vezes de um dia para o outro. O preço do pão aumentou 12 vezes de um dia para o outro:
"Em todo o Terceiro Mundo, a situação é de desespero social e de desânimo social numa população empobrecida pelos jogos das leis do mercado. Em 1989, os motins anti-SAP [Programa de Ajustamento Estrutural] e os levantamentos populares são reprimidos brutalmente: em Caracas, o presidente Carlos Andres Perez, depois de ter denunciado retoricamente o FMI por praticar 'um totalitarismo econômico que mata não apenas com balas mas pela fome', declara o estado de emergência e envia unidades regulares de infantaria e de fuzileiros para as áreas pobres ( barrios de ranchos) nas colinas circundantes da capital. Os motins em Caracas anti-FMI foram ateados por um aumento de 200 por cento no preço do pão. Foram alvejados indiscriminadamente homens, mulheres e crianças: 'Noticiou-se que a morgue de Caracas tinha mais de 200 corpos de pessoas mortas nos três primeiros dias… e esta avisou que estava a ficar sem caixões'. Não oficialmente foram mortas mais de mil pessoas. Tunis, Janeiro de 1984, os motins pelo pão foram instigados sobretudo pela juventude desempregada protestando contra o aumento dos produtos alimentares; Nigéria, 1989: os motins estudantis anti-SAP levaram ao encerramento de seis universidades do país pelo Conselho Governamental das Forças Armadas; Marrocos, 1990: uma greve geral e um levantamento popular contra as reformas do governo, patrocinadas pelo FMI". (Michel Chossudovsky, op cit.)
A DESREGULAMENTAÇÃO DOS MERCADOS DE CEREAIS
 
A partir dos anos 80, os mercados de cereais foram isentos de regulamentação sob a supervisão do Banco Mundial, e os excedentes de cereais dos Estados Unidos e da União Europeia (EUA/UE) são utilizados sistematicamente para destruir os agricultores e desestabilizar a agricultura alimentar nacional. Os empréstimos do Banco Mundial exigem o levantamento das barreiras comerciais sobre os produtos agrícolas importados, levando ao abaixamento de preços dos excedentes de cereais dos EUA/UE nos mercados locais. Estas e outras medidas atiraram os produtores agrícolas locais para a falência.
O "mercado livre" dos cereais – imposto pelo FMI e pelo Banco Mundial – destrói a economia dos agricultores e põe em risco a "segurança alimentar". O Malawi e o Zimbabué já foram países prósperos com excedentes de cereais. O Ruanda era praticamente auto-suficiente quanto a alimentos até 1990, quando o FMI ordenou a introdução dos excedentes de cereais dos EUA e da UE a preços baixos no mercado interno, provocando a falência dos pequenos agricultores. Em 1991- 92, a fome atingiu o Quénia, a economia do pão com maior êxito da Africa oriental. O governo de Nairobi fora colocado na lista negra por não obedecer às prescrições do FMI. A ausência de regulamentação do mercado dos cereais tinha sido exigida como uma das condições para a reforma da dívida externa de Nairobi com o Clube de Paris de credores autorizados. (Michel Chossudovsky, The Globalization of Poverty and the New World Order, Second Edition, Montreal 2003)
Por toda a Africa, assim como no sudeste asiático e na América Latina, o padrão do "ajustamento sectorial" na agricultura sob a custódia das instituições do Bretton Woods tem sido inequivocamente no sentido da destruição da segurança alimentar. Tem-se reforçado a dependência vis-à-vis o mercado mundial, o que conduz a uma explosão nas importações comerciais de cereais assim como à subida no influxo da "ajuda alimentar".
Os produtores agrícolas foram encorajados a abandonar as culturas alimentares e a virarem-se para culturas de exportação de "alto valor", quase sempre em detrimento da auto-suficiência alimentar. Os produtos de alto valor assim como as culturas para ganhar dinheiro com a exportação foram apoiados por empréstimos do Banco Mundial.
As fomes na era da globalização são o resultado desta política. A fome não é conseqüência da falta de alimentos, muito pelo contrário: os excedentes globais de alimentos são utilizados para desestabilizar a produção agrícola nos países em desenvolvimento.
Fortemente regulamentada e controlada pelas indústrias agrícolas internacionais, esta sobre-produção acaba por conduzir à estagnação tanto da produção como do consumo dos produtos alimentares essenciais e ao empobrecimento dos agricultores em todo o mundo. Além disso, na era da globalização, o programa de ajustamento estrutural do FMI-Banco Mundial tem uma relação direta com a formação do processo da fome porque corrói sistematicamente todas as áreas da atividade econômica, quer urbana quer rural, que não sirvam diretamente os interesses do sistema do mercado global.
Os rendimentos dos agricultores, tanto nos países ricos como nos países pobres, são espremidos por um punhado de empresas globais agro-industriais que controlam simultaneamente os mercados de cereais, os abastecimentos agrícolas, as sementes e os alimentos processados. É uma firma gigantesca, a Cargill Inc., com mais de 140 filiais e subsidiárias em todo o mundo, que controla grande parte do comércio internacional de cereais. A partir dos anos 50, a Cargill tornou-se o principal fornecedor da "ajuda alimentar" americana financiada pela Lei Pública 480 (1954).
A agricultura mundial tem, pela primeira vez na história, a capacidade de satisfazer as necessidades alimentares de todo o planeta; no entanto, a própria natureza do sistema de mercado global impede que isso aconteça. A capacidade de produzir alimentos é enorme, mas os níveis do consumo de alimentos mantêm-se extraordinariamente baixos porque uma enorme porção da população mundial vive em condições de pobreza e de privação extremas. Além disso, o processo de "modernização" da agricultura levou à espoliação dos agricultores, aumentou a falta de terras disponíveis e a degradação ambiental. Por outras palavras, as próprias forças que encorajam a expansão da produção global de alimentos estão também a provocar contraditoriamente uma contração nos padrões de vida e o declínio na procura de alimentos.
SEMENTES GENETICAMENTE MODIFICADAS
 
Coincidindo com a instituição da Organização Mundial do Comércio (OMC) em 1995, ocorreu outra importante mudança histórica na estrutura da agricultura global.
Ao abrigo dos artigos do acordo da Organização Mundial do Comércio (OMC), os gigantes alimentares têm uma liberdade sem restrições para entrar nos mercados de sementes dos países em desenvolvimento. A aquisição de "direitos de propriedade intelectual" exclusivos sobre variedades de plantas pelos interesses agro-industriais internacionais, também favorece a destruição da biodiversidade.
Agindo em benefício de um punhado de conglomerados da biotecnologia, as sementes geneticamente modificadas (GMO) têm vindo a ser impostas aos agricultores, frequentemente no contexto de "programas de ajuda alimentar". Na Etiópia, por exemplo, na seqüência de uma grande seca, foram entregues conjuntos de sementes GMO a agricultores empobrecidos, com vista à reabilitação da produção agrícola. As sementes GMO foram plantadas, permitindo uma boa colheita. Mas depois os agricultores vieram a saber que as sementes não podiam voltar a ser plantadas, sem o pagamento de royalties à Monsanto, ao Arch Daniel Midland e a outros. A seguir, os agricultores descobriram que as sementes só dariam uma boa colheita se usassem os produtos adequados, incluindo o fertilizante, o insecticida e o herbicida, produzidos e distribuídos pelas companhias agro-industriais de biotecnologia. Economias rurais inteiras ficaram presas nas garras dos conglomerados agro-industriais.
A QUEBRA DO CICLO AGRÍCOLA
 
Com o alastramento da adopção de sementes GMO, ocorreu uma importante mudança na estrutura e na história da agricultura tradicional desde a sua origem há 10 000 anos.
A reprodução de sementes a nível da aldeia em viveiros locais foi interrompida pelo uso de sementes geneticamente modificadas. O ciclo agrícola, que possibilita aos agricultores armazenar as suas sementes orgânicas e a plantá-las para conseguir as suas colheitas seguintes, foi interrompido. Este padrão destrutivo – que resulta invariavelmente na fome – é repetido país atrás de país levando à morte mundial da economia rural.
*Michel Chossudovsky, canadense, é Professor de Economia na Universidade de Otava e Diretor do Centro para Investigação sobre a Globalização.
É colaborador da Enciclopédia Britânica. Os seus escritos estão traduzidos em mais de 20 línguas.
publicado por LauraBM às 22:23

10
Nov 10

acrise.jpg

publicado por LauraBM às 22:58

12
Nov 09
Hoje venho trazer aqui um caso que parece insolúvel.
Quando provámos o leite abaixo descriminado, vimos que não estava em condições de ser consumido, devido ao estranho paladar.
Liguei para o Apoio ao Consumidor e lá me indicaram o Instituto do Leite.
Como não possuíam o telefone, ligaram-me no dia seguinte a dar-me,  não esse, mas o da Inspecção Geral das Actividades Económicas (IGAE), em Lisboa, para contactar e expor o meu caso.
Assim fiz, pelo telefone que me foi facultado.
  
Do IGAE, pediram para enviar um fax com a exposição do assunto. Como não tenho fax, sugeri o envio dum e-mail.
De imediato me responderam que sim, deveria mandá-lo, então, ao cuidado da Zona sul, já que moro na Margem Sul do Tejo.
Tudo me facultaram, nomes e e-mail.
Fiquei um tanto desconfiada porque bem sei que e-mails neste nosso Portugal, nunca funcionam.
 
(Pode parecer estranho, quando em todo o mundo é a forma mais divulgada de se enviar qualquer coisa mas, aqui.....  NÂO!
E-mails desaparecem misteriosamente e nunca chegam ao destino. (Posso dizer que uma ocasião mandei um e-mail para uma Câmara e quando telefonei a perguntar a resposta, responderam que não tinham recebido porque deveria estar na cx. do correio que ninguém sabia abrir!!!!! Isto foi há 3 anos. Pensava eu que a coisa já estivesse melhor, após estes 3 anos.
 
Mas o facto é que já telefonei para o IGAE 3 vezes porque os e-mails vêm devolvidos. Já me deram 3 endereços electrónicos e nenhum funciona. 
 
Tentarei amanhã ligar de novo para o Apoio ao Consumidor a expor: «O caso dos e-mails desaparecidos» ou «As vicissitudes de uma pobre cidadã».  E esta, hein?
E eu só queria dizer que o meu leitinho matinal tem um gosto tão horrível que mais vale beber Coca-Cola!!!!!!!! Pode, com tal coisa?
 
Entretanto, o meu marido já enviou um fax do escritório dum amigo dele com a exposição do assunto.
Também ainda não obtivemos resposta.
E a coisa já por aqui anda desde o dia 26 de Abril/2005. Ainda passa o prazo do dito leitinho e, pela ordem natural das coisas e dos costumes deste nosso Portugal: O Processo prescreve!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Não se admirem que já é costume!!!!!!!
 
Laura B. Martins
http://apoliticadospoliticos.blogs.sapo.pt/
 
----- Original Message -----
 From: Laura B. Martins
 To: drigae.sul@igae.min.economia.pt
Sent: Wednesday, May 11, 2005 10:01 PM
Subject: Leite com sabor estranho
A/C - Directora da Região Sul - Exmª Srª D. Ivone Serrano
 
Leite com sabor estranho
 
Exmºs Senhores
 
Dum pacotão de 6, tenho ainda em meu poder 4 embalagens de Leite Magro - Nova Açores.
Foi adquirido no Hipermercado Continente do Seixal onde nos abastecemos mensalmente.
O primeiro pacote aberto deitámos fora e o segundo ainda permanece no meu frigorífico.
  • Nova Açores - UNILEITE (apartado 78 9501 Ponta Delgada Codex)
  • Produzido por:
  • União das Cooperativas Agrícolas de Lacticínios e de Produtores de Leite da Ilha de S. Miguel, UCRL.
  • O prazo de validade é de 15/06/2005 e o lote 11 HL 492.
Este leite apresenta um estranho e intenso sabor .
Há bastante tempo que consumimos leite Magro e Meio gordo desta mesma marca e nunca havíamos notado algo parecido.
O sabor apresentado, lembra-me a entrada num estábulo/vacaria. É como se lhe tivesse caído dentro algo como um pedaço de excremento ou palha embebida naquele odor dos animais.
Ligo o cheiro característico duma vacaria antiga ao inusitado sabor deste leite. 
 
Gostaria de obter a v/opinião sobre o caso.
 
Claro que gostaria, também, de ser reembolsada do valor do pacotão, mas isso só é possível se eu mostrar a factura comprovativa da compra e entregar o produto a devolver. 
A factura ainda possuo, mas o produto aguarda o v/parecer.
 
Caso necessitam mais alguma informação, estou ao v/dispor neste contacto:
e-mail:  ......................
telefone    - ..............
telemóvel - .................
morada: .........................
........................................
................................
(as informações acima, foram retiradas por motivos óbvios)
 
Com os meus cumprimentos, aguardo uma rápida resposta e, se possível, além do recibo de leitura pedido por mim, um retorno de ok desta mensagem. 
 
Laura B. Martins
.....................................
publicado por LauraBM às 22:23

15
Set 09

(hahahahaha... Só esta me fazia rir!)
Análise económica com base na perspectiva do analista americano Dr. Marc Faber :

O Governo fez deduções e devoluções do IRS.
Se gastarmos esses montantes na Zara, o dinheiro vai todo para a China.
Se o gastarmos em combustível, ele vai direitinho para os árabes.
Se comprarmos um  computador, o dinheirito irá para a Índia, China e Taiwan ou Formosa.
Se comprarmos produtos hortícolas, o dinheiro vai para Espanha, França ou Holanda, pela certa.
Se comprarmos um bom carro, o destino do dinheiro será a Alemanha.
Se comprarmos inutilidades, ele vai para a Formosa. Nenhum desse dinheiro ajudará a economia nacional.
A única maneira de manter esse dinheiro dentro de portas é gastá-lo em putas e vinho verde, que são os únicos produtos ainda produzidos em Portugal.
------------------
19/12/2008

publicado por LauraBM às 18:41

19
Jul 09

HelenaMatos_jornalista.jpg Nunca se deve dar poder a um tipo porreiro

O porreirismo de Sócrates, pela natureza do cargo que ocupa, criou um problema moral ao país

No início, ninguém dá nada por eles. Mas, pouco a pouco, vão conseguindo afirmar o seu espaço. Não se lhes conhece nada de significativo, mas começa a dizer-se deles que são porreiros. Geralmente estes tipos porreiros interessam-se por assuntos também eles porreiros e que dão notícias porreiras. Note-se que, na política, os tipos porreiros muito frequentemente não têm qualquer opinião sobre as matérias em causa mas porreiramente percebem o que está a dar e por aí vão com vista à consolidação da sua imagem como os mais porreiros entre os porreiros. Ser considerado porreiro é uma espécie de plebiscito de popularidade. Por isso não há coisa mais perigosa que um tipo porreiro com poder. E Portugal tem o azar de ter neste momento como primeiro-ministro um tipo porreiro. Ou seja, alguém que não vê diferença institucional entre si mesmo e o cargo que ocupa. Alguém que não percebe que a defesa da sua honra não pode ser feita à custa do desprestígio das instituições do Estado e do próprio partido que lidera. O PS é neste momento um partido cujas melhores cabeças tentam explicar ao povo português por palavras politicamente correctas e polidas o que Avelino Ferreira Torres assume com boçalidade: quem não é condenado está inocente e quem acusa conspira. Nesta forma de estar não há diferença entre responsabilidade política e responsabilidade criminal. Logo, se os processos forem arquivados, o assunto é dado por encerrado. Isto é o porreirismo em todo o seu esplendor.
Acontece, porém, que o porreirismo de Sócrates, pela natureza do cargo que ocupa, criou um problema moral ao país. Fomos porreiros e fizemos de conta que a sua licenciatura era tipo porreira, exames por fax, notas ao domingo. Enfim tudo "profes" porreiros. A seguir, fomos ainda mais porreiros e rimos por existir gente com tão mau gosto para querer umas casas daquelas como se o que estivesse em causa fosse o padrão dos azulejos e não o funcionamento daquele esquema de licenciamento. E depois fomos porreiríssimos quando pensámos que só um gajo nada porreiro é que estranha as movimentações profissionais de todos aqueles gajos porreiros que trataram do licenciamento do aterro sanitário da Cova da Beira e do Freeport. E como ficámos com cara de genuínos porreiros quando percebemos que o procurador Lopes da Mota representava Portugal no Eurojust, uma agência europeia de cooperação judicial? É preciso um procurador ter uma sorte porreira para acabar em tal instância após ter sido investigado pela PGR por ter fornecido informações a Fátima Felgueiras.
Pouco a pouco, o porreirismo tornou-se a nossa ideologia. Só quem não é porreiro é que não vê que os tempos agora são assim: o primeiro-ministro faz pantomina a vender computadores numa cimeira ibero-americana? Porreiro. Teve graça não teve? Vendeu ou não vendeu? Mais graça do que isso e mais porreiro ainda foi o processo de escolha da empresa que faz o computador Magalhães. É tão porreiro que ninguém o percebeu mas a vantagem do porreirismo é que é um estado de espírito: és cá dos nossos, logo, és porreiro.
E foi assim que, de porreirismo em porreirismo, caímos neste atoleiro cheio de gajos porreiros. O primeiro-ministro faz comunicações ao país para dizer que é vítima de uma campanha negra não se percebe se organizada pelo ministério público, pela polícia inglesa e pela comunicação social cujos directores e patrões não são porreiros. Os investigadores do ministério público dizem-se pressionados. O procurador-geral da República, as procuradoras Cândida Almeida e Maria José Morgado falam com displicência como se só por falta de discernimento alguém pudesse pensar que a investigação não está no melhor dos mundos...
Toda esta gente é paga com o nosso dinheiro. Não lhes pedimos que façam muito. Nem sequer lhes pedimos que façam bem. Mas acho que temos o direito de lhes exigir que se portem com o mínimo de dignidade. Um titular de cargos políticos ou públicos pode ter cometido actos menos transparentes. Pode ser incompetente. Pode até ser ignorante e parcial. De tudo isto já tivemos. Aquilo para que não estávamos preparados era para esta espécie de falta de escala. Como se esta gente não conseguisse perceber que o país é muito mais importante que o seu egozinho. Infelizmente para nós, os gajos porreiros nunca despegam.
---------------------------
Jornalista Helena Matos
Público, quinta-feira, 2 de Abril de 2009

publicado por LauraBM às 19:10

10
Jun 09

smile-chorar.gifTem toda a razão!
Eu é que estou muito envergonhada por ser oriunda de um país onde a classe médica tudo faz para prejudicar os doentes, e sobrepõe honorários ao juramento de Hipócrates:
Prometo que, ao exercer a arte de curar, mostrar-me-ei sempre fiel aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência.
Penetrando no interior dos lares, meus olhos serão cegos, minha língua calará os segredos que me forem revelados, o que terei como preceito de honra.
Nunca me servirei da profissão para corromper os costumes ou favorecer o crime.
Se eu cumprir este juramento com fidelidade, goze eu, para sempre, a minha vida e a minha arte, com boa reputação entre os homens.
Se o infringir ou dele afastar-me, suceda-me o contrário.
De notar que o nosso governo também não está minimamente interessado em modificar este estado de coisas;  quando precisam de cuidados médicos têm muito aonde ir, e são atendidos na hora. Pudera, pagam-se bem pelo deplorável trabalho que executam em prol dos portugueses.
Laura B. Martins

======================
Repassando de um amigo lisboeta indignado com as coisas daqui.
"Olhos nos olhos" - Artigo assinado por Teresa Campos na "Visão" de 10/4/2008

AGORA DIGAM SE VIVEMOS OU NÃO NUM PAÍS DE “GENTE” SEM ESCRÚPULOS

Por uma questão de curiosidade, e porque muitos dos destinatários nasceram ou moram nesta terra, ou visitam com frequência o Barreiro, vou reproduzir uma pequena notícia que vem publicada na revista "Visão" de quinta-feira passada, com o título acima indicado e o sub-título "Em apenas 6 dias um oftalmologista espanhol limpou a lista de espera da cirurgia às cataratas, no Hospital do Barreiro"

"José António Lillo Bravo, 45 anos, oftalmologista espanhol, instalou-se de armas e bagagens, como quem diz, com equipa e equipamento, no Hospital Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro, e reduziu drasticamente a lista de espera das operações às cataratas
Precisou apenas de seis dias - seis! - para devolver a visão a 234 pessoas.
O procedimento é simples, faz-se em poucos minutos, só com anestesia local; o oftalmologia aplica o método (= facoemulsificação) há mais de uma década, e permite ao doente voltar para casa no dia da intervenção. E pelos seus próprios pés.
Sem pudores, José Bravo precisa que, nos dias em que esteve no Barreiro, e com a ajuda da sua equipa, fez 48 intervenções diárias : 24 de manhã e 24 de tarde - contra as 50 por ano, em média, dos médicos locais, e que resultaram, no final de 2007, numa lista de espera de 384 pessoas.
Por cada cirurgia, o espanhol, recebeu 900 euros. Um valor que, garante a administração do Hospital, é compensador : corresponde a metade do preço pedido pelos médicos portugueses."

Fim do artigo. Assinado: Teresa Campos.
(REVISTA – VISÃO)
=======================
Nem todos os médicos portugueses trabalham por amor à arte, é mais por amor ao dinheiro... Não é novidade para mim, mas o profissionalismo deste médico espanhol é de admirar!
GRANDE PARTE DA “CLASSE MÉDICA PORTUGUESA” DEVERIA ESTAR ENVERGONHADA.

publicado por LauraBM às 23:49

10
Nov 08

A promessa do nosso ex-Primeiro cumpriu-se: "O Céu é o limite".

Havia bandeiras por tudo quanto era carro e janela, mas... no espaço!!!

É incrível! Vejam a foto da Bandeira de Portugal no Espaço!!!

A gente fala mal do nosso País...

Mas quando se depara com uma imagem destas, enchemo-nos de orgulho!!!

Viva Portugal!!!

bandeira_espaco.JPG

publicado por LauraBM às 23:40

10
Jul 08

ESTA VALE A PENA DIVULGAR!!!!!!!  é uma verdadeira vergonha...

       ... batendo as asas pela noite calada. Vêm em bandos, com pés de veludo...»Os Vampiros do Século XXI

        A Caixa Geral de Depósitos (CGD) está a enviar aos seus clientes mais modestos uma circular que deveria fazer corar de vergonha os
administradores - principescamente pagos - daquela instituição bancária.
       A carta da CGD começa, como mandam as boas regras de marketing, por reafirmar o empenho do Banco em oferecer aos seus clientes as melhores condições de preço qualidade em toda a gama de prestação de serviços, incluindo no que respeita a despesas de manutenção nas contas à ordem.
         As palavras de circunstância não chegam sequer a suscitar qualquer tipo de ilusões, dado que após novo parágrafo sobre racionalização e eficiência da gestão de contas, o estimado/a cliente é confrontado com a informação de que, para continuar a usufruir da isenção da comissão de despesas de manutenção, terá de ter em cada trimestre um saldo médio superior a EUR1000, ter crédito de vencimento ou ter aplicações financeiras associadas à respectiva conta.
     Ora sucede que muitas contas da CGD,designadamente de pensionistas e reformados, são abertas por imposição legal.
      É o caso de um reformado por invalidez e quase septuagenário, que sobrevive com uma pensão de EUR243,45 - que para ter direito ao piedoso subsídio diário de EUR 7,57 (sete euros e cinquenta e sete cêntimos!) foi forçado a abrir conta na CGD por determinação expressa da Segurança Social para receber a reforma.
     Como se compreende, casos como este - e muitos são os portugueses que vivem abaixo ou no limiar da pobreza - não podem, de todo, preencher os requisitos impostos pela CGD e tão pouco dar-se ao luxo de pagar despesas de manutenção de uma conta que foram constrangidos a abrir para acolher a sua miséria.
     O mais escandaloso é que seja justamente uma instituição bancária que ano após ano apresenta lucros fabulosos e que aposenta os seus
administradores, mesmo quando efémeros, com «obscenas» pensões (para citar Bagão Félix), a vir exigir a quem mal consegue sobreviver que contribua para engordar os seus lautos proventos.
      É sem dúvida uma situação ridícula e vergonhosa, como lhe chama o nosso leitor, mas as palavras sabem a pouco quando se trata de denunciar tamanha indignidade.
     Esta é a face brutal do capitalismo selvagem que nos servem sob a capa da democracia, em que até a esmola paga taxa.
     Sem respeito pela dignidade humana e sem qualquer resquício de decência, com o único objectivo de acumular mais e mais lucros, eis os
administradores de sucesso.

     Medita e divulga... Mas divulga mesmo por favor ...
Cidadania é fazê-lo, é demonstrar esta pouca vergonha que nos atira para a miserabilidade social.

     Este tipo de comentário não aparece nos jornais, tv's e rádios....Porque será???

publicado por LauraBM às 00:15

18
Nov 07

Televisão: da informação a desinformação

O principio básico da censura moderna consiste em inundar asSocas_2.jpg informações essenciais com um dilúvio de notícias insignificantes difundidas por uma multidão de meios de comunicação social com conteúdos similares.
Isto permite que a nova censura tenha todas as aparências da pluralidade e da democracia.
Esta estratégia de entretenimento e distracção se aplica em primeiro lugar aos noticiários televisados, principal fonte de informação pública.

Da informação à desinformação...
Desde o inicio dos anos 90, os noticiários de televisão não contém quase informação. Seguem  chamando-se “Noticiários de Televisão” quando na realidade deveriam chamar-se “magazines ou revistas”.
Um noticiário contém em média no máximo de 2 a 3 minutos de informação. O resto está constituído de reportagens anedóticas, de fatos diversos, de micro-câmaras das quais quase sempre se reportam a vida quotidiana dos chamados reality-shows.

...e uma censura sem censores
Toda subtileza da censura moderna reside na ausência de censores. Estes tem sido eficazmente reforçados pela “Lei de Mercado” e a “Lei de Audiência”. Pelo simples jogo de condições económicas habilmente criadas, os canais de televisão já não mais dispõe de meios financeiros para realizar reportagens verdadeiramente periódicas, e sem dúvida, ao mesmo tempo, o reality-show e as micro-câmaras arrastam mais audiência a um custo muito mais reduzido.
Mesmo os acontecimentos importantes são tratados debaixo de um ângulo de “revista”, pelo canto dos olhos. Desse modo, uma encontro internacional dará lugar a uma entrevista do organizador do “encontro”, com as imagens de limusinas oficiais e as saudações diante de algum edifício, porém, nenhuma informação, nenhuma analise com relação ao temas discutidos pelos chefes de Estado. Da mesma forma, um atentado será coberto por micro-câmaras em quase todos os lugares do drama, com as impressões e testemunhos dos passantes, ou a entrevista de um “recadista” ou um oficial de polícia.

estas insignificâncias se seguem os desportos, os fatos diversos, as reportagens pitorescas sobre as profundezas da França (ou de qualquer outro país), sem duvidar das publicidades disfarçadas por produtos culturais fazendo o objecto de uma campanha (espectáculos, filmes, livros, discos...).

Informação desestruturada para uma memorização mínima.
Todos os sociólogos e especialistas da neurociência sabem que a memorização da informação por parte do cérebro se faz de melhor forma em função da forma estruturada e hierarquizada em que é apresentada a informação.
A estruturação e a hierarquização da informação são também princípios de base ensinados a todos os estudantes de periódicos.
Sem dúvida, nestes últimos 10 anos, os noticiários de televisão fazem exactamente o contrário, encadeando em desordem temas excêntricos e de importância desigual (um fato diverso, um pouco de política, desportos, um tema social, um outro fato diverso, logo de novo política, etc.) como se o objectivo buscado fosse obter a pior memorização possível das informações para o público. Uma publicação amnésica é de facto muito mais fácil de manipular...
-----------------------------------
4/09/2005
Sara Rafael
Fonte: http://perso.wanadoo.fr/metasystems/ES/JTContents.html
http://www.cuidardoser.com.br/teelvisao-da-informacao-a-desinformacao.htm

NOTA:
Estou de acordo com a Sara-Rafael, menos como facto de que isso seja CENSURA.
Desinformação, isso sim. Confusão, ainda melhor, para atrapalhar grandes noticiários que poderiam ser feitos em meia hora e por vezes levam hora e meia.
De notar que cada período de anúncios leva, por norma, 10 a 15 minutos; e se os noticiários não fossem longos, como é que eles poderiam ganhar tanto dinheiro com a publicidade nos horários nobres?
No meio da confusão o público nem tem como aperceber-se do mau serviço prestado.
A maior parte das vezes iniciam-se assuntos que não têm continuidade. Quer dizer: levanta-se a lebre mas ninguém consegue ir atrás dela. E isso, por vezes, é muito conveniente!!!!
------------------
4/09/2005
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 00:59

15
Nov 07

Ex.mo Senhor Ministro das Finanças

Victor Lopes da Gama Cerqueira, cidadão eleitor e contribuinte deste País, com o número de B.I . 8388517, do Arquivo de identificação de Lisboa, contribuinte n.º152115870 vem por este meio junto de V.Ex.a para lhe fazer uma proposta:

A minha Esposa, Maria Amélia Pereira Gonçalves Sampaio Cerqueira, foi vítima de CANCRO DE MAMA em 2004, foi operada em 6 Janeiro com a extracção radical da mesma.

Por esta "coisinha" sem qualquer importância foi-lhe atribuída uma incapacidade de 80%, imagine, que deu origem a que a minha Esposa tenha usufruído de alguns benefícios fiscais.

Assim, e tendo em conta as suas orientações, nomeadamente para a CGA, que confirmam que para si o CANCRO é uma questão de só menos importância.

Considerando ainda, o facto de V. Ex.ª, coerentemente, querer que para o ano seja retirado os benefícios fiscais, a qualquer um que ganhe um pouco mais do que o salário mínimo, venho propor a V. Ex.ª o seguinte:
a) a devolução do CANCRO de MAMA da minha Mulher a V. Ex.ª que, com os meus
cumprimentos o dará à sua Esposa ou Filha.
b) Concomitantemente com esta oferta gostaria que aceitasse para a sua Esposa ou Filha ainda:
c) os seis (6) tratamentos de quimioterapia.
d) os vinte e oito (28) tratamentos de radioterapia.
e) a angustia e a ansiedade que nós sofremos antes, durante e depois.
f) os exames semestrais (que desperdício Senhor Ministro, terá que orientar o seu colega da saúde para acabar com este escândalo).
g) ansiedade com que são acompanhados estes exames.
h) A angústia em que vivemos permanentemente.

Em troca de V. Ex.ª ficar para si e para os seus com a doença da minha Esposa e os nossos sofrimentos eu DEVOLVEREI todos os benefícios fiscais de que a minha Esposa terá beneficiado, pedindo um empréstimo para o fazer.

Penso sinceramente que é uma proposta justa e com a qual, estou certo, a sua Esposa ou filha também estarão de acordo.

Grato pela atenção que possa dar a esta proposta, informo V.Ex.a que darei
conhecimento da mesma a Sua Ex.ª o Presidente da República, agradecendo
fervorosamente o apoio que tem dispensado ao seu Governo e a medidas como esta e também o aumento de impostos aos reformados e outras...

Reservo-me ainda o direito (será que tenho direitos?) de divulgar esta carta como muito bem entender.

Como V. Ex.ª não acreditará em Deus (por se considerar como tal...) e por isso dorme em paz, abraçando e beijando os seus, só lhe posso desejar que Deus lhe perdoe, porque eu não posso (jamais) perdoar-lhe.

Atentamente

19/Outubro/2007

Victor Lopes da Gama Cerqueira

publicado por LauraBM às 00:38

12
Nov 07

Senhor primeiro-ministro, amigo Zé, pá...

Já deu para ver que, no estado em que as coisas estão, há que sacar dinheiro ao pessoal de qualquer maneira.
E como aumentar mais uma vez os impostos dava muito nas vistas, agora até na praia, o chamado mergulho de chapão com bandeira amarela ou mesmo uma simples entrada em água com bandeira vermelha, dá para colocar uma quantia valente (de 55 a mil euros) nos depauperados cofres do estado .

Caramba, porque é que não disseste mais cedo, Socas? Ora aqui o teu muito patriota amigo não quer que penses em mais estratagemas deste tipo e envia-te uma singela lista de coisas que ainda não pagam multa, mas que com a tua ajuda e com alguém que te prepare a legislação, é só meter no Diário da República e vais ver que o défice das contas estatais se esfuma num instante. E ainda se ajuda a tornar o nosso Portugal num país mais bonito, como bónus. Ora cá vai disto:

LISTA DE COISAS A TAXAR (em breve)
- Uso de meia branca com sapatinho escuro (cem a mil euros)
- Bigode à futebolista dos anos oitenta (duzentos a 2000 euros)
- Coçar os genitais em público (150 a 1500 euros)
- Utilização do colete reflector nas costas do banco do condutor (120 a 1200 euros)
- Passear de fato de treino por centros comerciais ao fim de semana (quatrocentos a 4000 euros)
- Raparigas com excesso de peso envergando roupa apertadíssima (130 a 1300 euros)
- Uso de óculos de sol em discotecas e restaurantes (quinhentos a 5000 euros)
- Utilização das expressões: prontos, portantos, treuze, stander de automóves etc... ( 140 a 1400 euros)
- Uso de sandália com peúga (trezentos a 3000 euros)

Pronto, cá está, Socas, usa e abusa. Quem é amigo, quem é?
----------------
18/11/2006
TUGOLÂNDIA

publicado por LauraBM às 23:57

10
Nov 07

bandeiraPortugal_ondular.gifCá por mim, vou pôr uma Bandeira na janela, quando:
- Portugal deixar de ser o país da Europa com maior índice de abandono escolar, analfabetismo e corrupção
- Em Portugal, ninguém que trabalhe ou queira trabalhar ou tenha trabalhado toda a vida, ou que não possa trabalhar, passe fome
- O desemprego não for um desígnio nacional
- A classe política deixar de ser maioritariamente composta por incompetentes que defendem os seus interesses privados em vez do interesse público
- Os milhentos dirigentes das milhentas Fundações, fizerem alguma coisa útil, além de receber o ordenado
- Se construírem menos Centros Comerciais maiores da Europa do que Centros de Saúde, Hospitais, Escolas e Infantários
- Na ESBAL, os alunos não tenham que ir para as aulas com um balde, para apanhar a água que escorre dos tectos
- Não se tiver que retirar os pianos de uma sala de uma Escola Superior de Música, porque o chão ameaça ruir
- Os morangos com açúcar sejam exclusivamente uma sobremesa
- Os alunos dos diversos graus de ensino, passarem de ano por terem tido notas para isso e não porque os papás apresentaram recursos e os Professores e os membros dos Conselhos Directivos tenham medo de perder o Emprego
- Nenhum ministro, nenhum professor, nenhum jornalista disser tênhamos ou póssamos
- Não houver nenhum 1º Ministro que tenha a lata de abandonar o País à má fila, em plena crise, para ir sofregamente atrás de um qualquer tacho mais aliciante
- Acabar a pouca vergonha do Estado (com o dinheiro dos cidadãos) gastar 3.500.000€ com transportes dos Deputados e milhares de cidadãos não terem dinheiro nem para comprar o passe
- Não for verdade que os Deputados faltaram em massa ao trabalho para irem passar um fim de semana prolongado e isso ser a coisa mais natural da vida
- Os deputados eleitos pelo povo não alterem o normal agendamento da Assembleia da República para ver jogos de futebol, enquanto o povo que os elegeu a quem se pede sacrifícios trabalha.
- As crianças e os velhos forem tratados com dignidade, pelos pais, filhos, professores, educadores, instituições e políticos
- Os papás ensinarem as crianças que os Professores devem ser respeitados
- Todos os professores forem competentes
- A polícia deixar de fingir que não vê as lutas de pit-bull nas diversas Trafarias do País, bem como as corridas a 250 Km/h em várias Pontes Vasco da Gama do País, às 6ªs feiras à noite
- As televisões entenderem que, ao transformar os Incêndios em grandes espectáculos de variedades, estão a transformar os incendiários em realizadores e produtores de grandes programas de televisão, o que os enche de vaidade e é altamente motivador
- Nenhum governante tiver o desplante de dizer que "abriu a época oficial de incêndios"
- Se investigar como é que aquele senhor arranjou dinheiro para comprar o Ferrari
- A violência doméstica, a pedofilia, a violação e todos os crimes cometidos contra crianças, forem punidos com 50 anos de cadeia
- Os novos submarinos forem trocados por equipamento para apetrechar condignamente todos os hospitais e escolas do país, e, com o que sobra, se comprar tractores e traineiras.
- Os bebés das mães portuguesas, deixarem de ter de ir nascer a Badajoz
- A selvajaria anual de Barrancos acabar por falta de espectadores
- A gripe das aves não tiver direito a mais do que 1 minuto de tempo de antena, por mês, incluindo a informação de que morreram 1 indonésio e 2 chineses, quando nos 5 segundos que demorou a noticia, morreram mais de 700.000 pessoas com outras 250 doenças e 300.000 crianças morreram de fome, de malária e de cólera em África
- O n.º de óbitos motivados por incompetência ou negligência médica for zero
- A população não eleger para Presidentes de Câmara indivíduos fugidos à justiça
- A maioria dos Jornalistas souber falar e escrever português, e deixar de fazer constantemente perguntas idiotas aos entrevistados
- Houver, no estrangeiro, tantas pessoas que conheçam o Eusébio, o Figo, o Cristiano Ronaldo e o Mourinho, como o Camões, o Prof. Agostinho da Silva, o Prof. Vitorino Nemésio, o Fernando Pessoa e muitos, muitos outros que nunca deram um pontapé numa bola.
- Figuras ridículas do tipo Zés Castelo Branco, Cinhas e outros Jardins, Hermans Josés (pós 1995) Lilis Caneças e mais 5.000 figuras destas que aparecem na televisão e nas Revistas, bem como os Editores das mesmas, estiverem internadas em Unidades de Saúde Mental
- Houver tantos Portugueses que sabem quem são a Maria João Pires e a Helena Vieira da Silva como os que sabem quem são o Pinto da Costa, o Valentim Loureiro, o Luís Filipe Vieira, o Manuel Goucha, a Cátia Vanessa, o Abrunhosa, a Júlio Pinheiro, a Quicas Vanzeler e o Mantorras
- As Helenas Vieira da Silva não tiverem que emigrar para fazer carreira noutros países
- A TVI encerrar por falta de audiência
- O peixe não chegar às mesas de quem o pode comprar 10 vezes mais caro do que foi vendido nas lotas, para que mais pessoas o possam comer, menos intermediários se possam encher e mais pescadores sejam compensados pelo seu trabalho
- Os pequenos e médios Empresários Portugueses não comprarem o 2º Mercedes e a casa no Algarve antes de pagarem os ordenados que devem aos Trabalhadores, as Facturas que devem aos Fornecedores e as contribuições que devem à Segurança Social e ao Fisco
- O Estado e as Câmaras Municipais pagarem os milhões que devem aos Fornecedores e outras Entidades credoras
- Os projectos Aeroporto da Ota e TGV tiverem sido unicamente brincadeiras de mau gosto
- As obras públicas, que são pagas com o nosso dinheiro, deixarem de custar sistematicamente mais do dobro do que foi orçamentado e adjudicado e que a palavra "derrapagem" seja substituída pela palavra "roubo"
- Nas greves, deixe de ser possível, sistematicamente, o Governo ou as Administrações das Empresas dizerem que houve uma adesão de 15% e os Sindicatos dizerem que a adesão foi de 95% (um deles, ou os dois, estão a fazer de nós, palhaços)
- Os Polícias não tiverem medo dos Ladrões, os ladrões tiverem medo dos polícias e os cidadãos normais não tiverem medo dos polícias
- Os médicos fizerem greve para obrigar os Governos a dar condições de assistência digna aos cidadãos, em vez de as fazerem exclusivamente por motivos de dinheiro
- Os professores fizerem greve para obrigar os Governos a transformar o ensino numa actividade digna para eles e para os alunos e não só por motivos de dinheiro e outros interesses pessoais
- Os Trabalhadores e os Médicos que validam baixas fraudulentas, forem presos
- As Empresas deixarem de adulterar as Contas, para fugir ao Fisco
- As áreas de serviço das auto-estradas deixarem de ter clientes, por as pessoas não gostarem de ser escandalosamente exploradas
- Não houver mais telemóveis topo de gama do que cidadãos
- Nenhum médico operar o pé esquerdo, são, de um doente que tinha um problema grave no pé direito e, no fim, justificar-se com: "até foi bom, porque assim, já não vai ter o problema no pé esquerdo" sem ser imediatamente expulso da Ordem dos Médicos
- A Publicidade enganosa levar os anunciantes à prisão
- Os projectos de construção forem efectuados por Arquitectos e Engenheiros, e os construtores civis só tratarem da construção
- Se souber o resultado de UM SÓ dos inquéritos que se diz terem sido levantados a diversas figuras públicas e Entidades oficiais, pela presunção de diversos crimes
- As jóias, os Rolls, os Ferrari, os Maserati, os Porshe, os Veleiros, os Rolex, os telemóveis topo de gama, as lagostas, o caviar, os visons, etc., forem taxados a 500% de IVA , os automóveis de 1000cc, a 5% e as batatas, o arroz, o azeite, o leite, o açúcar, a fruta, as couves, o pão, os ovos, os frangos, e os transportes públicos, a zero.
- Encontrar num restaurante ou num café em Portugal mais empregados portugueses do que brasileiros
- As ementas dos restaurantes no Algarve estiverem escritas em português
- Entre os indivíduos que têm poder para instalar sinais de trânsito, não haja nenhum pateta
- Nas escolas de condução se ensinar as pessoas a conduzir, em vez de ensinar a fazer inversão de marcha, a arrumar o carro e a não deixar o motor ir a baixo
- O futebol voltar a ser um desporto
- Os jornais, revistas, programas de rádio e de televisão, chamados de desportivos souberem que além do futebol, se praticam mais 347 outros desportos e que mesmo no futebol, há outros Clubes além do Sporting, do Benfica e do Porto
- O Joel Costa, que faz crónicas na Antena 2, for condecorado no Dia de Portugal, em vez do Mourinho
- Ninguém for ao aeroporto, à chegada da selecção nacional, eliminada do campeonato do mundo, só para ofender selvaticamente o seleccionador nacional
- Os nossos deficientes que vão aos Jogos Paralímpicos, não precisem de andar previamente a fazer peditórios públicos para arranjarem dinheiro para as despesas de deslocação aos mesmos e tenham direito a ser falados em caixa alta, nos jornais, nas rádios e nas televisões, quando estão a competir e quando regressam, carregados de medalhas (ou não)
- Os meus filhos e todos os outros Portugueses da sua geração, puderem planear a vida a mais de 3 meses e os meus netos e os dos outros Portugueses, tiverem alguma perspectiva de viver um futuro com dignidade
No dia em que tudo isto, ou quase tudo isto, acontecer, juro que ponho Bandeiras de Portugal bem grandes em todas as janelas da minha casa (se ainda tiver casa, se a casa ainda tiver janelas e se Portugal ainda existir)
mesmo que a selecção NÃO SEJA apurada para o Mundial de Futebol !

Até lá, fico recolhido em casa com as janelas bem fechadas, cobertas com cortinados bem opacos
profundamente envergonhado!
--------------------------------------
22/06/2006
Artigo recebido via Internet, s/autoria

publicado por LauraBM às 23:10

03
Nov 07

patoslago.gifA ver se vocês se lembram:
Quando alastrou a ameaça da "Gripe das Aves" o nosso Ministro da Agricultura disse ao povo que em Portugal não haveria risco porque a rota das aves migratórias não passa por aqui (Portugal).
E disse-o com aquele ar de meio sorriso que enerva qualquer um.
Primeiro fartei-me de rir. Julguei que era um "soquete" dos "Gatos".
Depois vi que era mesmo telejornal e a minha auto estima afundou-se na cadeira, por não acreditar no que ele disse e eu sem lhe poder dar a resposta que ele provoca.
Até os putos na escola aprendem que as aves migratórias passam por aqui a caminho do hemisfério sul.
São todos broncos neste governo e o chefe deles ordenou que eles fizessem declarações com ar soft, quando os assuntos fossem graves. Tudo para não haver alarme. Nem precauções, mesmo que se trate de saúde pública... com este governo de Otas, jamé! Jamé!!
A cara de bronco a querer ser soft só por si já pede um estaladão e um berro: "Não me faças de parva! Vai gozar com a tua tia, OK?"
Eu se fosse pombo, naquela altura, tinha feito um manifesto sobre a liberdade de voar e dejectar
das aves migratórias.
A esta hora estão a dizimar muitos e muitos e muitos patos em Portugal, por estarem contaminados com o vírus.
Os patos enganaram o ministro.
Não confio em ministros que são enganados por patos.
------------------
Sara Rafael
Lisboa 14/9/07

publicado por LauraBM às 22:10

25
Nov 06

O líder do CDU diz algo cómico, com razão, e dá que pensar.
- Quantas vezes vejo na TV os governantes a dizerem que isto está mau (nós já sabemos), que é preciso contenção de despesas (nós já fazemos, não eles)!...
Até parece que os trabalhadores têm culpa e, no geral, o povo é culpado.
Mas, então, a culpa não é deles, dos governantes? Homessa!!!!!!!!!!!
-------------
11/2006
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 23:27

23
Nov 06

cigarroaceso-mao.jpghttp://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI540967-EI298,00.html
Tabaco e Saúde
Segunda, 30 de maio de 2005, 13h02
OMS: médicos devem ser exemplo contra o tabagismo

O director da Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu que médicos e outros profissionais da área da saúde parem de fumar, afirmando que eles devem dar o exemplo na luta contra doenças e mortes causadas pelo tabagismo.
"O tabagismo continua sendo uma das principais causas de morte ao nível local, com cerca de cinco milhões de óbitos ao ano", disse o director-geral da OMS, Lee Jong-wook.

"A comunidade sanitária desempenha um papel no esforço global para combater esta epidemia", disse Lee em uma declaração emitida na véspera do Dia Mundial sem Tabaco.
"Profissionais da área da saúde estão na linha de frente. Eles precisam ter a habilidade de ajudar as pessoas a pararem de fumar e precisam dar o exemplo e abandonar o cigarro eles mesmos", acrescentou.

Segundo a OMS, as doenças relacionadas com o tabagismo matam uma pessoa a cada seis segundos e meio e o número de mortes ao ano deve dobrar para 10 milhões até 2020, com a maioria das vítimas localizadas nos países em desenvolvimento.
Segundo a agência da ONU, de acordo com os números atuais, o número de fumantes no mundo subirá dos 1,3 bilhão atuais para 1,7 bilhão até 2025.

Profissionais sanitários, entre os quais médicos, dentistas, farmacêuticos, enfermeiras e parteiras podem ser a chave para ajudar as pessoas a mudarem seus hábitos, destacou a organização.
Estudos mostram que o aconselhamento de profissionais de saúde pode aumentar as taxas de abandono do fumo em até 50%. No entanto, as pesquisas também mostram que poucos profissionais realmente recebem qualquer treinamento para ajudá-las a abandonar o tabaco.
Além disso, segundo a OMS, o fumo entre a comunidade médica representa uma barreira nas campanhas antitabagistas.
Um estudo da OMS revelou que sete de cada 10 países registraram uma prevalência de fumantes entre profissionais de saúde superior a 20%.
Este percentual varia entre 0,5% e 47%, sendo o menor registrado entre estudantes de enfermagem em Uganda e o maior entre estudantes de farmácia na Albânia.

No ano passado, 168 governos concluíram um tratado de controle do tabaco depois de anos de negociações patrocinados pela OMS. O tratado, o primeiro acordo sanitário ao nível global, entrará em vigor em fevereiro.
Conhecido oficialmente como Convenção da Estrutura sobre o Controle do Fumo (Framework Convention on Tobacco Control), o tratado defende a proibição da propaganda e do patrocínio de empresas de tabaco, além da venda de cigarro a menores de idade.
O documento inclui ainda restrições ao fumo em locais públicos, maiores alertas sanitários nos maços de cigarro e promove a taxação como forma de reduzir o consumo e combater o contrabando.
O tratado enfrentou a forte oposição de multinacionais produtoras de cigarros, bem como de governos com importantes indústrias e fazendas de tabaco.
Mas as gigantes produtoras de cigarros aceitaram algumas das suas determinações, entre as quais a adopção de alertas sanitários nos maços e medidas de combate ao contrabando, enquanto ainda expressam sua preocupação sobre a elevação de taxas.
AFP
NOTA:
Enquanto isso, Portugal prepara-se para proibir o uso de tabaco em locais públicos mas, apenas em  locais de trabalho. Ex.: Instituições bancárias, juntas de freguesia, Câmaras, Finanças, etc.
Para espanto meu, os n/governantes cedem às pressões dos donos e gerentes dos estabelecimentos ditos de restauração, tais como restaurantes, pastelarias, cafés, discotecas, etc.
Então e o público não fumante vai fazer o quê quando tiver que almoçar fora? E quase todos os trabalhadores hoje, almoçam fora por morarem demasiado longe dos empregos.
Já nem falo nas discotecas porque, essas, só lá vai quem quer. Mas restaurantes, cafés, pastelarias? Como é que é, meus senhores? Já nem uma sopinha com um mísero pastel se pode comer em paz e sem fumo?

Essa decisão não serve o público nem os empregados da restauração porque, talvez não saibam mas,,, muitos deles também não fumam; a não ser do tabaco exalado pelos clientes.
E os Super e Hipermercados? E os Centros Comerciais, verdadeiros antros da cigarrada onde tanto passeiam os jovens e crianças?
Sempre que lá entro até a roupa fica impregnada daquele horror. A garganta, então, nem se fala! Os pulmões, esses não se vêem. Valha Deus aos fumantes com tanta falta de educação e respeito pelos outros.
Do que eu gosto mais é de ver os pais fumantes à mesa com os filhos: o braço portador do cigarro pendurado da mesa, do lado oposto às crianças. Devem estar convencidos que assim elas escapam aos malefícios do tabaco!!!!! Valha-os Deus por nem saberem que o fumo exalado perdura durante horas e horas em qualquer ambiente, prejudicando todos que lá se encontrem; mesmo com as janelas abertas.
Deus acuda aos governos e a nós também por permitirmos tamanhos desmandos aos fumadores!

---------------
30/05/2005
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 15:52

15
Nov 06

Eu não consideraria, exactamente, um roubo!...
Mas um pouco de comedimento não seria desajustado num momento em que se pede
um enorme sacrifício às classes trabalhadoras: mais um ano de perda do poder
de compra tendo que fazer face às exageradas subidas de tudo e mais alguma
coisa, incluindo os artigos de primeira necessidade.
Para quê mais palavreado? De nada serve!
--------------
Laura B. Martins

Voto electrónico na AR

No 'Diário de Notícias' de hoje, 20 de Outubro de 2006 vem na página 4 uma notícia pequenina mas muito interessante e que ilustra bem as poupanças e as prioridades deste Governo.
Reza a notícia que a Assembleia da República aprovou ontem em plenário o seu próprio Orçamento para 2007 e do qual faz parte uma verba total para obras de "remodelação das bancadas e sistema de ar condicionado", obras essas que importam em mais de 3 milhões de euros (cerca de 600 000 contos na moeda antiga)...
Se aqui começamos a ficar no mínimo impacientes o pior está no entanto ainda para vir:
Para adaptação do sistema de votação electrónica dos deputados (sistema esse que já existe, embora tenha funcionado mal numa das últimas votações) o Estado prepara-se para gastar, pasme-se: um milhão e cem mil euros!!!
Ou seja 220 000 contos!!! Por um sistema em que o deputado carrega num botão e aparece o seu voto contabilizado num quadro electrónico!!!
Se a sua indignação e estupefacção é tão grande como a minha, faça circular este mail.

Denuncie este roubo feito a todos os Portugueses contribuintes!
--------------------------

17/11/2006
Sara Rafael (repassando Miguel)

publicado por LauraBM às 22:38

10
Ago 06

smile_caretas.gifA linguagem reflecte bem o sentimento da maioria dos  portugueses...
Ainda há quem «os» tenha e coloque os pontos nos iis...
Parece que o PM  terá dito que desta vez os sacrifícios serão distribuídos de  forma mais justa.
Mais justa!!!!?????

São 23 horas cheguei agora a casa e trabalhei hoje doze horas. O meu filho já esta a dormir. Este ano já paguei em impostos e multas dezenas de milhares de euros, todos os meses pago um balúrdio de TSU, tenho custos financeiros indescritíveis por causa da forma como é cobrado o IVA, pago o PEC sobre um rendimento que pode não acontecer e este f.d.p. vem-me dizer que os sacrifícios serão distribuídos de forma mais justa??? 
Tenho semanas durante o ano em que trabalho 20h por dia, este fim de semana não sabia sequer que dia era. No dia da greve de uma chusma de paneleiros andei na estrada a pagar portagens e a trabalhar para poder pagar impostos, comecei numa p… duma garagem sozinho e dei trabalho a uma carrada de gente a quem pago o IRS, a Segurança Social, Seguros de Trabalho e todas as taxas  que o estado me exige, não negoceio salários brutos, por isso que vão para o raio que os parta com as contribuições dos trabalhadores, pago salários decentes e recuso-me a pagar o salário mínimo a seja quem for, investi e perdi, arranjei-me, voltei a investir e falhei de novo, recuperei e investi de novo e consegui. 
E estes safados vêm agora dizer-me que os sacrifícios são distribuídos de forma justa??? Sabem sequer o que é não dormir, desesperar, cair e levantar sem pedir um tostão que seja ao f.d.p. do Estado?
Nem subsidio de desemprego nem o Diabo.......?!

E tenho que ouvir todos os dias as queixinhas dos policias, dos funcionários, dos professores com horário zero (!), dos funcionários dos correios, dos Anacletos e afins, que fujo ao fisco, que exploro  os trabalhadores, que tenho que pagar mais impostos, que sou um parasita????
Já paguei todos os impostos de facturas que até agora não consegui cobrar (IVA e IRC. Paguei IRC sobre stocks que não sei se algum dia conseguirei vender e os sacrifícios são distribuídos de forma justa??!!!

Os 2000 funcionários da CM de Albufeira trabalham das 9h às 15h com intervalo para almoço e de caminho a mesma CM entrega e paga serviços a  empresas privadas; decidiram mudar a escada da parte velha, fecharam-na, derrubaram a antiga e colocaram a estrutura em metal, após quinze dias  retiraram a mesma estrutura e  colocaram-na em madeira! E ainda queriam fazer um elevador até à praia!!! E eu pago.
Num qualquer Instituto mais de 50 chulos tratam de 9 (!) putos. E eu pago.  Substituem administradores pagando indemnizações, contratam o Fernando Gomes  e o Nuno Cardoso (!!!!). E eu pago.  Inventam Institutos e Fundações. E eu pago.  Inventam as SCUTS. E eu pago.  O PEC. E eu pago.
O Presidente apela ao patriotismo. E eu pago.  Sr. Presidente, com todo o respeito que me merece -  Vá  para o raio que o parta!.....
A CM de Paredes de Coura faz Parques de estacionamento sem trânsito. E eu pago.  O Sá Fernandes rebenta com o orçamento da CM de Lisboa. E eu pago.  Sacrifícios???!! De quem, caneco.........?!

Prestam-me um serviço de merda na saúde, a educação é tão miserável que sou  obrigado a por o meu puto num colégio privado, nem me atrevo a cobrar dívidas em Tribunal devido à miséria que é a Justiça. E pago.
Preciso duma sacana duma cirurgia e tenho dezasseis mil pessoas em lista de espera, pelo que se não tivesse um seguro de saúde estaria como milhares  de desgraçados que se calhar já morreram. E eu e eles pagamos.
Os sacrifícios são distribuídos de forma justa??? Como, caneco...........??!!!

E aquela esfinge paneleira de óculos que preside ao Banco de Portugal esta à espera de colectar mais 0,03% do PIB com o aumento do IVA?
Pois tenho uma pequenina novidade para o reconhecido génio. Talhos, advogados, lares, lojas de móveis e outros pequenos negócios que conheço já têm a contabilidade e pagam impostos em Espanha e eu, assim seja possível, no ano da graça de 2007  pagarei todo o IVA, IRC e contribuições em Vigo. A chulice destes f.d.p.que vá cobrar ao Diabo que os carregue...........!
E quero que se lixe  a solidariedade e a  conversa de merda porque não me sai do corpo para o dar a chulos. Por alma  de quem? Mais justo??!!

A GENTE NÃO MERECE ISTO!!!

publicado por LauraBM às 00:47

02
Jul 06

fosforo_acender.gif - 180.000 hectares de área ardida neste pequeno país?
Nem dá para respirar, tal a nuvem de fumo que se espalha pelo mar e por todo o país onde os níveis de ozono ultrapassam os limites (já de si pouco normais, do planeta).
Perigo de contaminação pelas cinzas, das águas para consumo público, mal comecem as chuvas?
Mais uma vez ouço dizer que o governo vai tomar providências no mês de Outubro! Todos os anos dizem o mesmo em Agosto e Setembro. E em Abril dizem que já foram tomadas todas as providências.
Será que vão varrer as matas e as serras aonde havia, ainda, esquecidos restos de incêndios anteriores?
Gastos em materiais desnecessários que não para combate aos fogos?
No mês de Setembro teremos no Alentejo, na Feira Anual da Aeronáutica a apresentação do avião Skylander para combate aos fogos. Se for aprovado, começarão a ser construídos em 2006 e estarão disponíveis em 2009. Mas porque é que não se investe neste tipo de empresa e se apressa a sua construção? Quem sabe que responder?
Estender a mão à comunidade é que é bom! Isso sabe o governo fazer e, diga-se, «MUITO BEM!»
Tenham vergonha, políticos!!!!! Eu tenho pena, e muita, que sejam filhos de Portugal, como eu.
Portugal não precisava de estender a mão a quem quer que fosse.
Mais fogos iniciados por foguetes proibidos?
Mas não há polícia que prenda estes inconscientes? Em todas as terrinhas existe, pelo menos, um postozito de polícia! E serve para quê? Será que em Gondomar não há?
Menores indiciados pelo crime de fogo posto mas soltos devido à idade para atearem mais fogos?
Metam-nos numa casa de correcção ou ponham-nos lá, na frente dos fogos, a apagá-los durante dias e dias sem dormir e com pouca comida, como os n/bombeiros. Um comandante morreu de exaustão!
Assim é que não vamos lá! Em breve só teremos menores a pegar fogo ao país inteiro!!!!
Governantes de férias com o país a arder?
Sem comentários!!!!!!!
Incompetências de governantes aproveitadores?
E já alguém soube de algum político cuja casa de férias ou a quinta ardessem? Eu não!!!!!!!!!!
«A elite governante está repleta de medíocres que não tinham para onde ir e dificilmente teriam emprego noutro sítio sem ser na política». Não, esta frase não é minha. Li-a no jornal «PÚBLICO» de 24/08/2005, folha 6.
Então é por isso que há muito se diz: - Os governos deviam ser compostos por gestores e não por políticos. Muitos, vêm do nada e, na política, é fácil arranjar bons empregos, (porque os compadres se entre-ajudam); e até, mais tarde, acabam por voltar à política (novamente por amizade dos compadres... que se encostam uns aos outros para não caírem).
Outros incompetentes, já na rua ou na corda bamba nos seus empregos, com o jeito demonstrado para lamber botas e dar tapas nas costas, logo são convidados para a política e se guindam a altos cargos.
Uma corja de esbanjadores dos dinheiros públicos, com ideias curtas, fatiotas caras, belas e caras residências e sorrisos alvares estampados nos rostos. Riem de nós, claro! Os patetas que os mantêm quais caríssimas amantes, a quem traem sem qualquer pejo. Se pudessem (e no estrangeiro deixassem) iam daqui para fora arruinar outros países, mal as borradas estivessem prestes a serem descobertas.
Muita coisa não aconteceria, e muito dinheiro se pouparia, se governar um país fosse tido como outro qualquer emprego. Querer mostrar trabalho válido, dar tudo por tudo para segurar o cargo, mostrar competência com os olhos fitos no lugar acima mas sendo responsabilizados pelas asneiras e gastos como se de qualquer outro emprego se tratasse, já seria suficiente para deixar muitos aproveitadores fora da corrida. Talvez assim restassem aqueles com carácter e sólida formação, dispostos a trabalhar, realmente, pelo seu país. Na actual conjuntura não pretendem misturar-se nem entrar nestes «jogos sem fronteiras» e, por isso, afastam-se. Alguns demitem-se, até, dos cargos exercidos por impossibilidade de se adaptarem às incompetências dos incompetentes.
Ou pensam que em Portugal não existe gente séria?

Para terminar este longo artigo, apesar de nada ter a ver com os fogos, aqui vai uma noticiazita para se ver bem como anda a justiça (e tudo mais) em Portugal:
Prescreveu a sanção aplicada a Alcino Cruz (presidente da Assoc. Portuguesa das Escolas de Condução) por conduzir numa auto-estrada a 224 Kms/hora devido à lentidão da justiça. Nem chegou a pagar qualquer multa. Alcino Cruz recorreu da multa e inibição de conduzir por 60 dias para o Tribunal de Elvas que só 8 meses após rejeitou o recurso.
Alcino Cruz recorre, então, para o Tribunal da relação de Évora.
A decisão da Relação chega mais de um ano depois: «Dado que já decorreram mais de 2 anos desde a data da consumação da contra-ordenação o procedimento contra-ordenacional está extinto por prescrição» (!!!!!!!!!)
Esta só por graça: Alcino Cruz disse mesmo, num do recursos que interpôs que o comportamento perigoso tinha sido praticado pela polícia que o mandou parar na auto-estrada para o interceptar. (jornal «Público», 24/08/2005, folha 18)
O caso foi largamente noticiado pela comunicação social mas... de que serve?
---------------------------------------------------------------------------------------------------------
25/08/2005
Laura B. Martins
(poetisa à nora para ver se consegue tirar alguma água da torneira ou coelho da cartola,
porque água não há e os coelhos morreram nos fogos).

publicado por LauraBM às 00:38

20
Mar 06

Socrates-risonho2.jpgCaro Sr. Primeiro-Ministro

Venho por meio desta comunicação manifestar meu total apoio ao seu esforço de modernização do nosso país. Como cidadão comum, não tenho muito mais a oferecer além do meu trabalho, mas já que o tema da moda é Reforma Tributária, percebi que posso definitivamente contribuir mais.
Vou explicar: Na actual legislação, pago na fonte 31% do meu salário 20 para o IRS e 11 para a Segurança Social.
Como pode ver, sou um cidadão afortunado.

Cada vez que eu, no supermercado, gasto o que o meu patrão me pagou, o Estado, e muito bem, fica com 19% para si (31+19="50)
Sou obrigado a concordar que é pouco dinheiro para o governo fazer tudo aquilo que promete ao cidadão em tempo de campanha eleitoral.

Mas o meu patrão é obrigado a dar ao Estado, e muito bem, mais 23,75% daquilo que me paga para a Segurança Social. E ainda 33% para o Estado 50+23,75+33="106,75).
Além disso quando compro um carro, uma casa, herdo um quadro, registo os meus negócios ou peço uma certidão, o Estado, e muito bem, fica com quase metade das verbas envolvidas no caso.

Minha sugestão, é invertermos os percentuais. A partir do próximo mês autorizo o Governo a ficar com 100% do meu salário.
Funcionaria assim: Eu fico com 6,75% limpinhos, sem qualquer ónus mas o Governo fica com as contas de:
- Despesas Escolares, Seguro de Saúde, Despesas com médicos, Medicamentos, Materiais escolares, Condomínio, Água, Luz, Telefone, Energia, Supermercado, Gasolina, Vestuário, Lazer,
Portagens, Cultura, Contribuição Autárquica, IVA, IRS, IRC, Imposto de Circulação Segurança Social, Seguro do carro, Inspecção Periódica, Taxas do Lixo, reciclagem, esgotos e saneamento
E todas as outras taxas que nos impinge todos os dias.
Previdência privada e qualquer taxa extra que por ventura seja repentinamente criada por qualquer dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Um abraço Sr. Primeiro-Ministro e muito boa sorte, do fundo do meu coração!

Ass: Um trabalhador que já não mais sabe o que fazer para conseguir sobreviver com dignidade.

PS: Podemos até negociar a percentagem!!!
--------------------------------
31/05/2006
Artigo recebido via Internet, s/autoria

publicado por LauraBM às 01:26

17
Jan 06

canil_caoredes.jpgMoro no concelho de Setúbal. Pois o Jornal do Pinhal Novo, do dia 1/03/2005, traz uma notícia interessante:
"Canil contempla animais de Palmela e Setúbal".
Fiquei eufórica.

Palmela não tem canil.  Os animais são metidos lá, numas coisas que nem sabem que tal nome existe e abatidos no último dia útil de cada semana em que chegam porque, ao fim de semana não há quem os trate nem mesmo o veterinário cujas determinações morais da Ordem a isso obrigavam.
Em Portugal, ser veterinário ou sapateiro deve ser igual. Preciso é arranjar tacho.  Melhor se for no Estado.

Depois, vi que a construção do canil só vai começar nos primeiros meses de 2006, embora a Câmara de Palmela esteja a fazer imensas construções para serviços camarários e a utilizar edifícios modernos, já construídos, para se reinstalar. Coitadinhos!!!!!!!!!!!!!!
Os animais, esses, não têm direitos. Não votam, sabe?

Setúbal, tem um canil que só funciona direito, (dentro das precárias condições existentes, claro), porque existe um grupo de jovens liderados por uma senhora e a filha, que adoram animais, dão-lhes assistência total e, volta e meia, organizam umas festas a custo próprio para conseguirem doar animais que estão em vias de serem abatidos.
O facto é que já participei de algumas.
Conseguem-se doar muitos cães e até gatos, que são das mais difíceis doações. A maioria dos portugueses não gosta de gatos.
Para mim que sou amantíssima deles, nem faz sentido!

NOTA:
Veja-se se não seria urgente a construção de um canil!  E vamos fazer o quê?
Eu bem digo que era radical e isto entrava nos eixos se eu mandasse!!!!!!!!!    rssssss
E ainda punha todos os animais a votar.
Uma lata de tinta pra molharem a pata, impressos de votos em ponto grande e lá iam eles fazer a sua parte de cidadãos para poderem constituir-se numa associação e pugnar pelos seus direitos. Olaréla!!!!!!
-----------------

10/03/2005
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 00:19

15
Jan 06

(Era a manchete do Expresso)

A nossa petrolífera tem vindo a ser albergue de parasitas e toca de incompetentes.
Veja-se:
- Um quadro superior da GALP, admitido em 2002, saiu com uma indemnização de 290.000 euros, em 2004.
Tinha entrado na GALP pela mão de António Mexia e saiu de lá para a REFER, quando Mexia passou a ser Ministro das O.P. e Transportes...
- O filho de Miguel Horta e Costa, recém-licenciado, entrou para lá com 28 anos e a receber, desde logo, 6600 euros mensais.
- Freitas do Amaral foi consultor da empresa, entre 2003 e 2005, por 6350 euros/mês, além de gabinete e seguro de vida no valor de 70 meses de ordenado.
- Manuel Queiró, do PP, era administrador da área de imobiliário, 8.000 euros/mês.
- A contratação de um administrador espanhol passou por ser-lhe oferecido 15 anos de antiguidade (é o que receberá na hora da saída), pagamento da casa e do colégio dos filhos, entre outras regalias.
- Guido Albuquerque, cunhado de Morais Sarmento, foi sacado da ESSO para a GALP. Custo: 17 anos de antiguidade, ordenado de 17.400 euros e seguro de vida igual a 70 meses de ordenado.
- Ferreira do Amaral, presidente do Conselho de Administração um cargo não executivo, era remunerado de forma simbólica: três mil euros por mês, pelas presenças.
Mas, pouco depois da nomeação, passou a receber PPRs no valor de 10.000 euros, o que dá um ordenado "simbólico" de 13.000 euros...

publicado por LauraBM às 00:09

25
Nov 05

Há empregos para tudo… mas não para todos!

A assessora para o site do MJ e o ITIJ

O despacho do Ministro da Justiça, publicado hoje em Diário da República, é o seguinte:

MinisterioJustica.jpgSobre este assunto, comentou "Mano Pedro" no blog Verbo Jurídico, a propósito do post anterior o seguinte:

«A propósito de contenção na despesa pública e do despacho do Sr. Minstro da Justiça que nomeou uma assessora para manter o site do MJ, cumpre dizer que, se estivéssemos num país a sério, o sr. Ministro, no mínimo, arriscava-se a ser chamado à pedra por forte suspeita de delapidação de dinheiros públicos.
Vejamos:
O Ministério da Justiça tem uma coisa chamada ITIJ (Instituto das Tecnologias de Informação na Justiça). Ocupa um edifício de 7 ou 8 pisos. Trabalham lá mais de cento e tal almas, a grande maioria delas, supostamente, especialistas na área da informática.
Tem um organigrama cuja dimensão pede meças aos gigantes da informática, tipo IBM, Microsoft, Oracle e outras. Aquilo tudo fica ao Estado, que é como quem diz, ao nosso bolso, em muitas dezenas ou centenas de milhares de contos por mês.
Então (e aqui até estou a dar um grito capaz de acordar a vizinhança) naquela mastodôntica estrutura de tecnologia informática não haverá um raio de uma alminha, uma só que seja, que saiba o suficiente de web sites para dar uma mãozinha na manutenção de um site tão indigente como o do MJ, sem se gastar nem mais um tostão?
Foi preciso contratar uma assessora a quem pagam mais de 600 contos por mês só para "manter" o site? Para que raio serve o ITIJ se não for para coisas básicas e comezinhas como manter um site do próprio Ministério de que depende?
Isto é gravíssimo e a solução só pode ser uma de duas: ou o Ministro emenda a mão, demite a assessora e incumbe o ITIJ de manter o site, visto que é quem tem o dever legal de o fazer, ou então extingue o ITIJ imediatamente posto que parece não servir para coisíssima nenhuma, nem mesmo para executar uma tarefa tão básica como seja manter um simples site como o do MJ - coisa que qualquer estudanteco de informática estaria disposto a fazer à borla só para manter o treino e fazer currículo...As duas coisas - a assessora (salvo seja, que nada tenho contra a senhora) e o ITIJ - é que não podem continuar!
É uma V E R G O N H A!»
..
Cumpre-me apenas acrescentar, para que se façam as devidas comparações, que o salário ilíquido de um Juiz do Tribunal de 1.ª Instância (em início de carreira) é no valor de Eur. 2.355,87, portanto inferior ao salário da dita assessora, que não tem, designadamente, nem a responsabilidade funcional, nem o risco, nem as restrições pessoais e estatutárias, de exclusividade, obrigação de residência e restrição de ausência da área de circunscrição, a que todos os Juízes estão sujeitos. É esta a valoração que se faz em Portugal dos titulares do órgão de soberania Tribunais...

Afinal… A crise não é para todos.
Querias uma assessoria destas?
Isso é que era bom!!!!!!!

 

publicado por LauraBM às 12:36

23
Nov 05

MarioSoares_PS.jpgMário Soares recebe apoio em São Paulo

Foi divulgado em São Paulo um programa baptizado como “MASP” - Movimento de Apoio Soares Presidente. Este grupo (já organizado) se prepara para receber o candidato à presidência de Portugal. Para tanto o MASP convida a estar presente no almoço/encontro com o Dr. Mário Soares, que se realiza no próximo dia 22 de Setembro, às 12H30, na Casa de Portugal de São Paulo (Av. da Liberdade, 602).
A adesão é de R$ 100,00 (Cem Reais). Interessados podem confirmar presença com retirada de convite/adesão até ao dia 20/09/05 - Tel. 81383802 – 32096155 (José) – 69090488.
Mário Soares no Programa do Jô- Segundo os organizadores, o ex-presidente estará, dia21 no programa do Jô Soares – da TV Globo.
Além da Casa de Portugal também haverá (dia 22) encontro com a comunidade na Portuguesa.
Dia 23 encontro com o Governador Geraldo lckmin e com a imprensa e ainda uma visita à Baixada Santista e ao Rio de Janeiro.
Definitivamente – o Dr. Mário Soares está em campanha!
-----------------------
12/09/2005
www.mundolusiada.com.br


NOTA:
Vai tentar trazer votos do Brasil, porque em Portugal está um bocado queimado.  rssssss


É um PS envelhecido, a tentar que os portugueses vivam de recordações, que nos apresenta hoje um candidato de 80 anos para o cargo de Presidente de Portugal.
Mário Soares teve o seu «tempo de antena» durante largos anos, apoiado pela história de combatente/sofredor contra o regime Salazarista.
Para quem já não se recorda, não convém “tapar o sol com a peneira” e esquecer a alcunha de vira-casacas que tão bem lhe assentava. Sempre teve uma certa tendência para dizer e se desdizer logo em seguida, com a maior sem cerimónia. Há casos flagrantes, em toda a sua vida política.
Ainda agora deu provas disso quando se ofereceu para apoiar o candidato à presidência – Manuel Alegre (um amigo de muitos anos, das lides fascistas) – afirmando que jamais se candidataria, para logo em seguida se desdizer e apresentar-se como candidato.
O ser humano não muda nunca. Cada um é como é!
Será um homem de 80 anos e com um tal perfil que os portugueses desejam ver de novo sentado na cadeira de Presidente do país? Só se estiverem todos doidos!!!!!!
Quantas mais promessas fará para logo em seguida as desfazer sem qualquer espécie de pejo ou vergonha? Só se estivermos todos doidos!!!!!!
O meu voto é que ele não vê, nem por um canudo!.......
Não se vive de saudosismo e sim de realidades; e a realidade é bem triste no panorama português.
--------------
12/09/2005
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 15:16

22
Nov 05

JOSÉ SÓCRATES ( no jornal: Público)

Socrates_euforico.jpg.Desminta, se puder, o que passo a afirmar.
Esta é a terceira carta que lhe dirijo.
As duas primeiras motivadas por um convite que formulou mas não honrou, ficaram descortesmente sem resposta.
A forma escolhida para a presente é obviamente retórica e assenta NUM DIREITO QUE O SENHOR AINDA NÃO ELIMINOU: o de manifestarmos publicamente indignação perante a mentira e as opções injustas e erradas da governação.

Por acção e omissão, o Senhor deu uma boa achega à ideia, que ultimamente ganhou forma na sociedade portuguesa, segundo a qual os funcionários públicos seriam os responsáveis primeiros pelo descalabro das contas do Estado e pelos malefícios da nossa economia. Sendo a administração pública a própria imagem do Estado junto do cidadão comum, é quase masoquista o seu comportamento.

.Desminta, se puder, o que passo a afirmar:

1.º Do Statics in Focus n.º 41/2004, produzido pelo departamento oficial de estatísticas da União Europeia, retira-se que a despesa portuguesa com os salários e benefícios sociais dos funcionários públicos é inferior à mesma despesa média dos restantes países da Zona Euro.

2.º Outra publicação da Comissão Europeia, L´Emploi en Europe 2003, permite comparar a percentagem dos empregados do Estado em relação à totalidade dos empregados de cada país da Europa dos 12. E o que vemos? Que em média nessa Europa 25,6 por cento dos empregados são empregados do Estado, enquanto em Portugal essa percentagem é de apenas 18 por cento. Ou seja, a mais baixa dos 12 países, com excepção da Espanha.
As ricas Dinamarca e Suécia têm quase o dobro, respectivamente 32 e 32,6 por cento. Se fosse directa a relação entre o peso da administração pública e o défice, como estaria o défice destes dois países?

3º. Um dos slogans mais usados é do peso das despesas da saúde. A insuspeita OCDE diz que na Europa dos 15 o gasto médio por habitante é de 1458. Em Portugal esse gasto é … 758. Todos os restantes países, com excepção da Grécia, gastam mais que nós. A França 2730, a Áustria 2139, a Irlanda 1688, a Finlândia 1539, a Dinamarca 1799, etc.
Com o anterior não pretendo dizer que a administração pública é um poço de virtudes. Não é. Presta serviços que não justificam o dinheiro que consome. Particularmente na saúde, na educação e na justiça. É um santuário de burocracia, de ineficiência e de ineficácia. Mas infelizmente os mesmos paradigmas são transferíveis para o sector privado. Donde a questão não reside no maniqueísmo em que o Senhor e o seu ministro das Finanças caíram, lançando um perigoso anátema sobre o funcionalismo público. A questão reside em corrigir o que está mal, seja público, seja privado. A questão reside em fazer escolhas acertadas. O Senhor optou pelas piores. De entre muitas razões que o espaço não permite, deixe-me que lhe aponte duas:

1.º Sobre o sistema de reformas dos funcionários públicos têm-se dito barbaridades. Como é sabido, a taxa social sobre os salários cifra-se em 34,75 por cento (11 por cento pagos pelo trabalhador, 23,75 por cento pagos pelo patrão).

OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS PAGAM OS SEUS 11 POR CENTO.

Mas O SEU PATRÃO ESTADO NÃO ENTREGA MENSALMENTE À CAIXA GERAL DE APOSENTAÇÕES, COMO LHE COMPETIA E EXIGE AOS DEMAIS EMPREGADORES, os seus 23,75 por cento. E é assim que as "transferências" orçamentais assumem perante a opinião pública não esclarecida o odioso de serem formas de sugar os dinheiros públicos.


Por outro lado, todos os funcionários públicos que entraram ao serviço em Setembro de 1993 já verão a sua reforma ser calculada segundo os critérios aplicados aos restantes portugueses. Estamos a falar de quase metade dos activos. E o sistema estabilizará nessa base em pouco mais de uma década.

Mas o seu pior erro, Senhor Engenheiro, foi ter escolhido para artífice das iniquidades que subjazem à sua política o ministro Campos e Cunha, que não teve pruridos políticos, morais ou éticos por acumular aos seus 7000 Euros de salário, os 8000 de uma reforma conseguida aos 49 anos de idade e com 6 anos de serviço. E com a agravante de a obscena decisão legal que a suporta ter origem numa proposta de um colégio de que o próprio fazia parte.

2.º Quando escolheu aumentar os impostos, viu o défice e ignorou a economia. Foi ao arrepio do que se passa na Europa. A Finlândia dos seus encantos, baixou-os em 4 pontos percentuais, a Suécia em 3,3 e a Alemanha em 3,2.

Por que não optou por cobrar os 3,2 mil milhões de Euros que as empresas privadas devem à Segurança Social?
Por que não pôs em prática um plano para fazer a execução das dívidas fiscais pendentes nos tribunais Tributários e que somam 20 mil milhões de Euros?
Por que não actuou do lado dos benefícios fiscais que em 2004 significaram 1000 milhões de Euros?
Por que não modificou o quadro legal que permite aos bancos, que duplicaram lucros em época recessiva, pagar apenas 13 por cento de impostos?
Por que não renovou a famigerada Reserva Fiscal de Investimento que permitiu à PT não pagar impostos pelos prejuízos que teve no Brasil, o que, por junto, representará cerca de 6500 milhões de Euros de receita perdida?

A Verdade e a Coragem foram atributos que Vossa Excelência invocou para se diferenciar dos seus opositores.
QUANDO SUBIU OS IMPOSTOS, QUE PERANTE MILHÕES DE PORTUGUESES GARANTIU QUE NÃO SUBIRIA, FICÁMOS TODOS ESCLARECIDOS SOBRE A SUA VERDADE.

QUANDO ELEGEU OS DESEMPREGADOS, OS REFORMADOS E OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS COMO PRINCIPAIS INSTRUMENTOS DE COMBATE AO DÉFICE, PERCEBEMOS DE QUE TEOR É A SUA CORAGEM.

----------------------------
6/06/2005
Santana Castilho (Professor Ensino Superior)
Jornal "PÚBLICO"

publicado por LauraBM às 15:45

Amanhã, dia 23 de Setembro, é Dia do Idoso.
Mas não vamos pensar apenas nos velhinhos doentes, pobres, fracos, abandonados, pois eles são apenas a consequência do modo como vivemos neste país.
Vamos pensar também nos nossos governantes, que carecem de vergonha na cara, mesmo já sendo velhos ou quase.
Precisamos cuidar deles como merecem, pois faltou-lhes educação para lidar com a coisa pública,  faltou-lhes compaixão para com os miseráveis, consideração para com os pagadores de impostos, faltou-lhes um mínimo de espiritualidade, uma noçãozinha de ética. 
Não é o dinheiro que os corrompe, e sim a forma como o encaram.
Dinheiro é sagrado, é paga para o trabalhador, é comida na mesa, agasalho para o corpo, remédio para o enfermo.
Dinheiro não corrompe, dinheiro salva, sustenta, diverte, encanta, embeleza. Depende só de sua fonte, de quem o usa, e de como o usa.

Temos, com urgência, de providenciar para nossos governantes  o tratamento que merecem, pois não podem continuar assim, nessa indigência moral. Eles precisam da nossa ajuda para entenderem o que é justiça.
E nós precisamos da justiça para poder ajudar os velhinhos doentes, pobres, fracos, abandonados, no Dia do Idoso e sempre.
----------------
22/09/2005
Ana Suzuki (Brasil)

NOTA:
E porque as políticas são todas iguais ou parecidas e os POLÍTICOS parecem clonados, que tal REPENSAR e IMPEDIR a candidatura do Mário Soares porque ele nada sabe da velhice no nosso Portugal. Sempre teve boa vida (mesmo na clandestinidade da qual faz cavalo de batalha), e julga que tudo são rosas neste n/país.
Precisamos de quem saiba avaliar as necessidades e não de VIRA-CASACAS bem situados na vida.
--------------
14/10/2005
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 14:29

21
Nov 05

Vou morder... Na comida, não...

Pois é, o nosso primeiro e seus respectivos e doutos ministros estão aflitos com o défice do país face à Europa e então numa conversa informal vá de discutir a maneira de o resolver; como
nessa reunião ninguém teve uma ideia, parece que o governo anda arredado delas, o nosso primeiros deu-lhe trabalho de casa: arranjem uma ideia salvadora.

Os ministros, como qualquer aluno, ficaram chateados por este trabalho extra e vai daí nos respectivos ministérios resolveram chamar os secretários de estado e fizeram-lhe a mesma imposição; estes por sua vez chamaram os secretários dos secretários, que depois chamaram os subsecretários e aí por diante até ao contínuo.
Muito chateado com a imposição de resolver uma situação difícil, resolveu ir tomar uma bica ali na baixa. Estava muito entretido a saborear o seu café quando reparou numa conversa que ao seu lado se desenrolava:
- Se me voltas a pedir comida levas um chapadão.
- Mas pai tenho fome, preciso de comer.

Aleluia , a ideia surgiu como por milagre, era a salvação da pátria, tão vilipendiada pelo malvado défice.
Correu para o ministério e deu conta ao subsecretário do subsecretário; este por sua vez ao secretário do secretário e quando a ideia surgiu ao nosso primeiro já este dormia a sono solto
na sua fofa cama.
Recebeu a ideia com alegria embora fosse com voz pastosa que respondeu ao seu ministro que tão zeloso se mostrava com a hecatombe do défice orçamental:
- Amanhã vemos isso. Boa noite.

Na reunião do dia seguinte surgiu a brilhante ideia exposta com pompa e circunstancia, o malfadado défice seria corrigido de uma forma simples e engenhosa aumentaria o IVA de 12 % para 19 % nos alimentos, como de costume o tabaco e a gasolina e estaria resolvido o problema.

Houve muitos abraços e cortesias e foram todos felizes para  um fim de semana no Algarve cientes do dever cumprido.

E o Zé povinho ao ouvir as notícias das nossas televisões, mais interessadas no campeonato nacional e nos programas pseudo culturais., somente exclamou:
- Que grande PORRA. É sempre a mesma merda.

Pois é ... Os pobres que paguem a crise.

Mordi... mas desta vez em nada, já quase não há em que morder neste país

A GENTE NÃO MERECE ISTO!!Morder neste país A GENTE NÃO MERECE ISTO!!!

 ninguemmerece-2.gif

---------------

24/05/2005

António Zumaia

publicado por LauraBM às 14:02

20
Nov 05

Não sei quem é o autor, mas não posso deixar de partilhar a reflexão seguinte:

------------

Vítor Antunes.

abre_latas.jpgMAIS IMPORTANTE QUE OS FUTEBOIS... 

Vitor, o abre-latas dos governos da "Tanga"!  

 

Vítor está preocupado com o estado financeiro do País e com os gasto do Estado.
Volta a dizer que estamos de tanga.
Vitor, também conhecido por Constâncio, está há muito à frente do Banco de Portugal. Em sua casa entram mais de 25.000 euros mensais!!!!!!!!!!!
O governo do PSD/CDS de Durão Barroso permitiu-lhe que continuasse à frente  do Banco de Portugal, desde que viesse de tempos a tempos alertar os portugueses (só os que pagam impostos) de que é preciso apertar o cinto. E Vítor cumpriu meticulosamente a sua função, defendendo com unhas e dentes o Discurso da Tanga, versão I, de Durão e Manela Leite.

Santana e Bagão mantiveram-no no Poder e ele também cumpriu.
Agora, está de novo o seu PS no Poder e Sócrates fartou-se de fazer  promessas de que não havia aumento de impostos e haveria aumento de empregos e alteração do Código do Trabalho do Bagão.
Eram promessas só para serem metidas na gaveta mais tarde.
Mas Sócrates não quer assumir a responsabilidade da versão 2 do «Discurso da Tanga» já antes das eleições autárquicas. Por isso pediu ao seu amigo Vítor, que viesse ele a público dizer que isto está mesmo mal e apelar ao Presidente da República para intervir a convencer os portugueses (sempre os mesmos do costume, claro) a apertarem ainda mais o cinto.
- Alguém ouviu o sr. Vítor apelar a que não construíssem 10 estádios de luxo do Euro 04, pagos quase exclusivamente pelo Estado e autarquias e aprovados por Sócrates como Ministro do governo Guterres?
- Alguém ouviu o sr. Vítor apelar aos governos para que não comprassem submarinos por causa da crise?
- Alguém ouviu o sr. Vítor pedir aos governos que não comprassem ou adiassem a compra de centenas de blindados e helicópteros de guerra de último modelo?
- Alguém ouviu o sr. Vítor a chamar a atenção que o TGV é um luxo de centenas de milhões para o estado do País?
- Alguém ouviu o sr. Vítor apelar aos governos para serem inflexíveis contra a gigantesca fuga aos impostos dos que mais ganham e que atinge milhares de milhões?
- Alguém ouviu o sr. Vítor pedir aos governos que acabem com a isenção de impostos sobre os milhões ganhos na especulação bolsista de acções?
- Alguém ouviu o sr. Vítor apelar aos senhores administradores das grandes empresas, pagos a valores iguais ou superiores aos dos países ricos, para que dêem o exemplo baixando os seus chorudos vencimentos e prescindindo das dezenas de milhares de contos de prémios anuais? Etc, etc...
Não, ninguém ouviu!
Ouviu-se agora o sr. Vítor para fazer um frete ao seu amigo Sócrates porque  este fez promessas que não eram para cumprir e agora era preciso desenrascá-lo dizendo que «isto está pior do que se pensava».
No País mais pobre da U.E., com os mais baixos salários de todos, com mais de 2 milhões de pobres e 200 mil com fome e o maior fosso entre os 20% mais ricos e os 20% mais pobres nas estatísticas da U.E., o governador do Banco de Portugal apenas tem o papel triste de apelar para aos que já estão sobrecarregados de impostos que paguem ainda mais.
Sr. Vítor, ao menos seja coerente, apele publicamente aos governos que, devido à crise, o seu salário de vários milhares de contos mensais, deveria  ser diminuído...
--------------------------------------
Vítor, o abre-latas!
Vitor Antunes / Quinta do Conde / "Sesimbra ou Seixal)
PORTUGALCLUB Informação Informal


NOTA:
Nem precisa de autor.
É a opinião dos portugueses que não estiveram de acordo com mais uma eleição desastrosa do governo PS.
Fazer o quê? Eles é que mandam e são muitíssimos.
Aliás, convém-lhes esta verdadeira anarquia de impostos e euforia de promessas quebradas.
Mas, será possível que não tenham nenhuma espécie de vergonha?
---------------
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 16:46

04
Nov 05

CavacoSilva_passe.jpgQueres campanha presidencial??? Vai ao Totta.

Lembram-se da velha discussão sobre a protecção que o Cavaco deu aos Bancos durante
os anos em que foi 1º Ministro?
Lembram-se de ter sido o Cavaco que colocou os Bancos em situação de privilégio fiscal?
Lembram-se de ele argumentar, sempre que era questionado nesse sentido, que essas análises eram completamente erradas e que constituíam acusações sem sentido pois não havia ligação nenhuma entre ele, as suas políticas e as instituições bancárias?
Lembram-se?
Pois adivinhem onde está instalada a sede de campanha do Cavaco para as presidenciais:
No Banco Totta da Av. da República (antiga sede do Crédito Predial Português) onde grande parte da área do R/c deixou de funcionar como banco para funcionar apenas como sede de campanha, de apoio e propaganda.

Como ele diz que não há ligação nenhuma nem tão pouco qualquer simpatia particular dele para com as instituições de crédito, deve ser só por o acharem giro...

O gajo acha que os portugueses para além de terem a memória curta, são muito estúpidos.

E se ele ganhar é porque são mesmo!!!
--------------------
4/11/2005
Henrique Furtado

publicado por LauraBM às 23:13

23
Jul 05

TÊ GÊ VÊ 

 

automotora_trembala.gif

Sócratismo International Airport 

aviaopassageiros_Delta.gif

Juntam-se assim estes dois maravilhosos, grandalhões, empreendimentos aos estádios do EURO 2004 (quase todos às moscas nos dias de jogos por falta de papel monetário); a "cagança" da Exp98 e outros que não me lembro e que deram aso a actos, que todos os bons portugueses conhecem, de uns "tipos" que guiavam um modesto Renault R4 e, zás, um Ferrari,  "a sports car" da alta gama estacionado à porta e a laurearem o "rabo" das vaidades  pelas ruas da praça de Lisboa e ao longo dos riscos pretos entre os montes e vales queimados de Portugal.

Mas pergunta-se aos sábios: "quem vai ser quem que terá a possibilidade de viajar nessas "bombas" dos carris?   Os portugueses talvez um ou dois por cento..."
Uns turistas no verão e no inverno vazios!    É isso mesmo. 
Se ainda Portugal fosse um país industrializado....sim, sim tudo bem para os industriais se deslocarem à Europa para fazerem os seus negócios!
Assim, no meu entender, me parece que o TÊ GÊ VÊ vai ser mesmo para os espanhóis se deslocarem mais "prontitos" a Portugal e gerirem os negócios  instalados!
Vós ( eu não porque em 2015 devo estar na companhia dos pés juntos) portugueses ficais para ver o TÊ GÊ VÊ a passar como o compadre alentejano via o "passarinho de lata" voar no Alentejo, quando os "róplanos" começaram a voar nos céus de Portugal.
E é sabido (segundo a voz do da ideia do projecto) que vai criar postos de trabalho... mas quem será que irá ocupar esses postos?   Mão-de-obra importada? 
Claro que sim porque em Portugal há muito desemprego mas trabalho que faça calos nas mãos que vá às malvas!  
A profecia do Velho do Restelo vai funcionar!
-------------------------
26/07/2005
Zé Martins
PORTUGALCLUB
portugalclub@cardigos.com.br

publicado por LauraBM às 23:23

10
Abr 05

os4davidaairada.jpg

publicado por LauraBM às 13:22

17
Jan 05

Merece a pena rever para sabermos até onde vai a maneira de ser de algumas pessoas...
A estupidez de alguns ao máximo!

Na SIC Notícias deu uma reportagem onde entrevistaram portugueses que partiram depois da tragédia para a Tailândia, mantendo as férias marcadas como antes de tudo acontecer.

Dulce Ferreira respondeu que já tinha as férias marcadas, que não tinha ficado nada preocupada com o que tinha acontecido, porque os pais, que lá estavam, tinham enviado uma mensagem a dizer que tinha havido "uns tsunamis e umas coisas", mas estavam bem.
Quando a jornalista lhe perguntou se estava triste com toda a situação, Dulce Ferreira respondeu:
«Sim, claro, agora já não vou ter todas as condições de férias que iria ter se por acaso não tivesse acontecido nada disto. Por outro lado, estou contente, porque vejo as coisas mais ao natural, como elas são».

Aqui segue a fotografia da inteligente do ano 2004.

DulceFerreira_estupida.jpg
-------------------
31-12-2004
Henrique Furtado


NOTA:
Pode parecer que esta notícia está fora do contexto deste blog... mas isso é puro engano: Se tiverem em atenção a inteligência, humanismo e perspicácia dos n/políticos em relação ao país... verão que está no sítio certo. rsssss
É tal e qual!!!!!!!
--------------
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 22:37

13
Jan 05

http://www.caloteirosdeportugal.pt/

Quando pretendemos abrir este site, encontrámos apenas estas palavras abaixo.
Estamos crentes que não se trata de qualquer espécie de boicote
- Deus nos livre de maus pensamentos -)

Pedimos Desculpa Mas De Momento Não é Possível Aceder a
Qualquer Parte deste Site.

ENTENDEMOS POR BEM SUSPENDER A CONSULTA DOS DADOS DESTE SITE ENQUANTO AGUARDAMOS O PARECER DA CNPD
(Comissão Nacional de Protecção de Dados)
EM RELAÇÃO À SUSPEITA DA ILEGALIDADE.

AFIRMAMOS DE ANTEMÃO QUE NÃO É NOSSA PRETENSÃO
PUBLICAR DADOS PESSOAIS DE NENHUM CIDADÃO OU PESSOA SINGULAR
SEM ANTES ENTRAR EM CONTACTO COM O CNPD,
MAS SIM DE EMPRESAS EM NOME COLECTIVO,
NÃO ESTANDO OS DADOS DESTAS ABRANGIDAS PELA MESMA COMISSÃO.

A verdade é que tornamos a esta página e, hoje nem isto lá encontrámos.
O que existe é o que podem ver em baixo:

Index of /
          Name                   Last modified       Size Description

Parent Directory      07-Dec-2004       12:21     -


cgi-bin/                   18-Mar-2004       09:56     -


Deus nos livre de maus pensamentos... mas........
será que fez doer a alguém influente?
Dizem que o ESTADO é o pior dos pagadores!.........
Cala-te boca! Cruz, credo!
---------------------------
visto durante o ano de 2004
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 00:04

08
Jan 05

Pois é!
Quem diria que apesar do estado das finanças públicas e das muitas queixas apresentadas pelas Câmaras espalhadas pelo país, as negociatas fervem dentro das ditas?
É ver, por exemplo, as empresas privadas de recolha de lixo e monos a proliferaram; e o pessoal camarário, pago com os n/impostos, a fazerem render o peixe, como se estivessem a mais dentro do seu próprio emprego.
Culpa deles? Jamais
E o que podem eles fazer se, os chefes das respectivas secções engordam as contas bancárias com as negociatas à sucapa, conseguidas com as empresas privadas?
Então as Câmaras têm ou não pessoal demasiado?
Se têm, para que andam a gastar fundos na contratação das empresas privadas?
A função pública tem ou não pessoal a mais?

E porque é que quando consta algum escandalozito dentro das Câmaras, (de tão evidente que já era), os culpados são mudados de zona em vez de irem para a rua?
Fala quem sabe!!!!!.............
--------------
8/01/2005
Laura B. Martins

publicado por LauraBM às 15:32

25
Nov 04

Santanaz.jpg

publicado por LauraBM às 22:34

21
Nov 04

Por ANTÓNIO BARRETO Domingo, 21 de Novembro de 2004 Por ANTÓNIO BARRETO
Domingo, 21 de Novembro de 2004
SantanaLopes_sorriso.jpg Um hino ridículo. Vacuidade esculpida nos palanques: "Verdade", "Confiança" e "Geração Portugal". Meninos e meninas, clones dos "Pioneiros" e dos "Lusitos", de laranja uniformizados. Palcos de bancadas sorumbáticas para a Nomenclatura. Ausentes de peso, a sugerir que estava terminada a mais radical decapitação da inteligência do partido. "Videoclips" de filhos comovedores. Lágrimas de função. Voz embargada a propósito. Proclamações de elevada densidade política:
"Eu adoro Portugal! Nós adoramos Portugal"!
Demagogia para o país e emoções para o partido. Fez-se a entronização do líder, devidamente legitimado por percentagens orientais. À falta de grandes duelos, habituais com o partido na oposição, o Congresso do PSD acabou por se distinguir pelas provocações que dele saíram. A primeira, a menos notada, mas a mais dura, tinha Jorge Sampaio como destino. A segunda dirigia-se a Cavaco Silva. A terceira, perversa, visava Paulo Portas e o CDS-PP.

Santana Lopes sabe, desde a tomada de posse como Primeiro-ministro, que o Presidente da República o colocou sob vigilância. É uma nova interpretação, ou antes, um novo estilo constitucional, tão legítimo como outros. Já várias vezes o Presidente alertou para eventuais desvios de acção e inspiração. Entre as condições de investidura, estavam a fidelidade ao programa do governo anterior, sufragado pelo eleitorado, assim como a consistência da política financeira. Com este orçamento e com as suas declarações durante o Congresso, Santana Lopes disse ao Presidente, directamente: não terei mais em conta as considerações então formuladas. É assim a segunda vez que desafia o Presidente a encetar uma qualquer acção contra si. Não se trata apenas de dar alegria às bases do partido. Nem só de se libertar da austeridade a fim de se preparar para as eleições. É muito mais do que isso. Santana sabe que tudo corre contra ele, desde a popularidade até às dificuldades da política, passando pela situação económica, financeira e social. Julga que só terá uma oportunidade de competir e eventualmente ganhar as legislativas se for tido como vítima e objecto de ataques do Presidente socialista. Está convencido de que só demitido à força poderá apresentar-se da maneira como sabe e gosta, com ar de vítima inocente, tal donzela ferida ou cavaleiro impoluto, com lágrimas e ranger de dentes e, já agora, com um inimigo a abater. Parece um forcado, no meio da praça, de mãos nas ancas: "Demita-me, senhor Presidente!".

Nada o autoriza a dar por encerrada a austeridade. Não há sinais de retoma segura e sustentada. O emprego, o investimento, a produção, o défice, a produtividade, a balança comercial, o ritmo das exportações, o endividamento e a situação económica internacional apenas aconselham a que se mantenha o clima de severidade e rigor nas finanças públicas. Mesmo assim, contra toda a evidência, contra o parecer de instituições credíveis, contra as opiniões dos especialistas, incluindo muitos do seu próprio partido, Santana Lopes decretou o fim da austeridade. Com duas intenções. Uma, a de provocar o Presidente. Outra, a de se autorizar a gastar o que for preciso para tentar ganhar eleições. E o desgraçado país que viva as consequências da demagogia.

Santana Lopes não suporta a ideia de ter Cavaco Silva como Presidente da República. Não se gostam, é sabido. Não se entendem, é conhecido. Têm dois estilos, dois métodos, duas maneiras de ser, duas visões do mundo e duas poses em perfeita oposição. Nada disso, que é muito, bastaria para criar uma verdadeira incompatibilidade entre eles. Os problemas são outros. Cavaco Silva é actualmente o rival claro na popularidade dentro do PSD. Os únicos alérgicos ao professor de economia são os adjuntos e próximos companheiros de Santana Lopes, sempre zelosos no excesso. Cavaco também é mais popular no eleitorado. O que, para alguém em permanente carência de afectos, não é muito agradável. Pior que tudo: Cavaco Silva, em Belém, seria uma fonte de racionalidade na política, um travão à demagogia, um filtro de trapalhices e um obstáculo à tropelia. Com a vantagem, diante da opinião, de não pertencer à oposição, de não vir de um partido rival. Santana Lopes sentir-se-ia mais ameaçado pelo seu "companheiro" social-democrata, do que por um socialista, previsível força de bloqueio. Eis por que faz a Cavaco Silva uma proposta que ele não pode aceitar: a de fazer com que a sua candidatura saia das alfurjas do partido.

Finalmente, Paulo Portas e o PP. Santana Lopes gostaria de decidir sozinho e na última hora se faz ou não coligação, se leva ou não o governo até ao fim da legislatura, se dispensa o PP mas guarda o governo. Como é evidente, tudo fará para empalmar o parceiro, para o despedir na véspera das eleições, mas terá de ser em seu tempo e com as suas conveniências. Não lhe convém abrir uma polémica agora. Nem lhe interessava que fosse o partido, as tão glorificadas bases do PSD, a dizer-lhe o que deve fazer. Mas as bases disseram mesmo e o seu desconforto foi evidente. Pior, o PP ouviu e percebeu. Se não reage, está perdido. Se reage, perdido está. Terá de estudar muito bem a estratégia e pensar num método que lhe salve a vida. Se sai do governo, como deveria, para preparar as suas eleições "contra" o PSD (onde irá este partido buscar eleitores, se não ali?), corre o risco de ser varrido. Se fica no governo, mas não tem coligação garantida, não obterá votos que cheguem, podendo vir a ser dispensável. O que lhe interessa é apenas ficar no governo até ao fim e obter a coligação eleitoral que lhe evite ser contado. Ou sair já.

Santana Lopes queria um poleiro, mas saiu-lhe um pelouro. Ainda por cima, o pior, o de Primeiro-Ministro, aquele que, entre todos, exige mais trabalho, seriedade, contenção, responsabilidade, conhecimento, concentração e firmeza no propósito. Habituado (e talentoso...) a ser candidato a tudo, seja o que for, fica-lhe mal ter chegado e não ter nova candidatura à vista. Este homem, em seu tempo e para alguns, um divertido "troublemaker", transforma-se em perigoso provocador. Mas atenção! Quem reagir primariamente às suas provocações está a prestar-lhe grande serviço. Quem não reagir de todo, está a dar-lhe os meios de que necessita para atingir os seus objectivos. Apesar de não parecer, o homem sabe o que está a fazer.                                          Poderá não saber governar, mas, para estas coisas, tem jeito.
---------------------------------------------------
http://jornal.publico.pt/publico/images/trinco-topo-pagina2.gif
António Barreto
PORTUGALCLUB// O Farol da Lusofonia
PortugalClub

portugalclub@cardigos.com.br

publicado por LauraBM às 19:15

04
Nov 04

osga_please.gif Ei! Alguém viu o debate hoje da nova Lei do Arrendamento em Portugal?
Perceberam?
A ver se eu percebi:

Os senhorios passam a poder despejar os inquilinos no prazo de 3 anos. Em qualquer ano ou mês. Se o inquilino não aceitar pagar uma renda qualquer que o senhorio lhe passar pela cabeça pedir. Sim, que isto é um país livre! A nível de rendas…

Perguntou a moderadora:
“Mas isso não cria instabilidade nos inquilinos?”
Disse o cientista das casas:
“Bem, quem quer estabilidade na habitação compra casa.”
Tá bem visto!

A ver se eu percebi:

25% da população portuguesa é pobre. Ou seja: não tem acesso a casa basicamente decente.
Para 100% faltam 75, não é? O.k.
70% é a classe média. Ou seja: nós, a maioria do povo.

O negócio da construção tava paradão. O governo facilitou o crédito para compra de habitação. Disparou a oferta de casa nas periferias das cidades.
Bom, comprei uma casita aqui há um tempo.
Veio o governo da esquerda:
“Ah! Compraste casa com vista pró mar? Atão toma lá!”
E atiram-me pra cima com impostos de luxo. Três (3). Tudo contra a injustiça social.
Pra pagar e não ficar sem a casa: ou bem que como, ou bem que saio e tenho cabo. Passei a comer; a não sair de casa nem a ver televisão por cabo.

Apetece-me sair e ver TV por cabo: alugo um ap.
Vem o governo de centro:

“Vender a casa? Tens que comprar outra casa com o dinheiro da venda.” E atiram-me pra cima com um imposto de mais valias.
Não sei vendo ou não…

O capital imobiliário tá paradão nas grandes cidades. Vem o governo de direita:
“Os inquilinos que não aceitem a renda que o senhorio propõe, são despejados daqui a 3 anos!” A bem dos investidores. Eles desatam a comprar casas baratas agora, porque daqui a 3 anitos despejam-nas, pintam as paredes e alugam por uma pipa de massa.

Não sei, saio do ap ou não… agora? Ou espero ser despejada?

Lixa a Esquerda, lixa a Direita, lixa o Centro!

Percebi? Ok!
Felicidades prós 5% que são ricos aqui! Não se incomodem a fechar a porta.

Alguém me pode ajudar?
Onde é que há um local anarquista pra viver, a ver se eu tenho sossego a nível de casa?

Respostas pró email do costume:
Eu, a futura sem tecto.
------------------------
26/10/2004
SaraR@netcabo.pt


NOTA:
Ó Sara, porque é que vc não faz como as osgas que vivem nas paredes e muros?

Já viu osga pagar aluguer ou compra de algum deles? E ainda apanha solinho!
------------------
Laura

publicado por LauraBM às 00:00

03
Nov 04

Finalmente temos governo!
Mas há coisas que eu não entendo, por exemplo:
para que são precisos mais ministérios??
(Será que os amigos não cabiam todos nos que já havia??)
Ainda outra dúvida:
Se o Bagão Félix está disponível para fazer parte do governo e se era tão competente porque muda de pasta? O trabalho não rende mais se tiver continuidade?
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Isto sou eu, que não percebo nada de política, a pensar cá com os meus botões.
E tenho de mudar urgentemente de assunto que este blog já parece a quadratura do círculo!! (Mas em bom, claro...)
E ainda outra coisa:
foi impressão minha ou o nosso Presidente estava com um ar compungido do género "Meu Deus, mas que é que eu fui fazer?"
---------------
17/07/2004
Copiado do blog
http://fabulas.blogs.sapo.pt/

NOTA:
Que me desculpe a autora mas este estava mesmo a pedir ser copiado.
Mas tive o cuidado de colocar, senão a autoria, pelo menos o link do Blog da autora. rsssssss
Mil perdões!!!!

publicado por LauraBM às 17:05

02
Nov 04

O Presidente Jorge Sampaio acaba de nomear Pedro Santana Lopes Primeiro Ministro da República Portuguesa.
À saída do palácio de Belém, Pedro Santana Lopes anunciou a sua equipa para os próximos 3 meses, «altura em que suspenderei o mandato para assumir o cargo de Presidente da República», disse PSL.

Segundo comentadores políticos bem colocados, o Presidente Jorge Sampaio irá daqui a 3 meses para Presidente da ONU; e, dada a experiência de PSL em ocupar cargos fugindo a eleições, será nomeado Presidente pelo Conselho de Estado e pela maioria PPD/PSD+CDS/PP.

«O lema do meu Governo será BAR ABERTO» disse PSL.
bar_aberto.jpg                                                                                                                                                                 
- Para o Ministério da Saúde, foi nomeada Lili Caneças, dado o seu conhecimento de operações tipo Peeling.
- Para a Educação, Universidades e Investigação Científica, Paula Bobone (os jovens precisam de aprender boas maneiras).
- Para as Finanças, Cinha Jardim (já tem experiência de economizar comprando na feira de Carcavelos e cobrando cachets no Big Brother).
- Para os Negócios Estrangeiros, Zé Castelo Branco (tem contactos e um conjunto de malas Louis Vouitton, ele tem jeito, né?).
- Para a Cultura, a cantora Ágata (tem reconhecimento popular)
- Para a Defesa, Paulo Portas (para manter a coligação)
- Para a Justiça e ministra de Estado, para estar mais próxima do PM, Monika Lewinski (tem experiência como estagiária)
- Para a Administração Interna, Cichollina (tem experiência na matéria)
- Para o Ambiente, Linda Lovelace (entrou em vários filmes "muito especiais" e causou sempre bom ambiente --»).
- As pastas Ministério dos Bares , Ministério das Mulheres, Ministério da Night, Ministério da Praia, Ministério das Férias, ainda não foram atribuídas dado PSL não ter tido fôlego para efectuar as provas práticas: "O que é que querem já vou nos 48 e não tenho a força dos 20 anos.... e olhem que ter feito algumas provas práticas com algumas destas ministras não foi nada estimulante"
- O Ministério do Trabalho e Segurança Social foram extintos, assim como o da Economia.
Segundo PSL " Ninguém está aqui para trabalhar nem para economizar: é só para gastar".

À pergunta de um jornalista sobre a razão de serem só mulheres e dois homens, PSL comentou "Oh, homem! Acha que aqueles dois são homens?
Francamente, estes jornalistas estão cada vez mais anjinhos".

A próxima reunião da Conselho de Ministros foi marcada para as 3h00 da manhã de sexta-feira, na Avenida 24 de Julho - Discoteca "A Kapital".
"Vamos reunir sempre em locais onde esteja o povo e de forma descentralizada pelo país; na semana que vem a reunião será na Ribeira do Porto, já mandei reservar dois bares.
Após estas duas semanas de trabalho intenso, o governo agora nomeado irá tirar dois meses de férias para o Algarve para recuperar de tanto esforço", afirmou PSL.

Quanto a grandes medidas "Passará a ser possível descontar no IRS perfumes, despesas de viagem em 1ª Classe, Hotéis de 5 estrelas, Restaurantes que constem do Guia Michelin, roupas acima de 1,000 Euros, Preservativos (um bem de 1ª necessidade), Vibradores (inclusive modelos com Turbo).
Será abolido o IA para carros com mais de 3,000 cm3 de cilindrada e os Hospitais públicos darão prioridade às operações estéticas para mulheres.

Nas obras públicas, ("Bolas esqueci-me de nomear uma ministra!!"), será construído um túnel entre Lisboa e a Madeira; "e será reforçado o orçamento para a construção de casinos" afirmou o novo primeiro-ministro.

O Hotel Sheraton foi reservado para residência oficial do novo PM dado o palácio de S. Bento necessitar de obras urgentes... "mandei pôr piscina coberta, um court de ténis, sauna e uns espelhos para aquilo ficar decente" disse PSL.

A economia nacional já está a sentir o impacto da nomeação deste governo:
Stanley Ho afirmou à Lusa "já mandei a minha equipa económica para Lisboa negociar o exclusivo do jogo em Portugal, irei construir vários Hotéis e Casinos".

Nota: A gente paga sempre por se rir do mal dos outros, né?
Tanto ri das piadas acerca do governo brasileiro que agora já nem acho tanta graça assim!!!!!!!!!!!!!!

menina_chorar.gif

Tocou-me a mim... e dói muito!!!!!!
Acho que também se esqueceu do Ministro dos Animais.
Admira porque deveria pugnar pela raça!
---------------------------------------------------
16/07/2004
Artigo recebido por troca de mensagens (Internet)

publicado por LauraBM às 23:15

01
Nov 04

A "retoma" da família José Manuel Barroso...

Os principais motivos que levam Durão Barroso, aliás, José Manuel Barroso, a presidente da Comissão Europeia para defender os nobres interesses de Portugal:

homem_dedoespetado.gif - Salário base mensal . 22.200 euros
- Subsídio mensal de habitação . 444 euros
- Despesas de representação . 1.418 euros
- Abono mensal para a esposa . 149 euros
- Abono de família por cada filho . 260 euros
- Ajudas à escolaridade dos filhos . 443 euros
- Subsídio de instalação na nova casa ....... 3.330 euros-
- Mudanças, viagens e seguros .................. Tudo pago
- Viatura de função com motorista
- Cozinheiro pessoal e empregados de copa .
Moralmente, como se sentirá, Durão Barroso, aliás, José Manuel Barroso, quando ele próprio vai ter direito a um subsídio para os seus filhos, que ele cortou a grande parte dos portugueses - o abono de família?
Isto dá que pensar!!!
-----------------------
11/07/2004
Artigo recebido via Internet (e-mail)

publicado por LauraBM às 23:16

Quem foi que disse que estamos na cauda da Europa?
mapamundo-seta.jpg
O Diário Económico fez as contas e, sim, concluiu que:
o ordenado mínimo português é 20,7% inferior ao espanhol;
sim, o vencimento médio em Portugal é 57,25% inferior ao dos espanhóis.
Mas nem tudo é mau.
O primeiro-ministro português ganha mais que o espanhol,
os ministros portugueses ganham mais que os espanhóis,
os secretários de Estado do governo de Portugal ganham mais que os de Espanha
e mesmo os deputados da Assembleia da República recebem mais, ao fim do mês,
que os das Cortes de Madrid.
O que é que está errado neste filme?
Este artigo do Diário Economico de 28 de Maio, diz tudo relativamente ao n/país.

publicado por LauraBM às 18:38

"O Congresso Nacional é um local que:
se gradear vira zoológico,
se murar vira presídio,
se colocar uma lona em cima vira circo,
se colocar lanternas vermelhas vira prostíbulo
e se der descarga não sobra ninguém."

======================

Frase do Dia, do Mês, do Ano e do Século

“Portugal é hoje um paraíso criminal onde alguns inocentes imbecis se levantam para ir trabalhar, recebendo por isso dinheiro que depois lhes é roubado pelos criminosos e ajuda a pagar ordenados aos iluminados que bolçam certas leis.”


===================================

"Ponha-se na presidência qualquer medíocre, louco ou semi-analfabeto, e vinte e quatro horas depois a horda de aduladores estará à sua volta, brandindo o elogio como arma, convencendo-o de que é um gênio político e um grande homem, e de que tudo o que faz está certo.
Em pouco tempo transforma-se um ignorante em um sábio, um louco em um gênio equilibrado, um primário em um estadista.
E um homem nessa posição, empunhando as rédeas de um poder praticamente sem limites, embriagado pela bajulação, transforma-se num monstro perigoso".

-------------------------------------------

General Olímpio Mourão Filho
(in A Verdade de um Revolucionário de 1978)



ESSA FRASE DEVE CONTINUAR CIRCULANDO....

Frase da filósofa russo-americana Ayn Rand (fugitiva da revolução russa, que chegou aos Estados Unidos na metade da década de 1920), mostrando uma visão com conhecimento de causa:


“Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que a sua sociedade está condenada”.


Qualquer semelhança com o Brasil e o Portugal de hoje, não é mera coincidência...


"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas...”

--------------------------------------------

Guerra Junqueiro, in "Pátria", escrito em 1896

O problema de Portugal é que quem elege os governantes
não é o pessoal que lê o jornal, mas quem limpa o traseiro com ele!


Para que serve a política?

*Funcionamento do blog:
Clique sobre cada TAG e veja os arquivos do tema.
*Antiguidades óptimas
*A sair do forno
Um povo imbecilizado, uma classe política corrupta...
Eu não ligo muitos aos conceitos 'Direita' e 'Esqu...
Por favor, ajude-me a trazer esta petição para a a...
EU NÃO ME ENQUADRO NESSE ...
Nem sei que responda a um caso tão dramático.A rea...
A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol IIINo caso da ...
as Eleições em Portugal a Comissão Nacional de Ele...
Em relação aos sistemas económicos, muito se tem f...
Se com uma pensão inteira já é quase impossível ...
Isso é governar, não é comprar votos como fazem L...